A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 CAP 4: Pesquisa do vivido CAP 4: Pesquisa do vivido AMATUZZI, M. Por uma Psicologia Humana. São Paulo: Ed. Alínea, 2008. UNIPAHP Profa. Msc. Carolina.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 CAP 4: Pesquisa do vivido CAP 4: Pesquisa do vivido AMATUZZI, M. Por uma Psicologia Humana. São Paulo: Ed. Alínea, 2008. UNIPAHP Profa. Msc. Carolina."— Transcrição da apresentação:

1 1 CAP 4: Pesquisa do vivido CAP 4: Pesquisa do vivido AMATUZZI, M. Por uma Psicologia Humana. São Paulo: Ed. Alínea, UNIPAHP Profa. Msc. Carolina Brum Março/2011

2 2 Abordagem Fenomenológica Olhar para a cs. e os significados do sujeito (cliente) Olhar determinado pelas indagações que habitam o pesquisador. Importância dada ao vivido Vivido: melhor guia para nossas ações concretas e para nossos pensamentos do que idéias construídas.

3 3 O que é o vivido? O que é o vivido? É nossa reação interior imediata àquilo que nos acontece, antes mesmo que tenhamos refletido ou elaborado conceitos. Experiência imediata. É como nos sentimos. Reações internas/interior ao que acontece. Experiência de cada um. Reação imediata não é reação construída, pensada. Para além das minhas escalas de valor. Que faça sentido. Estamos no plano dos significados e não no plano dos eventos mecânicos.

4 4 O que é o vivido? O que é o vivido? Não é uma reação meramente muscular, mas psicológica, mental, espiritual. Experiência de sentimento. Pensamento e sentimento: O vivido está num plano onde o sentir e o pensar não se distinguiram ainda. Ele é os dois! Afinal, sentimento também pode ser elaborado, recebendo influência dos pensamentos e decisões. Adotamos o termo sentimento para distingui-lo do pensamento elaborado, somente! Sentimento primeiro Objetivo: Voltar à pureza original para dar vida a tudo que se segue a ela.

5 5 Pesquisa fenomenológica Pretende voltar ao vivido. Pretende voltar ao vivido. Busca o significado da experiência. A compreensão deste significado pode objetivar alcançar a essência do fenômeno, por meio da busca dos elementos invariantes, universais, numa perspectiva husserliana e de Jaspers ou pode objetivar a experiência mundana, numa perspectiva merleau-pontyana (Moreira, 2004). Busca o significado da experiência. A compreensão deste significado pode objetivar alcançar a essência do fenômeno, por meio da busca dos elementos invariantes, universais, numa perspectiva husserliana e de Jaspers ou pode objetivar a experiência mundana, numa perspectiva merleau-pontyana (Moreira, 2004). Para Holanda (2006, p.371) o método fenomenológico constitui-se numa abordagem descritiva. Se pode deixar o fenômeno falar por si, com o objetivo de alcançar o sentido da experiência, ou seja, o que a experiência significa para as pessoas que tiveram a experiência em questão e que estão, portanto, aptas a dar uma descrição compreensiva desta. Destas descrições individuais, significados gerais ou universais são derivados: as essênciasou estruturas das experiências. Para Holanda (2006, p.371) o método fenomenológico constitui-se numa abordagem descritiva. Se pode deixar o fenômeno falar por si, com o objetivo de alcançar o sentido da experiência, ou seja, o que a experiência significa para as pessoas que tiveram a experiência em questão e que estão, portanto, aptas a dar uma descrição compreensiva desta. Destas descrições individuais, significados gerais ou universais são derivados: as essênciasou estruturas das experiências.

6 6 Pesquisa fenomenológica O pesquisador busca nos sujeitos que colaboram na pesquisa, sua experiência e acredita em seu saber a partir daquela experiência. O pesquisador busca nos sujeitos que colaboram na pesquisa, sua experiência e acredita em seu saber a partir daquela experiência. Para isso, durante o encontro com os colaboradores, precisa colocar entre parênteses suas hipóteses, suposições, conhecimentos teóricos, ou seja, os saberes já representados acerca do fenômeno estudado, privilegiando a descrição da experiência vivida, tal como ela se apresenta. Para isso, durante o encontro com os colaboradores, precisa colocar entre parênteses suas hipóteses, suposições, conhecimentos teóricos, ou seja, os saberes já representados acerca do fenômeno estudado, privilegiando a descrição da experiência vivida, tal como ela se apresenta.

7 7 Resultado: esse corpo com o qual podemos entrar em contato. Resultado: esse corpo com o qual podemos entrar em contato. Corpo unificado mas composto de uma reação original e outra estrutural. Corpo unificado mas composto de uma reação original e outra estrutural. O corpo (vivido constituído) se expressa como forma de cs. (é assim que recebe influência dos padrões culturais e da história individual) O corpo (vivido constituído) se expressa como forma de cs. (é assim que recebe influência dos padrões culturais e da história individual)

8 8 Ação: expressão primeira do vivido. Ação: expressão primeira do vivido. Ação significativa: fazer algo, uma resposta ao que nos acontece, manifestar o que se passa conosco. Ação significativa: fazer algo, uma resposta ao que nos acontece, manifestar o que se passa conosco. Coração: nosso centro. Ex. Pessoa inteligente planeja mil ações e faz sutis análises, mas não se satisfaz em seu coração. Ela perdeu o contato com seu centro! Coração: nosso centro. Ex. Pessoa inteligente planeja mil ações e faz sutis análises, mas não se satisfaz em seu coração. Ela perdeu o contato com seu centro!

9 9 Pesquisa Fenomenológica 3 pólos: reflexão e pensamento X sentimento 1º. Que decorre do contato com um dado X ação: procedimento. 3 pólos: reflexão e pensamento X sentimento 1º. Que decorre do contato com um dado X ação: procedimento. Lemos o vivido Lemos o vivido Depoimento: nome dado a qualquer forma de expressão humana. Pode ser uma dança, um desenho, uma obra de arte. Depoimento: nome dado a qualquer forma de expressão humana. Pode ser uma dança, um desenho, uma obra de arte. Descreve essência a partir da experiência. Descreve essência a partir da experiência. É como uma volta à fonte, às coisas mesmas. É como uma volta à fonte, às coisas mesmas.


Carregar ppt "1 CAP 4: Pesquisa do vivido CAP 4: Pesquisa do vivido AMATUZZI, M. Por uma Psicologia Humana. São Paulo: Ed. Alínea, 2008. UNIPAHP Profa. Msc. Carolina."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google