A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Microestrutura x Propriedades MADEIRA Rafael Cosmo Pedro Abreu UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Microestrutura x Propriedades MADEIRA Rafael Cosmo Pedro Abreu UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL."— Transcrição da apresentação:

1 Microestrutura x Propriedades MADEIRA Rafael Cosmo Pedro Abreu UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

2 A Microestrutura Sua composição química varia dependendo da espécie e do local de crescimento da arvore. Os três componentes principais são: a celulose, a hemicelulose e a lignina. Sua composição química varia dependendo da espécie e do local de crescimento da arvore. Os três componentes principais são: a celulose, a hemicelulose e a lignina.

3 Celulose Alta resistência à tração; Alta resistência à tração; Forma fibras; Forma fibras; É o componente mais importante da parede das células de madeira. É o componente mais importante da parede das células de madeira.

4 Hemicelulose É um polissacarídeo; É um polissacarídeo; Não forma fibras. Não forma fibras.

5 Lignina Ocupa o espaço entre as paredes das células; Ocupa o espaço entre as paredes das células; Liga os elementos estruturais da madeira; Liga os elementos estruturais da madeira; Confere rigidez e dureza aos conjuntos de celulose, dando coesão à madeira. Confere rigidez e dureza aos conjuntos de celulose, dando coesão à madeira.

6 Fibras São como tubos com paredes finas alinhados na direção axil do tronco; São como tubos com paredes finas alinhados na direção axil do tronco; Tem a função de conduzir a seiva por tenção superficial e capilaridade. Tem a função de conduzir a seiva por tenção superficial e capilaridade.

7 Propriedades físicas Anisotropia; Anisotropia; Umidade; Umidade; Retração. Retração.

8 Anisotropia Devido à orientação das fibras, a madeira não possui as mesmas características nas três direções principais de aplicação do esforço(normal, tangencial e radial).

9 Umidade O grau de umidade é o peso da água contido na madeira, tanto no interior das fibras quanto absorvido pelas paredes. O grau de umidade é o peso da água contido na madeira, tanto no interior das fibras quanto absorvido pelas paredes. A fibra fica saturada quando retem mais água do que pode. A fibra fica saturada quando retem mais água do que pode.

10 Retração A madeira retrai/incha quando perde/ganha umidade abaixo do ponto de saturação da fibra. A madeira retrai/incha quando perde/ganha umidade abaixo do ponto de saturação da fibra. É responsável por alguns problemas encontrados quando a madeira seca. É responsável por alguns problemas encontrados quando a madeira seca.

11 Retração Devido à disposição das fibras, a madeira ratrai/incha mais na direção tangencial do que nas outras. Devido à disposição das fibras, a madeira ratrai/incha mais na direção tangencial do que nas outras.

12 Propriedades Mecânicas Compressão paralela às fibras; Compressão paralela às fibras; Compressão perpendicular às fibras; Compressão perpendicular às fibras; Tração paralela às fibras; Tração paralela às fibras; Tração perpendicular às fibras. Tração perpendicular às fibras.

13 Compressão paralela às fibras Seu comportamento é praticamente linear, até que acontece a flambagem das fibras, a partir daí seu comportamento deixa de ser linear. Seu comportamento é praticamente linear, até que acontece a flambagem das fibras, a partir daí seu comportamento deixa de ser linear.

14 Compressão perpendicular A resistência à compressão perpendicular às fibras da madeira é menor que na direcção paralela às fibras. A relação tensão de compressão perpendicular às fibras deformação, é inicialmente linear, passando para um estado de esmagamento sem ser perceptível, até a ruptura da peça. A resistência à compressão perpendicular às fibras da madeira é menor que na direcção paralela às fibras. A relação tensão de compressão perpendicular às fibras deformação, é inicialmente linear, passando para um estado de esmagamento sem ser perceptível, até a ruptura da peça.

15 Tração paralela às fibras Seu comportamento é linear até tensões proximas à ruptura. Seu comportamento é linear até tensões proximas à ruptura. Apresenta deformações. Apresenta deformações.

16 Tração perpendicular A resistência a tração perpendicular da madeira é baixa. A resistência a tração perpendicular da madeira é baixa. Cerca de 50 vezes menor do que na direção paralela às fibras. Cerca de 50 vezes menor do que na direção paralela às fibras. Devido à poucas fibras presentes nessa direção. Devido à poucas fibras presentes nessa direção.

17 Bibliografia ISAIA, G. C. Materiais de Construção Civil e Princípios de ciência e Engenharia de Materiais. IBRACON. Vol. 1 e 2 ISAIA, G. C. Materiais de Construção Civil e Princípios de ciência e Engenharia de Materiais. IBRACON. Vol. 1 e 2. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7190: projeto de estruturas de madeira. Rio de Janeiro, PFEIL, W.; PFEIL, M. Estruturas de madeira. 6.ed. Rio de Janeiro: Ed. LTC, p.


Carregar ppt "Microestrutura x Propriedades MADEIRA Rafael Cosmo Pedro Abreu UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google