A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 VOT 11ª RM GPT C 27 Mar 12. 1. INTRODUÇÃO 2. MISSÃO DA DIRETORIA 3. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA GESTÃO 4. OFICINA DE CONTABILIDADE 5. PORTAL DE CONTABILIDADE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 VOT 11ª RM GPT C 27 Mar 12. 1. INTRODUÇÃO 2. MISSÃO DA DIRETORIA 3. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA GESTÃO 4. OFICINA DE CONTABILIDADE 5. PORTAL DE CONTABILIDADE."— Transcrição da apresentação:

1 1 VOT 11ª RM GPT C 27 Mar 12

2 1. INTRODUÇÃO 2. MISSÃO DA DIRETORIA 3. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA GESTÃO 4. OFICINA DE CONTABILIDADE 5. PORTAL DE CONTABILIDADE 6. CONCLUSÃO DIRETORIA DE CONTABILIDADE 2

3 1. INTRODUÇÃO 2. MISSÃO DA DIRETORIA 3. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA GESTÃO 4. OFICINA DE CONTABILIDADE 5. PORTAL DE CONTABILIDADE 6. CONCLUSÃO DIRETORIA DE CONTABILIDADE 3

4 4

5 STN D Cont ICFEx UG Decreto nº de 7 OUT 09 Integram o Sistema de Federal MD ContabilidadeContabilidade DIRETORIA DE CONTABILIDADE 5

6 STN D Cont ICFEx UG Portaria STN nº 157 de 9 MAR 11 Integram o Sistema de Custos Federal CustosCustos DIRETORIA DE CONTABILIDADE 6

7 IMPROPRIEDADEIRREGULARIDADE É a formalidade não cumprida que não possa a ela ser atribuída indício de prejuízo ao erário, sendo apenas falha no atendimento à legislação vigente. É a formalidade não cumprida que não possa a ela ser atribuída indício de prejuízo ao erário, sendo apenas falha no atendimento à legislação vigente. Consiste em falha de natureza formal de que não resulte dano ao erário, porém, evidencia-se a não observância aos princípios da legalidade, legitimidade, eficiência, eficácia e economicidade. Consiste em falha de natureza formal de que não resulte dano ao erário, porém, evidencia-se a não observância aos princípios da legalidade, legitimidade, eficiência, eficácia e economicidade. DIRETORIA DE CONTABILIDADE 7

8 1. INTRODUÇÃO 2. MISSÃO DA DIRETORIA 3. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA GESTÃO 4. OFICINA DE CONTABILIDADE 5. PORTAL DE CONTABILIDADE 6. CONCLUSÃO DIRETORIA DE CONTABILIDADE 8

9 DE CONTABILIDADE EB SISTEMA DE CONTABILIDADE EB Legislação RM UGR ODS UGE Gestores DCont Usuários Bens Móveis, Imóveis,... SIAFI Tecnologia da Informação SISPATR SISCUSTOS S SISCONUM SISCOFIS PROCESSOS DCont DIRETORIA DE CONTABILIDADE 9

10 MISSÃO Processos Organizacionais - Contratação Cambial - Investimentos - Autorização SF - Programação Fin - Integração dos balancetes da FHE DIRETORIA DE CONTABILIDADE GESTÃO CONTÁBIL SISPATR SISCOFIS ANÁLISE CONTÁBIL SIAFI SISCONUM DEPRECIAÇÃO SISCUSTOS SIAFI GERENCIAL SIGA SRE SIAPPES SIAPE 10

11 1. INTRODUÇÃO 2. MISSÃO DA DIRETORIA 3. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA GESTÃO 4. OFICINA DE CONTABILIDADE 5. PORTAL DE CONTABILIDADE 6. CONCLUSÃO DIRETORIA DE CONTABILIDADE 11

12 DO EXÉRCITO BRASILEIRO 15 INDICADORES Painel de Comando DE UNIDADES GESTORAS (163) 16 INDICADORES DIRETORIA DE CONTABILIDADE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA GESTÃO DE CONT Atribuição da DCont prevista na Diretriz Complementar Cmt Ex, de 27 Fev

13 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA GESTÃO DE CONTABILIDADE DE UG OBJETIVOS OBJETIVOS: - Aperfeiçoar a gestão de contabilidade e análise contábil; - Estabelecer parâmetros de excelência gerencial na gestão de análise contábil e na gestão das contabilidades patrimonial, de custos e financeira; - Valorizar as UG que atuam de forma efetiva, em benefício da gestão de contabilidade; - Destacar e conceder certificados às UG com padrão de excelência na gestão de contabilidade e análise contábil. DIRETORIA DE CONTABILIDADE 13

14 Universos Universos: Gp 01 (HMilA+HCE); Gp 02 (HGe); Gp 03 (B Adm/DSup/ BSup/Dep; Gp 04 (BE Cnst/Cmb); Gp 05 Escolas; Gp 06 (Av, Bld, GAC e AAe); e Gp 07 (Blog, Pq e Arsenais). Período avaliado: Período avaliado: Jan a Out 2012 (1ª Jan/Mar, Peso 1; 2ª Abr/Maio, Peso 1,5; 3ª Jun/Ago, Peso 2; e 4ª Set/Out, Peso 2,5). Prêmio: Prêmio: certificado de Qualidade e 2 computadores, para cada OM vencedora. Entrega do prêmio: Entrega do prêmio: na Formatura Geral de aniversário da SEF. Pontuação: Pontuação: soma dos pontos das avaliações, de mérito ou demérito. AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA GESTÃO DE CONTABILIDADE DE UG DIRETORIA DE CONTABILIDADE 14

15 SISTEMA DE CONTROLE PATRIMONIAL (BENS MÓVEIS) CONTABILIDADE PATRIMONIAL RMA / RMB Atribuição da DCont prevista na Diretriz Complementar Cmt Ex, de 27 Fev 12: Atribuição da DCont prevista na Diretriz Complementar Cmt Ex, de 27 Fev 12: Acompanhar o controle contábil patrimonial dos bens móveis no que se refere à compatibilidade dos saldos demonstrados no SIAFI e SIMATEX, na busca da plena convergência. Acompanhar o controle contábil patrimonial dos bens móveis no que se refere à compatibilidade dos saldos demonstrados no SIAFI e SIMATEX, na busca da plena convergência. 15

16 CONTABILIDADE PATRIMONIAL CONVERGÊNCIA CONTÁBIL DO RMA/RMB – JAN/

17 LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL (LRF) - ART 50, 04 MAIO 2000 DIRETRIZ GERAL DO COMANDANTE DO EXÉRCITO 2003 e PORT Nº 932-CMT EX, 19 DEZ 07 DECRETO Nº 6976/09, 7 OUT 2009 PORT Nº 157 – STN/MF, 9 MAR 11 (Sistema Custos Gov Fed) PORT Nº 716 – STN/MF, 24 OUT 11 PORT Nº 020 – SEF, 22 DEZ 11 (Setorial de Custos EB) PORT Nº 864 – STN/MF, 30 DEZ 11 (Macroprocessos) EMBASAMENTO LEGAL GESTÃO DE CUSTOS PORT Nº 020 – SEF, 22 DEZ 11 (Setorial de Custos EB) FINALIDADE Proporcionar conteúdo informacional para subsidiar as decisões da Força de alocação mais eficiente de recursos e gerar as condições para a melhoria da qualidade do gasto público. 17

18 IDENTIFICAR OS CUSTOS DAS ATIVIDADES DO EXÉRCITO. FACILITAR A TOMADA DE DECISÕES NOS DIVERSOS ESCALÕES OBJETIVOS GESTÃO DE CUSTOS REALIZAR O ACOMPANHAMENTO GERENCIAL DAS OM. NEGOCIAR EM MELHORES CONDIÇÕES OS PEDIDOS DE RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS. 18

19 Ferramenta de TI GESTÃO DE CUSTOS 19

20 Centro de Custos (CC) – É o menor nível de alocação de recursos humanos, serviços, materiais e patrimoniais, representando uma atividade (objeto de custeio) geradora de um produto (bem ou serviço). CONCEITOS DO SISCUSTOS GESTÃO DE CUSTOS Insumos - cada um dos elementos (pessoal, material, energia elétrica, água e outros serviços) utilizados na execução das principais atividades das organizações militares, em consequencia, no levantamento dos custos do Exército. Códigos de Rateio de insumos - pré-estabelecidos pela D Cont para efetuar liquidações de despesas com serviços no SIAFI (energia elétrica, luz, telefone, contratos de prestação de serviços, diárias e passagens). estas informações são extraídas mensalmente do SIAFI e, através do sistema automático de rateio realizado pela ferramenta SISCUSTOS, possibilitam o levantamento dos custos das atividades do exército. Grupo de Custos (GC) – É a agregação de Centros de Custos afins, para atingir um mesmo objetivo e vincular a um Programa (Projeto/Atividade). 20

21 SISCUSTOS OM SISTEMA GERENCIAL DE CUSTOS Grupos Custos CC (Atv) Insumos Códigos de Rateio de insumos 21

22 INTEGRAÇÃO COM DIVERSOS SISTEMAS GESTÃO DE CUSTOS 22

23 ENERGIA (SIAFI) ÁGUA (SIAFI) TELEFONE (SISCUSTOS) REMUNERAÇÃO (SIAPPES-SIAPE-SRE) MATERIAL CONSUMO (SISCOFIS) MATERIAL PERMANENTE (SISCOFIS) SERVIÇOS E CONTRATOS (SIAFI) INSUMOS QUE COMPÕEM OS CENTROS DE CUSTOS GESTÃO DE CUSTOS 23

24 CÓDIGOS DE C C - LIQUIDAÇÃO NO SIAFI RATEIO DE ENERGIA ELÉTRICA (potência instalada) RATEIO DE ÁGUA (nº de pessoas) TELEFONE (lançamento manual) RATEIO CONTRATO DE LIMPEZA (nº de pessoas) OUTROS SV RATEÁVEIS DA PRÓPRIA OM (nº de pessoas) / OUTROS SERVIÇOS RATEÁVEIS (Própria OM/Beneficiadas) AJUDA CUSTO E INDENIZAÇÃO BAGAGEM E PASSAGEM GESTÃO DE CUSTOS 24

25 LIQUIDAÇÃO – ENERGIA ELÉTRICA __ SIAFI2011-CPR-CONSULTA-CONCPR (CONSULTA DOCUMENTO HABIL CPR)_______________ 04/04/11 15:50 DADOS BASICOS - PAGAMENTO USUARIO : MARCOS NOTA FISCAL DE PAGAMENTO/FATURA - I SITUACAO : P01 - DESP.CORRENTE SERV/MAT.DISTR.GRAT(EXC.DOACAO) DATA EMISSAO : 03Abr11 NUMERO : 2011NP UG/GESTAO EMITENTE : / SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANCAS UG/GESTAO PAGADORA : / SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANCAS BCO: 001 AG: GOVERNO FEDERAL - BRASILIA DF C/C: CREDOR : / CEB DISTRIBUICAO S/A BCO: 001 AG: C/C: FATURA EMITENTE DOC. ORIGEM: - NUMERO DOC. ORIGEM : NF 3922 DATA EMISSAO ORIGEM : 18Mar11 PROCESSO : PL 59/SH4/2011 DATA DE ATESTE : 28Mar11 VALOR TOTAL : ,65 DATA VENCIMENTO : 04Abr11 LISTA : 2011LF OBSERVACAO INCLUSAO NF 3922 DE 18/03/11. VENC. 04/04/2011. REF. MAR/2011. NAO OPTANTE. PF3=SAI PF6=DOC.CONTABEIS PF7=DADOS BASICOS PF8=COMPROMISSO PF9=DADOS CONTABEIS PF10=DEDUCAO PF11=TRAMITE PF12=RETORNA 2011NP NF , / CEB DISTRIBUICAO S/A / SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANCAS 03ABR11 GESTÃO DE CUSTOS 25

26 __ SIAFI2011-CPR-CONSULTA-CONCPR (CONSULTA DOCUMENTO HABIL CPR)_______________ 04/04/11 15:52 DADOS CONTABEIS - PAGAMENTO USUARIO : MARCOS NUMERO : 2011NP UG/GESTAO EMITENTE : / SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANCAS CREDOR : / CEB DISTRIBUICAO S/A VALOR TOTAL : ,65 INSCRICAO 2 : CENTRO DE CUSTO SETOR UG BENEFICIADA VALOR 99001______ ,65________ ___________ _________ ______ _________________ PF1=AJUDA PF12=RETORNA PF8=COMPROMISSO PF10=DEDUCAO PF11=TRAMITE PF12=RETORNA LIQUIDAÇÃO – ENERGIA ELÉTRICA CENTRO DE CUSTO SETOR UG BENEFICIADA VALOR 99001______ ,65 GESTÃO DE CUSTOS 26

27 GESTÃO DE CUSTOS Energia Elétrica RELATÓRIO GERENCIAL DO SISCUSTOS Total ,65 27

28 __ SIAFI2011-CPR-CONSULTA-CONCPR (CONSULTA DOCUMENTO HABIL CPR)_______________ 26/07/11 10:22 NS - MES NORMAL USUARIO : DATA EMISSAO : 14Jul11 VALORIZACAO : 14Jul11 NUMERO : 2011NS UG/GESTAO EMITENTE: / SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANCAS FAVORECIDO : / PERSONA CONDECORACOES E SERVICOS LTDA TITULO DE CREDITO : 2011NP DATA VENCIMENTO : 30Jul11 INVERTE SALDO : NAO OBSERVACAO INCLUSAO NF 0002 DE 05/07/11. OPTANTE. EVENTO INSCRICAO 1 INSCRICAO 2 CLASSIF.1 CLASSIF.2 V A L O R NE , NE ,00 LANCADO POR : DULCINEA UG : Jul11 15:33 PF1=AJUDA PF3=SAI PF4=ESPELHO PF12=RETORNA Entrada na conta – estoque interno (RMA) NS NO SIAFI – MATERIAL PERMANENTE 14JUL11 GESTÃO DE CUSTOS 28

29 MOVIMENTAÇÃO DO ESTOQUE __ SIAFI2011-DOCUMENTO-CONSULTA-CONNL (CONSULTA NOTA DE LANCAMENTO)___________ 29/07/11 13:39 USUARIO : SATURNINO DATA EMISSAO : 29Jul11 VALORIZACAO : 10AGO11 NUMERO : 2011NL UG/GESTAO EMITENTE: / SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANCAS FAVORECIDO : TITULO DE CREDITO : DATA VENCIMENTO : INVERTE SALDO : NAO OBSERVACAO 1)DISTRIBUIÇÃO DE MAT PERM PARA A CARGA DO GABSEC. 2)FATO PUB NO BA NR 031, DE 27JUL11. PARTE NR MAT PERM/ALMX DE 25JUL11. EVENTO INSCRICAO 1 INSCRICAO 2 CLASSIF.1 CLASSIF.2 V A L O R ,00 LANCADO POR : SILVANIO UG : AGO11 11:17 PF1=AJUDA PF3=SAI PF4=ESPELHO PF12=RETORNA Entrada na conta ap. e utensílios dom.(RMB) Saída da conta estoque interno (RMA) 2011NL AGO11 GESTÃO DE CUSTOS 29

30 SISCOFIS: Depreciação GESTÃO DE CUSTOS RELATÓRIO GERENCIAL DO SISCUSTOS 30

31 GESTÃO DE CUSTOS UGE VINCULADAS À 11 ICFEX UGE VINCULADAS À 11ª ICFEX CONSOLIDAÇÃO DO SISCUSTOS (2012) LIQUIDAÇÃO NO SIAFI COM CENTRO DE CUSTOS CORRETO Até Fevereiro 2012 Recomendação ás UG prevista na Diretriz Complementar Cmt Ex, de 27 Fev 12: Recomendação ás UG prevista na Diretriz Complementar Cmt Ex, de 27 Fev 12: Utilizar o Sistema Gerencial de Custos(SISCUSTOS) como instrumento de apoio à tomada de decisão e de otimização dos gastos. Utilizar o Sistema Gerencial de Custos(SISCUSTOS) como instrumento de apoio à tomada de decisão e de otimização dos gastos. 31

32 GESTÃO DE CUSTOS MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAL NO SISCOFIS COM CENTRO DE CUSTOS ESPECÍFICO Em Janeiro 2012 UGE VINCULADAS À 11 ICFEX UGE VINCULADAS À 11ª ICFEX Em Março 2012 ALOCAÇÃO DE PESSOAL NO SISCUSTOS Recomendação ás UG prevista na Diretriz Complementar Cmt Ex, de 27 Fev 12: Recomendação ás UG prevista na Diretriz Complementar Cmt Ex, de 27 Fev 12: Utilizar o Sistema Gerencial de Custos(SISCUSTOS) como instrumento de apoio à tomada de decisão e de otimização dos gastos. Utilizar o Sistema Gerencial de Custos(SISCUSTOS) como instrumento de apoio à tomada de decisão e de otimização dos gastos. 32

33 EXECUÇÃO FINANCEIRA LIQUIDAÇÕES DAS UG SIAFI GERENCIAL SUB-REPASSE (PF) ÀS UG SUB-REPASSE (OB) À CEBW CEBW COTA FINANCEIRA REPASSE FINANCEIRO SISCONUM SIAFI OPERACIONAL Agendamento SUB-REPASSE 2 feira: 4, 5 e 6 2 ª feira: 4 ª, 5 ª e 6 ª 4 feira: 2 e 3 4 ª feira: 2 ª e 3 ª LIQUIDAÇÃO NE 60% até 31 Ago 2012 EXECUÇÃO FINANCEIRA 33

34 EXECUÇÃO FINANCEIRA RESTOS A PAGAR UO CMDO EX 2011 DATA LIMITE RP 2010: 30 JUN 2012 RP 2011: 30 JUN 2013 UGE VINCULADAS À 11 ICFEX UGE VINCULADAS À 11ª ICFEX LIQUIDAÇÃO RP Mínimo 50% até 31 AGO 12 Mínimo 90% até 30 NOV 12 34

35 ANÁLISE CONTÁBILIrregularidadesImpropriedades L 01 L 02 L 03 L 04 L 05 ODS UG - Consultas aos Auditores Contábeis; - Consultas aos Auditores Contábeis; - Conformidade de registro de gestão; - Conformidade de registro de gestão; - Msg SIAFI Nº 2009/ SEF, 20 AGO Msg SIAFI Nº 2009/ SEF, 20 AGO 09. S3 ICFEx - Consultas aos Auditores Contábeis; - Consultas aos Auditores Contábeis; - Conformidade contábil de UG; - Conformidade contábil de UG; - Relatório Mensal de diligências contábeis - Relatório Mensal de diligências contábeisDCont - Saldos alongados; - Saldos alongados; - Divergência patrimonial; - Divergência patrimonial; - Outras impropriedades - Outras impropriedades - Saldos alongados; - Saldos alongados; - Divergência patrimonial; - Divergência patrimonial; - Outras impropriedades - Outras impropriedades Regularidade BGU Asse Jur Atos e fatos contábeis próprios e regulares ODS, DCont, CPEx, DGO, OM e UG - Consultas aos Auditores Contábeis, Rel gerenciais SIAFI e Demonstrações contábeis; - Consultas aos Auditores Contábeis, Rel gerenciais SIAFI e Demonstrações contábeis; - Conformidade de Órgão e Superior; - Conformidade de Órgão e Superior; - Avaliação de desempenho da gestão; - Avaliação de desempenho da gestão; - Ações proativas. - Ações proativas. S2 ICFEx CCIEx

36 DILIGÊNCIAS ÀS UGE/JAN 2012 (IMPROPRIEDADES) DILIGÊNCIAS ÀS UGE/JAN 2012 (IMPROPRIEDADES) Nº UGE EXECUÇÃO FINANCEIRA ANÁLISE CONTÁBIL TOTAL 260 RESTRIÇÕES RECEBIDAS NO BGU/JAN – Saldos alongados contas transitórias passivo circulante 203 – Saldos alongados contas transitórias passivo circulante 953 – Contas indevidas ou pendentes de regularização 953 – Contas indevidas ou pendentes de regularização 999 – Não atendimento orientação órgão contabilidade central 999 – Não atendimento orientação órgão contabilidade central Recomendação às UG prevista na Diretriz Complementar Cmt Ex, de 27 Fev 12: Recomendação às UG prevista na Diretriz Complementar Cmt Ex, de 27 Fev 12: Realizar adequadamente os registros de atos e fatos contábeis no SIAFI, afim de evitar restrições ao EB no Balanço Geral da União que poderão causar prejuízo à imagem da Força. Realizar adequadamente os registros de atos e fatos contábeis no SIAFI, afim de evitar restrições ao EB no Balanço Geral da União que poderão causar prejuízo à imagem da Força. 36

37 Verificar se os registros dos atos e fatos de execução orçamentária, financeira e patrimonial efetuados pelas UG foram realizados em observância às normas vigentes; Verificar a existência de documentação que suporte as operações registradas; A ausência do registro de gestão é motivo para restrição contábil, conforme macrofunção Conformidade Contábil; CONFORMIDADE DE REGISTRO DE GESTÃO ANÁLISE CONTÁBIL ; A conformidade dos registros de gestão deverá ser realizada em até 03 dias úteis a contar da data de registro da operação no SIAFI; O registro da conformidade com restrição poderá ser alterado para sem restrição até a data do fechamento do mês no SIAFI. 37

38 - Convergência patrimonial de 90%; - Convergência patrimonial de 90%; RESULTADOS ESPERADOS PARA Redução de 30% no RP cancelado, em re- lação ao valor de R$ 156,7 mi de 2011; - Redução de 30% no RP cancelado, em re- lação ao valor de R$ 156,7 mi de 2011; - Redução de 50% nas restrições recebidas no BGU, em relação às em 2011; - Redução de 50% nas restrições recebidas no BGU, em relação às em 2011; - Consolidação de 80% do SISCUSTOS, nas UG avaliadas. - Consolidação de 80% do SISCUSTOS, nas UG avaliadas. AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA GESTÃO

39 1. INTRODUÇÃO 2. MISSÃO DA DIRETORIA 3. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA GESTÃO 4. OFICINA DE CONTABILIDADE 5. PORTAL DE CONTABILIDADE 6. CONCLUSÃO DIRETORIA DE CONTABILIDADE 39

40 APRESENTAÇÃO DE UM ESTUDO DE CASO COM UMA SITUAÇÃO GERAL E 8 SITUAÇÕES PARTICULARES ORGANIZADAS POR PROCESSOS: APRESENTAÇÃO DE UM ESTUDO DE CASO COM UMA SITUAÇÃO GERAL E 8 SITUAÇÕES PARTICULARES ORGANIZADAS POR PROCESSOS: - Contabilidade Patrimonial (5 pedidos); - Contabilidade Patrimonial (5 pedidos); - Gestão de Custos (4 pedidos); - Gestão de Custos (4 pedidos); - Execução Financeira (4 pedidos); - Execução Financeira (4 pedidos); - Análise Contábil (8 pedidos). - Análise Contábil (8 pedidos). DISPONIBILIDADE DE TEMPO PARA RESPOSTAS AOS PEDIDOS E APRESENTAÇÃO DAS SOLUÇÕES. DISPONIBILIDADE DE TEMPO PARA RESPOSTAS AOS PEDIDOS E APRESENTAÇÃO DAS SOLUÇÕES. 40

41 1. INTRODUÇÃO 2. MISSÃO DA DIRETORIA 3. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA GESTÃO 4. OFICINA DE CONTABILIDADE 5. PORTAL DE CONTABILIDADE 6. CONCLUSÃO DIRETORIA DE CONTABILIDADE 41

42

43 1. INTRODUÇÃO 2. MISSÃO DA DIRETORIA 3. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA GESTÃO 4. OFICINA DE CONTABILIDADE 5. PORTAL DE CONTABILIDADE 6. CONCLUSÃO DIRETORIA DE CONTABILIDADE 43

44 A D Cont É O CAIXA DAS UO CMDO Ex, FUNDAÇÃO OSÓRIO E IMBEL, BEM COMO COORDENA AS AUTORIZAÇÕES DE SF, PLANEJA A PF E, AINDA, EXECUTA: AS CONTABILIDADES FINANEIRA, PA- TRIMONIAL E DE CUSTOS; A ANÁLISE CONTÁBIL; AS CONTRATAÇÕES CAM-BIAIS; AS APLICAÇÕES FINANCEIRAS; E A INTEGRALIZAÇÃO DOS BALANCETES DA FHE NO SIAFI. DIRETORIA DE CONTABILIDADE


Carregar ppt "1 VOT 11ª RM GPT C 27 Mar 12. 1. INTRODUÇÃO 2. MISSÃO DA DIRETORIA 3. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA GESTÃO 4. OFICINA DE CONTABILIDADE 5. PORTAL DE CONTABILIDADE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google