A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Christiano Póvoa Opção de perdedor.... Tipos de Drogas - Origem NATURAIS Certas plantas contém drogas psicoativas, sendo esta matéria- prima usada.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Christiano Póvoa Opção de perdedor.... Tipos de Drogas - Origem NATURAIS Certas plantas contém drogas psicoativas, sendo esta matéria- prima usada."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Christiano Póvoa Opção de perdedor...

2 Tipos de Drogas - Origem NATURAIS Certas plantas contém drogas psicoativas, sendo esta matéria- prima usada diretamente como droga ou extraída e purificada. Temos como exemplo os cogumelos e a trombeteira, consumidos sob a forma de chá SEMI-SINTÉTICAS São resultados de reações químicas realizadas em laboratórios nas drogas naturais. É o caso da cocaína, da maconha, do tabaco, do álcool. Algumas delas são produzidas em escala industrial, como as bebidas alcoólicas e o cigarro. SINTÉTICAS São produzidas, unicamente, por manipulações químicas em laboratório e não dependem, para sua confecção, de substâncias vegetais ou animais como matéria-prima. Temos como exemplos o LSD (Ácido Lisérgico) e o Ecstasy. Na categoria de drogas sintéticas incluem-se também os calmantes e os barbitúricos ou remédios para dormir, fabricados pela indústria farmacêutica com finalidade médica.

3 DEPRESSORAS Promovem uma redução das atividades cerebrais e uma diminuição de suas ações e das funções orgânicas de um modo geral que deixam as pessoas mais relaxadas. (exemplos: álcool, tranquilizantes, opióides). ESTIMULANTES Aumentam a velocidade do processo de ações cerebrais e fazem com que as pessoas se sintam mais alertas, com mais energia, apresentando mais agitação. Há uma aceleração das atividades corporais. (principais exemplos: cocaína, anfetamina, nicotina e cafeína). ALUCINÓGENAS Alteram a percepção e o senso de tempo e espaço (principais exemplos: maconha, LSD, mescalina). Tipos de Drogas - Efeitos

4 Uso, abuso e dependência Não uso Uso experimental Abuso Dependência Uso esporádico Uso freqüente Uso pesado

5 Frases Freqüentes de VICIADOS em Drogas: 1ª - EU PARO DE USAR NA HORA QUE EU QUISER! 2ª - COMIGO NÃO ACONTECE! 3ª - EU SÓ USO DE VEZ EM QUANDO!

6 Uso de drogas entre estudantes de 10 capitais brasileiras

7 Goiânia – GO Drogas Anos dos Levantamentos 2004(%) Álcool 69,8 Tabaco 25,9 Maconha 7,2 Cocaína 4,0 Solventes 21,3

8 Estudo de Caso: Chris Farley Christopher Crosby Farley Nascimento: 15 de fevereiro de 1964 Usuário de drogas e alcóolatra Morreu de overdose em 18 de dezembro de 1997

9 1. Álcool Droga Lícita 10% a 15% da população mundial é dependente de álcool Características do alcoolismo: Compulsão Dependência física Perda de controle Tolerância

10 euforia, desinibição e sociabilidade. falta de coorde- nação motora. diminuição sensiti- va. Descontrole. coma alcoólico. rosto vermelho. dor de cabeça. dificuldades na fala. mal-estar. Vômito. Cirrose. Gastrite. Polineurite. Anemia. Pelagra. úlceras cutâneas. deficiência de vitaminas B1, B2, B6, B12 e C. afeta a freqüência respiratória e cardíaca. Durante a gravidez o álcool causa sérias deficiências físicas ou mentais no feto.

11 Efeitos do álcool Fígado normal Fígado com cirrose

12 Problemas congênitos causados por alcoolismo durante a gravidez – Síndrome do Alcoolismo Fetal Cérebro normal Cérebro de SAF

13 Síndrome do Alcoolismo Fetal Retardo Mental Surdez Cegueira Problemas Cardiovasculares

14

15

16

17 1.2 -Tratamento do Alcoolismo Tratamento depende do usuário Apoio familiar Uso de substâncias que induzam aversão ao álcool (Dissulfiram) – Inibe a Aldeído Desidrogenase Etanol Acetaldeído (tóxico) Álcool desidrogenase Piruvato Aldeído Desidrogenase

18 2. Anfetaminas estimulantes da atividade do sistema nervoso central são substâncias sintéticas Ecstasy

19 2.1 – Efeitos Insônia Dilatação de pupila Aumento da freqüência cárdio-respiratória Aumento da pressão sangüínea Aumento de agres- sividade e irritabilidade Depressão Delírio persecutório Paranóia Alucinações Midríase acentuada Pele pálida Convulsões Degeneração de cé- lulas do cérebro Tolerância Síndrome de absti- nência

20 2.2 - Ectasy MDMA (MetilenoDioxoMetAnfetamina) Alucinógeno: alterações na percepção do tempo, diminuição da sensação de medo, ataques de pânico, psicoses e alu- cinações visuais. Efeitos estimulantes: aumento da fre- qüência cardíaca e da pressão arterial, boca seca, náusea, sudorese e euforia.

21 Ecstasy Cérebro de M.P.S.S., 19 anos, morta por hemorragia cerebral devido ao uso de Ecstasy durante festa rave em São José do Rio Preto, São Paulo. A morte ocorreu 40 minutos após o uso do Ecstasy.

22 3. Cocaína Extraída das folhas de uma planta que ocorre exclusivamente na América do Sul: a Erythroxylon coca, conhecida como coca ou epadú, este último nome dado pelos índios brasileiros Pó: cloridrato de coca í na (inalada ou de uso endovenoso) Pasta: Crack (volátil – cachimbos) ou merla pasta de coca (impura – cachimbos basukos)

23 3.1 – Efeitos da Cocaína excitação, hiperatividade, insônia, perda de sensação do cansaço, falta de apetite. Perda de todas as noções básicas de higiene cansaço e intensa depressão comportamento violento, irritabilidade, tremores e atitudes bizarras devido ao aparecimento de paranóia alucinações e delírios psicose cocaínica perda de interesse sexual midríase dor no peito, contrações musculares, convulsões e até coma elevação de pressão arterial parada cardíaca por fibrilação ventricular diminuição de atividade de centros cerebrais que controlam a respiração degeneração irreversível dos músculos esqueléticos, chamada rabdomiólise

24 3.2 – Cocaína Injetável x Doenças 81% dos usuários – HIV positivos 44,9 % - Hepatite 17,8% - Malária 22,8% - Dengue é hoje um dos fatores de risco mais importantes para a transmissão do HIV

25 3.3 - Overdose Indivíduo morto por overdose de cocaína em São Paulo. Usava também maconha.

26 Estudo de Caso: Gustavo de Macedo Pereira Napolitano 22 anos Estudante de Direito Data – 24 de novembro de h - Gustavo sai com o seu Gol. Leva o som e a tevê e os troca por seis papelotes na Favela do Mauro. 1h30 - Volta a sua casa, esfaqueia três vezes e degola a avó. Consome mais droga em seu quarto. 6h - Retorna à favela e troca o carro por mais cocaína. Volta para casa de carona com os traficantes. A empregada acabara de chegar. 7h - Consome mais droga e mata pelas costas a empregada com a mesma faca que assassinara a avó. 10h - Ingere sete antidepressivos (que estabelecem sinergia com a cocaína). Pega o Vectra de sua mãe e a cadeira de rodas da avó e volta à favela para trocar tudo isso por um revólver e mais cocaína. Os traficantes mandam-no embora. 15h - É encontrado quase inconsciente pela polícia. 3 de maio de 2006 – Condenado por júri popular a 34 anos e oito meses de prisão

27 4. LSD O LSD-25 (abreviação de dietilamina do ácido lisérgico) é, talvez, a mais potente droga alucinógena existente

28 Descoberto em 1943 pelo cientista suíço Hoffman Droga associada ao maior número de casos de suicídio, esquizofrenia, paranóia e internações psiquiátricas com demência grave. De efeito cumulativo no organismo. Provoca distorções no funcionamento do cérebro Euforia e excitação ou pânico e ilusões assustadoras Ilusões e delírios Mania de grandeza ou perseguição Perda da capacidade de avaliar corretamente um situação qualquer Flashback Aceleração de batimentos cardíacos, pupilas dilatadas e aumento do suor. Convulsões O maior perigo do consumo de LSD não é, mesmo em doses mais fortes, de intoxicação física, mas suas conseqüências psíquicas.

29 Efeitos do LSD

30

31 5. Maconha Cannabis sativa O THC (tetrahidrocanabinol) é uma substância química fabricada pela própria maconha

32 5.1 – Efeitos da Maconha Hiperemia das conjun- tivas, Boca seca (xerostomia) Taquicardia. Sensação de bem-estar Relaxamento Vontade de rir Angústia Desorientação Temores Suores excessivos Dificuldades de racio- cínio Derturpação na capaci- dade da pessoa em calcular tempo e espaço Prejuízo na memória e atenção (memória a curto prazo)

33 delírios persecutórios Alucinação Bronquite (alto teor de alcatrão - maior mesmo que na do cigarro comum- benzopireno - agente cancerígeno) Diminuição da produção de testosterona, gerando oligospermia, infertilidade e perda do desejo sexual Síndrome amotivacional Dependência Esquizofrenia

34 6. Ópio, Morfina e Heroína Papaver somniferum - papoula Ópio, morfina e heroína depressores do sistema nervoso central, ao se fazer pequena modificação química na fórmula da morfina. A heroína é então uma substância semi-sintética (ou semi-natural). Rachel Whitear, 19 anos

35 Rachel Whitear, encontrada em sua casa 8 dias após sua morte por overdose de heroína. Também usava maconha e álcool.

36 Estas substâncias todas são chamadas de drogas opiáceas ou simplesmente opiáceos, ou seja, oriundas do ópio; podem ser opiáceos naturais quando não sofrem nenhuma modificação (morfina, codeína) ou opiáceos semi-sintéticos quando são resultantes de modificações parciais das substâncias naturais (como é o caso da heroína). Mas o ser humano foi capaz de imitar a natureza fabricando em laboratórios várias substâncias com ação semelhante a dos opiáceos: a meperidina, o propoxifeno, a metadona são alguns exemplos. Estas substâncias totalmente sintéticas são chamadas de opióides (isto é, semelhantes aos opiáceos). Estas substâncias todas são colocadas em comprimidos ou ampolas, tornando-se medicamentos.

37 6.1 - Efeitos no cérebro diminuem a atividade do SNC produzem uma analgesia e uma hipnose (aumentam o sono): daí receberam também o nome de narcóticos que significa exatamente as drogas capazes de produzir estes dois efeitos: sono e diminuição da dor (hipnoanalgésicas). deprimir os acessos de tosse. deprimir regiões do nosso cérebro como os que controlam a respiração, os batimentos do coração e a pressão do sangue. torpor

38 6.2 - Efeitos no resto do corpo contração acentuada da pupila paralisia do estômago paralisia intestinal forte prisão de ventre Heroína – 5 anos de uso

39 6.3 - Efeitos tóxicos depressão respiratória e cardíaca perda da consciência respiração muito fraca Queda de pressão arterial coma hepatites AIDS Morte facilidade de dependência abstinência violenta e dolorosa náuseas e vômitos, diarréia, câimbras musculares, cólicas intestinais, lacrimejamento, corrimento nasal, etc, que pode durar até 8-12 dias. Desenvolvimento de tolerância

40 7. Solventes ou Inalantes A palavra solvente significa substância capaz de dissolver coisas e inalante é toda substância que pode ser inalada, isto é, introduzida no organismo por meio da aspiração pelo nariz ou boca. esmaltes, colas, tintas, thinners, propelentes, gasolina, removedores, vernizes, etc Lança-Perfume clorofórmio + éter J.T.T.S, 18 anos – Parada cárdio-respiratória – Lança-Perfume - Paraná

41 7.1 – Efeitos no cérebro O início dos efeitos, após a aspiração, é bastante rápido - de segundos a minutos no máximo - e em minutos já desaparecem; assim o usuário repete as aspirações várias vezes para que as sensações durem mais tempo. estimulação inicial seguindo-se uma depressão, podendo também aparecer processos alucinatórios. depressão do SNC. A aspiração repetida, crônica, dos solventes pode levar a destruição de neurônios (as células cerebrais) causando lesões irreversíveis do cérebro. Além disso pessoas que usam solventes cronicamente apresentam-se apáticas, têm dificuldade de concentração e déficit de memória.

42 Primeira fase: é a chamada fase de excitação. Segunda fase: a depressão do cérebro. Terceira fase: a depressão se aprofunda. Quarta fase: depressão tardia.

43 7.2 - Efeitos no resto do corpo & Efeitos tóxicos Coração mais sensível à adrenalina Morte por síncope cardíaca lesões da medula óssea, dos rins, do fígado e dos nervos periféricos diminuição de produção de glóbulos brancos e vermelhos pelo organismo ansiedade, agitação, tremores, câimbras nas pernas e insônia

44 8. Tranquilizantes ou Ansiolíticos Diminuem a ansiedade benzodiazepínicos diazepam, bromazepam, clobazam, clorazepam, estazolam, flurazepam, flunitrazepam, lorazepam, nitrazepam, etc.

45 8.1 Efeitos no Cérebro estimular os mecanismos no nosso cérebro que normalmente combatem estados de tensão e ansiedade depressão da atividade do nosso cérebro caracterizada por: diminuição da ansiedade; indução do sono; relaxamento muscular; redução do estado de alerta efeitos dos ansiolíticos benzodiazepínicos são grandemente alimentados pelo álcool e, a mistura álcool + estas drogas, pode levar ao estado de coma dificultam os processos de aprendizagem e memória prejudicam funções psicomotoras

46 Estudo de Caso: Marilyn Monroe (Norma Jean Baker) - Los Angeles, 1 de junho de 1926 Los Angeles, 5 de agosto de 1962

47 9. Tabaco Pulmão normal Pulmão com Enfisema

48 9.1 – Componentes do Tabaco Nicotina Alcalóide responsável pela maior parte dos efeitos do tabaco sobre o organismo e a que gera dependência física Irritantes: acroleína, fenóis, peróxido de nitrogénio, ácido cianídrico, amoníaco, etc., que são responsáveis pela contração bronquial, pela estimulação das glândulas secretoras da mucosa e da tosse típica do fumante Alcatrão e outros agentes cancerígenos: alfabenzopireno.

49 aumento do ritmo cardíaco, da frequência respiratória e da pressão arterial Atua no SNC – Prazer síndrome de abstinência tabágica: intranquilidade ou excitação, aumento da tosse e expectoração, ansiedade e agressividade, mau humor, falta de concentração na condução de veículos, aumento de peso, etc. 9.2 – Efeitos no organismo

50 Aparelho respiratório: ação irritante sobre as vias respiratórias desencadeando uma maior produção de muco e dificuldade na sua eliminação. A irritação contínua dá lugar à inflamação dos brônquios, bronquites crónicas. As secreções dificultam a passagem do ar o que origina obstrução crónica do pulmão e sérias complicações, como o enfisema pulmonar. Diminuição da capacidade pulmonar cancer do pulmão Aparelho circulatório: doenças cardiovasculares, enfartes, AVC por trombose ou hemorrágicos. 9.3 – Conseqüências a longo prazo.

51 Tabaco e gestação: influencia o crescimento fetal (peso do recém- nascido) aumento das taxas de aborto espontâneo, complicações durante a gravidez e do parto e nascimentos prematuros. Outros Efeitos - Úlceras digestivas; - Faringites e laringites, afonias e alterações do olfacto; - Pigmentação da língua e dentes assim como disfunção das papilas gustativas; - Cancro do estômago e da boca.

52 Efeitos do Cigarro Bryan Lee Curtis 34 anos vítima de câncer no pulmão fotos tiradas em um intervalo de 4 meses

53 Quem é o Culpado? Governo? Sociedade? Escola? Família? NÃO!

54 Principal Culpado: USUÁRIO Principal financiador do tráfico, das mortes, do contrabando de armas, dos sequestros, dos assaltos, da violência, da corrupção policial e da miséria


Carregar ppt "Prof. Christiano Póvoa Opção de perdedor.... Tipos de Drogas - Origem NATURAIS Certas plantas contém drogas psicoativas, sendo esta matéria- prima usada."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google