A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O ambiente sociomoral Construtivista na Educação Infantil Profa. Dra. Phd. Rheta DeVries, Professora aposentada da Universidade de Iowa do Norte, EUA,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O ambiente sociomoral Construtivista na Educação Infantil Profa. Dra. Phd. Rheta DeVries, Professora aposentada da Universidade de Iowa do Norte, EUA,"— Transcrição da apresentação:

1 O ambiente sociomoral Construtivista na Educação Infantil Profa. Dra. Phd. Rheta DeVries, Professora aposentada da Universidade de Iowa do Norte, EUA, Campinas, Brasil 2011 O ambiente sociomoral Construtivista na Educação Infantil Profa. Dra. Phd. Rheta DeVries, Professora aposentada da Universidade de Iowa do Norte, EUA, Campinas, Brasil 2011

2 O ambiente Sociomoral construtiva é composta de: Todas os relacionamentos interpessoais na sala de aula Todas os relacionamentos interpessoais na sala de aula O relacionamento socioafetivo entre o professor e cada criança O relacionamento socioafetivo entre o professor e cada criança A forma como o professor exerce sua autoridade A forma como o professor exerce sua autoridade Todas as experiências das crianças, durante o dia todo, todos os dias. Todas as experiências das crianças, durante o dia todo, todos os dias.

3 Cultivar um ambiente sociomoral baseado no respeito mútuo Primeiro Princípio da Educação Construtivista

4 Professores encorajam um ambiente sociomoral cooperativo ao: Cultivar relacionamentos afetivos positivos com as crianças. Cultivar relacionamentos afetivos positivos com as crianças.

5 Professores encorajam um ambiente sociomoral cooperativo ao: Professores encorajam um ambiente sociomoral cooperativo ao: Envolver as crianças no estabelecimento de regras da sala de aula; Envolver as crianças no estabelecimento de regras da sala de aula; Conduzir as discussões sobre o estabelecimento de regras como uma resposta a uma necessidade ou problema específico em uma sala de aula. Conduzir as discussões sobre o estabelecimento de regras como uma resposta a uma necessidade ou problema específico em uma sala de aula.

6

7

8 Regras para se lidar com os Pintinhos Pegá-los de maneira segura; Pegá-los de maneira segura; Não empurrá-los; Não empurrá-los; Não espremê-los; Não espremê-los; Não colocar objetos na casa deles; Não colocar objetos na casa deles; Não bater neles; Não bater neles; Não colocá-los sobre a lâmpada; Não colocá-los sobre a lâmpada;

9 Regras para se lidar com os Pintinhos (cont.) Não derrubá-los; Não derrubá-los; Não jogá-los; Não jogá-los; Não carregá-los pela asas; Não carregá-los pela asas; Não pintá-los, e Não pintá-los, e Não puxar a cabeça deles. Não puxar a cabeça deles.

10 Professores encorajam um ambiente sociomoral cooperativo ao: Perguntar às crianças o que elas querem estudar. Perguntar às crianças o que elas querem estudar.

11 Professores encorajam um ambiente sociomoral cooperativo ao: Possibilitar que as crianças elaborem as perguntas referentes ao que desejam estudar. Possibilitar que as crianças elaborem as perguntas referentes ao que desejam estudar.

12 Professores encorajam um ambiente sociomoral cooperativo ao: Utilizar a votação quando as opiniões das crianças divergem sobre decisões a serem tomadas e apenas uma das alternativas pode ser escolhida. Utilizar a votação quando as opiniões das crianças divergem sobre decisões a serem tomadas e apenas uma das alternativas pode ser escolhida.

13 Professores encorajam um ambiente sociomoral cooperativo ao: Encorajar as crianças a negociar para a resolução de seus próprios conflitos. Encorajar as crianças a negociar para a resolução de seus próprios conflitos.

14 Professores encorajam um ambiente sociomoral cooperativo ao: Realizar debates sobre questões sociais e morais. Realizar debates sobre questões sociais e morais.

15 Literatura Infantil Pode ser uma boa fonte de dilemas morais Procure histórias em que os personagens vivam dilemas morais: Pode ser uma boa fonte de dilemas morais Procure histórias em que os personagens vivam dilemas morais: Ex.: justiça no livro Little Red Hen (A Galinha Ruiva). Ex.: justiça no livro Little Red Hen (A Galinha Ruiva). As crianças podem assumir os pontos de vista dos diferentes personagens. As crianças podem assumir os pontos de vista dos diferentes personagens.

16 Dois tipos de moralidade Obediência (heteronomia) Obediência (heteronomia) Autonomia (auto-regulação de acordo com princípios relacionados ao sentimento de necessidade) Autonomia (auto-regulação de acordo com princípios relacionados ao sentimento de necessidade)

17 Moral heterônoma Conformidade com a obediência às regras externas que são simplesmente aceitas e seguidas sem questionamento. Conformidade com a obediência às regras externas que são simplesmente aceitas e seguidas sem questionamento.

18 O indivíduo heteronomicamente moral segue regras morais conduzido por outros numa obediência cega a uma autoridade coercitiva. O indivíduo heteronomicamente moral segue regras morais conduzido por outros numa obediência cega a uma autoridade coercitiva.

19 Moral Autônoma Baseada em sentimentos internos pela necessidade de considerar os outros além de si mesma. Baseada em sentimentos internos pela necessidade de considerar os outros além de si mesma.

20 Sem uma convicção pessoal sobre as regras, muito provalvemente as crianças não as seguirão quando o adulto não estiver presente.

21 Não podemos ensinar moral para as crianças. Podemos ensinar-lhes a recitar a Regra de Ouro (Faça aos outros o que você desejaria que lhe fizessem), mas a pesquisa mostra que muitas crianças ouvem: Faça aos outros o que eles fazem a você. Isto ilustra o que Piaget quis dizer quando afirmou que as crianças constroem as regras morais. Isto ilustra o que Piaget quis dizer quando afirmou que as crianças constroem as regras morais.

22 A moralidade não pode ser ensinada apenas dizendo-se às crianças o que consideramos ser o certo. A moralidade não pode ser ensinada apenas dizendo-se às crianças o que consideramos ser o certo. Mesmo quando uma criança aprende uma regra, ela tem que interpretá-la dentro de uma determinada situação. Mesmo quando uma criança aprende uma regra, ela tem que interpretá-la dentro de uma determinada situação.

23 Na perspectiva construtivista, promover o desenvolvimento moral implica considerar : Na perspectiva construtivista, promover o desenvolvimento moral implica considerar : - O entendimento da criança - seu aspecto intelectual; - O entendimento da criança - seu aspecto intelectual; - A consideração da criança para com os outros - seu aspecto emocional. - A consideração da criança para com os outros - seu aspecto emocional.

24 Compreender os pontos de vista dos outros é o resultado de um longo processo de desenvolvimento. Preocupar-se com os outros o suficiente para agir de uma maneira benéfica para os outros é o resultado de uma longa história de vivências e interesse pessoal pelo bem estar dos outros. É por isso, que a teoria do relacionamento socioafetivo é útil para os professores construtivistas. É a partir dos relacionamentos afetivos positivos que as crianças chegam a se preocupar com os outros e são motivadas a cooperar.

25 A compreensão e o cuidado para com o outro não existem separadamente. Nós não podemos nos interessar pelo bem estar de alguém sem termos a perspectiva do outro, e assumir esta perspectiva é tanto intelectual quanto emocional.

26 O desafio para os professores Criar condições em que cada criança construa sua própria personalidade moral; Criar condições em que cada criança construa sua própria personalidade moral; Estas condições interpessoais estão relacionadas à atmosfera sociomoral da sala de aula. Estas condições interpessoais estão relacionadas à atmosfera sociomoral da sala de aula.

27 O Problema de uma Vida de Submissão ao Poder O Problema de uma Vida de Submissão ao Poder Quando alguém é continuamente regido pelos valores, crenças e idéias de outros, essa pessoa pratica uma submissão que pode levar ao conformismo irracional, tanto na esfera moral como na intelectual. Quando alguém é continuamente regido pelos valores, crenças e idéias de outros, essa pessoa pratica uma submissão que pode levar ao conformismo irracional, tanto na esfera moral como na intelectual.

28 Ex.: Pessoas na Alemanha nazista que obedeciam as políticas do governo contra judeus e ciganos e os alemães orientais não sabiam como tomar decisões depois que o Muro de Berlim caiu. Ex.: Pessoas na Alemanha nazista que obedeciam as políticas do governo contra judeus e ciganos e os alemães orientais não sabiam como tomar decisões depois que o Muro de Berlim caiu.

29 Três efeitos negativos da Coerção Obediencia Cega; Obediencia Cega; Rebeldia; Rebeldia; Cálculo de risco. Cálculo de risco.

30 A coerção socializa apenas de forma superfícial o comportamento das crianças e, na verdade, reforça a tendência da criança de confiar na regulação puramente exterior.

31

32 Dois tipos de relação entre adulto-criança Coercitiva (heterônoma) - Regulamentada por outros; Coercitiva (heterônoma) - Regulamentada por outros; Cooperativa (Autônomo) - Auto- regulação. Cooperativa (Autônomo) - Auto- regulação.

33 Podemos falar sobre coerção e cooperação em termos de resultados muito diferentes de cada um no desenvolvimento intelectual e emocional da criança.

34 Aspectos da Coerção Afetivo Submissão à dominação dos outros Submissão à dominação dos outros Sentimentos de inferioridade, aceitação da superioridade do outro Sentimentos de inferioridade, aceitação da superioridade do outro Baixa motivação para pensar sobre as razões das regras Baixa motivação para pensar sobre as razões das regras Falta de confiança Falta de confiançaCognitiva Orientação para as idéias dos outros Orientação para as idéias dos outros Atitude passiva e sem questionamento Atitude passiva e sem questionamento Baixa motivação para pensar além das repetição autômata de respostas memorizadas. Baixa motivação para pensar além das repetição autômata de respostas memorizadas. Aspectos da cooperação Aspectos da cooperação

35 Aspectos da cooperação Afetivo Afetivo Auto-confiança Auto-confiança Convicção sobre sua própria capacidade de entender as coisas Convicção sobre sua própria capacidade de entender as coisas Auto-respeito Auto-respeito Respeito pelos outros Respeito pelos outros Motivação para pensar sobre as razões das regras e entender o mundo Motivação para pensar sobre as razões das regras e entender o mundo Atitudes cooperativas em relação aos outros Atitudes cooperativas em relação aos outros Cognitivo Cognitivo Hábito de pensar por si mesmo Hábito de pensar por si mesmo Desejo e necessidade de entendemento Desejo e necessidade de entendemento Raciocínio tendendo para o pensamento lógico Raciocínio tendendo para o pensamento lógico

36 Relação de Poder Adulto e Criança Coerção Poder desigual Cooperação Igualdade de Poder ( psicologicamente )

37 Os professores construtivistas certamente não dizem que a obediência nunca é desejável. No entanto, eles pensam em três tipos de obediência e ensinam de acordo com estes tipos.

38 Três tipos de Obediência 1. A criança não compreende a razão por trás de uma direção do adulto e obedece cegamente por medo. 2. A criança compreende a razão por trás de uma direção do adulto e obedece com compreensão. 3. A criança obedece devido ao seu afeto ao adulto.

39 O que nós estamos falando é a diferença entre controle externo e interno. Se quisermos encorajar o controle interno das crianças, temos que usar nossa autoridade de adultos com cuidado e dar às crianças tantas oportunidades para seu controle interno quanto possível. O que nós estamos falando é a diferença entre controle externo e interno. Se quisermos encorajar o controle interno das crianças, temos que usar nossa autoridade de adultos com cuidado e dar às crianças tantas oportunidades para seu controle interno quanto possível.

40 Situações que levam ao Controle Externo desnecessário 1. A organização da sala de aula convida a comportamentos indesejáveis. 2. As crianças desconhecem a rotina de sala de aula. 3. As crianças precisam esperar muito tempo nas transições de uma atividade para outra. 4. Aglomeração em uma parte da sala de aula leva a conflitos.

41 Situações que levam ao Controle Externo desnecessário 5. O tempo de atividades em grupo é muito longo, as crianças se tornam inquietas e algumas se comportam mal. 6. As atividades não são suficientemente atraentes para atrair os interesses das crianças e as crianças perdem o direcionamento. 7. A quantidade de atividades e/ou materiais são insuficientes e as crianças competem pelo que está disponível.

42 Situações que levam ao Controle Externo desnecessário 8. A hora da limpeza/arrumação é mal organizada e as crianças resistem em participar da limpeza após a conclusão das atividades. 9. Há uma incompatibilidade entre as expectativas do professor e as habilidades/competências das crianças. 10. O professor atribui uma falha de caráter às crianças que se comportam mal.

43 Diretrizes Gerais para usar a regulação externa das Crianças 1. Propiciar um contexto geral e abrangente de cooperação, cordialidade e comunidade. 2. Agir objetivando a auto-regulação das crianças. 3. Minimizar regulação externa desnecessária, tanto quanto for possível e prático. 4. Quando a regulação externa for inevitável, usar a menor quantidade necessária para assegurar o seu cumprimento.

44 Diretrizes Gerais para usar a regulação externa das Crianças 5. Ensinar às crianças comportamentos desejáveis. 6. Evitar normas inexeqüíveis e/ou ambíguas. 7. Não super-regular as crianças. 8. Cobrar as regras de forma consistente. 9. Agir de forma a favorecer a reflexão das crianças sobre as regras.

45 Diretrizes Gerais para usar a regulação externa das Crianças 10. Ser firme sem ser maldoso. 11. Permitir que as consequências naturais possa ocorrer de forma seletiva. 12. Encorajar a apropriação das conseqüências lógicas criteriosamente. 13. Devolver a autonomia da criança o mais rapidamente possível. 14. Evitar reforçar o autoritarismo.

46 Normas e Regras Normas podem ser ensinadas como "regras de professores. Normas podem ser ensinadas como "regras de professores. Regras da sala de aula são aquelas decididas pela comunidade em conjunto. Regras da sala de aula são aquelas decididas pela comunidade em conjunto.

47 Normas ou Regras de Professores " Normas de segurança e de saúde Normas de segurança e de saúde As normas morais As normas morais Normas arbitrárias Normas arbitrárias

48 Normas de Segurança e Saúde (dentro da sala de aula) Fique dentro da sala de aula, saindo apenas se acompanhado por um adulto; Fique dentro da sala de aula, saindo apenas se acompanhado por um adulto; Não machuque ninguém; Não machuque ninguém; Não corra nos corredores; Não corra nos corredores; Não suba na parte exterior do edifício Não suba na parte exterior do edifício Use óculos de segurança na bancada da marcenaria; Use óculos de segurança na bancada da marcenaria; Mantenha a água na mesa de água/no seu devido local; Mantenha a água na mesa de água/no seu devido local; Não espirre a água fora do bebedouro. Não espirre a água fora do bebedouro.

49 Segurança e Saúde Normas (dentro da sala de aula, cont.) Não mexa no armário de materiais; Não mexa no armário de materiais; Não morda os outros usando as marionetes; Não morda os outros usando as marionetes; Não brinque com nenhum tipo de arma; Não brinque com nenhum tipo de arma; Deite-se na hora de dormir/do descanso; Deite-se na hora de dormir/do descanso; Lave as mãos antes de comer ou cozinhar; Lave as mãos antes de comer ou cozinhar; Não lamba a colher de mexer quando estiver cozinhando; Não lamba a colher de mexer quando estiver cozinhando; Peça a um professor para ligar os aparelhos elétricos. Peça a um professor para ligar os aparelhos elétricos.

50 Normas de Segurança e Saúde (banheiro) Meninos, levantem a tampa da bacia; Meninos, levantem a tampa da bacia; Se você se sentar, não precisa levantar a tampa; Se você se sentar, não precisa levantar a tampa; Coloque a tampa para baixo quando terminar Coloque a tampa para baixo quando terminar Limpe-se bem; Limpe-se bem; Dê descarga Dê descarga Lave as mãos com sabão ; Lave as mãos com sabão ; Enxugue as mãos com 1 ou 2 toalhas de papel; Enxugue as mãos com 1 ou 2 toalhas de papel; Jogue fora as toalhas de papel no lixo. Jogue fora as toalhas de papel no lixo.

51 Normas de Segurança e Saúde (ao ar alivre) Fique dentro dos muros/da cerca Fique dentro dos muros/da cerca Fique calçado; Fique calçado; Não suba em cima do muro; Não suba em cima do muro; Não suba em cima da barra do trapézio; Não suba em cima da barra do trapézio; Não jogue areia; Não jogue areia; Não bata os triciclos ou outros veículos; Não bata os triciclos ou outros veículos; Um por vez no escorregador; Um por vez no escorregador; Em excursões da escola, mantenha-se junto do grupo. Em excursões da escola, mantenha-se junto do grupo.

52 Normas morais (Pessoas) Não machuque os outros; Não machuque os outros; Reveze-se de maneira justa; use uma lista de chegada ou outro método para determinar a ordem; Reveze-se de maneira justa; use uma lista de chegada ou outro método para determinar a ordem; Converse até resolver um conflito., se alguém tiver um problema com você. Seja honesto, não invente histórias sobre o que aconteceu; Converse até resolver um conflito., se alguém tiver um problema com você. Seja honesto, não invente histórias sobre o que aconteceu; Não incomode os outros na hora de dormir/descansar. Não incomode os outros na hora de dormir/descansar.

53 Normas morais (Animais) Se você trouxer um animal para a sala de aula, tente fazer com que ele fique confortável; Se você trouxer um animal para a sala de aula, tente fazer com que ele fique confortável; Retorne o animal a seu habitat, depois de estudá-lo; Retorne o animal a seu habitat, depois de estudá-lo; Não machuque nenhum animal; cuide deles. Não machuque nenhum animal; cuide deles.

54 Normas morais (Meio Ambiente) Manuseie os materiais com cuidado; cuide deles para que todos possam desfrutá-los; Manuseie os materiais com cuidado; cuide deles para que todos possam desfrutá-los; Arrume/guarde os materiais na hora da limpeza. Arrume/guarde os materiais na hora da limpeza.

55 Normas discricionárias (Rotinas) Organize a agenda do dia e horários; Organize a agenda do dia e horários; Sente-se com o grupo na hora da roda; Sente-se com o grupo na hora da roda; Use um avental quando utilizar tintas ou fazer experimentações com a água; Use um avental quando utilizar tintas ou fazer experimentações com a água; Complete os trabalhos nos prazos exigidos Complete os trabalhos nos prazos exigidos Não se pode usar o banheiro ou o bebedouro durante a hora da roda/as atividades em grupo (a menos que seja uma emergência) Não se pode usar o banheiro ou o bebedouro durante a hora da roda/as atividades em grupo (a menos que seja uma emergência) Não aponte lápis durante a Hora do Escritor. Não aponte lápis durante a Hora do Escritor.

56 Normas discricionárias (responsabilidade individual) Limpe seu espaço depois do almoço; Limpe seu espaço depois do almoço; Se você tirar a blusa de frio, coloque-a em seu lugar. Se você tirar a blusa de frio, coloque-a em seu lugar.

57 Normas discricionárias (Boas Maneiras) Quando for apresentado a um adulto, não o chame pelo primeiro nome sem permissão; Quando for apresentado a um adulto, não o chame pelo primeiro nome sem permissão; Aguarde até que todos estejam sentados na hora do almoço, para começar a comer; Aguarde até que todos estejam sentados na hora do almoço, para começar a comer; Sirva-se sozinho; Sirva-se sozinho; Peça aos outros para passarem os pratos; Peça aos outros para passarem os pratos; Diga "por favor", "obrigado"e "me desculpe; Diga "por favor", "obrigado"e "me desculpe; Coloque a sua cadeira no lugar correto quando for se levantar da carteira/mesa. Coloque a sua cadeira no lugar correto quando for se levantar da carteira/mesa.

58 Regras para Blocos * Não use os blocos para derrubar os móveis ou as coisas dos outros ; Não use os blocos para derrubar os móveis ou as coisas dos outros ; Não mexa nas coisas das outras pessoas, nem nas estruturas; Não mexa nas coisas das outras pessoas, nem nas estruturas; Apenas três pessoas por vez na área dos blocos; Apenas três pessoas por vez na área dos blocos; * Regras estabelecidas pelas crianças

59 Regras para a Hora da Roda* Sente-se sobre o seu nome (no tapete); Sente-se sobre o seu nome (no tapete); Não tire o seu nome do tapete; Não tire o seu nome do tapete; Não tire os nomes de outras pessoas do tapete. Não tire os nomes de outras pessoas do tapete. * Regras estabelecidas pelas crianças

60 Pesquisas mostram que filhos de pais autoritários tendem a apresentar: Níveis de agressão acima da média; Níveis de agressão acima da média; Falta de competência social com os seus colegas; Falta de competência social com os seus colegas; Pouca espontaneidade, carinho, curiosidade e originalidade; Pouca espontaneidade, carinho, curiosidade e originalidade; Baixa nas notas em consciência e desenvolvimento moral e a serem externos no raciocínio moral; Baixa nas notas em consciência e desenvolvimento moral e a serem externos no raciocínio moral; Impulsividade; Impulsividade;

61 Pesquisas mostram que filhos de pais autoritários tendem a apresentar: Ter pouca concentração; Ter pouca concentração; Ficar de mau humor constantemente; Ficar de mau humor constantemente; Ser desobedientes; Ser desobedientes; Ser psicologicamente mais intransigentes; Ser psicologicamente mais intransigentes; Quando jovens, ter pouca tolerância à frustração, pouco controle emocional e sem metas de longo prazo; beber em excesso, e mais frequentemente chegar à marginalidade. Quando jovens, ter pouca tolerância à frustração, pouco controle emocional e sem metas de longo prazo; beber em excesso, e mais frequentemente chegar à marginalidade.

62 Pesquisas mostram que filhos de pais mais democráticos tendem a ser: Auto-suficientes; Auto-suficientes; Responsáveis; Responsáveis; Obedientes; Obedientes; Focados no sucesso ; Focados no sucesso ; Superiores em suas realizações; Superiores em suas realizações; Competentes em seus relacionamentos sociais; Competentes em seus relacionamentos sociais; Alta probabilidade de manter bons relacionamentos com os pais aos 14 anos; Alta probabilidade de manter bons relacionamentos com os pais aos 14 anos;

63 Pesquisas mostram que filhos de pais mais democráticos tendem a apresentar: Elevado desenvolvimento moral, auto-regulado (interno) no raciocínio moral; Elevado desenvolvimento moral, auto-regulado (interno) no raciocínio moral; Auto-regulação; Auto-regulação; Maior nível de comportamentos desejáveis; Maior nível de comportamentos desejáveis; Maior equilíbrio psicológico; Maior equilíbrio psicológico; Maior competência, quando avaliado por professores; Maior competência, quando avaliado por professores; Notas superiores; Notas superiores; Maior auto-estima; Maior auto-estima; Atitudes de cooperação e pró-sociáveis. Atitudes de cooperação e pró-sociáveis.

64 "... os pais democráticos normalmente empregam apenas a afirmação da autoridade o suficiente para assegurar o cumprimento das regras, enquanto que os pais autoritários tendem a empregar mais do que o necessário" (Maccoby & Martin, 1983). "... os pais democráticos normalmente empregam apenas a afirmação da autoridade o suficiente para assegurar o cumprimento das regras, enquanto que os pais autoritários tendem a empregar mais do que o necessário" (Maccoby & Martin, 1983). A obediência sob leve pressão permite que as crianças acreditem que elas estão se comportando de maneira desejada porque assim o desejam fazer. A obediência sob leve pressão permite que as crianças acreditem que elas estão se comportando de maneira desejada porque assim o desejam fazer.


Carregar ppt "O ambiente sociomoral Construtivista na Educação Infantil Profa. Dra. Phd. Rheta DeVries, Professora aposentada da Universidade de Iowa do Norte, EUA,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google