A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

5 Princípios da Educação Libertária - Apresentação Educação Braslieira Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "5 Princípios da Educação Libertária - Apresentação Educação Braslieira Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades."— Transcrição da apresentação:

1 5 Princípios da Educação Libertária - Apresentação Educação Braslieira Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Súmula Pedagogia da autonomia. Conceito de autonomia e educação libertadora. Conscientização. Professor-Aluno. Articulação entre o conteúdo com as práticas de educação musical. Objetivos Compreender os fundamentos da perspectiva da educação libertadora. Reconhecer discursos e práticas que se relacionam a essa perspectiva Discutir sobre os possíveis efeitos para a escola, principalmente no que tange a construção curricular, da educação na perspectiva de construir um sujeito para ser livre.

2 5 Princípios da Educação Libertária - Conteúdo Educação Braslieira Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Defesa da autonomia A visão construtivista de autonomia Cuidado, escola! Liberdade e Autoridade Professor- Aluno Pedagogia da autonomia A liberdade é uma conquista Educação Libertária na universidade de música hoje Conclusão: relatos dos alunos

3 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Conteúdo Defesa da autonomia Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. (FREIRE, 1996) Na Unidade anterior, falamos sobre Educação Brasileira e Escola Nova, o que nos motivou a refletir e debater a escola como espaço laico ou confessional, mas, especialmente, como espaço de reflexão e debate. De acordo com Galvão (2009), a concepção de educação deve estar atrelada à de liberdade, democracia e cidadania. Para este autor, A educação não pode preparar nada para a democracia a não ser que também seja democrática. Seria contraditório ensinar a democracia no meio de instituições de caráter autoritário (GALVÃO, 2009, p. 1). A obra de Paulo Freire explicita que a questão da formação docente está ligada a uma prática pedagógica progressista, na defesa da autonomia e da libertação dos educandos. Esta é, pois, a temática central da Educação Libertadora. Uma educação voltada para um sério compromisso dos educadores com sua sociedade – suas lutas e seus conflitos. Os educadores são em agentes da mudança e da transformação social. Dessa forma, na ótica da educação libertadora, educação e sociedade são dimensões inseparáveis, de modo que não seja possível pensar os problemas educacionais sem considerá-los no contexto da sociedade de onde foram gerados. Veremos também que a Educação Libertária tem sua origem na autoridade necessária, e refletiremos sobre diferenças entre autoridade e autoritarismo.

4 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Conteúdo A visão construtivista de autonomia Para Piaget (1977), autonomia não é isolamento (ou a capacidade autodidata, de aprender sozinho) mas, sim, o desenvolvimento do pensamento autônomo e lógico operatório, intrínseco à capacidade de estabelecer relações cooperativas. Para ele, portanto, a autonomia passa por interfaces da interação social, possuindo como pressuposto o respeito mútuo. A autoconsciência, para este autor, está intimamente ligada à autonomia: são inseparáveis a autonomia intelectual e autonomia moral. A liberdade, faculdade humana mais apreciada, é conquistada através da possível e necessária autonomia do pensamento, como defende a psicopedagoga construtivista Fernandez (1992, p. 97). Segundo a autora, As situações nas quais um ser humano, dotado de conhecer e aprender, resigna esta possibilidade aprisionando sua inteligência, constitui o cerne da discussão de onde origina-se a psicopedagogia. De acordo com Kamii (1991), seguidora de Piaget, A essência da autonomia é que as crianças se tornem capazes de tomar decisões por elas mesmas. Para ela, autonomia não é a mesma que liberdade completa. Autonomia significa ser capaz de considerar os fatores relevantes para decidir qual deve ser o melhor caminho na interação ação social. O ser autônomo é governado por si próprio, ao contrário do ser heterônomo, governado pelos outros. A escola, assim, deveria ser um espaço de debate democrático, mas fundamentalmente de fomento ao pensamento crítico e autônomo. Vejamos a seguir as provocativas tirinhas do livro Escola, cuidado! (FREIRE, 1980) e vamos debatê-las no fórum!

5 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Conteúdo

6 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Conteúdo Liberdade e Autoridade Machado (2010) lamenta que a Educação Libertária foi de certo modo abandonada no Brasil, explicando que ela emergiu na sociedade em finais do século XIX e início do século XX, como uma tímida, mas significativa forma de transformação social. Este autor explica que a educação libertária combatia a sociedade capitalista e seus pressupostos de exploração, desigualdade e heterogestão, buscando difundir suas ações a partir de ideiais de antiautoritarismo. Mas como explicar linhas da educação libertária que defendiam a autoridade como base necessária à liberdade? Essa tendência leva em conta a autoridade organizacional, vista como necessária no sentido de conduzir o percurso da liberdade. A diferença entre autoritarismo e autoridade foi claramente explicada por Rangel (2010): O autoritarismo está ligado a arbítrio e a práticas anti-democráticas e anti-sociais. Autoridade ao contrário, refere-se a uma prática pró-social, que tem como objetivo levar o ser humano a perceber as normas colocadas pela sociedade, a julgar sua legitimidade e a avançar no sentido de tornar mas humana e mais democrática a vida em sociedade. Assim, é papel da educação, seja ela familiar ou escolar, colocar limites às crianças como um procedimento natural do processo educativo. Para Rangel (2010), a ausência dessa prática pode gerar uma crise de valores, uma volta ao estágio selvagem em que vale a lei do mais forte.

7 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Conteúdo Professor-Aluno A Educação Libertária afirma que a relação entre professor e aluno seja de um constante diálogo, de modo que o professor respeite as opiniões e a história dos seus alunos, aprendendo com eles sobre a vida, a escola e a educação. Freire (1989) não ignora a importância da manutenção de uma certa autoridade docente, desde que ela seja construída na relação professor-aluno. Em suas palavras: A autoridade sendo um produto da relação professor-aluno não é de toda errada e sim necessária, porém realizada de forma eficaz, conduz o discente a se disciplinar, sendo esse então capaz de adequar seu comportamento a determinadas regras, definidas por ele ou não (FREIRE, 1989). Trata-se de uma relação dialógica, onde as circunstâncias da vida de cada um fazem parte da relação pedagógica e, sobretudo, onde cada um aprende com o outro. O professor não é o dono do saber, mas o mestre que, à medida que ensina aprende; o aluno não é um reservatório vazio, mas um sujeito dotado de história e de saberes que, à medida em que aprende, ensina.

8 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Conteúdo Pedagogia da autonomia Paulo Freire prescreve de modo bastante simples e convincente uma série de noções, as quais já encontramos em suas outras obras, que nos levam a pensar sobre nossa prática de sala de aula e sua relação com a sociedade. Sobretudo, ele reafirma a idéia de uma educação libertadora. O seu livro, Pedagogia da Autonomia (1996) é dividido em três capítulos assim organizados: Não há docência sem discência. Ora, que significado tem tal asserção para a nossa sala de aula? Que tipo de relações entre professor e aluno é desejável numa sala de aula que privilegia a crítica? Quem ensina, aprende ao ensinar, e quem aprende, ensina ao aprender! Ensinar não é transferir conhecimento, ou seja, o que o verbo transferir não é capaz de abarcar na realidade da sala de aula? O que significa ensinar, na ótica freireana? Ensinar é uma especificidade humana. Nesse capítulo ele sugere um comportamento ético adequado para o professor crítico. As perguntas que propõe são como princípios que devem seguir um professor libertador e uma pedagogia libertadora. Confira a dica de site com a obra de Paulo Freire on-line no material de apoio. Esse é um autor que não pode deixar de ser visto em profundidade por todo e qualquer educador!

9 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Conteúdo A liberdade é uma conquista O alvo do projeto educacional libertador, então, é o oprimido, aquele que ainda não é consciente da sua própria situação; aquele que está enredado no discurso que lhe diz que tudo sempre foi como é e que nada poderá se modificar. Compreender a realidade e intervir nela é o atributo do cidadão e é este o objetivo da educação libertadora. Educar, desse modo, se torna um engenho político e a escola se torna um campo de batalha pela conscientização/libertação dos oprimidos. A liberdade é uma conquista, como diz Freire, não uma doação ou uma dádiva, pois ela exige permanente busca. A base da Educação Libertadora é levar a constituição da consciência história dos oprimidos através da educação. Nesse sentido, o professor adequado a esse engenho é o professor crítico, que se difere do professor bancário. Este último é aquele que inculca conceitos nos seus alunos, o primeiro constrói os conceitos numa relação dialógica com os estudantes. O bancário repete o que leu nos livros, o crítico leva seus alunos a não aceitar nunca o escrito e o dito como sendo verdade definitiva, ao contrário, estabelece sempre uma relação crítica com os textos e com os livros. Essas são algumas das ideias defendidas por Freire em suas obras. E você, como educador, costuma refletir sobre sua atuação? Com que perfil você se identificou mais?

10 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Conteúdo Educação Libertária na universidade de música hoje Há uma corrente de pesquisadores que acredita que o meio acadêmico de música no Brasil, de um modo geral, ainda está bastante preso à formas tradicionais de ensino, com predominância de modelos eurocêntricos. Borzt (2008, p. 6) argumenta que, em relação aos conteúdos, embora haja controvérsias, a comunidade acadêmica musical tende a pensar que exista um modelo mais ou menos estabelecido pela história da música e da educação musical para o aprendizado da música. Como uma das ações possíveis em direção à ampliação da autonomia discente, Borzt sugere, dentre outras ideias, que cada indivíduo estruture seu aprendizado a partir da exposição aos materiais e orientação de seu professor, que também se responsabilizaria por estimular sua curiosidade ao indicar textos, gravações ou materiais didáticos. Como você atua como educador hoje? E no papel de estudante universitário, como você percebe sua atuação? E de seus professores? Sabemos também, da fundamental importância da autonomia discente na organização de estudos na modalidade de Educação a Distância. Com a flexibilidade que existe no cumprimento de determinadas tarefas, o aluno corre o risco de acumular compromissos que talvez não consiga vencer até a etapa final de um semestre, o que pode levá-lo a sentir-se incapacitado em resolver todas as problemáticas que surgirem. A desmotivação e o sentimento de isolamento são alguns dos aspectos mais representativos em estudos sobre evasão na EAD de modo geral. Por isso, aproveite todas as oportunidades de interação que o curso oferece, como fóruns, chats, vídeo- conferências, além de integrações nos pólos - ações individuais e coletivas que permitirão maior envolvimento no curso e maiores chances de que sua voz seja ouvida.

11 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Conteúdo Conclusão: relatos dos alunos Temos refletido sobre as vivências, debatendo sobre os pré-conceitos e as novas concepções de ensino-aprendizagem que estamos estudando, dentre outras interfaces dessa temática. Para ilustrar esse debate, trago alguns relatos de vocês, alunos do PROLICENMUS, em ambientes de fóruns e mensagens. Deixarei no formato anônimo a fim de preservar as identidades. O diálogo professor-aluno: Segundo GADOTTI (1999: 2), o educador para pôr em prática o diálogo, não deve colocar-se na posição de detentor do saber, deve antes, colocar-se na posição de quem não sabe tudo, reconhecendo que mesmo um analfabeto é portador do conhecimento mais importante: o da vida. Desta maneira, o aprender se torna mais interessante quando o aluno se sente competente pelas atitudes e métodos de motivação em sala de aula. (Set. 09). Gosto de aprender com meus alunos, isso torna minha relação com eles muito melhor. Os alunos passam a prestar mais atenção quando falo Mar. 09). Refletindo sobre o papel de educadores: Creio ser de suma importância que reflitamos sobre nosso papel como educadores e como "formadores de opinião". (Out. 09). Penso que a toda formação necessária ao docente que atuará em sala de aula, de qualquer entidade voltada a ensinar música, deve estar atrelado um componente pessoal muito importante: vontade de formar cidadãos que interajam com sua comunidade/sociedade (Mar.2010) Vivenciando as propostas: Não adianta lermos os conteúdos. Temos que praticar, vivenciar e produzir novos currículos. (Out. 09). A relação de respeito e afeto: Então meu modo de ver a educação é esse: "Trate seus alunos como gostaria que tratassem um filho seu." (Set. 09).

12 5 Princípios da Educação Libertária - Atividades Educação Braslieira Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Participe das propostas de atividades disponibilizadas nesta unidade! N1_QT10 – Princípios da Educação Libertária FM – A liberdade é uma conquista Bom trabalho!

13 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Atividades QT05 – Princípios da Educação Libertadora Caro(a) aluno(a), esta semana o questionário de Educação Brasileira exigirá estudo dos materiais de apoio. Bom trabalho!

14 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Atividades FM – A liberdade é uma conquista Este espaço é seu! Pense-o como aquela oportunidade de levantar a mão no meio da aula e expor sua opinião. Traga materiais, debata os artigos, filmes, livros e outros materiais de apoio, reflita sobre a temática, trazendo dúvidas, críticas, elogios ou sugestões. Assim como na sala de aula não é obrigatória a participação oral nesse momento de debate, pelo menos em minha abordagem metodológica, aqui também você não será avaliado(a) quantitativa ou qualitativamente. É um espaço conquistado por vocês, alunos do PROLICENMUS.

15 5 Princípios da Educação Libertária - Material de Apoio Educação Braslieira Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Artigo: Educação Democrática no Ensino Superior de Música Filme: Escritores da Liberdade Música: Hip-hop Música e Liberdade Dica de Site: Obra de Paulo Freire digitalizada

16 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Material de Apoio Artigo: Educação Democrática no ensino superior de música: uma utopia. BORTZ, Graziela. Educação Democrática no ensino superior de música: uma utopia. In: Anais do SIMCAM4 – IV Simpósio de Cognição e Artes Musicais maio Disponível em: Acesso em: 22.Out Nesse artigo Bortz apresenta as correntes de educação democrática e de Educação Libertária ou anarquista, as quais enfatizam o processo de desenvolvimento da autonomia dos indivíduos. Partindo desses princípios pedagógicos, a autora elabora uma proposta de auto-gestão no ensino superior de música, sugerindo uma transformação no pensamento educacional da música na universidade. Será que é uma utopia?? Leia e comente no fórum!

17 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Material de Apoio Filme: Escritores da Liberdade Comentário: Uma ótima oportunidade, para quem ainda não o assistiu, de conhecer um belo trabalho sobre a construção da autonomia, de valorização da auto-estima do aluno e ampliação de horizontes que a educação pode proporcionar. Convide seus amigos do pólo e faça uma sessão coletiva! Gênero: Drama Lançamento: 2007 Distribuidora: Paramount Brasil Sinopse: Erin Gruwell (Hilary Swank) é uma jovem professora que leciona em uma pequena escola de um bairro periférico nos EUA, onde predomina a violência entre os jovens e relações problemas destes com escola. Por meio de relatos de guerra, ela ensina seus alunos os valores da tolerância e da disciplina, realizando uma reforma educacional em toda a comunidade. Trecho disponível em:

18 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Material de Apoio Música: Hip-hop Música e Liberdade Letra completa disponível em: O Hip-Hop Música e Liberdade, respeitando sua origem de manifesto social, traz nessa letra muitos princípios da Educação Libertária, temática que você poderá trabalhar com alunos de qualquer idade, em especial, adolescentes. Confira a primeira estrofe: Música e liberdade,.. Sinta-se à vontade Na web a novidade: uma só coletividade! É de verdade: luta, paixão e criatividade! Contra a liberdade? Só quem teme a verdade.

19 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010 Educação Brasileira 5 Princípios da Educação Libertária - Material de Apoio Dica de site: Obra de Paulo Freire digitalizada Neste importante espaço do EJA – Ensino de Jovens e Adultos, você poderá encontrar várias obras de Paulo Freire, digitalizadas e com acesso gratuito. Leitura indispensável, seus livros possuem linguagem acessível e uma visão da educação como elemento de transformação social. Acesse: e bom proveito!http://forumeja.org.br/livrospaulofreire

20 Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES. Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, Princípios da Educação Libertadora – Referências Didática da Música BORTZ, Graziela. Educação Democrática no ensino superior de música: uma utopia. In: Anais do SIMCAM4 – IV Simpósio de Cognição e Artes Musicais maio Disponível em: FERNANDEZ, Alicia. Autonomia de Pensamento: Possibilidade de Expressão. In: GROSSI, E.; BORDIN, J. (Orgs.). Paixão de Aprender. Porto Alegre: Vozes, FREIRE, Paulo: Pedagogia do oprimido. 13a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, ______, Paulo. Cuidado, escola! São Paulo: Brasiliense, ______: Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, GALVÃO, Roberto C. S. Educação para a cidadania: o conhecimento como instrumento político de libertação. Disponível em: KAMII, Constance. A criança e o número: implicação educacionalista da teoria de Piaget para a atuação junto a escolares de 4 a 6 anos. Campinas, São Paulo: Papirus, MACHADO, Wilton R. Pedagogia Libertária: projeto e utopia educacional na sociedade capitalista. Revista Urutágua. Disponível em: Acesso em: 29.Mar.2010.http://www.urutagua.uem.br/010/10machado.pdf PIAGET, Jean. O julgamento moral na criança. Editora Mestre Jou. São Paulo, RANGEL, Carmem Maria. Autoridade e Autoritarismo. Fundação Darcy Ribeiro. Disponível em: Acesso em: 29.Mar


Carregar ppt "5 Princípios da Educação Libertária - Apresentação Educação Braslieira Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google