A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Educação Ambiental e Políticas Públicas: a experiência do CESCAR – Coletivo Educador de São Carlos e Região (2005) e da REA – Rede de Educação Ambiental.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Educação Ambiental e Políticas Públicas: a experiência do CESCAR – Coletivo Educador de São Carlos e Região (2005) e da REA – Rede de Educação Ambiental."— Transcrição da apresentação:

1 Educação Ambiental e Políticas Públicas: a experiência do CESCAR – Coletivo Educador de São Carlos e Região (2005) e da REA – Rede de Educação Ambiental de São Carlos (1996)

2 Políticas Públicas e Educação Ambiental Política (do grego): limite. Arte de definir os limites, o bem comum. Conciliar pluralidade e igualdade. Política pública: procedimentos formais e informais que se destinam à resolução pacífica de conflitos, construção e aprimoramento do bem comum. Educação Ambiental: –questão distributiva entre benefícios e prejuízos da apropriação e do uso da natureza; –compreensão e superação das causas dos problemas ambientais; –direcionada para a cidadania ativa / pertencimento e co- responsabilidade / ação coletiva e organizada.

3 ProFEA - Programa Nacional de Formação de Educadoras/es Ambientais Elaborado com base na Política Nacional de Educação Ambiental (PNEA lei 9795/99) e Programa Nacional de Educação Ambiental (ProNEA, 2003) Potencialização de processos de formação de educadoras/es ambientais por meio da articulação entre instituições que atuam com atividades socioambientais de caráter pedagógico. Orientação (utopia): a formação de 180 milhões de brasileiras(os) educadas(os) e educando ambientalmente para a sustentabilidade. Estratégia: a formação dos coletivos educadores

4 Coletivo educador Grupo de educadoras/es de várias instituições com vocação para a educação; que desenvolvem processos formativos participativos de educação ambiental destinados à totalidade e à diversidade das pessoas da base territorial onde atua, de forma permanente e continuada. Grupo articulado de PAP (pesquisa-ação-participante /ou pessoas que aprendem participando) Imagem: Edna Kunieda

5 Qual Educação Ambiental? Requalificar o senso comum sobre educação ambiental - perspectiva explicativa das ciências naturais e instrumental da educação. EA não punitiva ou prescritiva: objetivo não é adequar o comportamento das/os educandas/os a um padrão pré-existente, definido como ambiental ou politicamente correto, a priori. Mudanças (procedimento, atitude, comportamento, escolhas enquanto consumidor/a) devem ser definidas pelas/os educandas/os imersos em seu contexto cultural, político, econômico e ambiental. Não deve haver hierarquia de conhecimentos. Aproximar a EA do cotidiano das pessoas, dos coletivos, da necessidade de transformar as relações sociais e os mecanismos degradadores do socioambiente.

6 Alguns conceitos e princípios da EA do ProFEA: AUTONOMIAALTERIDADECOMPLEXIDADEDEMOCRACIAIDENTIDADE INCLUSÃO SOCIAL PARTICIPAÇÃOPERTENCIMENTO SOCIOBIO- DIVERSIDADE SUSTENTABILIDADEEMANCIPAÇÃO

7 Processos Educacionais FORMAÇÃO DE EDUCADORES AMBIENTAIS: educadoras(es) contribuem para a formação de novas(os) formadoras(es) que atuam cotidianamente. Processo autônomo de construção pessoal e participação na transformação da sua realidade socioambiental. EDUCOMUNICAÇÃO AMBIENTAL: educação ambiental aplicada no contexto da comunicação com caráter educativo e mobilizador; ESCOLAS, ESPAÇOS E ESTRUTURAS EDUCADORAS: viveiros, trilhas interpretativas em áreas naturais, urbanas, mostra fotográfica, faixa de pedestres, Salas Verdes, instalações do sistema de abastecimento de água, sistema de gerenciamento de resíduos, ruas, praças, etc. Intencionalidade educacional; INSTÂNCIAS E PROCESSOS PARTICIPATIVOS (foros e colegiados): Conselhos de Meio Ambiente, de Saúde, de Educação, Comitês de Bacias – criação de câmaras técnicas ou temáticas de EA.

8 Eixos pedagógicos CARDÁPIOS DE APRENDIZAGEM: lista de conteúdos e processos formadores que podem ser acessados pelos coletivos ou pelos participantes dos processos formativos. Reconhecimento das diversidades e da autonomia no processo de aprendizagem (adequação a cada contexto). COMUNIDADES INTERPRETATIVAS E DE APRENDIZAGEM: grupos dialógicos empenhados em interpretar crítica e historicamente o contexto para conduzir à emancipação individual e coletiva. INTERVENÇÕES EDUCADORAS: eixo central do processo formativo, envolvendo ações educacionais intencionais das educandas/os com outros sujeitos da comunidade. Embasamento teórico: práxis pedagógica (articulação entre ação-reflexão-ação). Itens de cardápio são definidos a partir daquilo que emana da práxis pedagógica.

9 Papel do coletivo Continuidade e sinergia dos processos de aprendizagem de modo a permear todo o território estipulado. Como atingir todo o território? Imagem: Edna Kunieda

10

11 VIABILIZANDO A UTOPIA Órgão financiador – Fundo Nacional do Meio Ambiente Projeto contemplado pelo edital 5/2005 Imagem: Edna Kunieda

12 Base populacional 10 municípios Cerca de habitantes - 95% urbana e 5% rural Data de formação do coletivo 2005 Número de organizações 38 instituições participantes Pessoas parceiras Cerca de 600 Instituição âncora UFSCar - Universidade Federal de São Carlos - FAI/UFSCar – Fundação de Apoio Institucional ao Desenvolvimento e Científico Tecnológico

13 Imagem: Edna Kunieda

14 Resultados Esperados 1. Constituição de um coletivo consolidado de instituições comprometidas com a formação de educadoras/es ambientais 2. Formação de educadoras/es ambientais atuantes ambientais 3. Ampliação e fortalecimento de foros, coletivos, ações e redes de educadoras/es ambientais existentes (exemplo: REA-São Carlos; Fórum Permanente Jaboticabal Sustentável), bem como estimular a formulação de políticas públicas na área ambiental 4. Criação de novos foros, coletivos e redes de âmbito municipal 5. Constituição de novos Coletivos Educadores

15 Resultados Esperados 6. Ampliação dos municípios envolvidos no CESCAR no âmbito da UGRHI 13 - Tietê-Jacaré. 7. Consolidação de uma Rede de Coletivos Educadores (potencializar a ação local, regional e estadual) – encontros anuais no estado S.P. 8. Implantação de Salas Verdes nos municípios do CESCAR que ainda não a possuem 9. Construção e alimentação de um banco de informações ambientais e sobre EA regional em conexão com iniciativas estaduais e nacionais.

16 Curso de especialização/extensão em EA Duração total do processo de formação:18 meses - Janeiro de 2007 a Julho de 2008 – 456 horas

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32 Situação Atual do CESCAR Necessidade de reestruturação do coletivo em cada um dos três núcleos: São Carlos, Araraquara e Jaboticabal devido ao extenso recorte geográfico. Núcleo São Carlos: em plena atividade...! Rever o compromisso de cada instituição parceira. Mobilizar os participantes do processo (PAP) em torno das novas demandas... Reconhecimento da pertinência da política de Coletivos como instância legítima em outras bases territoriais na proposta de um Sistema Nacional de Educação Ambiental (SISNEA) – em debate – reunião prevista para setembro/2010 no Rio de Janeiro...

33 CESCAR – São Carlos 1) Projeto Sala Verde – encontros mensais – Bate-papo na Sala Verde e II Circuito Tela Verde

34 CESCAR – São Carlos 2) Projeto Pólo Ecológico de São Carlos – Centro de Difusão em EA Parceiras: Prefeitura (Horto Florestal, Horta Municipal e Parque Ecológico) UFSCar – Trilha da Natureza EMBRAPA-CPPSE (Fazenda Canchim|) SAAE (Captação do Espraiado) Alunos do 3º ano em visita ao Parque Ecológico e ao Horto Municipal

35 CESCAR – São Carlos 3) Organização encontros anuais de Educação Ambiental EA UFSCar EA 2009 – Atividade no Parque do Bicão

36 CESCAR – São Carlos 4) Cursos de formação de educadoras/es ambientais Para Conhecer e Compartilhar (São Carlos) 2010 – Uma Rede de Saberes (Batatais)

37 Perspectivas Futuras Dois projetos aprovados pelo FEHIDRO (2010 – para serem executados em 2011) - Prefeitura Municipal de São Carlos como proponente: 1) EA para a conservação e recuperação das APREMs (Áreas de Proteção e Recuperação de Mananciais) envolvendo 15 agentes comunitários; 2)EA para a requalificação socioambiental das propriedades rurais (desenvolvimento e difusão de tecnologia agroecológica adaptável à produção regional). Efetiva implantação do Projeto Pólo Ecológico... Continuidade da oferta de processos de formação... Implementação e monitoramento da Política Municipal de EA (2008) e do Programa Municipal de EA ( )

38 Contato (16) (UFSCar) Sítio provisório na internet Sítio definitivo na internet em construção


Carregar ppt "Educação Ambiental e Políticas Públicas: a experiência do CESCAR – Coletivo Educador de São Carlos e Região (2005) e da REA – Rede de Educação Ambiental."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google