A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SOFTWARES: BÁSICOS E APLICATIVOS Fundamentos da Computação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SOFTWARES: BÁSICOS E APLICATIVOS Fundamentos da Computação."— Transcrição da apresentação:

1 SOFTWARES: BÁSICOS E APLICATIVOS Fundamentos da Computação

2 Introdução Hardware = computador propriamente dito com todos os seus componentes e periféricos. Software = programas usados para obter os resultados esperados do computador Peopleware = todo o pessoal envolvido com o funcionamento do computador como: analistas,programadores, operadores, etc... Software: Um meio que foi desenvolvido para permitir que as pessoas pudessem comunicar-se com a CPU e fazer com que ela produzisse algo útil.

3 Software Para usufruir de toda a capacidade de processamento que o Hardware fornece, precisa-se de Software, que é o conjunto de instruções para serem compreendidas pela CPU. SOFTWARE BásicoAplicativosUtilitários

4 Software Básico É um conjunto de programas que define o padrão de comportamento do equipamento, tornando-o utilizável, ou seja, são os programas usados para permitir o funcionamento do hardware.

5 Imagine uma calculadora e várias pessoas querendo usá-la. Como você poderia dar a cada um aquilo que ele precisa? Quem usaria a calculadora primeiro? O que você faria se alguém se apossasse da calculadora por muito tempo? O que você faria se eles quisessem armazenar os resultados em algum lugar? Esta situação é semelhante ao que o SO geralmente enfrenta. Existem recursos que muitas pessoas querem usar. Se não houver algo que execute as tarefas, haverá conflitos e confusão geral. O que faz um Sistema Operacional?

6 O sistema Operacional é o elo de ligação entre a máquina e os Programas/periféricos/Usuário cujas funções principais são: permitir o funcionamento básico do computador e dos seus periféricos: lê e interpreta entradas do teclado; envia dados a um disco, impressora ou outro dispositivo de saída (impressora); Manter compiladores, editores e outros programas do sistema em locais de memória distintos. executar tarefas básicas de um sistema: copiar, mover, renomear, etc.,gerencia programas; gerencia a memória; Sistema Operacional

7 O SO é um alocador de recursos onde recursos são tempo de CPU, espaço de memória, espaço de disco, etc. É um programa de controle, pois controla os dispositivos de E/S e os programas dos usuários. Seu objetivo: permitir o uso do computador de uma forma conveniente e eficiente.

8 Monousuário: apenas um usuário utiliza todo o sistema de cada vez. Ou seja, não admite ser utilizado por mais de um usuário simultaneamente, gerenciando uma mesma CPU. Ex.: MS-DOS, Windows 3.1 Multiusuário: vários usuários podem estar utilizando o sistema de modo compartilhado em um dado instante. Ou seja, disponibiliza a mesma CPU para mais de um usuário ao mesmo tempo, através de clientes ligados ao computador. Programas e arquivos de dados em um único computador (host), que gerencia também o uso comum de periféricos compartilhados. Ex.: UNIX, Linux, Aix, Windows (...98,NT,2000, XP) Tipos de Sistemas Operacionais:

9 Monotarefa: só consegue executar uma atividade de cada vez. Ex.: DOS Multitarefas: um usuário com mais de uma tarefa sendo executada por vez. (Técnica de passar de uma aplicação para outra de tal forma que elas parecem estar sendo processadas simultaneamente) - É uma regra hoje a nível de SO. Tipos de Sistemas Operacionais

10 Ambiente Operacional ( Integradores de Software ) É a denominação genérica de uma interface como a do Windows (ou do Mac OS), com a qual o usuário não tem a necessidade de lembrar a sintaxe completa. Adiciona recursos ao SO para permitir uma interface gráfica com o usuário (GUI), múltiplos programas simultâneos e múltiplas janelas na tela. GUI Graphical User Interface

11 ícones (objetos, símbolos e representações gráficas para representar arquivos, programas, funções e comandos); um dispositivo de posicionamento (mouse); Menus (menu bar, pull-down, pop up); janelas sobrepostas; Termos empregados: User friendly e WISIWIG Interface Gráfica - GUI

12 Os programas utilitários do sistema fornecem um complemento necessário para uma ferramenta básica de gerenciamento do SO. (podem estar incluídos no SO ou vendidos por fornecedores independentes.) Fornecem ao usuário ferramentas para organizar os discos, verificar disponibilidade de memória, corrigir falhas de processamento. Úteis ao sistema computacional. Utilitários:

13 Utilitários de Backup: copiam dados do HD para a mídia de backup. Um backup começa com um backup completo (imagem espelho de todo o conteúdo do HD). Subsequentemente o soft. Executa um backup incremental (arquivos criados ou alterados) em intervalos especificados (1 vez/dia). Existem também utilitários de backup de banco de dados. Utilitários:

14 Utilitários de compactação (compressão) de arquivos: reduz o tam. de um arquivo sem prejudicar os dados. A maioria deles funciona pesquisando o arquivo a procura de padrões extensos e freqüentemente repetidos e substituindo este padrões por códigos menores. Quando descompactado o utilitário restaura o padrão extenso onde cada código é encontrado). Ex.: WinRAR, Winzip, PKzip (compressão sem perdas). Utilitários:

15 Softwares Antivírus (ex.:, McAfee, Kasper, F- Secure, Norton,, Panda, Symantec, Sygate Kaspersky, F-Prot, Nod32, Trend Micro, Avast!, AVG, Bitdefender). Utilitários: Antivírus

16 O que é fragmentação? A fragmentação ocorre quando um arquivo e dividido em pedaços para caber nos espaços vagos de um disco. A fragmentação dos discos em um computador, afeta drasticamente sua performance e sua produtividade. Leve em consideração que um arquivo espalhado em 200 locais em seu disco demora 200x mais para ser carregado. A desfragmentação re grava de maneira mais eficiente, mas pode levar algum tempo (depende do tam. do volume, do nº de arquivos, da % de fragmentação e da disponibilidade de recursos do sistema). Utilitários: Desfragmentador

17 Programas para desfragmentação de arquivos. ex.: Defrag, Deskeeper (Estações Windows NT/2000/Win95/Win98) Utilitários: Desfragmentador

18 Tradutores: Programas responsáveis pela transformação de uma linguagem de programação em linguagem de máquina. Linguagem de Programação: É um conjunto de símbolos (vocabulário) e regras (gramática) que especificam como transmitir informações entre usuários e computador. Software Básico: Tradutores

19 LBN – Linguagem de Baixo Nível Montadores LM – Linguagem de Máquina LAN – Linguagem de Alto Nível Compiladores Interpretadores LOAD R1, val1 val2 = val1 + val2 2GL 1GL 3GL Software Básico: Tradutores

20 Linguagem de máquina: É baseada em código binário, em 0s e 1s. É utilizada diretamente pelo computador. Linguagem de baixo nível: É uma simplificação da linguagem de máquina. Permite que os programas utilizem abreviações simples de instruções de programa (mnemônicos) Exemplo: Ling. Assembly. Compare A,B Linguagem de alto nível: Utiliza combinação de um conjunto de símbolos de acordo com certas regras de sintaxe para expressar uma seqüência de operações de máquina. É uma linguagem que não exige conhecimento do código de máquina. São mais fáceis de ler, escrever e manter. Instruções são escritas em inglês (PRINT, Display)

21 O computador deve converter os comandos dados em linguagem de alto nível para linguagem de máquina (códigos binários). Esta tarefa de conversão é feita por um programa especial de computador, isto é, um programa que recebe as instruções em linguagem de alto nível e dá como saída outro programa constituído de instruções binárias. Ao programa original, em linguagem de alto nível, dá-se o nome de Programa Fonte e ao resultado, em linguagem de máquina, de Programa Objeto.

22

23 Existem três métodos básicos de abordagem na tradução de linguagem de alto nível para linguagem de máquina: INTERPRETADOR COMPILADOR TRADUTOR

24 1 Método: Interpretador O programa conversor recebe a primeira instrução do programa fonte, confere para ver se está escrita corretamente, converte-a em linguagem de máquina e então ordena ao computador que execute esta instrução. Depois repete o processo para a segunda instrução, e assim sucessivamente, até a última instrução do programa fonte. Quando a segunda instrução é trabalhada, a primeira é perdida, isto é, apenas uma instrução fica na memória em cada instante. Se este programa fonte for executado uma segunda vez, novamente haverá uma nova tradução, comando por comando, pois os comandos em linguagem de máquina não ficam armazenados para futuras execuções. Neste método, o programa conversor recebe o nome de INTERPRETADOR.

25 2 Método: Compilador O programa conversor recebe a primeira instrução do programa fonte, confere-a para ver se está escrita corretamente, converte-a para linguagem de máquina em caso afirmativo e passa para a próxima instrução, repetindo o processo sucessivamente até a última instrução do programa fonte. Caso tenha terminado a transformação da última instrução do programa fonte e nenhum erro tenha sido detectado, o computador volta à primeira instrução, já transformada para linguagem de máquina e executa-a. Passa à instrução seguinte, executa-a, etc., até a última. Se este programa for executado uma segunda vez, não haverá necessidade de uma nova tradução, uma vez que todos os comandos em linguagem binária foram memorizados em um novo programa completo. Neste método, o programa conversor recebe o nome de COMPILADOR.

26 2 Método: Compilador VANTAGEM: Neste processo a execução fica mais rápida em relação à anterior, pois se economiza o tempo de retradução de cada instrução a cada nova execução. DESVANTAGEM: A cada modificação introduzida no programa fonte é necessária uma nova tradução completa para obter um novo programa objeto, o que torna o processo mais dificultoso na fase de desenvolvimento, quando muitas modificações são feitas. Geralmente o COMPILADOR exige mais memória que o INTERPRETADOR, razão pela qual aquele é mais usado em computadores maiores e este em micros pessoais. Mas com a tendência dos micros pessoais de terem memórias maiores, mesmo neles, os COMPILADORES são os programas conversores preferidos.

27 3 Método: Tradutor Neste método, o computador ao invés de armazenar as instruções do programa fonte tal como lhe são fornecidas, ele transforma-as em códigos intermediários, que não exigem tanto espaço de memória como as instruções originais. Estas instruções intermediárias são em seguida transformadas em linguagem de máquina e executadas, funcionando daí por diante como no INTERPRETADOR. Neste método o programa conversor é conhecido como TRADUTOR. Neste estudo usa-se simplesmente o termo COMPILADOR para se referir a qualquer um dos três métodos de compilação. Na realidade, quase sempre é indiferente para um usuário não profissional que o computador trabalhe com um COMPILADOR, INTERPRETADOR ou com um TRADUTOR.

28 São os programas voltados para a solução de problemas do usuário. Podem ser de: uso geral: são programas que podem ser utilizados em vários tipos de aplicações. Exemplos: editores de texto, gráficos, planilhas, gerenciadores de banco de dados, etc. uso específico: se destinam exclusivamente a um único tipo de aplicação. Exemplos: folha de pagamento, crediário, imposto de renda, cadastro, contas a pagar e receber, etc. Software Aplicativo

29 Cite 20 softwares aplicativos de uso geral e específico para diferentes finalidades. Cite 5 nomes de soft. antivírus. Cite 5 linguagens de programação de alto nível. Cite 6 tipos de softwares utilitários. Diga qual sua finalidade. Cite 2 nomes de soft. desfragmentadores Exercício:

30 Porque o pen drive que se diz de um giga tem 994MB? Porque para apresentar o resultado em gigabytes as divisões do valor em bytes foram feitas por 1000 e não por Se fizermos o valor em bytes divido por 1024 (kilo) depois divido por (1024) para dar o resultado em MB teremos 994 MB.


Carregar ppt "SOFTWARES: BÁSICOS E APLICATIVOS Fundamentos da Computação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google