A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CâncerDaTireóide Apresentador: Luis Fernando C. Barros Cirurgia Oncológica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CâncerDaTireóide Apresentador: Luis Fernando C. Barros Cirurgia Oncológica."— Transcrição da apresentação:

1 CâncerDaTireóide Apresentador: Luis Fernando C. Barros Cirurgia Oncológica

2 Nódulo tireoidiano Prevalência Porcentagem de malignidade

3 Nódulo tireoidiano Risco de malignidade : -Crescimento rápido -Fixação a estruturas adjacentes -Nódulo endurecido -Adenomegalia cervical -História radioterapia -Hístória familiar

4 Nódulo tireoidiano Avaliação US -Hipoecogênico -Microcalcificações -Irregulares -Fluxo sanguíneo aumentado -Aumento diâmetro antero-posterior -Adenopatia cervical

5 Epidemiologia: Nos EUA ca de tireóide representa menos 1% neoplasias malignas. 90 – 95 % casos tumores bem diferenciados.

6 Epidemiologia Incidência do câncer de tireoide Mortalidade do câncer de tireoide

7 Epidemiologia Tumores originados células foliculares papilares foliculares células de Hurthle Tumores originados das células C medular Anaplásicos

8 ESTADIAMENTO

9

10 Carcinoma Papilar - Neoplasia maligna mais frequente da tireóide (70 e 80%). - Aumento a partir da década de Associado a um bom prognóstico. -Fator de risco: radiação cervical, história familiar, doença de Cowden e síndrome de Gardner -Mais frequente em mulheres

11 Carcinoma Papilar Quadro clínico: Nódulo Tireoidiano palpável Nódulo incidental Nódulo cervical Excelente prognóstico

12 Câncer Papilar Diagnóstico: Ultra-som de tireóide PAAF Biópsia de linfonodo cervical Cintilografia de tireóide

13 Câncer Papilar Carcinoma micropapilífero menor que 1 cm

14 Câncer Papilar Tratamento: Cirurgia Tireoidectomia total Tireoidectomia sub-total

15 Câncer Papilar Linfadenectomia : - nos pacientes submetidos á tireoidectomia total, realizar linfadenectomia VI - linfadenectomia lateral ( II –IV ): linfonodos comprometidos ou fortemente suspeitos

16 Carcinoma Papilar - Uso do iodo radioativo - Recorrência em linfonodos regionais - Metástase a distância

17 Carcinoma Papilar

18 Carcinoma Folicular Representa 10% das neoplasias malignas da tireóide. Acomete pacientes com 50 anos ou mais. Mais frequente em mulheres (relação 3:1). Deficiência de iodo.

19 Carcinoma Folicular Quadro clínico: Nódulo tireoidiano. Adenopatia infrequente (menos de 5% dos casos). Rouquidão.

20 Carcinoma Folicular Diagnóstico: PAAF - valor limitado (invasão vascular e capsular). Congelação pér peratória Pós operatório

21 Carcinoma Folicular -Tratamento: tireoidectomia total tireoidectomia sub total

22 Carcinoma Folicular Tratamento: - linfadenectomia - Iodo radioativo

23 Células de Hurthle Células de Hurthle Um tipo de carcinoma folicular. Acomete pacientes mais idosos (60 a 70 anos). Alguns trabalhos evidenciam um pior prognóstico : - maior meta linfonodal - risco maior de meta á distância

24 Células de Hurthle Células de Hurthle Tratamento tireoidectomia total X subtotal linfadenectomia - iodo radioativo

25 Carcinoma bem diferenciado Baixo RiscoAlto Risco Idade< 40 anos> 40 anos SexoFemininoMasculino ExtensãoSem extensão local, Intratireóide, sem invasão capsular Invasão capsular, extensão extratireóide Metástase NenhumaLocal ou distante Tamanho< 2 cm> 4 cm GrauBem diferenciadoMal diferenciado

26 Carcinoma Medular Corresponde 5 a 10% das neoplasias de tireóide. Originário das células parafoliculares Associado à secreção de calcitonina. Pode ocorrer de forma esporádica, associado à NEM ou familiar mutação RET

27 Carcinoma Medular - agressividade NEM 2 a, NEM 2 b, CMF, CME - localização unicêntrico X multicêntrico

28 Carcinoma Medular -Quadro clínico: Massa cervical palpável -Diagnóstico laboratorial: Aumento de calcitonina

29 Carcinoma Medular -Tratamento: Tireoidectomia total com ressecção linfonodal. Iodo radioativo : pouco efetivo

30 Carcinoma Medular 5 – 10 % associados á alterações genéticas mutação no RET NEM 2A NEM 2B PROFILAXIA

31 Câncer Anaplásico Representa menos de 1% das neoplasias malignas da tireóide. Forma mais agressiva do cancer da tireóide. Mais frequente em idosos.

32 Câncer Anaplásico Quadro clínico: Massa cervical dolorosa Disfagia Dispnéia Síndrome da veia cava superior

33 Câncer Anaplásico Tratamento: - Tratamento cirúrgico : reservado para as lesões menores que 5 cm - traqueostomia Radioterapia e quimioterapia

34 Linfoma da Tireóide Neoplasia extremamente rara. Associação entre linfoma e tireoidite de Hashimoto. Sem associação com radiação ou HIV. - linfoma não hodking células B

35 Linfoma da Tireóide Quadro clínico: Bócio com crescimento rápido Rouquidão Disfagia Febre

36 Linfoma da Tireóide Diagnóstico: PAAF Biópsia aberta

37 Linfoma da Tireóide Tratamento: Quimioterapia Tireoidectomia total ou subtotal. Radioterapia

38 Complicações da tireoidectomia sangramento lesão do laringeo recorrente lesão traqueal ou esofagiana hipocalcemia


Carregar ppt "CâncerDaTireóide Apresentador: Luis Fernando C. Barros Cirurgia Oncológica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google