A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

0 GUIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE DE EMPRESAS E PÓLOS GERADORES/ ATRACTORES DHV

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "0 GUIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE DE EMPRESAS E PÓLOS GERADORES/ ATRACTORES DHV"— Transcrição da apresentação:

1 0 GUIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE DE EMPRESAS E PÓLOS GERADORES/ ATRACTORES DHV Maria João Silveira, Joep Coopmans

2 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 1 Enquadramento em Portugal Existe ainda um conjunto de documentos que apresentam objectivos estratégicos no que se refere à gestão da mobilidade, nomeadamente: –Programa Nacional Politica de Ordenamento do Território (PNPOT); –Estratégia Nacional de Desenvolvimento Sustentável (ENDS); –Plano Nacional para as Alterações Climáticas (PNAC) –Plano Estratégico de Transportes (PET), (…) A elaboração de Planos de Mobilidade desta natureza encontra-se enquadrada pelo PNAEE, que refere que: –Planos de mobilidade integrados para Centros empresariais ou parques industriais com mais de 500 trabalhadores.

3 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 2 Objectivos do Guia Explicitar a importância da implementação de medidas de Gestão da Mobilidade Sustentável; Contribuir para a consciencialização de empresas e instituições públicas e privadas para os problemas actuais relacionados com a mobilidade dos seus trabalhadores, visitantes e fornecedores; Estabelecer orientações gerais para a elaboração e implementação de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores, que contribuam para solucionar os problemas decorrentes da mobilidade empresarial; Expor exemplos práticos de medidas – consideradas casos de sucesso – implementadas em Portugal e em outros países da Europa.

4 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 3 Enquadramento da problemática da mobilidade empresarial Estrutura do Guia Introdução e objectivos Elaboração de planos de mobilidade para empresas e pólos geradores / atractores Exemplos de boas práticas nacionais e internacionais 1 2 3

5 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 4 Enquadramento da problemática da mobilidade empresarial Introdução e objectivos Elaboração de planos de mobilidade para empresas e pólos geradores / atractores Exemplos de boas práticas nacionais e internacionais 1 2 3

6 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 5 1.Tipificação de pólos geradores / atractores Função do volume de viagens Função da localização Função da tipologia de actividade 2.Caracterização e impactes dos padrões de mobilidade casa-trabalho Caracterização (repartição modal, tempo de viagem e taxa de motorização) Impactes (ambientais, socio-laborais e económicos) Enquadramento da problemática

7 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 6 Tipificação de pólos geradores/atractores de viagens Entidades ou pólos que, pela sua actividade, e independentemente do sector em que operam, geram / atraem um volume significativo de viagens Os Planos devem adequar-se às exigências das diferentes actividades: –Empresas / entidades –Pólos industriais e logísticos –Equipamentos colectivos (hospitais, equipamentos de ensino, etc.) –Áreas comercias e retail parks –Parques tecnológicos –Áreas urbanas mistas (serviços, comércio, serviços)

8 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 7 NÚMERO DE TRABALHADORES Alargar a recomendação do PNAEE para qualquer empresa / pólo que empregue volumes significativos de trabalhadores VOLUME DE VIAGENS Alargar também a recomendação a empresas / pólos que geram/atraiam volumes significativos: Empregados Em serviço Visitantes Clientes Fornecedores Tipificação de pólos (por volume de viagens) PNAEE Centros empresariais ou parques industriais com 500+ trabalhadores

9 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 8 Tipificação de pólos (por localização) EM ÁREAS CENTRAIS DE NÚCLEOS URBANOS Boa oferta de transportes colectivos Estacionamento escasso e (normalmente) tarifado Intermodalidade Exemplos: empresas, serviços públicos, equipamentos (hospitais, universidades, estádios, etc.) FORA DAS ÁREAS DOS NÚCLEOS URBANOS Oferta de transporte colectivo escassa ou inadequada Estacionamento abundante e não tarifado (ou mesmo regulado) Maioria das deslocações realizada em transporte individual (TI)

10 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 9 ÁREAS INDUSTRIAIS E LOGÍSTICAS Localização periférica Escassa / inadequada oferta de TC Estacionamento abundante e não tarifado / regulado Actividade logística intensa Tipificação de pólos (por tipologia de actividade) EMPRESAS / PÓLOSÁREAS COMERCIAIS Domínio do TI Localização variável Oferta e TC variável com localização Estacionamento abundante Elevado volume de viagens de visitantes Actividade logística EQUIPAMENTOS Localização variável Oferta e TC variável com localização Predomínio de viagens de visitantes Necessidade de transporte especial (e.g., hospitais, CS) Localização variável influenciando Estacionamento Oferta de TC Forte peso da pendularidade das viagens

11 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 10 Impactes da mobilidade casa-trabalho Incorrecto planeamento e deficiente gestão dos usos do solo Aumento do uso do automóvel Oferta inadequada e consequente perda de competitividade dos Transportes Colectivos (TC) Dispersão das actividades e maior complexidade das necessidades de mobilidade Poluição atmosférica Ruído Degradação Ambiental Congestionamento de tráfego Degradação do espaço urbano

12 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 11 Impactes ambientais Ferroviário Rodoviário Aéreo (aviação civil) Marítimo ,5% 0,4% 7,9% 11,2% Consumo de Energia em Portugal por modo de transporte Consumo energético (fontes de energia não-renováveis) Produção de ruído Emissões de poluentes atmosféricos –GEE : gases com efeito estufa –Poluentes locais

13 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 12 Impactes socio-laborais Aumento das filas de espera e do tempo perdido por uso excessivo do automóvel; Diminuição da produtividade e maior ocorrência de problemas de saúde (nomeadamente stress e problemas respiratórios e cardiovasculares); Aumento da sinistralidade resultado da fadiga e stress Degradação da Q U A L I D A D E D E V I D A nos centros urbanos

14 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 13 Impactes económicos Custos operacionais elevados –Estacionamento –Viagens em serviço –Frotas de veículos de empresas Custo das deslocações casa-trabalho TI >> TC e modos suaves Redução de espaços verdes e de lazer por alocação de vias de comunicação e estacionamento OCDE estima um custo ~2% do PIB devido ao congestionamento

15 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 14 Enquadramento da problemática da mobilidade empresarial Introdução e objectivos Elaboração de planos de mobilidade para empresas e pólos geradores / atractores Exemplos de boas práticas nacionais e internacionais 1 2 3

16 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 15 Plano de mobilidade… É um documento estratégico que visa: –Reduzir os impactes negativos causados pelos deslocações diárias dos colaboradores, visitantes e fornecedores de uma empresa ou pólo gerador / atractor –Potenciar benefícios económicos e sociais às organizações que os implementem Assenta na adopção de comportamentos mais sustentáveis no que concerne à gestão da mobilidade –Redução de viagens (tele-trabalho, vídeo-conferência, etc.) –Promoção dos modos suaves e do Transporte Colectivo –Utilização eficiente do TI (eco-condução, carpooling e carsharing)

17 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 16 Benefícios de implementação (para empresa / empregador) Reduzir o número de viagens em serviço e casa- trabalho; Reduzir os custos com as deslocações (principalmente em serviço) e com o estacionamento; Melhorar a pontualidade horária e produtividade dos trabalhadores; Optimizar a dimensão e composição da frota dos veículos da empresa Melhorar a imagem pública da empresa (marketing ambiental – responsabilidade social)

18 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 17 Benefícios de implementação (para o empregado) Reduzir os custos relacionados com as deslocações casa-trabalho; Reduzir o stress associado ao congestionamento contribuindo assim para a pontualidade e aumento da produtividade Recorrer aos modos suaves tem efeitos positivos para saúde. Aumentar o tempo útil (e.g., leitura nos transportes públicos ou convívio no carpooling)

19 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 18 Benefícios de implementação (para a sociedade) Minimizar os impactes sociais, económicos e ambientais das deslocações; Reduzir a pressão sobre a rede viária e sobre o estacionamento na zona onde a empresa se insere; Diminuir o consumo e factura de energia; Melhorar a qualidade do espaço público; Diminuir a probabilidade de ocorrência de acidentes Conclusão: melhoraria da qualidade de vida das comunidades onde as empresas se inserem

20 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 19 P A R T I C I P A Ç Ã O E A C O M P A N H A M E N T O Definição de objectivos Motivações Constituição de Grupos de trabalho ETAPA 1 DEFINIÇÃO DOS OBJECTIVOS Concertação de actores Elaboração do plano de acção ETAPA 3 ELABORAÇÃO DO PLANO Monitorização de medidas Avaliação do Plano Reavaliação dos objectivos ETAPA 5 MONITORIZAÇÃO Recolha e análise de informação Inquérito à mobilidade Diagnóstico ETAPA 2 CARACTERIZAÇÃO E DIAGNOSTICO Implementação das medidas Divulgação ETAPA 4 IMPLEMENTAÇÃO E DIVULGAÇÃO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL PLANO DE MOBILIDADE PARA EMPRESAS E PÓLOS GERADORES/ ATRACTORES Metodologia Principais etapas

21 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 20 Integração em planos de negócio a longo prazo Prática das medidas pela gestão de topo Envolvimento interno dos grupos alvo Marketing e promoção Redução de custos Culto do automóvel Ausência de regulamentação Inexistência de alternativas ao uso do automóvel Falta de Concertação entre actores Inexistência de exemplos a nível nacional Factores de sucessoBarreiras Factores de sucesso e barreiras

22 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 21 Marketing – Promoção, consciencialização e divulgação Folhetos Cartazes Recibos de vencimento Correio electrónico Website (Intranet) Quadro de avisos Boletins informativo interno (newsletter) Reuniões de equipa Transmissão directa Correio directo Promoções Brindes e prémios Comunicação social

23 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 22 Enquadramento da problemática da mobilidade empresarial Introdução, motivação e objectivos Elaboração de planos de mobilidade para empresas e pólos geradores / atractores Exemplos de boas práticas nacionais e internacionais 1 2 3

24 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 23 Enquadramento internacional Reino Unido Foi aprovado em 2001 o Planning Policy Guidance 13: Transport que promove a implementação de planos de mobilidade não só para empresas, mas também para outros pólos geradores, tais como escolas e hospitais, sendo a sua elaboração uma prática corrente. A elaboração destes planos tornou-se uma pratica comum no reino Unido

25 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 24 Enquadramento internacional Espanha A Estrategía de Ahorro y Eficíencia Energética menciona a elaboração de planos de mobilidade específicos para empresas e centros de actividade com mais de 400 empregados, devendo ser designado um Coordenador de Mobilidade, responsável pela gestão e implementação do plano. O Real Decreto Legislativo 2/2004 de 5 de Março determina que sejam concedidos benefícios fiscais para as empresas que estabeleçam um plano de transportes específico para os seus trabalhadores, nomeadamente uma bonificação de 50% sobre o imposto de actividades económicas.

26 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 25 Enquadramento internacional França A lei do ar e eficiência energética estabelece a obrigatoriedade de elaboração de Planos de Deslocações Urbanas (PDU) para todas as aglomerações com mais de 100 mil habitantes Os PDU devem incentivar as empresas à elaboração de planos de mobilidade próprios A lei da solidariedade e reabilitação urbana que incentiva as colectividades e entidades locais a promover a elaboração e implementação de planos de mobilidade específicos; O quadro legal contempla ainda uma lei que estabelece a subsidiação das deslocações em transporte colectivo dos trabalhadores por parte das entidades patronais.

27 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 26 Enquadramento internacional Itália O Decreto de Ronchi obriga as empresas, públicas e privadas, com mais de 300 empregados a trabalhar no mesmo local ou com mais de 800 trabalhadores distribuídos por vários locais, a implementar um plano de mobilidade e a designar um Gestor. A lei prevê a designação de um Gestor da Mobilidade da Comunidade, cuja função é coordenar os diferentes planos de mobilidade das empresas situadas na mesma comunidade, promovendo sinergias entre empresas próximas. Estabelece ainda que todas as entidades públicas devem renovar as frotas para que 50% de veículos ligeiros sejam ecológicos (eléctricos e híbridos); Existem incentivos estatais para empresas que implementem planos de mobilidade e / ou programas de partilha de veículos.

28 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 27 Enquadramento internacional Países Baixos (1) Os primeiros planos de mobilidade de empresas surgiram no inicio da década de 90; Desenvolvidos por empresas privadas, sendo o papel do governo de regulamentação e promoção da sua elaboração: Instrumentos utilizados pelas autoridades: –Regulamentação: regulamentos para os lugares de estacionamento, poluição sonora e atmosférica e geração de tráfego (licenças); –Apoio financeiro: subsídios (processos, medidas, uso de transportes públicos); –Promoção e incentivos a iniciativas de gestão da mobilidade: Organizações regionais, incentivos fiscais, acordos entre parceiros.

29 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 28 Enquadramento internacional Países Baixos (2) Lei da gestão ambiental: considera estes planos de mobilidade necessários para evitar danos ambientais às empresas empregados ou visitantes por dia ou 1 mi+carros km; Existem outras iniciativas, tais o projecto Mobility budget – empregados recebem créditos de mobilidade em função do modo de transporte escolhido para a realização das viagens e do local de trabalho (escritório ou tele-trabalho). Os créditos podem ser convertidos em taxas ou utilizados na melhoria das condições de trabalho (compra de um PC novo, p. exemplo).

30 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 29 Empresas com 100+ empregados tem de elaborar planos de mobilidade em cada três anos Pacote de estímulos em vez de um quadro regulamentar : informação, programas educativos, acordos financeiros com empresas de transportes públicos, benefícios fiscais, base de dados de carpoolers Implementação de centros regionais de mobilidade Germany Enquadramento internacional Bélgica Não existe regulamentação Programa de promoção sobre gestão da mobilidade lançado 2007, contem apoio financeiro concedido pelo governo.

31 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 30 Exemplo – Arnhem, Países Baixos Hospital Rijnstate Bicicletas financiadas e serviço de manutenção Tarifas reduzidas de transporte ferroviário; contractos de transporte rodoviário específicos; boleia garantida em caso de TC indisponível. Carpooling com reserva de lugares de estacionamento; boleia garantida em caso de emergência. Gestão de estacionamento com distinção de áreas e custo Incentivos financeiros ao uso da bicicleta e dos TC inseridos nos salários dos funcionários. Coordenação de transportes regionais (VCC Oost apoiados na implementação e manutenção de medidas de mobilidade. Abordagem C.A. do Hospital Operadores TC Coordenação de transportes regionais (VCC Oost) Stakeholders ~ 2700 empregados Estacionamento insuficiente Motivação % TC + 3.1% Carpooling + 1.6% Bicicleta % TI Resultados (2 anos)

32 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 31 Exemplo – Genk, Bélgica Fábrica da Ford Melhorias do TC da empresa: rotas mais directas e mais rápidas; localização de paragens; monitorização da qualidade dos serviços prestados; bilhetes individuais para autocarros; autorização de uso do TC da Ford por empresas vizinhas Carpooling : nomeação de um gestor da mobilidade; boleia garantida aos carpoolers e aos utilizadores de TC que tenham de realizar horas extraordinárias; Melhoria da segurança nas vias de acesso, tanto para automóveis como para bicicletas, em cooperação com as autoridades locai (construção de passagem subterrânea para bicicletas para redução de conflito Abordagem 38.2% Carpoolers 28.8% TI 24.4% TC empresa 5.7% TC público 2.9% Bicicleta Resultados (r.modal) Empresa Autoridades locais Stakeholders ~ empregados (~ 3000 OD por turno) Congestionamento e aci- dentes com biclicletas Redução do impacte ambiental Motivação

33 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 32 O que aprender com as experiências internacionais Estes planos tem mais vantagens para empresas de maior dimensão, ou para um pólo que concentre várias empresas; Estes planos tem sucesso se as empresas tem problemas com o estacionamento/ problemas de acessibilidade ou se estão regulamentados; Medidas que se tem revelado eficazes: –Modos de transporte alternativos, promoção e financiamento –Criação de instalações para bicicletas, –Promoção e organização de partilha de viatura –Medidas fiscais –Criação de centros regionais de mobilidade –Politicas restritivas de estacionamento ou de emissões poluentes

34 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 33 O que temos ou…… o que podemos ter O que pretendemos ?

35 Guia para a elaboração de planos de mobilidade de empresas e pólos geradores / atractores 34 MUITO OBRIGADO PELA SUA ATENÇÃO!


Carregar ppt "0 GUIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE DE EMPRESAS E PÓLOS GERADORES/ ATRACTORES DHV"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google