A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Estado da Arte e a Aplicação da Gestão do Conhecimento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Estado da Arte e a Aplicação da Gestão do Conhecimento."— Transcrição da apresentação:

1 O Estado da Arte e a Aplicação da Gestão do Conhecimento

2 É uma disciplina para o desenvolvimento de métodos integrados para identificar, capturar, recuperar, compartilhar e avaliar os ativos de conhecimento de uma organização (GARTNER GROUP) n n Processo de obter, gerenciar e compartilhar a experiência e especialização dos funcionários, utilizando-se de tecnologias para alavancar isto de forma corporativa (Jay Bromberek / DOCULABS) É o conjunto de ferramentas para a automação dos relacionamentos entre informações, usuários e processos... Visa conectar detentores do conhecimento e usuários destes através de tecnologias (Carl Frappaolo / DELPHI GROUP)

3 Tipos de Conhecimento Tácito ¥ ¥ Conhecimento da Experiência (corpo) ¥ ¥ Conhecimento Simultâneo (aqui e agora) ¥ ¥ Conhecimento Análogo (prática) Explícito Ž Ž Conhecimento da Racionalidade (mente) Ž Ž Conhecimento Sequencial (lá e então) Ž Ž Conhecimento Digital Ž Ž(teoria) Fonte: Criação do Conhecimento na Empresa - Takeuchi & Nonaka

4 Gestão do Conhecimento Conhecimento Explícito – quando o conhecimento é facilmente mapeado e passível de ser aprendido por terceiros. Conhecimento Tácito – refere-se ao conhecimento pessoal, calcado em experiências pessoais com insumos subjetivos. O maior desafio para as organizações é a captação do conhecimento tácito, já que aí reside o conhecimento com maior valor estratégico para estas. Fonte: Jornal Mundo da Imagem (CENADEM)

5 Dimensionamento da Ignorância Fonte: Intellectual capital - thomas stewart

6 Tácito Explícito Tácito Explícito (Socialização) (Externalização) (Internalização)(Combinação) Conhecimento compartilhado Conhecimento conceitual Conhecimento operacional Conhecimento sistêmico do em Fonte: Criação do Conhecimento na Empresa - Takeuchi & Nonaka

7 Fases da Gestão do Conhecimento n Intermediação – Transferência de conhecimento entre detentores e usuários deste. Pode ser feita através de Intranets, groupware, ferramentas de pesquisa, workflow e até de forma verbal. n Externalização – A transferência do conhecimento da mente de alguém para um repositório. Fonte: Grupo Delphi

8 Fases da Gestão do Conhecimento Internalização – A extração do conhecimento do repositório e o uso de filtros para obter aquele de maior relevância para os usuários. Tomadas de decisão – As funcionalidades dos sistemas que suportam tomadas de decisões sobre o conhecimento existente. Ex: sistemas especialistas. Fonte: Grupo Delphi

9 Conhecimento da Organização KNOW-HOW Conhecimento Explícito. Formalizado e especializado. Dados, procedimentos, modelos, algoritmos, documentos de análise e sínteses, desenhos,.... Heterogêneo, incompleto ou redundante. Freqüentemente marcado pelas circunstancias da sua criação. Não expressa o não dito. Compartilhado HABILIDADES Conhecimento Tácito Adquirido pela prática. Adaptável. Explicitável e não-explicitável. Habilidades pessoais, aptidão profissional, conhecimento privado,... Freqüentemente transmitido segundo o comportamento Mestre-Aprendiz. Localizado Arquivos armazenados, arquivos manuais, sistemas, entendimentos das pessoas. Caracteriza a capacidade de projetar, produzir, vender e suportar produtos e serviços. Representativo da experiência e a cultura da organização. Fonte: J.P.A.Barthès

10 ENCONTRAR CAPTURAR DISTRIBUIR ATUALIZAR Identificar Localizar Formalizar Modelar Arquivar Referenciar Acessar Difundir Explorar Interagir Aperfeiçoar Atualizar Conhecimento Crítico / Estratégico Fonte: J.P.A.Barthès Gestão do Conhecimento

11 Buscar teorias Buscar teorias Interpretar Ações/problemas Interpretar Ações/problemas Prática Prática Olhar para Olhar para Refletir sobre Refletir sobre Formular hipóteses conjuntas Formular hipóteses conjuntas Compartilhar problemas Compartilhar problemas (GRUPO/INDIVÍDUO) PROCESSO REFLEXIVO Ciclo Reflexivo

12 Como produzir resultados mensuráveis? Quais serão as áreas prioritárias? Quais serão os impactos na organização? Como gerar interesse dos colaboradores? Como extrair conhecimento dos que o detêm? Que assuntos compensam ser elaborados? Como organizar a evolução das idéias? Como incentivar criatividade? A informação relevante esta atingindo o alvo? Alguns desafios da Gestão do Conhecimento Fonte: Celepar

13 Combinação de focos e ferramentas O Gestor do Conhecimento Facilitador? Quem gera conhecimento ? Construção social do conhecimento Medidas de audiência Melhores praticas? Disciplinas (P. Senge) Compartilhamento de Visão Desenvolvimento Pessoal Modelos Mentais Aprendizagem em Grupo Pensamento Sistêmico Fonte: Celepar

14 O Portfólio Tecnológico é uma base textual, que contém descrições sobre as tecnologias em uso no ambiente de desenvolvimento. A gestão de conhecimento não se resume ao Portfólio. O compartilhamento do conhecimento pode ser obtido via tecnologias que facilitam a aproximação das pessoas: Groupware. Para se evitar confusões conceituais, preferiu-se chamar este acervo de Portfólio Tecnológico em vez de Base de Conhecimento. Portfólio Tecnológico Fonte: Celepar

15 Workflows internos da empresa Além do conhecimento sobre a tecnologia, fazem parte do acervo de conhecimentos a descrição dos diversos processos produtivos da empresa. Tecnologia de gestão de projetos É importante também organizar a experiência acumulada ao longo dos anos na gestão de projetos, visando o seu reaproveitamento. Conhecimento sobre os clientes Os modelos que representam os processos de negócio, os dados e os sistemas de informação dos nossos clientes, são conhecimentos valiosos, que precisam estar registrados e atualizados. Além das tecnologias... Fonte: Celepar

16 Capturar e compartilhar as boas práticas adotadas nos nossos projetos é um dos alvos a ser perseguido. Registrar e compartilhar as lições aprendidas com os erros é um objetivo que sempre deve estar em pauta na gestão do conhecimento. Como? * Promovendo a interação dos técnicos. * Através do Portfólio Tecnológico. Aprendendo com os acertos... E, também, com os erros. Fonte: Celepar

17 Projeto de organização do Ambiente de Desenvolvimento de Software da área de projetos e sistemas. Objetivo: Aumento da produtividade e qualidade através do re-uso de soluções Produtos esperados: Mapeamento das tecnologias em uso na empresa. Definição de um conjunto de características a ser utilizada na descrição destas tecnologias. Designação de especialistas para alimentar e manter atualizada o acervo de conhecimentos e para atuarem como referências para os demais técnicos. Porque surgiu o Portfólio Tecnológico Fonte: Celepar

18 Apresentação Características Componentes Curiosidades Dicas Especialistas Experiências ocorridas na empresa Instalação Novidades Pré-requisitos Recomendações de uso Referências Bibliográficas Estrutura referente a uma Tecnologia Links para sites e páginas que tratam do assunto na Web também são armazenados. Fonte: Celepar

19 Características – Ambiente de desenvolvimento – Custos – Facilidades para melhorar produtividade – Funcionalidades que podem ser incorporadas às aplicações – Performance – Aceitação do Mercado – Suporte Técnico Oficial – Sistemas Distribuídos - DCOM e ActiveX – Comparativo com Linguagens Concorrentes – Conteúdo de solicitação de compra Estrutura referente a uma tecnologia Fonte: Celepar

20 Experiências – Construção de DLLs genéricas – Concatenação de arquivos textos e posterior execução de FTP – Código de Barras – Criar evento do Windows que não estava definido no Delphi – etc. Recomendações de Uso – Quando devemos usar o Delphi? Estrutura referente a uma tecnologia Fonte: Celepar

21 Para cada tecnologia, um grupo de especialistas – São os técnicos que conhecem mais do que os outros a respeito do assunto. Um dos especialistas é designado como líder – Coordena a atualização dos conteúdos relativos ao assunto. – Contratado formalmente para esta tarefa. Dificuldades – Geralmente os técnicos com mais conhecimento são aqueles com menos tempo para repassá-lo. – Alguns especialistas sentem dificuldades em descrever didaticamente o conhecimento que detém. – Os trabalhos do dia-a-dia são prioritários em relação à tarefa de manter atualizado o acervo de conhecimento. Como é o envolvimento dos especialistas Fonte: Celepar

22 É um projeto formal da empresa, em andamento. O que tem sido feito para promover e motivar: Implantação de novas tecnologias Primeiro Encontro dos Especialistas Migração para o interface WEB (protótipo) Prospecção de ferramentas (Gestão do Conhecimento) Segundo Encontro dos Especialistas. Consolidação do Portfólio Tecnológico Fonte: Celepar

23 Incrementar o Portfólio com novos assuntos e tecnologias. Acompanhar e avaliar o nível de utilização das informações. Executar ações que estimulem a consulta ao Portfólio. Introduzir novas formas e ferramentas de armazenamento, apresentação e acesso às informações. Gerente do Portfólio de Tecnologias Existe uma pessoa que responde pelas atribuições de : - coordenar o processo de evolução do Portfólio de Tecnologias, - supervisionar e cobrar dos diversos grupos de especialistas a atualização dos conteúdos, - zelar pela qualidade da sua estrutura, - motivar e promover o envolvimento dos especialistas. O que se pretende fazer Fonte: Celepar

24 Gestão do Conhecimento é um processo. O Portfólio Tecnológico é o armazém dos conhecimentos representáveis, capturados neste processo. Promover e facilitar a interação em tempo real entre quem precisa de um conhecimento e quem detém este conhecimento é fundamental. Concluindo... Fonte: Celepar


Carregar ppt "O Estado da Arte e a Aplicação da Gestão do Conhecimento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google