A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MATO GROSSO. O Mato Grosso é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado na região Centro-Oeste. Tem a porção norte de seu território.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MATO GROSSO. O Mato Grosso é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado na região Centro-Oeste. Tem a porção norte de seu território."— Transcrição da apresentação:

1 MATO GROSSO

2

3

4 O Mato Grosso é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado na região Centro-Oeste. Tem a porção norte de seu território ocupada pela Amazônia Legal, sendo o sul do estado pertencente ao Centro-Sul do Brasil. Tem como limites: Amazonas, Pará Tocantins, Goiás ; Mato Grosso do Sul); Rondônia e Bolívia. Ocupa uma área de km², pouco menor que a Venezuela. Sua capital é Cuiabá. O Mato Grosso é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado na região Centro-Oeste. Tem a porção norte de seu território ocupada pela Amazônia Legal, sendo o sul do estado pertencente ao Centro-Sul do Brasil. Tem como limites: Amazonas, Pará Tocantins, Goiás ; Mato Grosso do Sul); Rondônia e Bolívia. Ocupa uma área de km², pouco menor que a Venezuela. Sua capital é Cuiabá.unidades federativasBrasilregião Centro-OesteAmazônia LegalCentro-Sul do Brasil AmazonasParáTocantinsGoiásMato Grosso do Sul RondôniaBolíviaVenezuelaCuiabáunidades federativasBrasilregião Centro-OesteAmazônia LegalCentro-Sul do Brasil AmazonasParáTocantinsGoiásMato Grosso do Sul RondôniaBolíviaVenezuelaCuiabá As cidades mais importantes são Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Barra do Garças, Sinop, Tangará da Serra, Cáceres, Comodoro, Primavera do Leste, Sapezal, Alta Floresta e Sorriso. Extensas planícies e amplos planaltos dominam a área, a maior parte (74%) se encontra abaixo dos 600 metros de altitude. Juruena, Teles Pires, Xingu, Araguaia, Paraguai, Rio Guaporé,Piqueri, São Lourenço, das Mortes e Cuiabá são os rios principais. As cidades mais importantes são Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Barra do Garças, Sinop, Tangará da Serra, Cáceres, Comodoro, Primavera do Leste, Sapezal, Alta Floresta e Sorriso. Extensas planícies e amplos planaltos dominam a área, a maior parte (74%) se encontra abaixo dos 600 metros de altitude. Juruena, Teles Pires, Xingu, Araguaia, Paraguai, Rio Guaporé,Piqueri, São Lourenço, das Mortes e Cuiabá são os rios principais.CuiabáVárzea Grande RondonópolisBarra do GarçasSinopTangará da Serra CáceresComodoroPrimavera do LesteSapezalAlta FlorestaSorrisoJuruenaTeles PiresXinguAraguaia ParaguaiRio GuaporéPiqueriSão Lourençodas Mortes Cuiabá Várzea Grande RondonópolisBarra do GarçasSinopTangará da Serra CáceresComodoroPrimavera do LesteSapezalAlta FlorestaSorrisoJuruenaTeles PiresXinguAraguaia ParaguaiRio GuaporéPiqueriSão Lourençodas Mortes Cuiabá

5 CAPITAL DE MATO GROSSO: CUIABÁ

6 O Mato Grosso ocupa uma área de km² do território brasileiro e localiza- se a oeste do Meridiano de Greenwich e a sul da Linha do Equador, tendo fuso horário -4 horas em relação a hora mundial GMT. O Mato Grosso ocupa uma área de km² do território brasileiro e localiza- se a oeste do Meridiano de Greenwich e a sul da Linha do Equador, tendo fuso horário -4 horas em relação a hora mundial GMT.oesteMeridiano de GreenwichsulLinha do Equadorfuso horárioGMToesteMeridiano de GreenwichsulLinha do Equadorfuso horárioGMT A capital (Cuiabá) está localizada a 15º35'55.36" lat. e 56º05'47.25" long., sendo conhecida, por isso mesmo, como coração da América do Sul. A capital (Cuiabá) está localizada a 15º35'55.36" lat. e 56º05'47.25" long., sendo conhecida, por isso mesmo, como coração da América do Sul.Cuiabá América do SulCuiabá América do Sul

7 Com altitudes modestas, o relevo apresenta grandes superfícies aplainadas, talhadas em rochas sedimentares. Abrange três regiões distintas: Com altitudes modestas, o relevo apresenta grandes superfícies aplainadas, talhadas em rochas sedimentares. Abrange três regiões distintas:altitudesrelevo superfíciesrochas sedimentaresregiõesaltitudesrelevo superfíciesrochas sedimentaresregiões na porção centro-norte do estado, a dos chapadões sedimentares e planaltos cristalinos (com altitudes entre 400 e 800m), que integram o planalto central brasileiro; na porção centro-norte do estado, a dos chapadões sedimentares e planaltos cristalinos (com altitudes entre 400 e 800m), que integram o planalto central brasileiro;centronorteestadochapadõesplanaltoscristalinosaltitudesplanalto central brasileirocentronorteestadochapadõesplanaltoscristalinosaltitudesplanalto central brasileiro a do planalto arenito-basáltico, localizada no sul, simples parcela do planalto meridional; a do planalto arenito-basáltico, localizada no sul, simples parcela do planalto meridional;planalto arenito-basálticosulplanalto meridionalplanalto arenito-basálticosulplanalto meridional parte do Pantanal Mato-Grossense, baixada da porção centro-ocidental. Ao sul do planalto brasileiro, situa- se o divisor de águas entre as bacias dos rios Paraguai e Amazonas, constituído em parte pela chapada dos Parecis. A maior parte da área é drenada pelos rios da bacia amazônica. parte do Pantanal Mato-Grossense, baixada da porção centro-ocidental. Ao sul do planalto brasileiro, situa- se o divisor de águas entre as bacias dos rios Paraguai e Amazonas, constituído em parte pela chapada dos Parecis. A maior parte da área é drenada pelos rios da bacia amazônica.Pantanal Mato-Grossensebaixada centroocidentalplanaltobrasileiroáguasbaciasriosParaguaiAmazonaschapada dos Parecis bacia amazônicaPantanal Mato-Grossensebaixada centroocidentalplanaltobrasileiroáguasbaciasriosParaguaiAmazonaschapada dos Parecis bacia amazônica

8 A planície aluvial do médio Araguaia situa-se na região limítrofe entre Mato Grosso e Goiás. Tem natureza semelhante à da planície do Pantanal: ampla, está sujeita a inundações anuais e deposição periódica de aluviões. Pouco depois dela, para oeste, ficam os contrafortes da serra do Roncador. A planície aluvial do médio Araguaia situa-se na região limítrofe entre Mato Grosso e Goiás. Tem natureza semelhante à da planície do Pantanal: ampla, está sujeita a inundações anuais e deposição periódica de aluviões. Pouco depois dela, para oeste, ficam os contrafortes da serra do Roncador.planíciealuvialAraguaiaGoiásplanície do Pantanalinundaçõesaluviõesoesteserra do RoncadorplaníciealuvialAraguaiaGoiásplanície do Pantanalinundaçõesaluviõesoesteserra do Roncador

9 Clima Clima O estado apresenta sensível variedade de climas. Prevalece o tropical superúmido de monção, com elevada temperatura média anual, superior a 26º C e alta pluviosidade (2.000mm anuais); e o tropical, com chuvas de verão e inverno seco, caracterizado por médias de 23°C no planalto. A pluviosidade é alta também nesse clima: excede a média anual de 1.500mm. O estado apresenta sensível variedade de climas. Prevalece o tropical superúmido de monção, com elevada temperatura média anual, superior a 26º C e alta pluviosidade (2.000mm anuais); e o tropical, com chuvas de verão e inverno seco, caracterizado por médias de 23°C no planalto. A pluviosidade é alta também nesse clima: excede a média anual de 1.500mm.estadoclimastropicalsuperúmidomonçãotemperaturaCpluviosidadetropical chuvasverãoinvernosecoplanaltopluviosidadeclimaestadoclimastropicalsuperúmidomonçãotemperaturaCpluviosidadetropical chuvasverãoinvernosecoplanaltopluviosidadeclima

10 Vegetação Vegetação O estado do Mato Grosso é revestido por uma vegetação em que predominam as florestas, como prosseguimento da mata amazônica. Na área do Pantanal Mato-Grossense que permaneceu nos limites do estado ocorre um revestimento vegetal composto de cerrados e campos. A zona de florestas compreende 47% da área do estado, os cerrados 39% e os campos 14%. O estado do Mato Grosso é revestido por uma vegetação em que predominam as florestas, como prosseguimento da mata amazônica. Na área do Pantanal Mato-Grossense que permaneceu nos limites do estado ocorre um revestimento vegetal composto de cerrados e campos. A zona de florestas compreende 47% da área do estado, os cerrados 39% e os campos 14%.estado vegetaçãoflorestasmata amazônica Pantanal Mato-Grossensecerradoscamposflorestascerradoscamposestado vegetaçãoflorestasmata amazônica Pantanal Mato-Grossensecerradoscamposflorestascerradoscampos

11 Hidrografia Hidrografia A drenagem da região se faz por meio de dois sistemas, os dos rios Amazonas e Paraguai. Ao primeiro pertencem o Juruena e o Teles Pires (formadores do Tapajós), além do Xingu e do Araguaia, este na fronteira com Goiás. O principal afluente do rio Paraguai no estado é o rio Cuiabá. A drenagem da região se faz por meio de dois sistemas, os dos rios Amazonas e Paraguai. Ao primeiro pertencem o Juruena e o Teles Pires (formadores do Tapajós), além do Xingu e do Araguaia, este na fronteira com Goiás. O principal afluente do rio Paraguai no estado é o rio Cuiabá.regiãoriosAmazonasParaguaiJuruenaTeles PiresTapajósXingu AraguaiafronteiraGoiásrio Paraguai rio CuiabáregiãoriosAmazonasParaguaiJuruenaTeles PiresTapajósXingu AraguaiafronteiraGoiásrio Paraguai rio Cuiabá

12 Ecologia Ecologia São as seguintes unidades de conservação a nível federal localizadas em Mato Grosso: São as seguintes unidades de conservação a nível federal localizadas em Mato Grosso: Parque Nacional do Pantanal Matogrossense Parque Nacional do Pantanal Matogrossense Parque Nacional do Pantanal Matogrossense Parque Nacional do Pantanal Matogrossense Parque Nacional da Chapada dos Guimarães Parque Nacional da Chapada dos Guimarães Parque Nacional da Chapada dos Guimarães Parque Nacional da Chapada dos Guimarães Estação Ecológica de Taiamã Estação Ecológica de Taiamã Estação Ecológica de Taiamã Estação Ecológica de Taiamã Estação Ecológica da Serra das Araras Estação Ecológica da Serra das Araras Estação Ecológica da Serra das Araras Estação Ecológica da Serra das Araras Área de Proteção Ambiental Meandros do Araguaia Área de Proteção Ambiental Meandros do Araguaia Área de Proteção Ambiental Meandros do Araguaia Área de Proteção Ambiental Meandros do Araguaia Parque Nacional do Juruena Parque Nacional do Juruena Parque Nacional dos Campos Amazônicos Parque Nacional dos Campos Amazônicos

13 Demografia Demografia A população do Mato Grosso é de habitantes, segundo a estimativa populacional de 2009, com dados coletados pelo IBGE. Mato Grosso é o décimo-nono Estado mais populoso do Brasil e concentra 1,47% da população brasileira. Do total da população do estado em 2000, habitantes são mulheres e habitantes são homens. Possui uma densidade demográfica de 2,6 hab/km². A população do Mato Grosso é de habitantes, segundo a estimativa populacional de 2009, com dados coletados pelo IBGE. Mato Grosso é o décimo-nono Estado mais populoso do Brasil e concentra 1,47% da população brasileira. Do total da população do estado em 2000, habitantes são mulheres e habitantes são homens. Possui uma densidade demográfica de 2,6 hab/km².populaçãoestimativa populacional2009IBGEEstadoBrasilpopulação brasileirapopulação2000populaçãoestimativa populacional2009IBGEEstadoBrasilpopulação brasileirapopulação2000 Pelas características encontradas no estado o predomínio é de pessoas adultas e com um índice de declínio para jovens e aumento de idosos. Pela média do estado há um predomínio de homens devido a emigração dos outros estados para o Mato Grosso, contudo, na grande Cuiabá há predomínio de mulheres, semelhante à média brasileira. Mato Grosso ocupa o 9º IDH entre os estados do Brasil. Pelas características encontradas no estado o predomínio é de pessoas adultas e com um índice de declínio para jovens e aumento de idosos. Pela média do estado há um predomínio de homens devido a emigração dos outros estados para o Mato Grosso, contudo, na grande Cuiabá há predomínio de mulheres, semelhante à média brasileira. Mato Grosso ocupa o 9º IDH entre os estados do Brasil.grande Cuiabágrande Cuiabá

14 Infra-estrutura Infra-estrutura O ensino médio em Mato Grosso obtém resultados no ENEM próximos à média nacional desde 2006, porém nunca conseguindo ultrapassá-la. O ensino médio em Mato Grosso obtém resultados no ENEM próximos à média nacional desde 2006, porém nunca conseguindo ultrapassá-la.ensino médioENEM2006ensino médioENEM2006

15 PONTOS TURÍSTICOS Museu do Mato Grosso Museu do Mato Grosso

16 Nova Xavantina Nova Xavantina

17 Parque Florestal Parque Florestal

18 Cachoeira dos Namorados Cachoeira dos Namorados

19 Caminho das Águas – 7 Cachoeiras Caminho das Águas – 7 Cachoeiras

20 GASTRONOMIA Arroz Boliviano Arroz Boliviano

21 Carpaccio de Dourado Carpaccio de Dourado

22 Chipa Chipa

23 Farofa de Banana da Terra Farofa de Banana da Terra

24 Quibebe Quibebe

25 DANÇAS Cururu e Siriri Cururu e Siriri

26 Dança do Congo Dança do Congo

27 MATO GROSSO DO SUL

28

29

30 Mato Grosso do Sul é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado ao sul da região Centro-Oeste. Tem como limites os estados de Goiás a nordeste, Minas Gerais a leste, Mato Grosso (norte), Paraná (sul) e São Paulo (sudeste), além da Bolívia (oeste) e o Paraguai (oeste e sul). Possui uma área de ,962 km², sendo ligeiramente maior que a Alemanha,Portugal e Japão. Sua população estimada em 2009 é de habitantes, conferindo ao estado a 21ª população. Sua capital e maior cidade é Campo Grande, e outros municípios de importantes são Dourados, Três Lagoas, Corumbá, Ponta Porã, Aquidauana, Nova Andradina e Naviraí. Mato Grosso do Sul é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado ao sul da região Centro-Oeste. Tem como limites os estados de Goiás a nordeste, Minas Gerais a leste, Mato Grosso (norte), Paraná (sul) e São Paulo (sudeste), além da Bolívia (oeste) e o Paraguai (oeste e sul). Possui uma área de ,962 km², sendo ligeiramente maior que a Alemanha,Portugal e Japão. Sua população estimada em 2009 é de habitantes, conferindo ao estado a 21ª população. Sua capital e maior cidade é Campo Grande, e outros municípios de importantes são Dourados, Três Lagoas, Corumbá, Ponta Porã, Aquidauana, Nova Andradina e Naviraí.unidades federativasBrasil Centro-OesteGoiásMinas GeraisMato Grosso ParanáSão PauloBolíviaParaguai AlemanhaPortugalJapão200921ª população Campo GrandeDouradosTrês LagoasCorumbáPonta Porã AquidauanaNova AndradinaNaviraíunidades federativasBrasil Centro-OesteGoiásMinas GeraisMato Grosso ParanáSão PauloBolíviaParaguai AlemanhaPortugalJapão200921ª população Campo GrandeDouradosTrês LagoasCorumbáPonta Porã AquidauanaNova AndradinaNaviraí

31 CAPITAL DE MATO GROSSO DO SUL:CAMPO GRANDE

32 Tem como bebida típica o tereré, considerado o estado-símbolo dessa bebida e maior produtor de erva-mate da região Centro-Oeste do Brasil. O uso desta bebida, derivada da erva-mate (Ilex paraguariensis), nativa do Planalto Meridional do Brasil, é de origem pré- colombiana. O Aqüífero Guarani compõe parte do subsolo do estado, sendo o Mato Grosso do Sul detentor da maior porcentagem do Aqüífero dentro do território brasileiro. Tem como bebida típica o tereré, considerado o estado-símbolo dessa bebida e maior produtor de erva-mate da região Centro-Oeste do Brasil. O uso desta bebida, derivada da erva-mate (Ilex paraguariensis), nativa do Planalto Meridional do Brasil, é de origem pré- colombiana. O Aqüífero Guarani compõe parte do subsolo do estado, sendo o Mato Grosso do Sul detentor da maior porcentagem do Aqüífero dentro do território brasileiro.tereréerva-materegião Centro-Oeste do BrasilAqüífero Guaranitereréerva-materegião Centro-Oeste do BrasilAqüífero Guarani

33 O estado constituía a parte meridional do estado do Mato Grosso, do qual foi desmembrado por lei complementar de 11 de outubro de 1977 e instalado em 1 de janeiro de 1979, porém a história e a colonização da região, onde hoje está a unidade federativa, é bastante antiga remontando ao período colonial antes do Tratado de Madri, em 1750, quando passou a integrar a coroa portuguesa. Durante o século XVII, foram instaladas duas reduções jesuíticas, Santo Inácio de Caaguaçu e Santa Maria da Fe do Taré, entre os índios Guarani na região, então conhecida como Itatim. Uma parte do antigo estado estava localizado dentro da Amazônia legal, cuja área, que antes ia até o paralelo 16, estendeu-se mais para o sul, a fim de beneficiar com seus incentivos fiscais a nova unidade da federação. Historicamente vinculado à região Centro-Oeste, Mato Grosso do Sul teve na pecuária, na extração vegetal e mineral e na agricultura, as bases de um acelerado desenvolvimento iniciado no século XIX. O estado constituía a parte meridional do estado do Mato Grosso, do qual foi desmembrado por lei complementar de 11 de outubro de 1977 e instalado em 1 de janeiro de 1979, porém a história e a colonização da região, onde hoje está a unidade federativa, é bastante antiga remontando ao período colonial antes do Tratado de Madri, em 1750, quando passou a integrar a coroa portuguesa. Durante o século XVII, foram instaladas duas reduções jesuíticas, Santo Inácio de Caaguaçu e Santa Maria da Fe do Taré, entre os índios Guarani na região, então conhecida como Itatim. Uma parte do antigo estado estava localizado dentro da Amazônia legal, cuja área, que antes ia até o paralelo 16, estendeu-se mais para o sul, a fim de beneficiar com seus incentivos fiscais a nova unidade da federação. Historicamente vinculado à região Centro-Oeste, Mato Grosso do Sul teve na pecuária, na extração vegetal e mineral e na agricultura, as bases de um acelerado desenvolvimento iniciado no século XIX.Mato Grosso11 de outubro19771 de janeiro1979Tratado de Madri1750século XVIIparaleloséculo XIXMato Grosso11 de outubro19771 de janeiro1979Tratado de Madri1750século XVIIparaleloséculo XIX

34 Relevo Relevo O arcabouço geológico do Mato Grosso do Sul é formado por três unidades geotectônicas distintas: a plataforma amazônica, o cinturão metamórfico Paraguai-Araguaia e a bacia sedimentar do Paraná. Sobre essas unidades, visualizam-se dois conjuntos estruturais. O primeiro, mais antigo, com dobras e falhas, está localizado em terrenos pré-cambrianos, e o segundo, em terrenos fanerozoicos, na bacia sedimentar do Paraná. O arcabouço geológico do Mato Grosso do Sul é formado por três unidades geotectônicas distintas: a plataforma amazônica, o cinturão metamórfico Paraguai-Araguaia e a bacia sedimentar do Paraná. Sobre essas unidades, visualizam-se dois conjuntos estruturais. O primeiro, mais antigo, com dobras e falhas, está localizado em terrenos pré-cambrianos, e o segundo, em terrenos fanerozoicos, na bacia sedimentar do Paraná. plataforma amazônicacinturão metamórfico Paraguai-Araguaiabacia sedimentar do Paranápré-cambrianosfanerozoicos plataforma amazônicacinturão metamórfico Paraguai-Araguaiabacia sedimentar do Paranápré-cambrianosfanerozoicos Não ocorrem grandes altitudes nas duas principais formações montanhosas, as serras da Bodoquena e de Maracaju, que formam os divisores de águas das bacias do Paraguai e do Paraná. As altitudes médias do estado ficam entre 200 e 600 metros. Não ocorrem grandes altitudes nas duas principais formações montanhosas, as serras da Bodoquena e de Maracaju, que formam os divisores de águas das bacias do Paraguai e do Paraná. As altitudes médias do estado ficam entre 200 e 600 metros.altitudesBodoquena MaracajuParaguaiParanáaltitudesBodoquena MaracajuParaguaiParaná

35 O planalto da bacia do Paraná ocupa toda a porção leste do estado. Constitui uma projeção do planalto Meridional, grande unidade de relevo que domina a região sul do país. Apresenta extensas superfícies planas, com 400 a mil metros de altitude. Já a baixada do rio Paraguai, domina a região oeste, com rupturas de declives ou relevos residuais, representados por escarpas e morrarias. O planalto da bacia do Paraná ocupa toda a porção leste do estado. Constitui uma projeção do planalto Meridional, grande unidade de relevo que domina a região sul do país. Apresenta extensas superfícies planas, com 400 a mil metros de altitude. Já a baixada do rio Paraguai, domina a região oeste, com rupturas de declives ou relevos residuais, representados por escarpas e morrarias.planaltobacia do Paranáplanalto Meridionalmetros escarpasmorrariasplanaltobacia do Paranáplanalto Meridionalmetros escarpasmorrarias Estendendo-se por uma vasta área de noroeste do estado, a baixada do rio Paraguai é parte da grande depressão que separa, no centro do continente, o planalto Brasileiro, a leste, da Cordilheira dos Andes, a oeste. Sua maior porção é formada por uma planície aluvial sujeita a inundações periódicas, a planície do Pantanal, cujas altitudes oscilam entre 100 e 200m. Em meio à planície do Pantanal ocorrem alguns maciços isolados, como o de Urucum, com 1.160m de altitude, próximo à cidade de Corumbá. Estendendo-se por uma vasta área de noroeste do estado, a baixada do rio Paraguai é parte da grande depressão que separa, no centro do continente, o planalto Brasileiro, a leste, da Cordilheira dos Andes, a oeste. Sua maior porção é formada por uma planície aluvial sujeita a inundações periódicas, a planície do Pantanal, cujas altitudes oscilam entre 100 e 200m. Em meio à planície do Pantanal ocorrem alguns maciços isolados, como o de Urucum, com 1.160m de altitude, próximo à cidade de Corumbá.planalto BrasileiroCordilheira dos AndesPantanal UrucumCorumbáplanalto BrasileiroCordilheira dos AndesPantanal UrucumCorumbá

36 Clima Clima Na maior parte do território do estado predomina o clima do tipo tropical, com chuvas de verão e inverno seco, caracterizado por médias termométricas que variam entre 25°C na baixada do Paraguai e 20°C no planalto. A pluviosidade é de aproximadamente 1.500mm anuais. No extremo meridional ocorre o clima subtropical, em virtude de uma latitude um pouco mais elevada e do relevo de planalto. A média térmica é pouco superior a 20°C, com queda de até 0°C nos meses mais frios do ano. A menor temperatura já registrada no estado ocorreu em Ponta Porã, com -6°C em 1975 e no dia 12 de julho de 2009 foi registrado -1 na cidade de Rio Brilhante.[10] Na maior parte do território do estado predomina o clima do tipo tropical, com chuvas de verão e inverno seco, caracterizado por médias termométricas que variam entre 25°C na baixada do Paraguai e 20°C no planalto. A pluviosidade é de aproximadamente 1.500mm anuais. No extremo meridional ocorre o clima subtropical, em virtude de uma latitude um pouco mais elevada e do relevo de planalto. A média térmica é pouco superior a 20°C, com queda de até 0°C nos meses mais frios do ano. A menor temperatura já registrada no estado ocorreu em Ponta Porã, com -6°C em 1975 e no dia 12 de julho de 2009 foi registrado -1 na cidade de Rio Brilhante.[10]climatropicalmmclima subtropical de julho2009Rio Brilhante[10]climatropicalmmclima subtropical de julho2009Rio Brilhante[10] As geadas são comuns no sul do estado registrando em média 3 ocorrências do fenômeno por ano. Observa-se o mesmo regime de chuvas de verão e inverno seco, e a pluviosidade anual é, também, de 1.500mm. No estado, percebe-se grande variação de temperaturas, sendo registradas pelo menos uma vez ao ano temperaturas máximas próximas de 40°C e mínimas próximas a 0°C. As geadas são comuns no sul do estado registrando em média 3 ocorrências do fenômeno por ano. Observa-se o mesmo regime de chuvas de verão e inverno seco, e a pluviosidade anual é, também, de 1.500mm. No estado, percebe-se grande variação de temperaturas, sendo registradas pelo menos uma vez ao ano temperaturas máximas próximas de 40°C e mínimas próximas a 0°C.

37 Hidrografia Hidrografia O território estadual é drenado a leste pelos sistemas dos rios Paraná, sendo seus principais afluentes os rios Sucuriú, Verde, Pardo e Ivinhema; a oeste é drenado pelo Paraguai, cujos principais afluentes são os rios Taquari, Aquidauana e Miranda. Pelo Rio Paraguai escoam as águas da planície do Pantanal e terrenos periféricos. Na baixada, produzem-se anualmente inundações de longa duração. O território estadual é drenado a leste pelos sistemas dos rios Paraná, sendo seus principais afluentes os rios Sucuriú, Verde, Pardo e Ivinhema; a oeste é drenado pelo Paraguai, cujos principais afluentes são os rios Taquari, Aquidauana e Miranda. Pelo Rio Paraguai escoam as águas da planície do Pantanal e terrenos periféricos. Na baixada, produzem-se anualmente inundações de longa duração.ParanáSucuriúVerdePardoIvinhemaParaguaiTaquari AquidauanaMirandaParanáSucuriúVerdePardoIvinhemaParaguaiTaquari AquidauanaMiranda De novembro a março, o Pantanal vive o período das cheias, as depressões são inundadas, formando extensos lagos, reconhecidos como Baías. Alguns desses lagos são alcalinos, apresentando diferentes cores e suas águas, de acordo com as algas que ali se desenvolvem e criam matizes de verde, amarelo, azul, vermelho ou preto. Esses lagos também se interligam ou não por pequenos rios perenes ou periódicos. Nas enchentes ocorre uma interligação entre rios, braços, baías na vazante, a terra enriquecida pelo húmus, se transforma na mais rica fonte de alimentos para sua flora e fauna. Na estação da vazante (de abril a outubro), os rios começam a baixar seus leitos, formando "corixos" ou baías que retém grande quantidade de peixes, fenômeno conhecido pelo nome de "lufada". De julho a setembro a terra é mais seca e a temperatura é amena, chegando a esfriar à noite. No início das chuvas, de outubro a dezembro, o calor é intenso, os rios começam a inundar as terras baixas, os mosquitos proliferam e os mamíferos migram para as terras altas. De novembro a março, o Pantanal vive o período das cheias, as depressões são inundadas, formando extensos lagos, reconhecidos como Baías. Alguns desses lagos são alcalinos, apresentando diferentes cores e suas águas, de acordo com as algas que ali se desenvolvem e criam matizes de verde, amarelo, azul, vermelho ou preto. Esses lagos também se interligam ou não por pequenos rios perenes ou periódicos. Nas enchentes ocorre uma interligação entre rios, braços, baías na vazante, a terra enriquecida pelo húmus, se transforma na mais rica fonte de alimentos para sua flora e fauna. Na estação da vazante (de abril a outubro), os rios começam a baixar seus leitos, formando "corixos" ou baías que retém grande quantidade de peixes, fenômeno conhecido pelo nome de "lufada". De julho a setembro a terra é mais seca e a temperatura é amena, chegando a esfriar à noite. No início das chuvas, de outubro a dezembro, o calor é intenso, os rios começam a inundar as terras baixas, os mosquitos proliferam e os mamíferos migram para as terras altas. A linha de divisa com o estado de Mato Grosso segue limites naturais formados por vários rios. A linha de divisa com o estado de Mato Grosso segue limites naturais formados por vários rios.Mato GrossoMato Grosso

38 Vegetação Vegetação Os cerrados recobrem a maior parte do estado, mas também destaca-se a Floresta Estacional Semidecidual. Há ainda a presença de pampas e Mata Atlântica. Os cerrados recobrem a maior parte do estado, mas também destaca-se a Floresta Estacional Semidecidual. Há ainda a presença de pampas e Mata Atlântica.cerradospampasMata AtlânticacerradospampasMata Atlântica Na planície do Pantanal, no oeste do estado, durante o período de cheias do Rio Paraguai, a região vira a maior região alagadiça do planeta, lá se combinam vegetações de todo o Brasil, até mesmo da Caatinga e da Floresta Amazônica, e é um dos biomas com maior abundância de biodiversidade do Brasil, embora seja considerada pouco rica em número de espécies. Na planície do Pantanal, no oeste do estado, durante o período de cheias do Rio Paraguai, a região vira a maior região alagadiça do planeta, lá se combinam vegetações de todo o Brasil, até mesmo da Caatinga e da Floresta Amazônica, e é um dos biomas com maior abundância de biodiversidade do Brasil, embora seja considerada pouco rica em número de espécies.Rio ParaguaiBrasilCaatingaFloresta AmazônicaBrasilRio ParaguaiBrasilCaatingaFloresta AmazônicaBrasil

39 Infraestrutura Infraestrutura Mato Grosso do Sul está entre as unidades da federação que apresentam as maiores taxas de urbanização do país, com 85,4%. A população urbana do estado, a partir dos anos 1980, apresenta um acentuado crescimento. Apesar das atividades rurais exercerem forte influência, o crescimento urbano cresce em harmonia com a agropecuária, que é proporcionalmente muito forte, pois se modernizou nos últimos anos e favoreceu a migração do campo para as cidades. Os domicílios compostos por quatro pessoas constituem o maior número de domicílios no estado, sendo esta tendência quase homogênea no País e reflete, na média, o predomínio da chamada família nuclear, ou seja, casal e dois filhos. Mato Grosso do Sul está entre as unidades da federação que apresentam as maiores taxas de urbanização do país, com 85,4%. A população urbana do estado, a partir dos anos 1980, apresenta um acentuado crescimento. Apesar das atividades rurais exercerem forte influência, o crescimento urbano cresce em harmonia com a agropecuária, que é proporcionalmente muito forte, pois se modernizou nos últimos anos e favoreceu a migração do campo para as cidades. Os domicílios compostos por quatro pessoas constituem o maior número de domicílios no estado, sendo esta tendência quase homogênea no País e reflete, na média, o predomínio da chamada família nuclear, ou seja, casal e dois filhos.unidades da federaçãounidades da federação Pelas informações dos censos de 1991 e 1996, entre 1970 e 1990 houve redução nas migrações interestaduais nas últimas décadas e também queda do saldo migratório em Mato Grosso do Sul. Segundo os dados, em 1991 houve a entrada de pessoas de outros estados e a saída de , resultando no saldo migratório de Já em 1996, pessoas imigraram para o estado e emigraram desse para outros estados, resultando num saldo migratório de habitantes. Pelas informações dos censos de 1991 e 1996, entre 1970 e 1990 houve redução nas migrações interestaduais nas últimas décadas e também queda do saldo migratório em Mato Grosso do Sul. Segundo os dados, em 1991 houve a entrada de pessoas de outros estados e a saída de , resultando no saldo migratório de Já em 1996, pessoas imigraram para o estado e emigraram desse para outros estados, resultando num saldo migratório de habitantes. No geral o cenário demográfico e social apresentado em Mato Grosso do Sul se baseia na tomada de decisões das diversas instâncias de atuação da sociedade civil, da academia e dos diversos níveis de governos, possibilitando e adequando o planejamento e ações dentro de uma visão panorâmica real nos níveis desejados de qualidade de vida e com o devido padrão de desenvolvimento sustentável. No geral o cenário demográfico e social apresentado em Mato Grosso do Sul se baseia na tomada de decisões das diversas instâncias de atuação da sociedade civil, da academia e dos diversos níveis de governos, possibilitando e adequando o planejamento e ações dentro de uma visão panorâmica real nos níveis desejados de qualidade de vida e com o devido padrão de desenvolvimento sustentável.

40 A cultura inclui a linguagem, as crenças, os costumes, as cerimônias, a conduta, a arte, a culinária, a moda, o folclore, os gestos e o modo de vida de determinado número de pessoas em um período. O local onde se situa, o meio ambiente, a economia e o que cerca um povo influência o seu modo de vida. A cultura local é uma mistura de várias contribuições das migrações ocorridas em seu território: A cultura inclui a linguagem, as crenças, os costumes, as cerimônias, a conduta, a arte, a culinária, a moda, o folclore, os gestos e o modo de vida de determinado número de pessoas em um período. O local onde se situa, o meio ambiente, a economia e o que cerca um povo influência o seu modo de vida. A cultura local é uma mistura de várias contribuições das migrações ocorridas em seu território:

41 PRATOS TÍPICOS Furrundu Furrundu

42 Sopa Paraguaia Sopa Paraguaia

43 Quebra Torto Quebra Torto

44 BEBIDAS Licor de Pequi Licor de Pequi

45 Geladinho Geladinho

46 DANÇAS Vanerão Vanerão

47 PONTOS TURÍSTICOS Complexo do Pantanal Complexo do Pantanal

48 Serra do Bodoquena Serra do Bodoquena

49 Lagoa do Sapo Lagoa do Sapo

50 CRÉDITOS Prefeitura de São Paulo Prefeitura de São Paulo Secretaria Municipal de Educação Secretaria Municipal de Educação DRE Penha DRE Penha EMEF Pref. José Carlos de F. Ferraz EMEF Pref. José Carlos de F. Ferraz

51 PROFESSORES ENVOLVIDOS Profª Zilrene Alcantara Miguel (POIE) Profª Zilrene Alcantara Miguel (POIE)

52 NOME DOS ALUNOS Juliana - 6ªC Juliana - 6ªC Paloma 6ªC Paloma 6ªC

53 TEXTOS TEXTOS MÚSICA MÚSICA IMAGENS IMAGENS

54 Esta produção foi realizada para fins educacionais (sem fins lucrativos). Esta produção foi realizada para fins educacionais (sem fins lucrativos).


Carregar ppt "MATO GROSSO. O Mato Grosso é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado na região Centro-Oeste. Tem a porção norte de seu território."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google