A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SISTEMA PÚBLICO DE BIBLIOTECAS: O CASO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Samir Elias Kalil Lion – Economista/UFBA, Doutorando.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SISTEMA PÚBLICO DE BIBLIOTECAS: O CASO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Samir Elias Kalil Lion – Economista/UFBA, Doutorando."— Transcrição da apresentação:

1 SISTEMA PÚBLICO DE BIBLIOTECAS: O CASO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Samir Elias Kalil Lion – Economista/UFBA, Doutorando PPGCI/UFBA. José Carlos Sales dos Santos – Bibliotecário/UFBA, Doutorando PPCGI/UFBA. XI CINFORM Encontro Nacional de Ensino e Pesquisa em Informação 19 a 21 de agosto de 2013 Escola Politécnica/UFBa Salvador – Bahia Mundo digital: uma sociedade sem fronteira?

2 Sumário 1 - INTRODUÇÃO 2 – OBJETIVO 3 – MÉTODO 4 – DISCUSSÃO 5 – RESULTADOS 6 – CONCLUSÃO 7 – REFERÊNCIAS XI CINFORM, Salvador, 2013

3 Introdução O Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal da Bahia teve como embrião a Biblioteca Central Reitor Macêdo Costa, também conhecida como Biblioteca Central da Universidade Federal da Bahia, que representou um importante papel como equipamento científico-pedagógico para o desenvolvimento constante das diversas atividades acadêmicas e institucionais da UFBA. A Biblioteca Central da UFBA teve como núcleo inicial o Serviço de Informações Bibliográficas – SCIB, criado em Em 1968, foi institucionalizada como Órgão Suplementar, vinculado diretamente à Reitoria: seu acervo básico era oriundo do Serviço central de Informação – SCIB, constituído, sobretudo de obras de referência. Ainda em 1968, recebeu o acervo de outras instituições vinculadas a UFBA, como o Instituto de Cultura Hispânica – ICHUB, o Instituto de Ciências Sociais – ICS e o Instituto de Estudos Norte-Americanos – IENA. Esteve instalada, inicialmente, na Escola de Biblioteconomia e Documentação, que nesta época funcionava nas dependências da Reitoria. Posteriormente, se mudou para a Rua Araújo Pinho, prédio da atual Secretaria Geral de Cursos, onde permaneceu até De 1969 a 1971, funcionou no prédio do antigo Instituto de Cultura Hispânica – ICHUB, onde funcionava a Escola de Biblioteconomia e Documentação. No período de 1972 a 1973, foi instalada no nº 55 da Rua Marechal Floriano - Canela, quando foi transferida para o prédio da antiga Casa da França – Campus de Ondina, onde permaneceu até Ainda em 1975 foi aprovada pelo então Conselho Universitário o seu regimento interno, que lhe deu definição de atribuição e estrutura. Em 25 de agosto de 1983 foi inaugurado o novo prédio da Biblioteca Central, em sua primeira etapa, numa área de m 2, com amplas instalações, artisticamente decoradas por pintores baianos. Era então Reitor da UFBA o Professor Dr. Luiz Fernando Seixas de Macedo Costa, que muito contribuiu para a construção e instalação da nova Biblioteca, razão pela qual tem seu nome. No dia 23 de maio de 2008, o Conselho Universitário da UFBA, em sessão ordinária, resolveu criar, através de Resolução nº 03/09, o Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal da Bahia (SIBI/UFBA), na condição de Órgão Suplementar, para conduzir de forma coordenada e sistêmica o desenvolvimento da pesquisa, do ensino e da extensão. E, no seu art. 2º, alterou a denominação da Biblioteca Central Reitor Macedo Costa para Biblioteca Universitária Reitor Macedo Costa, que se torna mais uma biblioteca do sistema. XI CINFORM, Salvador, 2013

4 Objetivo O objetivo é evidenciar a importância da criação do Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal da Bahia – SIBI/UFBA. XI CINFORM, Salvador, 2013

5 Método Como método foi feito uma análise em documentos que remontam a história da Biblioteca Reitor Macedo Costa, embrião do atual Sistema de Bibliotecas da UFBA, e no seu Regimento, instituído pela Resolução nº 03/09. XI CINFORM, Salvador, 2013

6 Discussão O art. 2º da Resolução nº 03/2009 define as atribuições do SIBI/UFBA, que são as: de adotar padrões ou critérios de organização e administração de sistemas de informação; de definir políticas de desenvolvimento dos acervos e remanejamento de coleções que compõem o SIBI/UFBA; de elaborar e encaminhar à Pró-Reitoria de Planejamento e Administração seu planejamento orçamentário; de executar o orçamento; de realizar aquisição de material bibliográfico em todos os seus suportes para a Universidade; de gerenciar e capacitar os servidores técnico-administrativos integrantes do SIBI/UFBA; de processar e disseminar a produção técnico-científica gerada na Universidade; de integrar-se a sistemas nacionais e internacionais de informação;. No seu art. 23º, a Resolução determina que os servidores técnico-administrativos do SIBI, exceto os Bacharéis em Biblioteconomia, poderão fazer a opção pela sua relotação para a unidade universitária de origem, com a anuência desta, em um prazo máximo de sessenta dias a partir da aprovação do Regimento 03/2009. Artigo este que teve sua redação alterada pela Resolução 04/2009, acrescentando que a relotação se dará em sessenta dias contados a partir de expediente formalizado pela Pró-Reitoria de Desenvolvimento de Pessoas a ser enviado à Diretoria do SIBI e às unidades universitárias. Através do art.3º da Resolução nº 03/2009, a estrutura organizacional do SIBI passou a ter o Conselho Deliberativo como órgão máximo que, segundo o art. 5º, tem, entre outras, a competência de deliberar sobre a política do Sistema de Bibliotecas. Dentro dessa estrutura organizacional está a Diretoria do sistema, que se compõe de (art. 8º): uma assessoria técnica (com os núcleos de restauração e encadernação; e de extensão); uma secretaria administrativo–financeira; e os departamentos de formação e desenvolvimento de coleções; de tratamento da informação; e de coleções especiais. Bem como todas as bibliotecas universitárias (art. 18º), cuja estrutura tem uma chefia de biblioteca, uma divisão de atendimento ao leitor e uma divisão de tratamento da informação. XI CINFORM, Salvador, 2013

7 Resultados O SIBI/UFBA, enquanto sistema público de bibliotecas inclui-se na questão do Orçamento Público que afeta diretamente os entes públicos. De modo que deve seguir, por força da Lei de Responsabilidade Fiscal, da Constituição Federal de 1988 e da Lei 4.320/64, o processo de orçamento público. Por ser um sistema público, o SIBI e seus servidores ocupantes de cargo devem prestar contas de seus atos, incluindo os de gestão. Isso se dá nos moldes do art. 71 da Constituição Federal, onde o controle externo está a cargo do Congresso Nacional e é exercido com o auxílio do Tribunal de Contas da União - TCU. Por ser um sistema público, deve atentar para outras duas situações: a observância ao Concurso Público para admissão de pessoal e a aplicação de Licitação Pública para as compras, obras e serviços. Nesse sentido, possui recursos orçamentários alocados no Programa , que significa: Acervo Bibliográfico Destinado às Instituições Federais de Ensino Superior e Hospitais Universitários. Recurso oriundo do Projeto da Lei Orçamentária Anual da UFBA, que no exercício de 2009, destinou R$ ,00 para aquisição bibliográfica. XI CINFORM, Salvador, 2013

8 Conclusão A Biblioteca Central Reitor Macêdo Costa, também conhecida como Biblioteca Central da Universidade Federal da Bahia, foi o órgão gestor das bibliotecas da UFBA até o advento da criação do SIBI/UFBA. Que ocorreu quando o Conselho Universitário da Universidade Federal da Bahia, em sessão ordinária realizada no dia 23 de maio de 2008, criou, através de Resolução nº 03/09, o Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal da Bahia (SIBI/UFBA), para conduzir de forma coordenada e sistêmica o desenvolvimento da pesquisa, do ensino e da extensão. Enquanto sistema público de bibliotecas, alguns aspectos lhe são peculiares, tais como: o seu pessoal ser regido pelo Estatuto dos Servidores Públicos Civis da União, conhecida como Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990; um organograma constituído por um conselho deliberativo, por uma diretoria, por uma secretaria administrativa, uma assessoria técnica, pelo departamento de tratamento da informação - DTI, pelo departamento de formação e desenvolvimento de coleções – DFDC, pelo departamento de coleções especiais - DCE e por todas as bibliotecas universitárias e setoriais; a questão do Orçamento Público que afeta as organizações públicas, por força da Lei de Responsabilidade Fiscal, da Constituição Federal de 1988 e da Lei 4.320/64; e, por último, o dever de prestar contas pelos atos de gestão por parte daqueles servidores que assumem alguma função de chefia dentro SIBI/UFBA, por força do art. 71 da Constituição Federal. XI CINFORM, Salvador, 2013

9 Referências BRASIL. Constituição da República Federativa, de 5 de outubro de Disponível em:. Acesso em: 13 nov DAFT, Richard L. Administração. Tradução de Fernando Gastaldo Morales. 4. ed. Rio de Janeiro: LCT, LEI. Nº 101, de 4 de maio de Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Brasília, LEI. Nº 4320, de 17 de março de Estatui Normas Gerais de Direito Financeiro para elaboração e contrôle dos orçamentos e balanços da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal. Brasília, MEDEIROS, N.L.; HALLA, L.D. A biblioteca central da UFBA: criação e evolução. Salvador, RESOLUÇÃO. Nº 03, de 8 de junho de Cria o Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal da Bahia e dá outras providencias. Salvador, RESOLUÇÃO. Nº 04, de 28 de agosto de Altera a redação do Art. 23 do Regimento Interno do Sistema de Bibliotecas (SIBI) da Universidade Federal da Bahia, aprovado pela Resolução 03/2009. Salvador, XI CINFORM, Salvador, 2013

10 Contatos OBRIGADO SAMIR ELIAS KALIL LION JOSÉ CARLOS SALES DOS SANTOS XI CINFORM, Salvador, 2013


Carregar ppt "SISTEMA PÚBLICO DE BIBLIOTECAS: O CASO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Samir Elias Kalil Lion – Economista/UFBA, Doutorando."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google