A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

COMBINAÇÃO DOS FACTORES PRODUTIVOS. FUNÇÃO PRODUÇÃO exprime a relação existente entre a produção e os factores produtivos, trabalho e capital utilizados.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "COMBINAÇÃO DOS FACTORES PRODUTIVOS. FUNÇÃO PRODUÇÃO exprime a relação existente entre a produção e os factores produtivos, trabalho e capital utilizados."— Transcrição da apresentação:

1 COMBINAÇÃO DOS FACTORES PRODUTIVOS

2 FUNÇÃO PRODUÇÃO exprime a relação existente entre a produção e os factores produtivos, trabalho e capital utilizados no processo produtivo. É traduzida por: É traduzida por: P=f(K,T) P=f(K,T) P nível de produção (quantidade produzida de um bem) K quantidade de capital utilizado no processo produtivo T quantidade de trabalho utilizada no processo produtivo

3 Esquematicamente, temos:

4 SUBSTITUIBILIDADE DOS FACTORES DE PRODUÇÃO Quando passamos de A1 para A2 reduzimos a utilização de capital em 2 unidades e compensamo-las por 3 unidades de trabalho. Quando passamos de A1 para A2 reduzimos a utilização de capital em 2 unidades e compensamo-las por 3 unidades de trabalho. A escolha da empresa deve incidir sobre o ponto B, porque neste ponto consegue obter o maior nível de produção (4000 peças de tecido) com o menor custo possível (320 u.m.) A escolha da empresa deve incidir sobre o ponto B, porque neste ponto consegue obter o maior nível de produção (4000 peças de tecido) com o menor custo possível (320 u.m.)

5 ISOQUANTA

6 MAPA DAS ISOQUANTAS

7 ISOQUANTAS CONJUNTO DE TODAS AS COMBINAÇÕES POSSÍVEIS DE FACTORES PRODUTIVOS QUE PERMITEM A MESMA QUANTIDADE DE PRODUÇÃO PROPRIEDADES DAS ISOQUANTAS : As isoquantas não se cruzam; As isoquantas não se cruzam; As isoquantas são negativamente inclinadas e convexas; As isoquantas são negativamente inclinadas e convexas; Quanto mais afastada a isoquanta da origem, maior a produção. Quanto mais afastada a isoquanta da origem, maior a produção. O mapa das isoquantas mostra o conjunto das isoquantas para cada nível de produto

8 ISOCUSTO é a curva constituída por todos os pontos representativos de igual custo de produção para diferentes combinações dos factores produtivos.

9 FUNÇÃO PRODUÇÃO – CURTO E LONGO PRAZO CURTO PRAZO é o período de tempo durante o qual um ou mais factores não podem variar. (factor fixo) Assim: K é o factor fixo T é o factor variável LONGO PRAZO é o período suficientemente longo para alterar todos os factores de produção utilizados. Por definição todos os factores de produção são variáveis ( não há factores fixos)

10 ANÁLISE DE CURTO PRAZO

11 PRODUTIVIDADE representa a relação entre o que se gasta e o que se produz, permitindo conhecer o valor da produção por unidade de recurso utilizada A produtividade depende de vários factores, tais como : Organização do trabalho; Organização do trabalho; Progresso técnico; Progresso técnico; Qualificação profissional dos trabalhadores e sua motivação; Qualificação profissional dos trabalhadores e sua motivação; Actividades de reciclagem; Actividades de reciclagem; Justeza das remunerações… Justeza das remunerações… A produtividade é avaliada de diferentes maneiras: Por trabalhador; Por trabalhador; Por capital; Por capital; Por empresa; Por empresa; Por país; Por país; Por recurso natural… Por recurso natural…

12 CONCEITOS ASSOCIADOS À FUNÇÃO PRODUÇÃO

13 PRODUTIVIDADE TOTAL RELAÇÃO ENTRE O VALOR TOTAL DA PRODUÇÃO E O VALOR TOTAL DE RECURSOS UTILIZADOS PARA A OBTER EM TERMOS MONETÁRIOS: EM TERMOS MONETÁRIOS: VALOR DA PRODUÇÃO_____________ VALOR DA PRODUÇÃO_____________ VALOR DOS FACTORES DE PRODUÇÃO VALOR DOS FACTORES DE PRODUÇÃO EMPREGUES EMPREGUES EM TERMOS FÍSICOS: EM TERMOS FÍSICOS: QUANTIDADE DO PRODUTO QUANTIDADE DO PRODUTO QT DE FACTORES DE PRODUÇÃO QT DE FACTORES DE PRODUÇÃO

14 PRODUTIVIDADE MÉDIA DO TRABALHO É A PRODUÇÃO POR TRABALHADOR EM TERMOS FÍSICOS: EM TERMOS FÍSICOS: QUANTIDADE PRODUZIDA QUANTIDADE PRODUZIDA QT DO FACTOR TRABALHO QT DO FACTOR TRABALHO EMPREGUE EMPREGUE (Nº DE HORAS DE TRABALHO OU Nº DE TRABALHADORES) (Nº DE HORAS DE TRABALHO OU Nº DE TRABALHADORES) EM TERMOS MONETÁRIOS: EM TERMOS MONETÁRIOS: VALOR DO PRODUTO OBTIDO VALOR DO PRODUTO OBTIDO VALOR DO TRABALHO EMPREGUE VALOR DO TRABALHO EMPREGUE

15 PRODUTIVIDADE MÉDIA DO CAPITAL É A PRODUÇÃO POR CAPITAL UTILIZADO EM TERMOS FÍSICOS: EM TERMOS FÍSICOS: QUANTIDADE PRODUZIDA_________ QUANTIDADE PRODUZIDA_________ QT DO CAPITAL TÉCNICO UTILIZADO QT DO CAPITAL TÉCNICO UTILIZADO EM TERMOS MONETÁRIOS: EM TERMOS MONETÁRIOS: VALOR DO PRODUTO OBTIDO_________ VALOR DO PRODUTO OBTIDO_________ VALOR DO CAPITAL TÉCNICO UTILIZADO VALOR DO CAPITAL TÉCNICO UTILIZADO

16 PRODUTIVIDADE MARGINAL É A RELAÇÃO ENTRE O AUMENTO DA PRODUÇÃO E A UTILIZAÇÃO DE MAIS UM TRABALHADOR PRODUTIVIDADE MARGINAL DO TRABALHO PRODUTIVIDADE MARGINAL DO TRABALHO ACRÉSCIMO NA QUANTIDADE PRODUZIDA ACRÉSCIMO NA QUANTIDADE PRODUZIDA ACRÉSCIMO DE 1 UNIDADE DE TRABALHO ACRÉSCIMO DE 1 UNIDADE DE TRABALHO PRODUTIVIDADE MARGINAL DO CAPITAL PRODUTIVIDADE MARGINAL DO CAPITAL ACRÉSCIMO NA QUANTIDADE PRODUZIDA ACRÉSCIMO DE 1 UNIDADE DE CAPITAL ACRÉSCIMO DE 1 UNIDADE DE CAPITAL

17 PRODUTO TOTAL, MÉDIO E MARGINAL

18 CURVAS DO PRODUTO TOTAL, MÉDIO E MARGINAL

19 LEI DOS RENDIMENTOS DECRESCENTES A LEI DOS RENDIMENTOS DECRESCENTES DIZ QUE, SE ADICIONARMOS UNIDADES SUCESSIVAS DE UM FACTOR VARIÁVEL A UM FACTOR FIXO, OS AUMENTOS NA PRODUÇÃO A PARTIR DE CERTO PONTO SÃO CADA VEZ MENORES A LEI DOS RENDIMENTOS DECRESCENTES DIZ QUE, SE ADICIONARMOS UNIDADES SUCESSIVAS DE UM FACTOR VARIÁVEL A UM FACTOR FIXO, OS AUMENTOS NA PRODUÇÃO A PARTIR DE CERTO PONTO SÃO CADA VEZ MENORES

20 PRODUTIVIDADE TOTAL

21 PRODUTIVIDADE MÉDIA

22 PRODUTIVIDADE MARGINAL

23 PRODUTIVIDADES MÉDIA E MARGINAL

24 LEI DOS RENDIMENTOS DECRESCENTES

25 A COMBINAÇÃO DOS FACTORES DE PRODUÇÃO ANÁLISE DE LONGO PRAZO

26 CUSTOS NO LONGO PRAZO

27 CUSTOS DE PRODUÇÃO EQUIVALEM À SOMA DE TODAS AS DESPESAS REALIZADAS PARA A OBTENÇÃO DA PRODUÇÃO EXº: PAGAMENTO DE SALÁRIOS AOS TRABALHADORES; PAGAMENTO DE SALÁRIOS AOS TRABALHADORES; ‚ PAGAMENTO DE ENERGIA ELÉCTRICA; ƒ PAGAMENTO DE ÁGUA; „ PAGAMENTO DE MATÉRIAS PRIMAS; … PAGAMENTO DE ALUGUERES DE INSTALAÇÃO.

28 PARA TODA E QUALQUER PRODUÇÃO HÁ: CUSTOS FIXOS (CF) OS QUE NÃO VARIAM COM A QUANTIDADE PRODUZIDA CUSTOS FIXOS (CF) OS QUE NÃO VARIAM COM A QUANTIDADE PRODUZIDAEXºS: ALUGUERES DE INSTALAÇÕES; ALUGUERES DE INSTALAÇÕES; ALUGUERES DE EQUIPAMENTOS; ALUGUERES DE EQUIPAMENTOS; PAGAMENTO DE SEGUROS; PAGAMENTO DE SEGUROS; AMORTIZAÇÕES DE MÁQUINAS E DE EMPRÉSTIMOS; AMORTIZAÇÕES DE MÁQUINAS E DE EMPRÉSTIMOS; ETC… ETC… CUSTOS VARIÁVEIS (CV)OS QUE VARIAM COM A QUANTIDADE PRODUZIDA CUSTOS VARIÁVEIS (CV)OS QUE VARIAM COM A QUANTIDADE PRODUZIDAEXºS: ENCARGOS COM A MÃO-DE-OBRA; ENCARGOS COM A MÃO-DE-OBRA; ENCARGOS COM A MATÉRIA-PRIMA; ENCARGOS COM A MATÉRIA-PRIMA; PAGAMENTO DAS MATÉRIAS SUBSIDIÁRIAS; PAGAMENTO DAS MATÉRIAS SUBSIDIÁRIAS; GASTOS DE MANUTENÇÃO/CONSERVAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS; GASTOS DE MANUTENÇÃO/CONSERVAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS; ETC… ETC…

29 CUSTOS DE PRODUÇÃO

30 CT = CF + CV CT CUSTOS TOTAIS CF CUSTOS FIXOS CV CUSTOS VARIÁVEIS CUSTO MÉDIO TOTAL = ____CUSTO TOTAL (CT)__ QUANTIDADE PRODUZIDA QUANTIDADE PRODUZIDA CUSTO POR UNIDADE PRODUZIDA CUSTO POR UNIDADE PRODUZIDA

31 CUSTOS TOTAIS,FIXOS, VARIÁVEIS MÉDIOS E MARGINAIS

32 CURVAS DO CUSTO TOTAL, MÉDIO E MARGINAL

33 PARA UM DADO VOLUME DA PRODUÇÃO, PODEM-SE CONSIDERAR DIVERSAS COMBINAÇÕES DOS FACTORES PRODUTIVOS, POR EXEMPLO, PARA A PRODUÇÃO DE 100 UNIDADES, PODEMOS COMBINAR: VEMOS, ASSIM, QUE A COMBINAÇÃO ÓPTIMA É DE 3 UNIDADES DE CAPITAL COM 7 UNIDADES DE TRABALHO, POIS É A QUE CONSEGUE CUSTOS DE PRODUÇÃO MAIS BAIXOS PARA A MESMA QUANTIDADE DE PRODUÇÃO. VEMOS, ASSIM, QUE A COMBINAÇÃO ÓPTIMA É DE 3 UNIDADES DE CAPITAL COM 7 UNIDADES DE TRABALHO, POIS É A QUE CONSEGUE CUSTOS DE PRODUÇÃO MAIS BAIXOS PARA A MESMA QUANTIDADE DE PRODUÇÃO. CAPITAL ( CUSTO UNITÁRIO 60 U.M.) TRABALHO ( CUSTO UNITÁRIO 20 U.M.) CUSTOS QUANTIDADECUSTOQUANTIDADECUSTOTOTAISUNITÁRIOS , , ,4

34 CONSIDEREMOS O SEGUINTE EXEMPLO: PRODUÇÃO CUSTO FIXO CUSTO VARIÁVEL CUSTO TOTAL CUSTO MÉDIO CUSTO MARGINAL ,

35 ECONOMIAS E DESECONOMIAS DE ESCALA SE AO DUPLICARMOS A UTILIZAÇÃO DOS FACTORES DE PRODUÇÃO ( AUMENTAMOS A ESCALA DE PRODUÇÃO) OBTIVERMOS MAIS DO DOBRO DA QUANTIDADE/VOLUME DE PRODUTO, ESTAMOS PERANTE O FENÓMENO DOS RENDIMENTOS CRESCENTES À ESCALA. SE AO DUPLICARMOS A UTILIZAÇÃO DOS FACTORES DE PRODUÇÃO ( AUMENTAMOS A ESCALA DE PRODUÇÃO) OBTIVERMOS MAIS DO DOBRO DA QUANTIDADE/VOLUME DE PRODUTO, ESTAMOS PERANTE O FENÓMENO DOS RENDIMENTOS CRESCENTES À ESCALA. A EMPRESA REDUZ OS CUSTOS DE PRODUÇÃO POR UNIDADE QUANDO AUMENTA A QUANTIDADE PRODUZIDA, ISTO É, A EMPRESA BENEFICIA DE UMA ECONOMIA DE ESCALA A EXPRESSÃO ECONOMIA DE ESCALA TRADUZ A DIMINUIÇÃO DO CUSTO DE PRODUÇÃO UNITÁRIO EM RESULTADO DO AUMENTO DA QUANTIDADE PRODUZIDA PELA EMPRESA

36 ECONOMIAS DE ESCALA AS ECONOMIAS DE ESCALA ESTÃO ASSOCIADAS A UM OU A UM CONJUNTO DOS SEGUINTES PROGRESSOS TÉCNICOS, QUE PROPORCIONAM A REDUÇÃO DOS CUSTOS MÉDIOS DE PRODUÇÃO: AS ECONOMIAS DE ESCALA ESTÃO ASSOCIADAS A UM OU A UM CONJUNTO DOS SEGUINTES PROGRESSOS TÉCNICOS, QUE PROPORCIONAM A REDUÇÃO DOS CUSTOS MÉDIOS DE PRODUÇÃO: 1- A ESPECIALIZAÇÃO E A DIVISÃO DO TRABALHO; 1- A ESPECIALIZAÇÃO E A DIVISÃO DO TRABALHO; 2- A UTILIZAÇÃO DA AUTOMAÇÃO E DE TECNOLOGIA MAIS AVANÇADA; 2- A UTILIZAÇÃO DA AUTOMAÇÃO E DE TECNOLOGIA MAIS AVANÇADA; 3- A UTILIZAÇÃO DE PROCESSOS NORMALIZADOS; 3- A UTILIZAÇÃO DE PROCESSOS NORMALIZADOS; 4- A PRODUÇÃO EM SÉRIE; 4- A PRODUÇÃO EM SÉRIE; 5- A MAIOR CAPACIDADE DE NEGOCIAR OS PREÇOS DE VENDA DO BEM; 5- A MAIOR CAPACIDADE DE NEGOCIAR OS PREÇOS DE VENDA DO BEM; 6- A MAIOR CAPACIDADE DE NEGOCIAR OS FINANCIAMENTOS DA EMPRESA; 6- A MAIOR CAPACIDADE DE NEGOCIAR OS FINANCIAMENTOS DA EMPRESA; AS ECONOMIAS DE ESCALA APARECEM ASSOCIADAS ÀS GRANDES EMPRESAS – GANHOS PROVENIENTES DA UTILIZAÇÃO MAIS RACIONAL DOS FACTORES DE PRODUÇÃO AS ECONOMIAS DE ESCALA APARECEM ASSOCIADAS ÀS GRANDES EMPRESAS – GANHOS PROVENIENTES DA UTILIZAÇÃO MAIS RACIONAL DOS FACTORES DE PRODUÇÃO

37 DESECONOMIAS DE ESCALA O AUMENTO EXAGERADO DA DIMENSÃO DAS EMPRESAS PODE ORIGINAR DESECONOMIAS DE ESCALA, ISTO É, AUMENTO DOS CUSTOS MÉDIOS DE PRODUÇÃO, ASSOCIADOS AO CRESCIMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO DA EMPRESA O AUMENTO EXAGERADO DA DIMENSÃO DAS EMPRESAS PODE ORIGINAR DESECONOMIAS DE ESCALA, ISTO É, AUMENTO DOS CUSTOS MÉDIOS DE PRODUÇÃO, ASSOCIADOS AO CRESCIMENTO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO DA EMPRESA AS DESECONOMIAS DE ESCALA OCORREM QUANDO OS CUSTOS MÉDIOS DE PRODUÇÃO AUMENTAM EM RESULTADO DO AUMENTO DA DIMENSÃO DAS UNIDADES DE PRODUÇÃO AS DESECONOMIAS DE ESCALA OCORREM QUANDO OS CUSTOS MÉDIOS DE PRODUÇÃO AUMENTAM EM RESULTADO DO AUMENTO DA DIMENSÃO DAS UNIDADES DE PRODUÇÃO

38 DESECONOMIAS DE ESCALA O APARECIMENTO DAS DESECONOMIAS DE ESCALA ESTÁ ASSOCIADA A VÁRIOS FACTORES COMO : O APARECIMENTO DAS DESECONOMIAS DE ESCALA ESTÁ ASSOCIADA A VÁRIOS FACTORES COMO : 1- A DIFICULDADE DE GERIR OS RECURSOS DA EMPRESA; 1- A DIFICULDADE DE GERIR OS RECURSOS DA EMPRESA; 2- A DIFICULDADE DE ESCOAMENTO DAS PRODUÇÕES; 2- A DIFICULDADE DE ESCOAMENTO DAS PRODUÇÕES; 3- O AUMENTO DO DESPERDÍCIO DE RECURSOS; 3- O AUMENTO DO DESPERDÍCIO DE RECURSOS; 4- DESMOTIVAÇÃO DOS TRABALHADORES; 4- DESMOTIVAÇÃO DOS TRABALHADORES; 5- AUMENTO DAS TENSÕES LABORAIS; 5- AUMENTO DAS TENSÕES LABORAIS; 6- AUMENTO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO DE CERTAS ACTIVIDADES DE TRANSPORTES. 6- AUMENTO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO DE CERTAS ACTIVIDADES DE TRANSPORTES.

39 DESECONOMIAS DE ESCALA AS EMPRESAS ENFRENTAM CUSTOS ACRESCIDOS PELA MÁ UTILIZAÇÃO DOS FACTORES, QUE SE TRADUZEM EM CUSTOS DE INEFICIÊNCIA. ESTES CUSTOS RESULTAM DA INCAPACIDADE DE DIRECÇÃO, DE COORDENAÇÃO E DE CONTROLO DAS MÚLTIPLAS TAREFAS INERENTES À VIDA DAS EMPRESAS AS EMPRESAS ENFRENTAM CUSTOS ACRESCIDOS PELA MÁ UTILIZAÇÃO DOS FACTORES, QUE SE TRADUZEM EM CUSTOS DE INEFICIÊNCIA. ESTES CUSTOS RESULTAM DA INCAPACIDADE DE DIRECÇÃO, DE COORDENAÇÃO E DE CONTROLO DAS MÚLTIPLAS TAREFAS INERENTES À VIDA DAS EMPRESAS

40 ECONOMIAS DE ESCALA E DESECONOMIAS DE ESCALA PARA CADA INDÚSTRIA HAVERÁ UMA DIMENSÃO ÓPTIMA DA EMPRESA, EM QUE O CUSTO MÉDIO ATINGE UM PONTO MÍNIMO. QUANDO AS EMPRESAS CRESCEM PARA ALÉM DESTA DIMENSÃO ÓPTIMA, A EFICIÊNCIA DECRESCE E OS CUSTOS MÉDIOS COMEÇAM A AUMENTAR. PARA CADA INDÚSTRIA HAVERÁ UMA DIMENSÃO ÓPTIMA DA EMPRESA, EM QUE O CUSTO MÉDIO ATINGE UM PONTO MÍNIMO. QUANDO AS EMPRESAS CRESCEM PARA ALÉM DESTA DIMENSÃO ÓPTIMA, A EFICIÊNCIA DECRESCE E OS CUSTOS MÉDIOS COMEÇAM A AUMENTAR.


Carregar ppt "COMBINAÇÃO DOS FACTORES PRODUTIVOS. FUNÇÃO PRODUÇÃO exprime a relação existente entre a produção e os factores produtivos, trabalho e capital utilizados."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google