A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. André Sales. Texto Não se faz um bom design sozinho. Um dos grandes responsáveis para um bom resultado de um trabalho é, sem dúvida, a tipografia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. André Sales. Texto Não se faz um bom design sozinho. Um dos grandes responsáveis para um bom resultado de um trabalho é, sem dúvida, a tipografia."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. André Sales

2 Texto

3 Não se faz um bom design sozinho. Um dos grandes responsáveis para um bom resultado de um trabalho é, sem dúvida, a tipografia

4 Com a invenção dos tipos moveis de Guttemberg adquirimos uma multiplicação do conhecimento e da informação A maquina inventada por ele e seus tipos desenhados e fundidos em metal, foram o ponto inicial para a revolução na comunicação

5 Estrutura do caracter Corpo: tamanho da letra, varia de acordo com o público e objetivo que irá se trabalhar. Caixa alta: letras maiúsculas. Caixa baixa: letras minúsculas.

6 A tipografia (do grego typos - "forma" - e graphein - "escrita") é a arte e o processo de criação na composição um texto, fisicamente ou digitalmente. No uso da tipografia o interesse visual é realizado através da escolha adequada de : - Fontes tipográficas, - Composição de texto, - Cor do texto - Relação entre texto e os elementos gráficos na página.

7 Tipografia x Tipologia

8 Tipografia É a arte e processo de criação de caracteres. A tipografia tem origem etimológica na implantação da impressão por tipos móveis na Europa. Tipologia Tipologia é o estudo das características dos tipos.

9 Tipo Cada um dos caractere tipográficos. Fonte (Família tipográfica) Conjunto ou coleção de tipos cujo traçado, em qualquer corpo (tamanho) ou variante (normal, negrito, itálico), apresenta as mesmas características estruturais e cujo desenho básico é conhecido por um nome.

10 Famílias Tipológicas

11 Baseados em estudos feitos por Francis Thibedeau, em meados do século XVIII, na França, foi estabelecido as principais família de letras de imprensa. São elas: Romana antiga Romana moderna Egípcia ou Serifa Grossa Lapidária ou Sem Serifa Cursiva Fantasia ou Decorativa

12 Romana antiga Criada pelos franceses, é inspirada na escrita monumental romana. Suas serifas facilitam a leitura, pois fazem o texto parecer contínuo aos olhos. Proporciona ao leitor um inconsciente descanso visual. Idéias para longos textos impressos.

13

14 Romana moderna Criada pelos italianos, apresenta uma evolução dos romanos clássicos, Esteticamente agradáveis, trouxeram sensível melhora na legibilidade das letras.

15

16 Egípcia (Serifa Grossa) Criada com o advento da revolução industrial, tem como característica estrutural uma certa uniformidade nas hastes e serifas retangulares.

17

18 Lapidária (sem serifa) Criada na Alemanha, possui caracteres com poucas variações em suas hastes, cujos arremates não possuem serifas. Ideal para títulos e embalagens

19

20 Cursiva São as letras que não se encaixam em nenhuma das famílias já vistas. São mais ilegíveis, limitando seu uso a destaques, com número limitado de toques.

21

22

23 Fantasia Fruto da evolução tecnológica e da necessidade de criar identidades corporativas cada vez mais inteligentes, criativas e individualizadas.

24

25 Destaque Existem algumas maneiras para se dar destaque em uma informação,dentro do mesmo texto. - Utilizar inclinação. - Tonalidade (Extra Bold, Bold, Média,Light, Extra light). - Condensado ou expandido. - kerning: Ajuste do espaço entre as letras de uma palavra com o objetivo de criar uma textura visual, tornando assim o texto mais legível.

26 Legibilidade A legibilidade é a qualidade do que se pode ler ou do que está escrito em caracteres nítidos. Dessa forma, não se lê letra por letra, e, sim, reconhecem- se os grupos de letras pelas suas particularidades formais, isto é, lê-sea imagem das palavras. A boa legibilidade das letras, números, símbolos (caracteres), palavras e frases depende de variáveis que devem ser observadas: simplicidade, dimensão, força, e harmonia.

27 Simplicidade Quanto mais simples for o desenho dos caracteres, mais legível ele será, principalmente se o desenho seguir a lei da Boa continuação, isto é, o olhar tem tendência a seguir na direção que, oticamente, melhor continua a direção da letra. As letras com traços ascendentes (b, d, f, h, k, l, t) e aquelas com descendentes (g, f, p, q, y) se sobressaem e contribuem para formar a imagem da palavra.

28 Carnal Árvore Rapaz MONÓTONO RETÂNGULO Monóton o Retângulo

29 Legibilidade depende do topo das letras

30

31 Dimensão Texto com corpo muito pequeno ou muito grande dificulta a leitura. O tamanho do tipo1 utilizado pela maioria dos profissionais da área para um texto varia entre 09 e 12 pontos; alguns profissionais expandiram este estudo levando em conta a faixa etária do leitor, concluindo que: - Menores de 7 anos –corpo 24 - De 7 até 14 –corpo 16 - Maiores de 14 anos –corpo 10 ou 12.

32 Força A força dos caracteres é derivada da largura de seus traços, bem como das áreas de intervalos entre cada letra, entre cada palavra e entre cada linha. Letras maiúsculas podem ser consideradas mais fortes, mas textos compostos integralmente em maiúsculas devem ser evitados, pois prejudicam a legibilidade. Portanto, as letras maiúsculas devem ser utilizadas em início de sentenças, títulos, nomes próprios e siglas ou abreviaturas triviais aos leitores.

33 Efeito psicológico Os caracteres, de acordo com suas famílias, transmitem sensações psicológicas conforme o seu desenho, força e orientação, principalmente quando associados e reforçados com os efeitos psicológicos proporcionados pela cor. Devido a esse fato, a escolha da família deve ser criteriosa e transmitir os sentimentos desejados ou reforçar o texto.

34

35

36

37

38

39

40


Carregar ppt "Prof. André Sales. Texto Não se faz um bom design sozinho. Um dos grandes responsáveis para um bom resultado de um trabalho é, sem dúvida, a tipografia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google