A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IV Leite em Debate Mercado e Tendências para a Cadeia do Leite e Produtos Lácteos Ronei Volpi médico veterinário produtor de leite presidente da Com. Técnica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IV Leite em Debate Mercado e Tendências para a Cadeia do Leite e Produtos Lácteos Ronei Volpi médico veterinário produtor de leite presidente da Com. Técnica."— Transcrição da apresentação:

1 IV Leite em Debate Mercado e Tendências para a Cadeia do Leite e Produtos Lácteos Ronei Volpi médico veterinário produtor de leite presidente da Com. Técnica de Bov. De Leite da FAEP presidente do Conseleite-Paraná superintendente do SENAR-PR Pato Branco 05/10/2007

2 CENÁRIO MUNDIAL Fatores conjunturais e estruturais CENÁRIO BRASILEIRO Preços Desempenho do mercado de lácteos Exportação Perspectivas para 2020 CENÁRIO PARANAENSE CONCLUSÕES

3 No mundo: No mundo: Desenha-se um novo cenário mundial grande expansão do mercado agrícola mundial - destaque para carnes e lácteos que deverão dobrar as exportações até 2015; A OFERTA DE ALIMENTOS deslocará dos países ricos para os emergentes que dispõem de recursos naturais, tecnologia e sistemas agrários eficientes (Am. Sul e Leste da Europa); A DEMANDA POR ALIMENTOS migrará dos países ricos para os emergentes da Ásia e Oriente Médio.

4 Consumo Mundial de Leite Países em Desenvolvimento Países Desenvolvidos Fonte: FAOSTAT Países em Desenvolvimento Países Desenvolvidos Bilhões de litros

5 Produção Mundial de Leite Elaboração: IBMEC

6 Produção Mundial de Leite (2007) Elaboração: IBMEC Austrália: -9% Nova Zelândia: +1% Argentina: - 10% Estados Unidos: + 1% União Européia: 0 Fonte: USDA

7 Mercado Mundial de Lácteos (Leite em Pó Desnatado) Fonte: Dairy Market News Weekly Printed Reports

8 Preço do leite pago ao produtor (US$/100 litros) Elaboração: IBMEC Subsídio chega a zero na UE Fontes: LTO; CEPEA/USP

9 Fatores Cunjunturais Fontes: LTO; CEPEA/USP Oferta restrita Demanda externa aquecida

10 2006/ Austrália: queda de 9% - UE: redução de 0,1% ao ano nos últimos 5 anos - Argentina: queda de 10-13% no primeiro semestre; desestímulo às exportações Oferta Restrita Oferta Restrita

11 Dos 12 bilhões de aumento da produção em 2006, 8 bilhões para abastecer aumento de consumo na China e na Índia. Somente EUA e UE: mais 2 bilhões de consumo. Pecuária leiteira: ciclo longo - 2 anos Fonterra: anunciou pagamento de US$ 0,38/Kg para safra 2007/08 Espera-se continuidade da situação por pelo menos mais 1 ano (final de 2008) Demanda externa aquecida:

12 Fatores Estruturais - Redução dos subsídios na UE - Mudanças climáticas - Bionergia - Projeção do crescimento da população - Projeção do crescimento da renda per capita - Perspectiva de aumento de consumo

13 1- Redução dos subsídios na UE UNIÃO EUROPÉIA - Redução dos subsídios a exportação - Crescimento do mercado interno da União Européia - lácteos frescos e queijos - Redução dos excedentes de leite em pó

14

15

16 3 -

17 4 -

18 5 -

19 6 - Perspectiva de aumento anual do consumo de lácteos na Ásia

20 No Brasil

21 Os fatores conjunturais e estruturais verificados no cenário mundial influenciaram decisivamente no cenário interno

22 Demanda interna aquecida Supermercados: Janeiro a julho/07: + 6,63% + 4,21% de julho/06 para julho/07 Destaques: - UHT: + 14,52% - Mussarela: + 9,59% - Leite em pó: + 9,55% Fonte: Abras

23

24 Preço recebido pelo produtor – R$/l (Média Brasil) Fonte: FGV Valores reais – deflacionados pelo IGP-DI

25

26 Crescimento do mercado de lácteos no Brasil

27 O perfil do consumidor está mudando Mais opções de consumo Redução dos gastos de alimentação/total Maior preocupação com saúde Mais informações disponíveis e maior acesso a informação

28 Mais opções de consumo 1996: 1 celular para cada 57 pessoas 2006: 1 celular para cada 2 pessoas Gasto médio de R$ 20/mês

29 Brasil Taxas de crescimento anual

30 Perspectivas para o Setor lácteo brasileiro

31 Comportamento do Consumo de Lácteos Fonte: IBGE

32 Cenário para 2014 Cenário para 2014 Fonte: UFV Solução: - Consumo interno - Exportações

33 A perspectiva de grande volume da sobra aponta para um ambiente sombrio?

34 DEPENDE DE COMO SE DESENVOLVERÁ UMA SÉRIE DE FATORES NO FUTURO, ALGUNS POSSÍVEIS DE INTERFERÊNCIA PELOS ATORES DA CADEIA, OUTROS NÃO

35 1. Fatores sobre os quais a cadeia de lácteos do Brasil não tem interferência: CRESCIMENTO BRASILEIRO DEVE SE MANTER ABAIXO DE 3% A.A renda deve crescer pouco ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO BAIXO CRESCIMENTO POPULACIONAL baixo crescimento do consumo de leite/lácteos

36 2. Fatores sobre os quais a cadeia pode interferir: ESTÍMULO AO AUMENTO DO CONSUMO DE LÁCTEOS marketing EXPORTAÇÃO

37 Exportações

38 Balança Comercial

39 Preços de exportação do leite em pó integral, US$/kg Fonte: Secex, USDA e Senasa, Milkpoint

40 Porque o Brasil (ainda) não é visto como player importante? Histórico de grande importador Grande mercado interno Política cambial Vantagem competitiva não tão clara Heterogeneidade nos sistemas de produção e nos parâmetros de qualidade (informalidade) Desconhecimento

41 Crescimento das Exportações

42 Barreiras não tarifárias (sanitárias): - O Brasil é o 2º maior exportador de frango e não pode exportar para os EUA sob a alegação de que nossas aves podem estar contaminadas com a doença de newcastle.. - Da mesma forma, não é possível exportar carne fresca para os EUA porque este país não reconhece a regionalização das zonas livres de febre aftosa, consagrada pela própria OIE. - O Brasil importa queijo da Argentina para exportar frango recheado para a União Européia (Não há acordo de equivalência sanitária entre o Brasil e a UE). - Necessidade de padronização da qualidade do leite (PNQL), Plano Nacional de Controle de Resíduos (PNCR), análise de riscos para EEB, entre outros.

43 Promoção das Exportações Negociar acordos de equivalência sanitária; Agilizar processo de habilitação de indústrias para exportação; Identificar barreiras a produtos lácteos brasileiros nos principais mercados mundiais; Regulamentar normas e tipificação de produtos lácteos, com o objetivo de atender mercados externos. Ampliação das exportações Evolução do Consumo de Leite na China (milhões de toneladas) Fonte: USDA – 2006 : Previsão Elaboração: CNA – Superintendência Técnica

44 O Brasil precisa se consolidar como país exportador confiável, tanto no aspecto sanitário quanto no aspecto comercial, respeitando contratos firmados. Alcançar os melhores preços internacionais é uma questão de credibilidade.

45 Indústrias e produtores devem dialogar por pagamento do leite conforme a qualidade Brasil pode e deve aproveitar o bom momento e se firmar como exportador, mais do que nunca é necessário compromisso de produtores e indústrias para atender a consumidores exigentes.

46 Fonte: IBGE e Projeto Cenário do leite 2020

47

48 Neste cenário como se apresentam o Paraná, a região sudoeste paranaense, a regional de Pato Branco e o município de Pato Branco?

49 Distribuição do Leite no Paraná ,4 bilhões de litros ,5 bilhões de litros Noroeste 228,3 221,8 Centro Ocidental 75,3 78,1 Norte Central 241,5 240,0 Norte Pioneiro 124,0 124,7 Centro Oriental 353,8 336,6 Oeste 623,4 745,7 Sudoeste 454,8 462,4 Centro Sul 178,7 168,3 Sudeste 69,1 72,3 Metropolitana 45,6 69,1 Produção em milhões de litros Fonte: IBGE Elaboração: FAEP/DTE

50 Produção - Paraná Fonte: IBGE- Elaboração FAEP

51 Vacas Ordenhadas - Paraná Fonte: IBGE- Elaboração FAEP

52 Produção - sudoeste pr Fonte: IBGE- Elaboração FAEP

53 Vacas Ordenhadas - sudoeste pr Fonte: IBGE- Elaboração FAEP

54 Produção - regional PB* * Regional Pato Branco ( Bom Sucesso do Sul, Chopinzinho, Coronel Vivida, Itapejara Doeste, Mariópolis, Pato Branco, São João, Saudade do Iguaçú, Sulina, Vitorino) Fonte: IBGE- Elaboração FAEP

55 Vacas Ordenhadas - regional PB* Fonte: IBGE- Elaboração FAEP

56 Produção - Pato Branco Fonte: IBGE- Elaboração FAEP

57 Vacas Ordenhadas - Pato Branco Fonte: IBGE- Elaboração FAEP

58 Produtividade (litros/vaca/ano) Fonte: IBGE- Elaboração FAEP

59 Qualidade do leite Período 01jan2007 à 31ago2007

60 Preços recebidos pelo produtor CEPEA e CONSELEITE Fonte: CEPEA e CONSELEITE

61 Conclusões Lição de casa dos produtores Investir em organização Melhorar a competitividade/ produtividade Qualidade Escala de Produção Sanidade do rebanho Qualificação profissional

62 Conclusões Lição de casa das indústrias Adequar-se a nova realidade de mercado Adequar o parque industrial para competir no mercado interno e externo Desenvolver programa de recepção e pagamento do leite por qualidade

63 Conclusões Lição de casa dos governos Apoiar efetivamente o desenvolvimento sustentável Resolver questões como: defesa sanitária, fiscalização, distorções tributárias

64 Conclusões Lição de casa da cadeia produtiva Reduzir os projetos políticos e construir um projeto econômico

65 Ronei Volpi Maria Silvia C. Digiovani


Carregar ppt "IV Leite em Debate Mercado e Tendências para a Cadeia do Leite e Produtos Lácteos Ronei Volpi médico veterinário produtor de leite presidente da Com. Técnica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google