A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Transmissão Gestante – Feto ( Transmissão Vertical )

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Transmissão Gestante – Feto ( Transmissão Vertical )"— Transcrição da apresentação:

1

2

3 Transmissão Gestante – Feto ( Transmissão Vertical )

4 TOXOPLASMOSE TOXOPLASMOSE ETIOLOGIA : Toxoplasma Gondii TRANSMISSÃO GATOS ALIMENTOS CONTAMINADOS TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS ACIDENTES DE LABORATÓRIO TRANSMISSÃO VERTICAL MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS : 80 % - NENHUMA. 20 % - MIALGIA, CORIZA, LINFADENOPATIA.

5

6 TOXOPLASMOSE - INGESTÃO DOS OOCISTOS TAQUIZOÍTOS MÚSCULO E S. NERVOSO MULTIPLICAÇÃO CISTOS TECIDUAIS CICLO DO PARASITA NO HOMEM

7 TOXOPLASMOSE - INGESTÃO DOS OOCISTOS TAQUIZOÍTOS MÚSCULO E S. NERVOSO MULTIPLICAÇÃO CISTOS TECIDUAIS CICLO DO PARASITA NO HOMEM : TRANSMISSÃO TRANSPLACENTÁRIA : SOMENTE OS TAQUIZOÍTOS FASE AGUDA

8 TOXOPLASMOSE TAXA DE INFECÇÃO E GRAVIDADE POR PERÍODO GESTACIONAL T. INFECÇÃO GRAVIDADE PRIMEIRO TRIMESTRE % 50 a 70 % SEGUNDO TRIMESTRE % 40 a 50 % TERCEIRO TRIMESTRE % 10 %

9 TOXOPLASMOSE PREVALÊNCIA Gestantes que já tiveram contato com o toxoplasma USA : 10 a 50 % das gestantes FRANÇA : 72 % das gestantes BRASIL : 40 a 80 % das gestantes CUIABÁ : 70,7% = 29,3 % de suscetíveis

10 TOXOPLASMOSE CONGÊNITA COMO EVITAR ?

11 TOXOPLASMOSE TOXOPLASMOSE DIAGNÓSTICO da gestante e feto PESQUISA DE ANTICORPOS - GESTANTE IDENTIFICAÇÃO DE SEGMENTOS DE DNA - FETO

12 TOXOPLASMOSE TOXOPLASMOSE DIAGNÓSTICO LABORATORIAL NA GESTANTE SOROLOGIA : IgG - IgM

13 TOXOPLASMOSE TOXOPLASMOSE FASE AGUDA IgM - IgG Positivas TÍTULOS CRESCENTES DE IgM RÁPIDA ASCENSÃO DE IgG e IgM BAIXA AVIDEZ DE IgG FASE CRÔNICA: PRESENÇA APENAS DE IgG ALTA AVIDEZ DE IgG

14 TOXOPLASMOSE TOXOPLASMOSE REPETIR SOROLOGIA COM 20 E 30 SEMANAS - SSS ORIENTAÇÕES PROFILÁTICAS – O H D: - Evitar contato com gatos e seus dejetos - Não ingerir carne crua ou mal-passada - Usar luvas ou não levar as mãos à boca ou aos olhos quando manipular carne crua ou terra. Resultados possíveis da sorologia no pré-natal GESTANTE IgG - e IgM - SUSCETÍVEL

15 TOXOPLASMOSE TOXOPLASMOSE GESTANTE COM IgG + e IgM - = IMUNIZADA SE HIV + OU EM USO DE ALTAS DOSES DE CORTICOSTERÓIDES : REPETIR SOROLOGIA COM 20 E 30 SEMANAS E ORIENTAÇÕES PROFILÁTICAS Considerá-la como suscetível Resultados possíveis da sorologia no pré-natal

16 TOXOPLASMOSE TOXOPLASMOSE SOROLOGIA IgM POSITIVA Resultados possíveis IgM em ascensão ou baixa avidez = fase aguda investigação de infecção fetal (20 semanas) TÍTULOS BAIXOS = REPETIR IgM OU FAZER AVIDEZ IgG TÍTULOS ALTOS = FASE AGUDA

17 TOXOPLASMOSE TOXOPLASMOSE MÃE IgG + e IgM + = FASE AGUDA FAZER DIAGNÓSTICO FETAL A PARTIR DE 18 SEMANAS 1 - INTRODUZIR ESPIRAMICINA PROFILAXIA DA TRANSMISSÃO VERTICAL DOSE : 1g VO de 8/8 h ( 3g / DIA ) Conduta

18 TOXOPLASMOSE TOXOPLASMOSE 1. LÍQUIDO AMNIÓTICO: PCR - Polimerase Chain Reaction 2. ULTRASSONOGRAFIA DIAGNÓSTICO FETAL

19 TOXOPLASMOSE TOXOPLASMOSE FETO NÃO CONTAMINADO: MANTER ESPIRAMICINA ATÉ O TERMO DIAGNÓSTICO FETAL

20 TOXOPLASMOSE TOXOPLASMOSE INTRODUZIR : PIRIMETAMINA : 25 mg 12 / 12 h SULFADIAZINA : 1g de 8 / 8 h DURANTE 21 DIAS E ALTERNAR COM ESPIRAMICINA TAMBÉM POR 21 DIAS ÁCIDO FOLÍNICO : 10 mg / DIA MANTER ESTE ESQUEMA ATÉ O TERMO Suspender o esquema com SULFADIAZINA duas semanas antes da data provável do parto FETO CONTAMINADO

21 TOXOPLASMOSE - RESUMO IgG + e IgM + IgG - e IgM - IgG + e IgM - = SUSCETÍVEL Sorologia com 20 e 30 semanas - SSS Orientações higieno-dietéticas - OHD = IMUNIZADA - Nada fazer (Exceto HIV= SSS + OHD) TV = Apenas na Fase AGUDA – IgM Positiva = FASE AGUDA Espiramicina + Pesquisar feto Feto + = Sulfa + Pirimetamina

22 Transmissão Gestante – Feto ( Transmissão Vertical )

23 PRD Leão

24 Paulo R. D. Leão HISTÓRICO Passagem dos macacos para os humanos Óbito humano em Kinshasa, Zaire. Primeiro caso comprovado no mundo, diagnostico por sangue estocado Casos em homossexuais nos USA e em heterossexuais no Haiti e na África. Causa ???? Reconhecimento de uma nova doença, que destrói o sistema imunológico.

25 HISTÓRICO Montagnier e Gallo isolam o vírus da AIDS USA -Primeiro teste laboratorial Publicado o ACTG 76 Paulo R. D. Leão

26 PRD Leão Grupos de Risco Homossexuais Masculinos Transmissão através de: Fluidos corporais: Sangue - Sêmen - Fluido Vaginal Usuários de drogas injetáveis

27 PRD Leão Homossexuais Masculinos Usuários de Drogas Disseminação

28 PRD Leão Homossexuais Masculinos Usuários de Drogas Disseminação Transmissão Vertical

29 PRD Leão Homossexuais Masculinos Usuários de Drogas Disseminação HIV Transmissão Vertical Criança com HIV

30 TENDÊNCIAS EPIDEMIOLÓGICAS. INTERIORIZAÇÃO. PAUPERIZAÇÃO Paulo R. D. Leão. FEMINIZAÇÃO. TRANSMISSÃO VERTICAL

31 A disseminação da AIDS em mulheres é predominantemente via relações heterossexuais. Na África, quase totalmente. FORMAS: - Sexo com parceiro bissexual ou usuário de droga injetável - Uso de droga injetável - Transfusão sanguínea MODOS DE TRANSMISSÃO PARA MULHER Paulo R. D. Leão

32 PRD Leão Transmissão Vertical Por que ocorre: Presença do Vírus nos fluidos maternos em quantidade alta – CARGA VIRAL ELEVADA

33 PRD Leão Transmissão Vertical Como ocorre Contato do feto com fluidos maternos ricos em vírus: Sangue - fluidos do trajeto do Parto – leite materno Por que ocorre: Presença do Vírus nos fluidos maternos em quantidade alta – CARGA VIRAL ELEVADA

34 PRD Leão Transmissão Vertical Quando Ocorre GestaçãoTrabalho de PartoPartoAmamentação 15% 70% 15%

35 PRD Leão Taxas Naturais de Transmissão Vertical 25 A 40% PROFILAXIA da Transmissão Vertical: Reduzir a possibilidade de contato do feto com Fluidos maternos com carga viral elevada.

36 PRD Leão Taxas Naturais de Transmissão Vertical 25 A 40% PROFILAXIA da Transmissão Vertical: Reduzir a possibilidade de contato do feto com Fluidos maternos com carga viral elevada. Evitando procedimentos invasivos BVC – Amniocentese - Cordocentese Evitando reinfecção da gestante Uso de condom Diminuindo a carga viral materna – Uso de medicamentos

37 PRD Leão ACTG 76 – Estudo multicêntrico Diminuindo a carga viral materna – Uso de medicamentos Transmissão Vertical - PROFILAXIA

38 PRD Leão ACTG 76 – Estudo multicêntrico USO DE AZT EM 3 FASES: 1. Na Gestação – AZT VO: 600 mg / dia, de 14 semanas até o parto 2.No trabalho de Parto – AZT EV: 2 mg / K de peso – 1ª hora 1 mg / k de peso – após a 1ª hora 3. Para o RN – AZT VO – 2 mg / K de peso, de 6 / 6 h – seis semanas Diminuindo a carga viral materna – Uso de medicamentos Transmissão Vertical - PROFILAXIA 25 A 40% 8%

39 PRD Leão Diminuindo a carga viral materna – Uso de medicamentos Transmissão Vertical - PROFILAXIA 25 A 40% 8% TARV Combinada Como Profilaxia AZT + 3TC + Lopinavir/Ritonavir Pacientes Assintomáticas Virgens de Tratamento Carga Viral abaixo de Iniciar com 14 semanas Interromper após o parto

40 PRD Leão Transmissão Vertical - PROFILAXIA Paciente já em uso de medicação: Manter o esquema – Introduzir AZT, se no esquema não tiver nem o próprio AZT ou a Estavudina. Retirar drogas contra-indicadas na gestação: Efavirenz, Hidroxiuréia, Amprenavir solução oral, Associação Estavudina + Didanosina. Evitar: Indinavir

41 EXAMES NO PRÉ NATAL DAS SOROPOSITIVAS Rotina mais: VDRL e sorologia para toxoplasmose trimestrais Lipidograma + Hemograma + TGO e TGP mensais Ultra-sonografia Trimestral Carga viral e Linfócitos CD4 e CD8 trimestrais Realizar um exame com 34 semanas ou mais.

42 PRD Leão Transmissão Vertical - PROFILAXIA VIA DE PARTO Via Vaginal Cesariana Eletiva X 8% * 2% * * Taxas para paciente com AZT ou TARV na gestação

43 PRD Leão Transmissão Vertical - PROFILAXIA VIA DE PARTO Via Vaginal Carga Viral menor que cópias Exame feito com 34 semanas ou mais Paciente em uso de TARV combinada

44 PRD Leão Transmissão Vertical - PROFILAXIA VIA DE PARTO Via VaginalCesariana Eletiva X Carga Viral menor que cópias Exame feito com 34 semanas ou mais Paciente em uso de TARV combinada Todos os demais casos Cesariana Eletiva: Antes do Trabalho de parto Bolsa íntegra. Fazer AZT EV por, no mínimo, 3 horas antes da cesariana.

45 PRD Leão Transmissão Vertical - PROFILAXIA Via Vaginal Cuidados no parto vaginal: AZT EV até o nascimento Não fazer amniotomia – Parto Impelicado Não deixar bolsa rota mais de 4 horas Evitar muitos toques Abreviar o trabalho de parto Evitar fórceps Laqueadura precoce do cordão Evitar episiotomia

46 PRD Leão Transmissão Vertical - PROFILAXIA Pós-parto: NÃO AMAMENTAR INIBIR A LACTAÇÃO Cabergolina (Dostinex) 2 comp. VO Dose única.

47 Pacientes que são internadas em Trabalho de parto: Realizar Teste Rápido para HIV na internação para o parto.

48 PRD Leão Teste rápido para HIV Antígeno comum Antígeno HIV Gôta de sangue

49 PRD Leão Teste rápido para HIV Antígeno comum Antígeno HIV Gôta de sangue

50 PRD Leão Teste rápido para HIV Antígeno comum Antígeno HIV Gôta de sangue

51 PRD Leão Teste rápido para HIV Antígeno comum Antígeno HIV Gôta de sangue

52 PRD Leão POSITIVONEGATIVO INDETERMINADO

53 PRD Leão POSITIVO CONDUTA: Considerar provisoriamente como Soropositiva e realizar todas as Condutas preconizadas. Comunicar à paciente que este resultado NÃO é definitivo e que ela deverá fazer novos exames para confirmação Para pacientes apenas com UM teste rápido positivo: NÃO inibir a lactação até resultado definitivo.

54 Infecções na Gestação – HIV Dois testes rápidos POSITIVOS NEGATIVOS

55


Carregar ppt "Transmissão Gestante – Feto ( Transmissão Vertical )"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google