A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Soluções DISPERSÃO DISPERSO DIPERSANTE PODE SER CLASSIFICADA DE ACORDO COM O TAMANHO DAS PARTÍCULAS DO DISPERSO SOLUÇÕES VERDADEIRAS – PARTÍCULAS DO DISPERSO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Soluções DISPERSÃO DISPERSO DIPERSANTE PODE SER CLASSIFICADA DE ACORDO COM O TAMANHO DAS PARTÍCULAS DO DISPERSO SOLUÇÕES VERDADEIRAS – PARTÍCULAS DO DISPERSO."— Transcrição da apresentação:

1 soluções DISPERSÃO DISPERSO DIPERSANTE PODE SER CLASSIFICADA DE ACORDO COM O TAMANHO DAS PARTÍCULAS DO DISPERSO SOLUÇÕES VERDADEIRAS – PARTÍCULAS DO DISPERSO MENOR QUE 1nm DISPERSÕES COLOIDAIS – PARTÍCULAS DO DISPERSO ENTRE 1nm E 100nm SUSPENSÕES- PARTÍCULAS DO DISPERSO MAIORES QUE 100nm Uma dispersão é uma mistura de duas ou mais substâncias, em que as partículas de uma fase (fase dispersa) estão disseminadas entre as de outra fase (fase dispersante).

2 EXEMPLOS DE DISPERSÕES SOLUÇÕES VERDADEIRAS SOLUTO SOLVENTE EX: ÁGUA E ÁCIDO SUSPENSÕES São sistemas heterogêneos porque as partículas da fase dispersa conseguem distinguir-se ao microscópio ou à vista desarmada. Como exemplos podemos citar uma mistura de enxofre e água, uma mistura de farinha com água ou uma suspensão de nevoeiro, fumo e outras partículas, no meio do ar, a que chamamos smog

3 EXEMPLOS DE COLÓIDES Emulsão as fases dispersa e dispersante encontram-se no estado líquido ex:leite, maionese Emulsão sólida a fase dispersa encontra-se no estado líquido e a dispersante encontra-se no estado sólido ex: manteiga, queijo Gel a fase dispersa encontra-se no estado sólido e a fase dispersante no estado líquido gelatina, sol a fase dispersa encontra-se no estado sólido e a fase dispersante no estado líquido ex: puré, pasta de dente, lama Sol sólido a fase dispersa e a fase dispersante encontram-se no estado sólido ex: porcelana, vidro Aerossóis líquidos a fase dispersa encontra-se no estado líquido numa fase dispersante no estado gasoso ex: sprays, nevoeiro, nuvens Aerossóis sólidos a fase dispersa encontra-se no estado sólido numa fase dispersante no estado gasoso ex: fumos, poeiras Espumas líquidas a fase dispersa encontra-se no estado gasoso e a fase dispersante encontra-se no estado líquido ex: claras, espuma de barbear, espuma do mar Espumas sólidas a fase dispersa encontra-se no estado gasoso e a fase dispersante encontra-se no estado sólido ex: miolo do pão, cortiça, pedra-pomes

4 SOLUÇÕES VERDADEIRAS CLASSIFICAÇÃO SOLUÇÕES SÓLIDAS EX: LIGAS METÁLICAS SOLUÇÕES LÍQUIDAS EX: AÇÚCAR EM ÁGUA SOLUÇÕES GASOSAS EX:AR ATMOSFÉRICO LIMPO

5 SOLUBILIDADE DEFINIÇÃO Solubilidade pode ser conceituada como a capacidade de uma substância de se dissolver em outra COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE O CS é a quantidade de soluto suficiente para saturar, ou seja, dissolver totalmente, o solvente, numa determinada temperaturasolventetemperatura

6 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE SOLUÇÃO INSATURADA Qte de soluto menor que Cs SOLUÇÃO SATURADA Qte de soluto igual ao Cs SOLUÇÃO SUPERSATURADA Qte de soluto maior que Cs

7 RELAÇÕES ENTRE QUANTIDADES DE SOLUTO/SOLVENTE E SOLUÇÃO CONCENTRAÇÃO EM MASSA (CONCENTRAÇÃO COMUM) é a razão estabelecida entre a massa do soluto (m1) e o volume da solução (V); C=g/L Título em Massa (T) ou concentração massa/massa é a razão estabelecida entre a massa do soluto (m1) e a massa da solução (m), ambas na mesma unidade (geralmente em gramas); T= m1 / m1 + m2 Obs1: 0 < T < 1 Obs3: Título percentual (T%): T% = Tx100 Obs2: O título não possui unidade Obs4: Para soluções onde a concentração é muito pequena, ou seja, para soluções muito diluídas, a concentração costuma ser expressa em partes por milhão ou ppm:

8 CONCENTRAÇÃO MOLAR OU MOLARIDADE OU CONCENTRAÇÃO EM QUANTIDADE DE MATÉRIA - M RELAÇÕES ENTRE QUANTIDADES DE SOLUTO/SOLVENTE E SOLUÇÃO é a razão estabelecida entre o número de mols de moléculas do soluto (n1) e o volume da solução (V), em litros; M = n/ V onde n= m/mol Densidade absoluta (d) é a razão estabelecida entre a massa da solução (m) e o volume (V) dessa solução d = m/v Unidade: g/mL = g/cm3; g/L = g/m3;

9 RELAÇÕES ENTRE AS UNIDADES DE QUANTIDADES Relação entre concentração em mol/L e concentração em g/L C = M (MOL) Relação entre título em massa e concentração em g/L onde d é a densidade da solução expressa em gramas por mililitro.

10 DILUIÇÃO DAS SOLUÇÕES Consiste na redução da concentração de uma solução acrescentando- se um solvente C1 V1 = C2 V2 para concentração comum. M1 V1 = M2 V2 para concentração molar.

11 MISTURA DE SOLUÇÕES DE MESMO SOLUTO Quando misturamos soluções de mesmo soluto, obtemos uma nova solução de concentração intermediária às das soluções misturadas C1V1 + C2V2=C3V3 M1V1 + M2V2=M3V3

12 MISTURA DE SOLUÇÕES DE SOLUTOS DIFERENTES (SEM REAÇÃO) Este caso de mistura de soluções é como se misturássemos um copo de suco de LARANJA com um copo de suco de MANGA, para fazermos um suco de MANJA". O que ocorre na realidade são duas diluições, ou seja após a misturas tanto o suco de laranja como o suco de manga estarão mais fracos, pois na solução final a massa de laranja e a massa de manga são as mesmas das soluções iniciais, porém a massa de água é a soma das massas da água do suco de laranja com a massa da água do suco de manga, portanto concluí-se que a massa dos solutos permanecem constantes enquanto a massa da água aumenta o que caracteriza uma diluição tanto do suco de laranja como do suco de manga

13 MISTURA DE SOLUÇÕES DE SOLUTOS DIFERENTES (COM REAÇÃO) Utilizaremos o raciocínio com molaridade por ser a unidade de concentração mais usada: Geralmente nesse tipo de mistura de soluções são usadas uma solução de ácido com uma solução de base, pois o ácido reage com a base produzindo sal e água, numa reação chamada de neutralização ou de salinificação. A primeira coisa a fazer e escrevera equação química do processo e fazer o seu balanceamento. Depois utilize o volume e a molaridade do ácido para descobrir a massa do ácido; depois utilize o volume e a molaridade da base para descobrir a massa da base (usando a fórmula da molaridade) Trabalhe através de um cálculo estequiométrico e utilize os procedimentos vistos para se resolver uma questão de cálculo estequiométrico. Verifique se não há reagente em excesso, o que poderá ocorrer, pois são misturadas quantidades de dois reagentes, que poderão não estar na proporção correta para reagirem completamente.

14 MISTURA DE SOLUÇÕES DE SOLUTOS DIFERENTES (COM REAÇÃO) TITULAÇÃO ( M x V)ACIDO = (M x V)BASE


Carregar ppt "Soluções DISPERSÃO DISPERSO DIPERSANTE PODE SER CLASSIFICADA DE ACORDO COM O TAMANHO DAS PARTÍCULAS DO DISPERSO SOLUÇÕES VERDADEIRAS – PARTÍCULAS DO DISPERSO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google