A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FUNDAMENTOS DE METODOLOGIA DE PESQUISA EM EPIDEMIOLOGIA FUNDAMENTOS DE METODOLOGIA DE PESQUISA EM EPIDEMIOLOGIA Norma Farias São Paulo, 04 de abril de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FUNDAMENTOS DE METODOLOGIA DE PESQUISA EM EPIDEMIOLOGIA FUNDAMENTOS DE METODOLOGIA DE PESQUISA EM EPIDEMIOLOGIA Norma Farias São Paulo, 04 de abril de."— Transcrição da apresentação:

1 FUNDAMENTOS DE METODOLOGIA DE PESQUISA EM EPIDEMIOLOGIA FUNDAMENTOS DE METODOLOGIA DE PESQUISA EM EPIDEMIOLOGIA Norma Farias São Paulo, 04 de abril de 2011

2 CONCEITO DE EPIDEMIOLOGIA Ciência que estuda o processo saúde-doença em coletividades humanas, analisando a distribuição e os fatores determinantes das enfermidades, danos à saúde e eventos associados à saúde coletiva, propondo medidas específicas de prevenção, controle ou erradicação de doenças e fornecendo indicadores que sirvam de suporte ao planejamento, administração e avaliação das ações de saúde. Rouquayrol & Goldbaum, 2003

3 USOS DA EPIDEMIOLOGIA INFORMAÇÃO EM SAÚDE INFORMAÇÃO EM SAÚDE Vigilância Vigilância Monitoramento Monitoramento Análises de situação de saúde Análises de situação de saúde Programas de prevenção e de controle Programas de prevenção e de controle PESQUISA EM SAÚDE: Responder a questões específicas PESQUISA EM SAÚDE: Responder a questões específicas

4 METODOLOGIA CIENTÍFICA O QUE DEFINE A PESQUISA? INCERTEZA LEVANTAMENTO DE QUESTÃO(ÕES) USO DO MÉTODO CIENTÍFICO PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO

5 METODOLOGIA DA PESQUISA EM EPIDEMIOLOGIA MÉTODO CIENTÍFICO Metodologia epidemiológica desenvolvido para a investigação do processo saúde-doença em populações

6 Metodologia epidemiológica Estratégias, técnicas e procedimentos de pesquisa no campo da Epidemiologia Investigação METODOLOGIA DA PESQUISA EM EPIDEMIOLOGIA Produção do conhecimento

7 POR QUE REALIZAR ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS? Levantar e resolver problemas : responder a questões específicas Descrever a freqüência, distribuição, padrão, tendência dos eventos relacionados ao processo saúde-doença Explicar a freqüência e distribuição dos eventos: causas e determinantes Avaliar programas, atividades, procedimentos preventivos e terapêuticos, prestação de serviços, impactos de medidas de saúde na população

8 Contexto/Fundamento/BackgroundBackground de um evento ou situação: consiste nos fatos que podem explicá-los

9 Rationale Rationale Razões nas quais uma ação, prática ou iniciativa são baseadas. Rationale de um estudo- ideia de base que justifica o estudo

10 Background/Rationale - Base - Razão, Justificativa, Motivo Qual o fundamento ou contexto do seu estudo?

11 Contexto/Fundamento O contexto de uma idéia ou evento consiste na situação geral onde os mesmos estão inseridos e que ajuda no conhecimento e na compreensão deles.

12 Background/Rationale FUNDAMENTO/CONTEXTO (CIENTÍFICO)/ JUSTIFICATIVA RELEVÂNCIA do estudo

13 RELEVÂNCIA DO ESTUDO Avaliação do nível de conhecimento de adolescentes a respeito da transmissão e prevenção das hepatites B e C. Livramento et al. Revista de Patologia Tropical 2009; 38(3): Contexto: 2 bilhões de pessoas infectadas pelo HBV em todo o mundo; 3% da pop foi infectada pelo HCV. HBV – aumenta o risco de cirrose, morte por falência hepática; é a > causa de carcinoma hepatocelular. HCV: cerca de 20% a 50% dos portadores crônicos desenvolvem cirrose, falência hepática ou carcinoma hepatocelular.

14 RELEVÂNCIA DO ESTUDO Avaliação do nível de conhecimento de adolescentes a respeito da transmissão e prevenção das hepatites B e C. Livramento et al. Revista de Patologia Tropical 2009; 38(3): Contexto: o HBV é transmitido por exposição parenteral, percutânea ou permucosa, pelo sangue contaminado ou por fluidos corporais. É cem vezes mais infectante que o HIV. A transmissão do HCV ocorre principalmente por transfusão de sangue contaminado, uso de drogas intravenosas, tatuagens, body piercing.

15 RELEVÂNCIA DO ESTUDO Avaliação do nível de conhecimento de adolescentes a respeito da transmissão e prevenção das hepatites B e C. Livramento et al. Revista de Patologia Tropical 2009; 38(3): Contexto: O processo de desenvolvimento associado à puberdade pode aumentar o risco de exposição a agentes infecciosos como o HBV e o HCV. Os adolescentes passam por transformações físicas e psicológicas e, comumente, tentam engajar-se em círculos de relacionamento que podem influenciar sua atividade sexual, uso de drogas, piercing e tatuagens.

16 RELEVÂNCIA DO ESTUDO Avaliação do nível de conhecimento de adolescentes a respeito da transmissão e prevenção das hepatites B e C. Livramento et al. Revista de Patologia Tropical 2009; 38(3): Contexto: A vacinação contra o HBV é a maneira mais eficaz para prevenir a infecção e a transmissão do vírus. Uma das metas do Ministério da Saúde é a imunização de jovens...

17 RELEVÂNCIA DO ESTUDO Avaliação do nível de conhecimento de adolescentes a respeito da transmissão e prevenção das hepatites B e C. Livramento et al. Revista de Patologia Tropical 2009; 38(3): Contexto: Alguns estudos mostraram: - baixa cobertura vacinal contra o HBV em adolescentes (CDC 2000; James e Chen, 2001); - população jovem resistente à vacinação contra o HBV (Schimidt, 2001);

18 RELEVÂNCIA DO ESTUDO Avaliação do nível de conhecimento de adolescentes a respeito da transmissão e prevenção das hepatites B e C. Livramento et al. Revista de Patologia Tropical 2009; 38(3): Contexto: Alguns estudos mostraram: - baixa adesão à vacinação em população economicamente desfavorável e ao longo período (6 meses) necessário para completar o esquema vacinal (Linton,2003; Middleman,1999; Oliveira, 1999).

19 RELEVÂNCIA DO ESTUDO Avaliação do nível de conhecimento de adolescentes a respeito da transmissão e prevenção das hepatites B e C. Livramento et al. Revista de Patologia Tropical 2009; 38(3): Contexto: Alguns estudos mostraram: - A vacinação em ambiente escolar parece aumentar a adesão à vacina e o cumprimento do esquema completo de vacinação (Cassidy, 1995; Deeks, 1998).

20 RELEVÂNCIA DO ESTUDO Avaliação do nível de conhecimento de adolescentes a respeito da transmissão e prevenção das hepatites B e C. Livramento et al. Revista de Patologia Tropical 2009; 38(3): Contexto: Uma política efetiva de prevenção às hepatites B e C pode resultar na redução da morbidade e mortalidade, na diminuição da rejeição de doadores de sangue, na redução dos gastos dos sistemas de saúde.

21 RELEVÂNCIA DO ESTUDO Avaliação do nível de conhecimento de adolescentes a respeito da transmissão e prevenção das hepatites B e C. Livramento et al. Revista de Patologia Tropical 2009; 38(3): Contexto: Porém É necessário mensurar o nível de conhecimento da população sobre estas doenças... para determinar a real necessidade de uma política de educação em saúde neste tema.

22 A QUESTÃO DE PESQUISA QUAL A QUESTÃO (ou que questões) O ESTUDO ABORDARÁ (ou o investigador quer responder)?

23 A QUESTÃO DE PESQUISA Identificar o problema de pesquisa e desenvolver a questão a ser respondida são as primeiras etapas de um projeto de pesquisa

24 A QUESTÃO DE PESQUISA PROBLEMÁTICA DE SAÚDE PÚBLICA O ESTUDO VISA RESPONDER A QUAL QUESTÃO? OBJETIVO DO ESTUDO

25 A QUESTÃO DE PESQUISA Avaliação do nível de conhecimento de adolescentes a respeito da transmissão e prevenção das hepatites B e C. Livramento et al. Revista de Patologia Tropical 2009; 38(3): Qual é o nível de conhecimento de adolescentes sobre os meios de prevenção e de transmissão sobre as hepatites B e C ?

26 A QUESTÃO DE PESQUISA Avaliação do nível de conhecimento de adolescentes a respeito da transmissão e prevenção das hepatites B e C. Livramento et al. Revista de Patologia Tropical 2009; 38(3): Objetivo: Avaliar o conhecimento de adolescentes do município de Blumenau (SC) sobre as hepatites B e C, em relação às doenças e seus meios de transmissão, assim como verificar a prática de atividades que aumentam o risco de contaminação por seus agentes causadores.

27 A QUESTÃO DE PESQUISA RELEVÂNCIA (contexto/background) O que se sabe sobre o tema? Existem estudos anteriores, quais suas contribuições e/ou problemas? Questões pendentes? Que respostas o estudo fornecerá? O estudo se justifica em termos de saúde pública, social, administrativo...? Os achados poderão contribuir para uma nova compreensão científica e/ou diretrizes clínicas e de saúde pública?

28 ELABORANDO A QUESTÃO DA PESQUISA QUESTÃO : o que o investigador quer saber ou deseja resolver PROCESSO INTERATIVO COLEGAS, CONSULTORES, COLABORADORES, MENTORES, REVISÃO DA LITERATURA

29 ELABORANDO A QUESTÃO DA PESQUISA achados e problemas observados em investigações anteriores revisão dos trabalhos de pesquisa sobre o assunto congressos e conferências contatos com outros profissionais atividades de ensino sessões de brainstorming aplicação de novas tecnologias observação da prática clínica sistemas de vigilância e de informação monitoramento de agravos em saúde

30 CARACTERÍSTICAS DE UMA BOA QUESTÃO DE PESQUISA FACTÍVEL Número adequado de sujeitos Domínio técnico adequado Viável em termos de tempo e custos Escopo manejável INTERESSANTE Para o avanço do conhecimento NOVA (INOVADORA) Confirma ou refuta achados anteriores Expande achados anteriores Fornece novos achados ÉTICA RELEVANTE Para o conhecimento científico Para diretrizes clínicas e de saúde Para direcionamentos futuros de pesquisa ACRÔNIMO FINER (Hulley et. al, 2008)

31 ELABORANDO UM PROTOCOLO DE PESQUISA O que é o protocolo de pesquisa? Plano escrito do estudo Objetivos: organizar a pesquisa de forma lógica, objetiva e eficiente solicitar recursos financeiros para o estudo

32 ELEMENTOS DO PROTOCOLO DE PESQUISA ELEMENTOOBJETIVO Questões de pesquisa/ Objetivos Qual(s) questão(s) o estudo abordará? Relevância(background) Por que essas questões são importantes? Delineamento Como o estudo é estruturado? População Quem são os sujeitos e como eles serão selecionados? Variáveis Que características serão medidas? Análise de dados Como manejar e analisar os dados do estudo?

33 DESENVOLVIMENTO DE UM ESTUDO IDENTIFICAÇÃO DO PROBLEMA E JUSTIFICATIVA QUESTÃO OU HIPÓTESES DO ESTUDO REVISÃO DA LITERATURA FORMULAÇÃO DOS OBJETIVOS DO ESTUDO

34 DESENVOLVIMENTO DE UM ESTUDO FORMULAÇÃO DOS OBJETIVOS DO ESTUDO METODOLOGIA DA PESQUISA - População-alvo - Amostra pretendida - Delineamento - Variáveis - Técnicas de coleta de dados - Abordagem para processamento e análise de dados análise de dados - Pré-teste ou estudo piloto

35 DESENVOLVIMENTO DE UM ESTUDO METODOLOGIA DA PESQUISA PLANO DE TRABALHO - Recursos humanos - Cronograma ORÇAMENTO - Suporte material - Equipamento QUESTÕES ÉTICAS

36 DESENVOLVENDO O PROTOCOLO DE ESTUDO ETAPAS CLARIFICAR A QUESTÃO DE PESQUISA/OBJETIVOS DO ESTUDO ESCREVER ANTEPROJETO ou PRÉ-PROPOSTA (esboço de ± 2 páginas) PROTOCOLO DE ESTUDO (em geral páginas – depende do modelo de cada instituição ou agência de fomento) MANUAL DE OPERAÇÕES – conjunto de instruções sobre os procedimentos do estudo, questionários e outros materiais.

37 ROTEIRO DE UM ANTEPROJETO Título Questão de pesquisa Relevância (contexto/justificativa) Objetivos do estudo - Geral - Específicos Delineamento População – alvo - Critérios de seleção dos sujeitos Variáveis Coleta de dados Análise de dados

38 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Almeida Filho N & Rouquayrol MZ. Introdução à Epidemiologia. Rio de Janeiro: 3ª ed, Guanabara Koogan, Goldberg M et al. LÉpidémiologie sans peine. Paris: 2a ed, Éditions Frison- Roche, Hulley SB, Cummings SR, Browner W, Grady D, Hearst N, Newman T; trad. Michael Schmidt Duncan e Ana Rita Peres. DELINEANDO A PESQUISA CLÍNICA: Uma abordagem epidemiológica. Porto Alegre: 2a ed, Artmed, Medronho RA et al. Epidemiologia. São Paulo: Atheneu, Rouquayrol Z & Almeida Filho N. Epidemiologia & Saúde. Rio de Janeiro: 6a ed, Guanabara Koogan, Varkevisser CM. Designing and Conducting Health Systems Research Projects, volume 1. Canadá, International Development Research Centre, Von Elm E et al; The Strengthening the Reporting of Observational Studies in Epidemiology (STROBE) Statement: Guidelines for Reporting Observational Studies. PLoS Med 2007; 4(10): e296


Carregar ppt "FUNDAMENTOS DE METODOLOGIA DE PESQUISA EM EPIDEMIOLOGIA FUNDAMENTOS DE METODOLOGIA DE PESQUISA EM EPIDEMIOLOGIA Norma Farias São Paulo, 04 de abril de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google