A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Gestão de Órgãos de Informação Durante as Emergências

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Gestão de Órgãos de Informação Durante as Emergências"— Transcrição da apresentação:

1 Gestão de Órgãos de Informação Durante as Emergências
Ivete Dengo Moisés Inguane

2 Porque o treinamento em questões de informação durante desastres?
Desde o início de uma emergência ou desastres a procura de informação é importante; Todo o interveniente na operação pode ser solicitado a prestar informação aos orgãos de Informação (OI) nacionais e internacionais. Isto implica que os intervenientes são potenciais oficiais de relações públicas “spokespersons”; A Instituição deve indicar um oficial de relações públicas ou ao interlocutor válido. A este, deve-se facultar toda a informação sobre tudo a informação de base. “ex: O que está a acontecer no terreno, qual é a intervencão da instituição”; A boa informação ao público aumenta a credibilidade da organização que está no terreno - com informação no início da operação.

3 Gestão dos OI Durante as Emergências
Os participantes devem saber: O que se entende de comunicação; A diferença entre comunicação e informação; Como ter uma estratégia de limitação de mensagens comprometedoras; Como elaborar uma boa história ou fazer uma entrevista às vitimas respeitando as regras básicas e éticas para com o entrevistado.

4 Três principais objectivos dos OI durante emergências
Informar o público; Advocacia; Promoção da imagem; Mobilizar recursos.

5 Grupo Alvo Funcionários da Instituição, a website da referida instituição (www.redcross.org.mz) Doadores – Governo, Sector empresarial, sociedade civil. OI - nacionais e internacionais

6 Qual é o nosso papel como informadores?
Prestar informação ao nosso interlocutor válido na instituição. Decorre que estando no terreno somos chamados a prestar informação aos media dai que temos que estar preparados para o efeito. Estando no terreno devemos também, produzir histórias ou fazer entrevistas com os beneficiários e esta acção deve ser feita respeitando as boas práticas e ética por forma a: Colher informação precisa e útil; Utilizar correctamente as imagens tiradas no terreno; Respeitar os direitos do beneficiário; Obter permissão para entrevista e tirar imagens, explicando os fins da entrevista e imagens; Explicando que por vezes esta acção pode atrair a imprensa e despertar maior interesse pela causa, e ou até mobilizar fundos para a operação de emergência.

7 Como desempenhar o seu papel com sucesso ?
Ter a mensagem; Torna-la clara, curta e precisa; Manter a mensagem – KISS (Keep It Super Simple) . “Caso contrário o seu risco de desinformar ou criar sensacionalismo é de 90%”.

8 Qual é a diferença entre comunicação e informação?
é um instrumento usado pelas organizações para obter visibilidade, interesses e credibilidade perante seus parceiros. Está também ligada a forma como cada organização interage ou estabelece ligação com os seus maiores parceiros (stakeholders). Informação A instituição sente-se na obrigação de influenciar os parceiros, projectando a identidade que pode afectar a imagem das pessoas sobre a organização. Assim, produz informação para o efeito.

9 Relação com os OI… Para uma relação saudável com os OI o oficial de informação deve responder a sede de informação que estes têm. Deve usar as tácticas como conferências de imprensa, comunicados de imprensa, pagina web, , exposições, entrevistas, videos, spots, fotografias.

10 O Comunicado de imprensa…
Este é um elemento básico que todos os oficiais de informação utilizam. Estima-se que entre 55 a a 90% de todas as notícias escritas colocadas para o público pelos OI são analizadas, sobretudo o seu interesse e impacto. Os que escrevem os comunicados competem no sentido de trazer algo atractivo que seja do interesse dos OI, visto que estes são a porta de veiculacção de informação da instituição. Considerar o seguinte: Seguir os formatos ou regras básicas Providenciar informação que é do interesse do leitor, não do seu interesse Situar os eventos reportados no tempo.

11 Porque utilizar comunicados de imprensa?
São normalmente utilizados para atingir as metas da Instituição, os objectivos e mesmo para chamar atenção sobre certos aspectos ou situações. Comparado com a publicidade, os comunicados de imprensa não tem custo acrescido a organização. Quando publicados: São notícia; São livres de sensacionalismo; O sensacionalismo pode perigar em certa medida sobre tudo quando em situação de emergência;

12 Tipos de comunicado Anúncios – eventos, acontecimentos, etc
Spot - utilizado em resposta a alguma acção ou para criar uma influência externa angariação de fundos, sencibilização sobre este ou aquele comportamento,etc Reacção- usada como uma resposta a algum acontecimento ou omissão, o que pode prejudicar a organização. Notícias - dizer a verdade com todos os factos.

13 O que deve conter o comunicado
Nome da organização Contactos: Titular: – deve ser directo ao assunto. Por exemplo . “Explosão da bomba mata 25, 000 pessoas em Mahoche”. Local e data: Maputo; 07/05/2009 Cabeçalho: deve dizer a história em poucas palavras. Recordam-se das 6 principais perguntas: quem, o quê, onde, quando, por quê, e por fim, como?

14 O que é notícia? Quando o cão morde o homem?
Quando o homem morde o cão?

15 Valor da Informação ou Notícia
Impacto Proximidade Oportunidade Evidência Interesse público

16 Trabalho em Grupo Cada grupo deve escrever o que pode fazer para prestar uma boa informação aos OI e trazer noticias que tenham impacto. Cada Grupo deve escrever o que não pode fazer, pois com esta acção o papel de informador seria nulo. 5 a 7 Minutos.

17 O que pode! Esteja preparado para prestar informação. Esteja sempre disponível para oS OI – faz parte do trabalho. Tenha sempre uma mensagem da instituição. Tenha em mente o - KISS - Keep It Short and Simple Faça uma abordagem que mostre que tem o controle. Mencione o nome da instituição em que trabalha inúmeras vezes Seja cuidadoso com os números Seja realístico – mas rejeite assuntos sensíveis Aponte o que sabe – Não especular Refira outras pessoas se não sente segurança no que vai ou deve dizer

18 O que não pode! Nunca fale “off record” – especialmente num momento de emergência Não especule – falar o que sabe Nunca deixe a imagem da instituição quando fala para a media nacional. Rejeite assuntos controversos – crítica à instituição, ao Governo, etc Evite mentiras.

19 Ter sempre palavras que funcionam, tais como!!!
A Cruz Vermelha e o Crescente Vermelho está para salvar vidas... A Cruz Vermelha estava no terreno quando o ciclone devastou Vilanculos... A Cruz Vermelha precisa ajudar a mitigar o sofrimento das pessoas…

20 Tenha sempre palavras que funcionam, tais como!!!
Estas pessoas precisam de ajuda e ela deve ser já... Tenha em enfoque aos princípios da instituição: Por exemplo: o mandato da CV/CV e providenciar ajuda humanitária aos que precisam independentemente da raça, idade, religião ou filiação política…

21 Algumas regras na elaboração de histórias e entrevistas.
Pedir permissão ao entrevistado; Pedir permissão antes de tirar qualquer imagem; (Imagens de pobreza são usados para angariar fundos e muitos não tem uma ética e respeito pelas pessoas pois divulgam sua imagem sem permissão) Fazer perguntas introdutórias (nome, origem, número de filhos, língua em que sente a vontade,) – Tirar o nervosismo da pessoa-. Fazer pergunats claras e objectivas.

22 Obrigado OBRIGADO


Carregar ppt "Gestão de Órgãos de Informação Durante as Emergências"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google