A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Teste de Significância & P-valor Faculdade de Odontologia São José dos Campos UNESP Ivan Balducci.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Teste de Significância & P-valor Faculdade de Odontologia São José dos Campos UNESP Ivan Balducci."— Transcrição da apresentação:

1 Teste de Significância & P-valor Faculdade de Odontologia São José dos Campos UNESP Ivan Balducci

2 Conceito fundamental: Hipótese nula (H 0 ) Numa comparação de dois grupos: Controle vs Tratado, por exemplo, a hipótese a ser testada é denominada de H 0. Ela é definida tradicionalmente como a hipótese de nenhuma diferença entre as médias dos grupos

3 H 0 não tem nada a ver com a igualdade H 0 tem tudo a ver com a chance

4 Conceito fundamental: Hipótese nula (H 0 ) mas H 0 deve ser definida de outra forma. JUSTIFICATIVA H 0 representa a distribuição de que a chance (o acaso) é o fator de influência responsável pela ocorrência dos dados obtidos

5 H 0 representa as circunstâncias para as quais quaisquer diferenças observadas nos dados são devidas ao acaso, ou como formalmente conhecidas na estatística como sampling error, flutuação amostral.

6 Por que, então, definimos comumente H 0 como diferença de médias? Sempre sabemos, antes de realizar o experimento, que as médias diferem: nada é absolutamente igual na natureza. A correta definição de H 0 é a hipótese onde quaisquer diferenças encontradas são devidas ao acaso

7 R.A. Fisher no livro Design of Experiments, de 1966, na pág. 35: a posição mais geral de nossa H o é, portanto, a condições às quais duas médias tendem a ser iguais É nessa frase que a noção de igualdade de médias se tornou (infelizmente) uma propriedade que define H 0.

8 H 0 poderia ser corretamente definida como hipótese da chance no lugar de hipótese de nenhuma diferença.

9 O p-valor quantifica a discrepância entre um conjunto conhecido de dados e a hipótese nula (H 0 ), se a probabilidade dos resultados é tão discrepante ou mais, sob a hipótese nula (H 0 ).

10 Se uma observação é rara (improvável) sob determinada Hipótese (a H 0 ), então é evidência contra essa hipótese (H 0 ).

11 o p-valor avalia o grau de inconsistência entre a hipótese nula e os dados observados.

12 Nota histórica. Fisher (1925) Segundo Ronald Aylmer Fisher: o p-valor deve ser interpretado como uma medida de evidência

13 Fisher concebeu os testes para confrontar uma hipótese nula com as observações e, para ele, um valor p indicava a força da evidência contra H 0.

14 Para Fisher o p valor, medida de evidência, deveria ser combinado com outras fontes de informação sobre o fenômeno em estudo. Se um limite de significância fosse estabelecido, deveria ser flexível e deveria depender do conhecimento anterior do background, sobre o fenômeno em estudo.

15 Para Fischer, se o resultado é significante você rejeita H 0. se o resultado é não significante, nenhuma conclusão pode ser estabelecida.

16 O p-valor é a probabilidade de obter o resultado particular ou outro mais extremo (quando H 0 é verdadeira) e não existem outros fatores possíveis que influenciem o resultado.

17 Se houver outros fatores, que possam intervir explicando o resultado particular, então, o p-valor deixaria de ser uma medida de evidência contra H 0.

18 Um resultado significativo, para Fisher, significa que os dados proporcionam evidência contra H 0

19 Os pesquisadores querem saber: Quão provável é que os resultados obtidos ocorreram pela sampling error ou by chance? P(H o | D) = ??? … essa pergunta não é respondida diretamente pelos testes de significância.

20 Os métodos estatísticos devem: orientar e disciplinar o nosso pensamento, mas não devem determiná-lo. Wilkinson and Task Force on Statistical Inference (1999), p.603 Conclusão

21 H o Termos que devem ser familiares Testes de Significância P-valor


Carregar ppt "Teste de Significância & P-valor Faculdade de Odontologia São José dos Campos UNESP Ivan Balducci."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google