A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

D epartamento D epartamento O rientação O rientação M ediúnica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "D epartamento D epartamento O rientação O rientação M ediúnica."— Transcrição da apresentação:

1 D epartamento D epartamento O rientação O rientação M ediúnica

2 EQUIPE MEDIÚNICADIALOGADOR MÉDIUNS DIRIGENTE

3 O QUE É GRUPO É entendido como um conjunto de pessoas que: 1º) são interdependentes na realização de objetivos comuns; 2º) visam a um relacionamento interpessoal satisfatório.

4 TIPOS DE GRUPO Há dois tipos de grupos primário e secundário. A família é um grupo primário. Secundários são os grupos de trabalho, estudo, instituições, etc. Em todos eles, encontramos um lugar, um papel, uma forma de estar, que por sua vez constitui nossa maneira de ser.

5 PROCESSOS DE GRUPO Os grupos têm, dentro do alcance de suas capacidades, a faculdade de: 1º) reconhecer, definir e resolver seus problemas comuns; 2º) satisfazer suas necessidades comuns; 3º) trabalhar conjuntamente.

6 COMO SE CONSTRÓI UM GRUPO Um grupo se constrói no espaço heterogêneo das diferenças entre cada participante. Um grupo se constrói no trabalho árduo de reflexão de cada participante. Um grupo se constrói através da constância da presença, na constância da rotina e de suas atividades.

7 POR QUE SE ENTRA PARA UM GRUPO De maneira geral, ao indivíduos entram em determinado grupo para satisfazer a duas classes de necessidades: De maneira geral, os indivíduos entram em determinado grupo para satisfazer a duas classes de necessidades: A de aprender; A de atuar. COM OS OUTROS

8 GRUPO MEDIÚNICO No conjunto orquestral, cada instrumento deve ajustar-se à melodia, não obstante a maneira particularista com que se externe. Também na equipe de serviço espiritual, cada mente precisa afinar-se com a tarefa, embora vibre em diversa expressão. Emmanuel – Seara dos Médiuns

9 REUNIÕES MEDIÚNICAS 1.Assistência Espiritual. 2.Estudo e Educação da Mediunidade. 3.Irradiação, Mista ou Prática. 4.Desobsessão. 5.Tratamento. 6.Orientação. 7.Efeitos físicos.

10 EQUIPE MEDIÚNICA DIRIGENTE LIDERAR é a habilidade de exercer influência e ser influenciado pelo grupo, através de um processo de relações interpessoais adequadas para a consecução de um ou mais objetivos comuns.

11 DIRIGENTE TIPOS DE LIDERANÇA AUTOCRÁTICA Em geral é exercida por alguém facilmente irritável, incapaz de compreender os outros. O líder autocrático é o que determina os procedimentos sem ouvir os demais integrantes; elogios e críticas expressam preferências a restrições de cunho pessoal, provocando reações negativas ou passividade. Mantêm-se distante do grupo.

12 DIRIGENTE TIPOS DE LIDERANÇA PERMISSIVA É exercida por pessoa insegura que receia assumir responsabilidade. Evita dar instruções, deixando que cada um faça como quiser. Raramente emite comentários sobre o desempenho do grupo. Sua direção gera atritos e desorganização, propiciando o surgimento do individualismo agressivo.

13 DIRIGENTE TIPOS DE LIDERANÇA ASSERTIVA Geralmente exercida por pessoa de boa vontade, que procura dirigir com a cooperação e participação espontânea de todos. Estabelece objetivos claros; propõe alternativas de ação. É competente, paciente, tolerante, honesto e cooperativo. Assume e distribui responsabilidades. O trabalho se desenvolve em ritmo seguro, mesmo na sua ausência.

14 DIRIGENTE QUALIDADES DESEJADAS 1.Conhecimento doutrinário; 2.Qualidades morais; 3.Facilidade de expressão; 4.Clareza de idéias; 5.Trato fraterno.

15 DIRIGENTE FUNÇÕES EM GERAL 1.Canalizar confiança e boa-vontade; 2.Estimular e orientar no estudo; 3.Conscientizar s/os vícios espirituais; 4.Coibir comentários inconseqüentes; 5.Estimular a interação fraterna, a solidariedade e amor. 6.Estimular a freqüência/pontualidade. 7.Etc.

16 DIRIGENTE FUNÇÕES NA REUNIÃO 1.Presidir a reunião,encaminhando o seu desenrolar; 2.Manter a disciplina no ambiente. 3.Observar os acontecimentos e intervir quando necessário; 4.Analisar as comunicações; 5.Corrigir fraternalmente vícios e hábitos mediúnicos prejudiciais.

17 EQUIPE MEDIÚNICA DIALOGADOR Doutrinar é diferente de dialogar. Doutrinar é catequese, pregação. Dialogar é conversar, falar alternadamente. manter entendimento visando solução de problemas.

18 EQUIPE MEDIÚNICA DIALOGADOR 1.A primeira preocupação deve ser de acolher, não a de exibir conhecimento ou cultura. 2.O objetivo é levar para a reflexão – não é o convencimento. 3.Fique atento ao tempo. O diálogo, salvo exceções, deve durar em torno de 10 a Não acolha provocações e nem se deixe levar por elogios. Nem se deixe levar por ameaças ou bravatas.

19 EQUIPE MEDIÚNICA DIALOGADOR 5. Seja discreto. O foco não é penetrar na privacidade da entidade comunicante. 6. Conscientize-se que cada entidade é uma individualidade. Assim, não há duas histórias iguais. 7. Esteja atento ao que diz a entidade. As palavras são indicativos do problema. Não despreze a intuição. 8. Não se deixe levar por preconceitos.

20 EQUIPE MEDIÚNICA DIALOGADOR 9. Lembre-se que nem todo espírito é espírita. Respeite todas as crenças. 10. Converse sempre de olhos abertos, atento ao médium. No caso de gestual mais agressivo, chame pelo médium, solicitando cooperação. 11. Certifique-se sempre se o médium está bem, após o término do diálogo com o espírito comunicante. 12. Seja sempre sincero. Não decore frases ou textos. A palavra deve sair do coração, como uma prece.

21 EQUIPE MEDIÚNICA MÉDIUNS É a pessoa que opera dois planos: físico e espiritual. É apenas o instrumento ou meio, e não a fonte geradora da mensagem. Serve de Intermediário.

22 EQUIPE MEDIÚNICA MÉDIUNS ACEPÇÃO AMPLA Qualquer pessoa apta a receber ou a transmitir comunicações dos Espíritos é médium, quaisquer que sejam o modo empregado e o grau de desenvolvimento da faculdade, desde a simples influência oculta até a produção dos mais insólitos fenômenos.

23 EQUIPE MEDIÚNICA MÉDIUNS ACEPÇÃO RESTRITA Em seu uso ordinário, o termo tem uma aplicação mais restrita, aplicando-se às pessoas dotadas de um poder mediador suficientemente grande, seja para a produção de efeitos físicos, seja para transmitir o pensamento dos Espíritos – pela escrita ou pela palavra.

24 EQUIPE MEDIÚNICA MÉDIUNS CONDIÇÕES PARA O TRABALHO Para atuar no trabalho mediúnico espírita é preciso conhecimento doutrinário, certa experiência e conduta moral.

25 EQUIPE MEDIÚNICA MÉDIUNS O QUE DEVE SER OBSERVADO 1.Que espécies de mediunidade possui e em qual mais se destaca. 2.Como e para que usa a mediunidade. 3.Se já evita a vaidade e personalismo. 4.Se comporta-se bem doutrinariamente 5.Se interage bem com a equipe de encarnados e com a equipe espiritual. 6.Se é capaz de analisar e refletir sobre o trabalho. 7.Se aceita ponderações/observações acerca de seu trabalho. 8.Se demonstra entusiasmo e compromisso.

26 Não há um só médium no mundo que possa garantir a obtenção de um fenômeno espírita em dado instante. Allan Kardec – ESE, cap. 26

27 Humildade.Devotamento.Abnegação. O mais absoluto desinteresse moral e material.

28 REFLEXÃO FINAL Qualidade mediúnica é talento comum a todos. Mas, exercer a mediunidade como força ativa no ministério do bem é fruto da experiência de quantos lhe esposam a obrigação, por senda de disciplina e trabalho, consagrando-se, dia a dia, a estudar e servir com ela. Emmanuel – Seara dos Médiuns


Carregar ppt "D epartamento D epartamento O rientação O rientação M ediúnica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google