A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Keiko M. Teruya Centro Lactação de Santos/HGA/UNILUS Aconselhamento em Amamentação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Keiko M. Teruya Centro Lactação de Santos/HGA/UNILUS Aconselhamento em Amamentação."— Transcrição da apresentação:

1 Keiko M. Teruya Centro Lactação de Santos/HGA/UNILUS Aconselhamento em Amamentação

2 A sua profissão é privilégio e aprendizado. Chico Xavier "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina." Cora Coralina O que é necessário para ser um pediatra feliz?

3 O pediatra deve fazer o acolhimento da criança/familiares Para isso é preciso escutar (não só ouvir) Escutar = compreender/introjetar, o que leva à Empatia (não é sinônimo de simpatia)= sintonia Sintonia – sentir o que o outro esta sentindo Isso transforma um tratador de doença em cuidador de pessoas. Prof Jayme Murahovschi

4 A APROXIMAÇÃO: MÃE/FAMILIA E O PROFISSIONAL DE SAÚDE

5 Opinião de outros Família/Sociedade Instrução/cultura Mídia Expectativas...

6 Elogios escute Mão amiga (maternagem) Inquisição x entrevista Expectativas...

7 Cursos de graduação Disponibilidade Curso de Aconselhamento Profissional de saúde Cuidar de doentes

8 Comportamento frente a amamentação 4 Vivência/experiência 4 Valor da amamentação 4 Modelos/cultura 4 Influência da mídia 4 Desafios 4 Disponibilidade/comodidade 4 Vaidade 4 Querer/desejar/poder Choro Disponibilidade da mãe Experiências e vivências da mãe Interferências

9 Objetivos: Noções básicas de amamentação Habilidades de Aconselhamento Curso de Aconselhamento na Amamentação OMS/UNICEF

10 Aconselhamento é diferente de dar conselho Dar conselho é dizer à mãe o que ela deve fazer Aconselhamento é escutar,entender os sentimentos da mãe e ajudá-la a adquirir auto-confiança, para que ela decida o que fazer

11 Habilidades de Aconselhamento: Habilidades de: Ouvir e Aprender Habilidades de: Como aumentar a Confiança e dar Apoio

12

13 Uma mãe que amamenta pode não ter facilidade de falar de seus sentimentos: - se ela é tímida, - se não conhece bem o profissional, -se seus sentimentos não são socialmente valorizados na sua comunidade.

14 1- Usar comunicação não verbal útil: Tocar de forma apropriada Prestar atenção Remover barreiras Manter no mesmo nível Dedicar tempo 1

15 gestos 4 olhar 4 movimentos (a/r) 4 expressões faciais 4 riso e sorriso 4 aparência 4 distância pontualidade 4 tempo pessoal 4 velocidade de fala 4 dicção 4 entonação de voz ênfase

16 Dizer palavras que soem como julgamento Mostrar desinteresse Não dedicar tempo Criar barreira EVITAREVITAR

17 Habilidades de Ouvir e Aprender 2- Fazer perguntas abertas Perguntas abertas geralmente começam com: Como? O que ? Porque? Conte-me sobre... As perguntas abertas fazem o PROFISSIONAL DE SAÚDE otimizar o tempo e aprender mais sobre a mãe. Elas impedem que a mãe responda: Sim ou Não. 2

18 3- Usar expressões que demonstram interesse Ham ham...", Humm...", "Sei, sei..", `"Ah, é?!", "Nossa !", "E daí ? Assim o PROFISSIONAL DE SAÚDE demonstra que está ouvindo e que se mantém interessado nela. 3

19 Devolver com suas palavras o que a mãe diz Significa: repetir o que a mãe lhe disse, para mostrar que você ouviu, e para encorajá-la a dizer mais. Tentar dizer de forma um pouco diferente. Mãe: Meu bebê estava chorando demais na noite passada P: Seu bebê chorou e fez você ficar acordada a noite toda? 4

20 Usar de Empatia Mostrar à mãe que você entende como ela se sente Significa mostrar que você a ouviu e que entendeu os seus sentimentos do ponto de vista dela É diferente de simpatia. Quando se usa de empatia, mantém-se o foco na mãe e nos seus sentimentos. 5

21 Evitar palavras que soem como julgamento Palavras como: - certo, errado, bom, mau, suficiente, problema, etc Estas palavras geralmente fazem com que a mãe se sinta errada, ou que há alguma coisa errada com seu bebê. 6

22 Usar comunicação não verbal útil TManter a cabeça no mesmo nível TPrestar atenção TRemover barreiras TDedicar tempo TTocar de forma apropriada Fazer perguntas abertas Devolver com suas palavras o que a mãe diz Usar expressões/gestos que demonstrem interesse Empatia-mostrar que você entende como ela sente Evitar palavras que demonstrem julgamento

23 Uma mãe que amamenta facilmente perde a confiança em si mesma. Isto pode levá-la a responder à pressão dos familiares e conhecidos, dando mamadeira. Os trabalhadores de saúde precisam fazer com que se sinta confiante e bem consigo mesma. (Capaz e poderosa)

24

25 Uma mãe que amamenta facilmente perde a confiança em si mesma. Isto pode levá-la a responder à pressão dos familiares e conhecidos dando mamadeira Os trabalhadores de saúde precisam fazer com que se sinta confiante e bem consigo mesma.

26 Aceite, respeite o que a mãe pensa e sente. As vezes a mãe tem uma idéia errada de amamentação. Se o PROFISSIONAL DE SAÚDE a criticar ou discordar dela, ela pode se sentir insegura ou diminuída. Isto reduz a sua auto confiança. Então é importante não discordar da mãe. Também é importante não concordar com uma idéia errada da mãe, pois, se tornará difícil corrigir mais tarde. O PROFISSIONAIS DE SAÚDE pode simplesmente ACEITAR aquilo que a mãe pensa, respondendo de forma neutra: Ham ham, entendo, você está preocupada com isso

27 Reconheça e elogie o que a mãe e o bebê estão fazendo certo. O PROFISSIONAIS DE SAÚDE deve inicialmente reconhecer o que a mãe está fazendo certo. Elogiar essa prática traz benefícios: - Aumenta a confiança da mãe. - Encoraja a mãe a continuar essa boa prática. - Facilita que mais tarde ela aceite sugestões.

28 Dê ajuda prática Muitas vezes uma ajuda prática é melhor que explicar diversas coisas. A ajuda prática mostra que o PROFISSIONAL DE SAÚDE está pronto para ajudá-la e apoiá-la. Significa mostrar que está pronta para ajudá-la e apoiá-la

29 Dê pouca e relevante informação É importante dar informações para corrigir idéias erradas. Informação relevante significa: oferecer uma informação agora que é útil para a mãe agora

30 Dê pouca e relevante informação O PROFISSIONAL DE SAÚDE deve dar uma ou duas informações As informações devem ser dadas de uma forma positiva, para não soar como críticas. Assim a auto confiança da mãe se eleva.

31 Use linguagem simples Os PROFISSIONAIS DE SAÚDE aprendem sobre as doenças usam termos técnicos que freqüentemente não são entendidos pelas mães. Significa falar com a mãe de forma que ela entenda o que você diz

32 Dê uma ou duas sugestões, não ordens. Quando o PROFISSIONAL DE SAÚDE manda a mãe fazer alguma coisa tira-lhe a autoconfiança. Ao sugerir e não ordenar faz com que ela decida se vai aceitar a sugestão ou não. Isto a deixa no controle da situação e caso não aceite, estará disposta a discutir outras sugestões mais adequadas para ela e seu filho.

33 Aceitar o que a mãe pensa e sente Reconheçer e elogie o que a mãe estiver fazendo certo Dar ajuda prática Dar pouca e relevante informação Usar linguagem simples Dar uma ou duas sugestões

34 Todas as vezes que uma mãe traz seu bebê ao serviço de saúde, os PROFISSIONAIS DE SAÚDE podem ajudar, elogiando o que ela estiver fazendo certo, dando informações relevantes e sugerindo aquilo que for apropriado. Elogie Informe Sugira

35 Aula baseada em partes do documento citado abaixo, devidamente autorizado para ser livremente revisado, resumido, reproduzido e traduzido em parte ou como um todo, mas não para uso com fins comerciais: "Aconselhamento em Amamentação: Um Curso de Treinamento" OMS/CGR/93.4 UNICEF/NUT/93.2 UNICEF - Secão de Nutrição 3 United Nations Plaza New York, NY USA OMS - Divisão de Controle de Doenças Diarreicas e Respiratórias CH 1211 Genebra 27 Suiça Dra. Keiko M. Teruya Centro Lactação de Santos –HGA/INILUS

36 F A Ç A N O S PODEROSASPODEROSAS


Carregar ppt "Keiko M. Teruya Centro Lactação de Santos/HGA/UNILUS Aconselhamento em Amamentação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google