A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Microbiologia do solo e os ciclos biogeoquímicos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Microbiologia do solo e os ciclos biogeoquímicos."— Transcrição da apresentação:

1 Microbiologia do solo e os ciclos biogeoquímicos

2 Introdução Atividades biológicas Solo: maior reservatório de microrganismos do planeta direta ou indiretamentre recebe todos os dejetos dos seres vivos ocorrendo a transformação da matéria orgânica em substâncias nutritivas

3 Introdução

4 (Fonte: Microbiologia de Brock, Madigan et al.) O ambiente solo

5 Perfil do solo (Fonte: Microbiologia de Brock, Madigan et al.)

6 Presença de microrganismos heterotróficos nas várias profundidades do solo Profundidade UmidadeMat. orgânicaBactériasFungos (cm) (%) (%) (x 10 6 ) (m/g) aeróbiasanaeróbias ,24,4 242, ,01,5 3,10, ,50,5 1,90, ,50,6 0,90, ,90,4 0,70, ,30,4 0,150,010 Fonte: Lindegreen & Jensen, 1973

7 Introdução Os ciclos biogeoquímicos Ciclo do Carbono Ciclo do Nitrogênio Ciclo do Fósforo Os ciclos biogeoquímicos e os microrganismos

8 Mudanças climáticas Camada de gases que envolvem a terra a mantêm aquecida Principais gases dessa camada: CO 2, CH 4 e N 2 O Os ciclos biogeoquímicos e o controle do balanço dos gases que envolvem a terra, principalmente o ciclo do C

9 O Carbono nos ecossistemas O Carbono compõe 18% da massa na terra: aminoácidos, proteínas, ácidos nucléicos (DNA), lipídios, carboidratos 0.03% da atmosfera é Carbono Carbono como medida de produtividade

10 1 Pg = 1,000,000,000,000 kg

11 Fixação/liberação de C CO 2 fixado via fotossíntese (autotroficamente em compostos biológicos) com liberação de O 2 Os compostos orgânicos resultantes dessa fixação de CO 2 são oxidados por quimioheterótrofos produzindo CO 2 novamente Calcula-se que cada molécula de CO 2 da atmosfera é fixada via fotossíntese a cada 300 anos

12 Fixação/liberação de C Os oceanos e a fotossíntese terrestre absorvem cerca de 200 bilhões de toneladas de CO 2 da atmosfera a cada ano (93% nos oceanos) – algas e cianobactérias principalmente Mais de 40 quadrilhões de toneladas de CO 2 estão dissolvidos nos oceanos e formam grandes depósitos de CaCO 3 e MgCO mil toneladas/ano de C são fixadas em fósseis fazendo parte do estimado volume de 4 quadrilhões de toneladas de carvão, óleo, gás natural

13 CO 2 na atmosfera/ano (bilhões de toneladas) Outros

14 Fotossintéticos e quimiolitotróficos fazem produção 1 ª : conversão de C inorgânico a C orgânico (fungos e bactérias que decompõem MO) Respiração/decomposição/combustão retorna C a atmosfera Fixação > que consumo (respiração) = acúmulo de C orgânico Fixação < que consumo (respiração) = declínio das populações (a menos que adições ocorram) Fixação/liberação de C

15 Fixadores: fotossintetizantes, oxidantes/redutores de H 2 S, Fe, etc. Relações tróficas: C e Energia transferidos (10%) Decomposição de MO vegetal: T, pH, natureza química, condições ambientais, [O 2 ], etc. Produtos recalcitrantes: DDT, lignina, celulose, ácidos húmicos, ácidos fúlvicos, etc. Fixação/liberação de C

16 CO 2 aumentou em 30% desde a revolução industrial A maioria desse aumento é devido a queima de combustíveis fósseis e mudanças no uso da terra (desmatamento, queimadas, etc.) O Carbono e o aquecimento global

17 Todo ano há remoções de CO 2 via fotossíntese, mas muita adição via respiração e decomposição (ppm) Concentração atmosférica de CO 2 (ppm) O Carbono e o aquecimento global

18

19

20 Microrganismos podem ter várias respostas positivas e negativas à mudança climática global Aumentos das temperaturas fazem com que os microrganismos decomponham os resíduos orgânicos mais rapidamente (> emissão de CO 2 que incorporação via plantas fotossintéticas) Microrganismos e o aquecimento

21 O degelo das capas polares pode estar trazendo de volta à vida formas virulentas de microrganismos que estavam dormentes no gelo O aumento da agropecuária tem aumentado a produção de CH 4 produzido pelos microrganismos (archaea, protozoários, leveduras, etc.) que vivem no estômago de ruminantes como ovelhas, gado, búfalos, camelos, etc. CH 4 absorve 20% a mais de calor que CO 2 Produção de vacina para reduzir a emissão de CH 4 Microrganismos e o aquecimento

22 Aumentos das temperaturas aumentam as áreas biogeográficas de micróbios infecciosos: malária, dengue, febre amarela, viroses, etc. Os microrganismos fazem a ciclagem da maioria do C dos oceanos Micro, nano, e pico plâncton Bactérias Vírus: o total de C em vírus nos oceanos equivale ao C de 75 milhões de baleias azuis Microrganismos e o aquecimento

23 Áreas de tundra e do ártico estão com T mais elevadas, aumentando a produção de CH 4 (Archaea metanogênicas), muito mais nocivo que CO 2 como gás de efeito estufa Microrganismos e o aquecimento

24 Mudanças nas concentrações de populações oceânicas de microrganismos utilizados como aviso da mudança climática Microrganismos e o aquecimento

25 Fertilizar os oceanos com Fe para aumentar as populações de algas (fitoplâncton) e outros microrganismos como Prochlorococcus e Synechococcus que absorvem quantidades enormes de CO 2 Prochlorococcus e Synechococcus absorvem cerca de 700 bilhões de toneladas de CO 2 por ano, o que é 2/3 de todo o CO 2 fixado anualmente nos oceanos Microrganismos e as soluções

26 Utilização de algas para a extração de biocombustíveis Utilização de microrganismos geneticamente modificados para aumentar a produtividade de plantas para extração de óleo (biocombustíveis) Utilização de celulose (hemicelulose) para produzir etanol Sulfolobus solfatarius - archaea Trichonympha sp. - protozoário Trichoderma reesei - fungo Microrganismos e as soluções

27 O ciclo do Nitrogênio O Nitrogênio compõe 80% dos gases da atmosfera Está presente em aminoácidos, proteínas, ácidos nucléicos (DNA, RNA), clorofila, etc. Fixação do N 2 atmosférico é necessária para que o mesmo possa ser utilizado Fixação biológica (grande maioria), via queimadas, lava ou via raios

28 O ciclo do Nitrogênio Formas quimicamente disponíveis de N: amônio (NH 4 + ), nitrato (NO 3 - ), e uréia ((NH 3 ) 2 CO 2 ) Elemento versátil que pode ser encontrado na forma orgânica e inorgânica

29 O ciclo do Nitrogênio

30 Fixação/liberação de N 5 processos principais ciclam N Fixação Absorção (crescimento dos organismos) Mineralização (decomposição) Nitrificação Denitrificação

31 Fixação/liberação de N Os microrganismos (notadamente bactérias) têm um papel fundamental na ciclagem do N Bactérias de vida livre Bactérias simbióticas

32 Fixação do N N 2 NH 3 + ou NO 3 - Única forma que os organismos conseguem obter N da atmosfera Simbiontes como Rhizobium + legumes, Frankia + Alder, etc.: N em troca por carboidratos e ambiente favorável Fixadores de vida livre (ambientes aquáticos principalmente): Cyanobacteria, Azotobacter, Clostridium

33 Fixação do N Outros eventos como raios (oxidam N 2 a NO 3 - e NO 2 - ), fogo, a queima de combustíveis fósseis, e lava, fixam quantidades pequenas de N O homem tem contribuído para elevar a quantidade de N fixado: processo Haber-Bosch, etc.

34 Absorção do N NH 4 + N orgânico NH 4 + é rapidamente incorporado em proteínas e outros compostos nitrogenados orgânicos pelas plantas ou organismos do solo Consumidores no topo da cadeia alimentar usam esse nitrogênio fixado

35 Mineralização do N N orgânico NH 4 + Decomposição: N orgânico transformado em N inorgânico (NH 4 + ) por fungos e bactérias - actinomicetos, fungos e bactérias modificam o N da MO de NH 3 + a NH 4 + Esse NH 4 + pode então ser usado por plantas ou transformado a NO 2 - e NO 3 - via nitrificação

36 Nitrificação NH 4 + NO 2 - NO 3 - Bactérias transformam amônio a nitrato ganhando energia Ocorre apenas em ambientes aeróbicos NH 4 + se adsorve as partículas de solo com carga negativa NO 3 - é lixiviado com redução da fertilidade do solo e contaminação do lençol freático NitrossomonasNitrobacter

37 Denitrificação NO 3 - NO 2 - NO N 2 O N 2 Processo anaeróbico feito por bactérias denitrificadoras N 2 O é um gás de efeito estufa Esta é a única transformação que remove N dos ecossistemas (irreversível) e faz o balanço do ciclo do N

38 Atividades humanas Queima de florestas e de combustíveis fósseis colocando N na atmosfera Fertilização química que pode lixiviar-se para os corpos dágua Criação de animais com produção de NH 3 + que pode entrar nos corpos dágua e no solo Derrame de excrementos em corpos dágua

39 Efeitos nocivos da deposição de N Mudança da composição vegetal dos ecossistemas (redução da diversidade) Formação de ácido nítrico (HNO 3 ) responsável, junto com dióxido de enxofre (SO 2 ), pelas chuvas ácidas Altas concentrações de óxidos de N são precursores do ozônio da troposfera, o qual causa dano aos tecidos vivos

40 Efeitos nocivos da deposição de N Altas concentrações de N nos rios causam eutrofização, reduzindo a diversidade dos ecossistemas aquáticos Pode participar de uma maior captura e fixação de C, mas devido ao efeito negativo da alta concentração de N (citado acima), é provável que isso não aconteça

41 Fósforo O fósforo é essencial para plantas e animais na forma dos íons PO 4 3- e HPO 4 2- (ortofosfato) Faz parte de moléculas como ácidos nucléicos (DNA), energéticas (ATP e ADP), de células lipídicas, e da estrutura do corpo de animais como fosfato de cálcio (ossos, dentes, etc.) – ausente em celulose, hemicelulose, lignina, e proteínas

42 Fósforo Junto com N e K é um dos 3 nutrientes mais importantes Um dos principais elementos da fotossíntese, transporte de nutrientes, e transferência de energia Essencial para o florescimento e formação das sementes das plantas

43 Fósforo Três formas de fósforo nos solos: Fósforo orgânico: na matéria viva, plantas, microrganismos, etc. Fósforo solúvel: disponível. Orgânico bem como ortofosfato. Menor proporção de P do solo Fósforo adsorvido: indisponível. Anionicamente ligado a cátions de Al, Fe e Ca.

44 Volumes de fósforo A fitomassa terrestre tem 500,000,000 kg de P e o crescimento das plantas assimila 100,000,000 kg de P/ano Fitomassa marinha 75,000,000 kg de P, absorvendo 1,000,000,000 kg de P/ano Os solos têm por volta de 40,000,000,000 kg de P (15% na MO) Na maioria dos solos 50-75% do P é inorgânico Em solos neutros o P normalmente esta precipitado como fosfato de cálcio Em solos ácidos precipita como fosfato de Al ou Fe

45 O ciclo do Fósforo O ciclo do fósforo tem 2 componentes principais que ocorrem em diferentes escalas de tempo: No componente local ele cicla nos ecossistemas em tempo ecológico Nos sedimentos ele faz parte da porção classificada em tempo geológico. Somente será mobilizado milhões de anos mais tarde

46 O ciclo do Fósforo

47 Encontrado em formações rochosas, sedimentos, e em sais de fosfato (absorvido por plantas), mas nunca na forma gasosa Encontrado em pequenas quantidades, por isso é um fator limitante para o crescimento de plantas terrestres e aquáticas Ciclado pela água, solo, e sedimentos

48 O ciclo do Fósforo A ciclagem do fósforo é uma das mais lentas, especialmente se estiver nos sedimentos (feita por microrganismos) Plantas absorvem fosfatos do solo e os incorporam a compostos orgânicos No solo pode ser adsorvido por partículas do solo, tornando-se, assim, imobilizado

49 Perda de fósforo dos solos Perdas volumosas logo após fertilização orgânica (chuva) Perda gradual: excesso de P aplicado, etc. Perdas por erosão: P está associado a partículas do solo. Aração, transformação de ecossistemas florestais a agricultura, etc. Queimas de compostos combustíveis Rejeitos humanos (3,000,000 kg de P/ano)

50 Uso excessivo de fertilizantes Contaminação das correntes de água pelo uso de ácido sulfúrico para extrair o fósforo das rochas Lixiviação contaminando lençóis freáticos causando eutrofização Efeito antropogênico


Carregar ppt "Microbiologia do solo e os ciclos biogeoquímicos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google