A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

No dia do juizo escurecerão as estrelas não pela diminuição da sua luz intensa, mas pela claridade que chegará da verdadeira Luz: JESUS Beda Marcos 13,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "No dia do juizo escurecerão as estrelas não pela diminuição da sua luz intensa, mas pela claridade que chegará da verdadeira Luz: JESUS Beda Marcos 13,"— Transcrição da apresentação:

1

2 No dia do juizo escurecerão as estrelas não pela diminuição da sua luz intensa, mas pela claridade que chegará da verdadeira Luz: JESUS Beda Marcos 13, Tempo Comum –B- // 15 Novembro 2009 Autora: Asun Gutiérrez

3 Na Bíblia há dois livros apocalípticos: o livro de Daniel e o Apocalipse de João. Mas há alguns parágrafos de outros livros que têm esta mesma forma literária. Por exemplo, o evangelho de hoje, que faz parte de um parágrafo maior: Mc 13,1-31 e que os biblistas chamam Discurso escatológico de Jesus. Textos que serviram noutros tempos para assustar e para tratar de fundamentar uma imagem de Deus que produzia medo e rejeição, em vez de atracção e vontade de O escutar. Hoje está claro que essa não é a imagem e o ser de Deus que Jesus nos transmite. A interpretação da Palavra tem de se situar no tempo e na cultura em que foi escrita, e tem de se connhecer o género literário que se utiliza em cada livro da Bíblia. A liturgia deste domingo, último do Tempo Comum, propõe-nos uns textos que pertencem ao género apocalíptico, um dos mais estranhos para nós, frequente entre alguns grupos judeus e cristãos da época. Os seus destinatários eram, geralmente, grupos em crise aos quais oferecia uma mensagem de ânimo e consolo. Entender este texto como simples ameaça de catástrofes e calamidades, é não ter compreendido nada do pensamento de Jesus. Não se trata duma descrição angustiante, mas cheia de esperança. Entender este texto como simples ameaça de catástrofes e calamidades, é não ter compreendido nada do pensamento de Jesus. Não se trata duma descrição angustiante, mas cheia de esperança.

4 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Naqueles dias, depois de uma grande aflição, o sol escurecerá e a lua não dará a sua claridade; as estrelas cairão do céu e as forças que há nos céus serão abaladas. Jesus é sempre Boa Notícia. As imagens que usa esta literatura apocalíptica estão cheias e transbordantes de vida. Para despertar a esperança, para afirmar a confiança em Deus. Mais importante que o medo perante o futuro é o ânimo para o presente. Mais que um discurso sobre os últimos tempos é a indicação de como há que viver cada dia. Referem-se mais às atitudes que aos acontecimentos. Não se trata tanto do fim do mundo natural mas do fim do mundo da tristeza, da doença, das desgraças, da morte... A vinda e a presença definitivas de Jesus são, para toda a humanidade, motivo do maior consolo e da maior esperança.

5 Então, hão-de ver o Filho do homem vir sobre as nuvens, com grande poder e glória. Ele mandará os Anjos, para reunir os seus eleitos dos quatro pontos cardeais, da extremidade da terra à extremidade do céu. Temos a grande sorte e a imensa alegria de saber que O que virá como Juiz é O mesmo em quem acreditamos, a quem escutamos, em quem confiamos, a quem tentamos seguir. Quem mais nos compreende e mais nos quer?! A nossa vida está orientada para o nosso encontro feliz e definitivo com Jesus. Que virá, que está a vir já à minha vida, aos meus sonhos, ao meu coração, ao meu mundo... Que trará, que está a trazer já a alegria, a verdade, a paz, as ocasiões para amar, uma canção de esperança... Esse é o anúncio que Deus nos promete em Jesus. E a missão que Ele nos propõe. O seu triunfo definitivo implica também o nosso.

6 Aprendei a parábola da figueira: quando os seus ramos ficam tenros e brotam as folhas, sabeis que o Verão está próximo. Assim também, quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o Filho do homem está perto, está mesmo à porta. Jesus convida-nos a viver em profundidade, com alegria e responsabilidade, a prestar atenção aos sinais dos tempos, porque o futuro palpita no nosso presente como a vida na figueira, aparentemente sem vida durante o frio inverno. Ainda que às vezes sintamos outonos na nossa vida, temos a segurança de que breve os ramos se porão tenros, aparecerão os brotos.... Chegará o nosso Verão.

7 Em verdade vos digo: não passará esta geração sem que tudo isto aconteça. Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão. Quanto a esse dia e a essa hora, ninguém os conhece: nem os Anjos do Céu, nem o Filho; só o Pai. O importante não é saber quando" e "como" sucederão estas coisas do fim, nem para o cosmos nem para a humanidade nem para cada um de nós. As coisas que ocorrerão no final do mundo, ou no momento da nossa morte, já nos estão a acontecer no dia a dia. Esperemos com as portas abertas de par em par, com mãos trabalhadoras, com olhos limpos e libertos de tristeza e com o coração cheio de ternura. Jesus convoca-nos. É a festa da nova humanidade. É a festa da Esperança!

8 Deixa já esses cantos intermináveis, esse passar e repassar as tuas contas... A quem adoras nesse obscuro e solitário recanto do templo com todas as portas fechadas? Deus está onde o lavrador lavra a terra dura, onde o caminheiro parte a pedra. Está, com eles, sob o sol e sob a chuva, e a sua roupa está coberta de pó. Tira esse manto sagrado e baixa com Ele à terra empoeirada! Falas de libertação. Onde queres encontrar a libertação? O próprio Mestre se uniu alegremente à criação, se uniu a todos nós para sempre. Sai das tuas meditações. Põe de lado as tuas flores e o teu incenso! Que importa que as tuas roupas se rasguem ou se sujem? Vai ao seu encontro, põ-te junto a Ele, a trabalhar, com o suor do teu rosto! Vou ao teu encontro, Senhor! Rabindranath Tagore


Carregar ppt "No dia do juizo escurecerão as estrelas não pela diminuição da sua luz intensa, mas pela claridade que chegará da verdadeira Luz: JESUS Beda Marcos 13,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google