A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REINO PROTISTA O nome Protozoário (do grego proto = primeiro, zoon – animal) foi cunhado por Goldfuss em 1818 como zubgrupo do Zoophyta (protistas, esponjas,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REINO PROTISTA O nome Protozoário (do grego proto = primeiro, zoon – animal) foi cunhado por Goldfuss em 1818 como zubgrupo do Zoophyta (protistas, esponjas,"— Transcrição da apresentação:

1 REINO PROTISTA O nome Protozoário (do grego proto = primeiro, zoon – animal) foi cunhado por Goldfuss em 1818 como zubgrupo do Zoophyta (protistas, esponjas, cnidários, rotíferos e outros); A primeira classificação foi feita por Antony van Leeuwenhoek por volta de 1675; Anos mais tarde Haeckel uniu as algas e os protozoários em um único grupo, os Protista que hoje é considerado um dos reinos dos seres vivos.

2 -Os Protista, segundo Brusca e Brusca (1990) podem ser classificados pelos seus modos de nutrição e locomoção: Mastigophora (flagelos), Ciliophora (cílios), Sacordina (pseudópodes) e Sporozoa (sem estruturas locomotoras óbvias); - De acordo com o produto produzido podem ser: zooflagelados (heterótrofos) e fitoflagelados (autótrofos fotossintetizantes).

3

4 CARACTERÍSTICAS GERAIS DO REINO -São coloniais, de vida livre ou parasita; -Habitam os mais variados ambientes (terrestre, água doce, marinho e até mesmo trato digestório); -Apresentam uma grande variação de formas e coloração; - Podem ser considerados bioindicadores de várias condições, desde uma poluição ambiental a infestação parasitária.

5 CLASSIFICAÇÃO DO REINO Segundo BRUSCA & BRUSCA, Reino Protista FILO Euglenida. Ex: Euglenóides Ciliophora. Ex: ciliados Apicomplexa. Ex: gregarinas, picoplasmas, etc. Dinoflagellata. Ex: dinoflagelados Stramenopila. Ex: flagelados silicosos, etc. Rhizopoda. Ex: amebas Actinopoda. Ex: radiolários, etc. Granuloreticulosa. Ex: foraminiferos Diplomonadida. Ex: giárdias, etc. Parabasilida. Ex: tricomonadidos, etc. Cryptomonada. Ex: criptomonadidos Microspora. Ex: microsporidos

6 Reino Protista FILO Ascetospora. Ex: ascetosporídios Choanoflagellata. Ex: coanoflagelados Chlorophyta. Ex: clorofilados Opalina. Ex: opalinados

7 BAUPLAN DOS PROTISTA -Pertencem a um clado monofilético ; -São unicelulares; - Desenvolvem funções básicas de um metazoário;

8 ESTRUTURA DO CORPO, EXCREÇÃO E TROCAS GASOSAS -Apresentam estruturas celulares internas (microtúbulos e retículo endoplasmático); -A maioria apresenta-se em formas coloniais; -Variam de forma e tamanho; -A eliminação dos resíduos metabólicos e o excesso de água se dão pelas vesículas de expulsão de água (ou vacúolos contráteis). -Não possui camada germinativa; -Não possui órgãos ou tecidos organizados; - São de vida livre, mutualista, comensais, parasitas, etc.

9 SUSTENTAÇÃO E LOCOMOÇÃO -A maioria mantém a forma mais ou menos constante (esférica, radial ou bilateralmente simétrica); -Apresentam uma teca (a qual é formada através do acúmulo de partículas a partir do ambiente, ou até mesmo por outros arranjos do esqueleto); - Utilizam pseudópodes, cílios ou flagelos que auxiliam na locomoção.

10 Ameba emitindo pseudópode Estrutura de um pseudópode

11 Estrutura de um flagelo.

12 NUTRIÇÃO a)Podem ser tanto autótrofos quanto heterótrofos; b) Os fotossintéticos apresentam cloroplastos; c) Os que não apresentam cloroplastos, realizam fotossíntese através de pigmentos; d) Os heterótrofos em sua maioria são saprófitas (alimentos dissolvidos por difusão ou transporte ativo) ou holozóicas (alimentos sólidos – fagocitose); e) Podem apresentar um citóstoma (boca celular);

13 A. acúmulo de alimento intacto. B. a membrana vacuolar. C. formação das microvilosidades. D. entrada no citoplasma das vesículas. E. corte transversal através de um citóstoma de um ciliado.

14 g) Inicialmente o vacúolo digestivo acumula enzimas – ácidos; h) Em alguns Protista as excretas são lançadas através de uma abertura denomina – citoprocto; i) Nos Protista as organelas responsáveis pela produção do ATP são as mitocôndrias; Atividade e sensibilidade -Cílios e flagelos são organelas sensíveis ao tato; -Alguns apresentam extrussomos (organelas envoltas por membrana contendo substâncias químicas); - Podem apresentar ocelos (pode ser manchas pigmentares ou estruturas em forma de lentes complexas).

15 REPRODUÇÃO Assexuada TIPODESCRIÇÃO Fissão bináriaEnvolve uma única divisão mitótica, resultando em duas células filhas; Fissão múltiplaO núcleo sofre muitas divisões múltiplas antes da citocinese; BrotamentoOcorre geralmente em Apicomplexa através de um processo denominado plasmotomia (um adulto multinucleado divide-se em duas células filhas multinucleadas).

16 Sexuadamente : SINGAMIA a)As células que desenvolvem os gametas são chamadas de gamontes; b) A singamia pode envolver gametas de um único tamanho denominados isogâmicos, ou de tamanhos diferentes, anisogâmicos; c) O processo meiótico pode preceder imediatamente a formação e união dos gametas (divisão reducional pré-zigótica) ou após a fertilização (pós-zigótica); d) Como também envolver processos mitóticos, no entanto, referem-se à persistência do envelope nuclear.

17 IMPORTÂNCIA ECONÔMICA biodiversidade, cadeia alimentar, produção de oxigênio para atmosfera, bioindicadores, ETC. IMPORTÂNCIA ECONÔMICA medicina, indústria farmacêutica, indústria pesqueira, indústria alimentícia, etc.

18 ALGUNS FILOS DE IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E ECOLÓGICA Filo Euglenida Representantes: Ascoglena, Colacium, Entosiphon, Euglena, Leocinlis, Menodium, Peranema, Phacus, Rhobdomonas, Stromonas, Trachelomonas, etc. Euglena sp.

19 -São dulcíaquolos, porém alguns podem ser marinhas; -São de vida livre, porém pode ocorrer algumas formas coloniais; -A forma do corpo é mantida por uma película, formada por feixes protéicos interconectados abaixo da membrana plasmática; - Geralmente a película é sustentada por microtúbulos; Película membranosa de uma Euglena sp.

20 -Alguns ainda podem secretar lorica ou envelope externo da membrana celular; -Geralmente apresentam 02 flagelos, em alguns casos, um é tão curto que é representado apenas por um cinetossomo; -Cada flagelo possui uma fileira de pêlos; - O deslocamento se dá por movimentos flagelares; Deslocamento (locomoção) da Euglena agilis.

21 -As mitocôndrias são únicas com cristas discóides; -Possui um único núcleo cromossômico; - Reproduzem-se assexuadamente por fissão binária longitudinal (simetrogênica);

22 -Aproximadamente 1/3 das espécies são fotossintetizantes; -Os pigmentos fotossintetizantes são: clorofilas a e b, ficobilinas, β-caroteno e as xantofilas neoxantina e diadinoantina; -A maioria são heterótrofos, alimentando-se da matéria orgânica em suspensão; - Importância Ecológica e Econômica : são bioindicadores de condições da água; são também utilizados no tratamento da água, pois extraem metais pesados (magnésio, ferro e zinco de seus efluentes); são também considerados pragas (liberando em alguns casos toxinas) em cultivos de trutas, etc.

23 Filo Granuloreticulosa Representantes: Allogramia, Astrorhiza, Biomyxia, Elphidium, Glabratella, Globigerina, Cromia, Iridia, Microgamia, Nummulites, Rhizoplasma, Rataliella, Technitella, Tretomphalus, etc. A. Elphideum sp. B. Foraminífero Soritidae.

24 Classificação de acordo com o ambiente.

25 -Habitam quase todos os hábitats aquáticos, desde os pólos até o Equador; -Alguns são planctônicos, no entanto, a maioria é bentônico; -Estão divididos em dois grupos: os Athalamida e Foraminiferida; -A célula é envolta por uma membrana plasmática, a qual pode ser sustentada por uma teca orgânica, aglutinada ou calcária; -Apresentam uma série de câmaras diminutas por onde emergem os reticulópodes; -Os reticulópodes também pode ser utilizados na alimentação;

26 -A maioria são heterótrofos, podendo ser herbívoros, carnívoros ou até mesmo onívoros; - Os ciclos de vida são complexos e envolve alternância de geração (duas fases: sexuada e assexuada);

27 Libera os gametas livres natantes. Fusão dos gametas. Formação do zigoto zigoto assentado é sem carapaça e amebóide a célula cresce e amadurece com um gamonte produz assexuada mente gamontes jovens Cada gamonte maduro acumula partículas de detritos Com o acúmulo de detritos formam uma câmara de flutuação. câmara de flutuação formada Flutuação na superfície Ciclo de um Tremtophalus buloides.

28 IMPORTÂNCIA ECOLÓGICA bioindicadores de ambientes; biodiversidade, etc. IMPORTÂNCIA ECONÔMICA Indústria petrolífera, jazigas, etc.

29 Filo Dinoflagellata Representantes: Amphidinium, Ceratium, Kofoidinium, Gonyaulax, Nematodinium, Nematopsides, Noctiluca, Peridinium, Polykrikos, Protoperidinium, Zooxantella, etc. Ceratium sp. Zooxantella sp.

30 -São comuns em quase todos os ambientes aquáticos do mundo, mas cerca de 90% são planctônicos; -Aproximadamente metades das espécies são fotossintéticas, e estas são produtoras primárias em muitos ambientes aquáticos; -Apesar de serem unicelulares, algumas espécies formam colônias; -A maioria apresenta dois flagelos; -Algumas espécies (saxitoxina) associam-se causam um fenômeno conhecido como maré vermelha; - Geralmente apresentam teca, a qual é constituída por uma epiteca;

31 -A osmorregulação se dá através de púsulas; -Possui os mais variados hábitos alimentares, no entanto, a maioria é saprofítica; -Uma boa parte é autotrófica (cloroplastos), outros, porém são predadores; -Apresentam uma boca primitiva que pode ser classificada em: tricocistos, mucocistos ou nematocistos; -A divisão nuclear é por meio de pleuromitose extranuclear; -A reprodução assexuada se dá por fissão binária ao longo do plano longitudinal; - A reprodução sexuada se dá pela união de células haplóides;

32 IMPORTÂNCIA ECOLÓGICA Biodiversidade, teia trófica, etc. IMPORTÂNCIA ECONÔMICA Boa parte são causadores da maré vermelha, em seres humanos causam a PSP (paralytic shellfish poisoning).

33 FILO APICOMPLEXA Representantes: Cryptosporida, Diaplauxis, Didymophyes, Eimeria, Gregarina, Haemoproteus, Lecudina, Leucocytozoon, Plasmodium, Strombidium, Stylocephalus, Toxoplasma, etc. Há aproximadamente espécies sendo todas parasitas; Corpo de gregarínido

34 -Apresentam um complexo apical (o qual serve como aparelho fixador na célula hospedeira); -Não possuem cílios; -A locomoção se dá por deslizamento; -Algumas espécies apresentam gametas flagelados; -Alimentam-se por endocitose (fagocitose e pinocitose) através de micróporos; -A reprodução assexuada se dá por fissão binária, múltipla e endopoligenia; -Os ciclos de vida podem ser divididos em 03 estágios: gamontogonia (fase sexuada), esporogonia (formação de esporos) e a fase de crescimento. - Geralmente os ciclos são monogenéticos (envolvem apenas um hospedeiro).

35 PATOLOGIA Malária Nome vulgar da doença: paludismo, febre palustre, impaludismo, maleita ou sezão. Agente etiológico: Plasmodium falciparum, P. vivax, P. malarie e P. ovale. Plasmódio no sangue periférico

36 Hospedeiro vertebrado – homem e invertebrado: Anopheles Transmissão: pela picada das fêmeas parasitadas (repasto sanguíneo); Formas do parasito: várias (esporozoíto, merozoítos, etc.); Período de incubação: de 8 a 12 dias para o P. falciparum, 13 a 17 dias para o P. vivax e de 20 a 30 dias para o P. malarie. Sintomas clínicos -Mal-estar, cefaléia, cansaço e mialgia, geralmente precede a clássica febre malárica; - Ocorre o ataque paroxístico (acesso malárico): dura de 15min a 1h, com febre de até 41oC, esse período dura em torno de 2 a 6h, a febre diminui, surge uma sudorese protusa e fraqueza profunda, depois de algumas horas os sintomas desaparecem;

37 Tipos de malária Complicada Não complicada 1. Não Complicada Causa: geralmente desencadeia, vômitos, náuseas, anemias, podendo ainda desenvolver – esplenomegalia, hepatomegalia, leucopenia e plaquetopenia. 2. Complicada Causa: malária cerebral (forte cefaléia, hipertermia, vômitos e sonolência), insuficiência renal aguda (redução do volume urinário e retenção da creatinina), edema pulmonar agudo, hipoglicemia, icterícia (aumento da bilirrubina), hemoglobinúria (hemólise das hemácias);

38 Diagnóstico Clínico Laboratorial Tratamento Por medicamentos (quinina, mefloquina e halofantrina) Profilaxia - Medidas de proteção individual - Medidas de prevenção coletivas - Medidas de combate as larvas - Vacinação

39 Filo Rhizopoda Representantes: Acanthamoeba, Amoeba, Arcella, Centropyxis, Chãos, Difflugia, Endolimax, Entamoeba, Euhyperamoeba, Flabellula, Hartmanella, Iodamoeba, Mayorella, Nudearia, Pamphagus, Pelomyxa, Pompholyxophrys, Thecamoeba, etc. Nuclearia sp. Hartmanella sp. Vannella sp. Arcella sp.

40 -Há aproximadamente 200 espécies; -A maioria é de vida livre, também são conhecidas as formas simbiontes ou parasíticas. -Emitem pseudópodes, os quais, são utilizados tantos na alimentação quanto na locomoção; -Há dois tipos primários de pseudópodes: lobópodes (rombudos) e filópodes (filetes); -Os rizópodes podem estar circundados apenas por uma membrana- amebas nuas; outras são recobertas por teca – teca-mebas; - Apresentam vacúolo alimentar e alimentam-se por endocitose;

41 Processo alimentar desenvolvido pelas amebas.

42 REPRODUÇÃO Filo Rhizopoda. (a) fissão binária em amebas. (b) fissão binária em amebas com carapaça. (c) fissão binária em Arcella sp.

43 PATOLOGIA Amebíase Bucal Agente etiológico: Entamoeba gingivalis Sintomas clínicos: lesões nos dentes e processos inflamatórios bucais; Acanthamoebidae -São amebas pequenas, que causam meningoencefalite amebiana ou encefalite granulomatosa. - Os pacientes apresentam alterações mentais, sinais e sintomas de irritação meníngea e a hipertensão intracraniana evoluindo para o coma.

44 Outras formas da Amebíase Agente etiológico: Entamoeba histolytica

45 Localizações das infecções parasitárias: intestinais, hepáticas, podendo ocorrer em outros locais (pulmões, cérebro e pele); Transmissão - Alimentos contaminados - Relações sexuais; -Más condições de higiene Profilaxia - Uso de medicamento - Conscientização da população - Saneamento básico.

46 Filo Parabasilida Representantes: Dientamoeba, Histomonas, Monocercomonas, Petatrichomonas, Trichomonas, Trichonympha, Titrichomonas, etc. T. vaginalis Tritrichomonas foetus

47 -Há aproximadamente 300 espécies descritas; -Esse filo é subdividido em dois grupos: os tricomonadidos e os hipermastigotos; -Parabasilida recebeu esse nome devido a presença de uma fibra parabasal; -Habitam os mais diferentes ambientes, até humanos; -Possuem flagelos, os quais variam em quantidade, mais normalmente apresentam 04; - Nos flagelos há duas raízes fibrosas (parabasal e atratóforo) e duas microtubulares (axóstilo e peltas) associadas com os corpúsculos basais;

48 -Locomovem-se por flagelos ou emitem pseudópodes; -São heterotróficos e necessitam de um citóstoma; -Alguns se alimentam por endocitose; -A reprodução assexuada se dá por fissão binária; - A reprodução sexuada por gametogamia (porém ocorre apenas em hipermastigotos).

49 PATOLOGIA Tricomoníase Agente etiológico: Trichomonas vaginalis

50 Sintomatologia: inicialmente é silenciosa, mas após alguns dias surge uma leucorréia com a produção de corrimento abundante; o corrimento varia em aspecto em quantidade, geralmente está associado a fungos, como por exemplo, Monilia;

51 Transmissão 1. Ato sexual 2. Fômites contaminados Diagnóstico: clínico e laboratorial Tratamento a) Suspensão do ato sexual b) Medicamentosa (metronidazol, nimorazol, ornidazol, etc);


Carregar ppt "REINO PROTISTA O nome Protozoário (do grego proto = primeiro, zoon – animal) foi cunhado por Goldfuss em 1818 como zubgrupo do Zoophyta (protistas, esponjas,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google