A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

JORNALISMO ON-LINE O jornalista da Web alcançará a maturidade quando parar de copiar os jornais, as revistas e os noticiários de televisão. Dessa forma,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "JORNALISMO ON-LINE O jornalista da Web alcançará a maturidade quando parar de copiar os jornais, as revistas e os noticiários de televisão. Dessa forma,"— Transcrição da apresentação:

1

2 JORNALISMO ON-LINE O jornalista da Web alcançará a maturidade quando parar de copiar os jornais, as revistas e os noticiários de televisão. Dessa forma, o jornalismo on-line irá se tornar algo realmente novo, algo de que se tire vantagem em termos de mídia on-line.

3 História - Internet A internet foi criada em meados de 1969, nos Estados Unidos, originalmente para interligar laboratórios de pesquisa com fins militares, e se chamava ARPAnet. Era uma rede do Departamento de Defesa norte-americano, que tinha como objetivo manter a comunicação mesmo em caso de bombardeio.

4 História - Internet Surgia a DARPA (Defense Advanced Projets Administration) – Administração de Projetos de Pesquisa Avançados de Defesa – com o objetivo de estabelecer um modo para que os computadores distantes pudessem transferir informações e dados, e tornar essa comunicação o mais robusta e confiável possível. (RICK STOUT, 1997) Fins Militares: No período da Guerra Fria, o mundo assistia temeroso ao desenrolar do conflito entre EUA X União Soviética: uma guerra de forças que tinha o mundo e a humanidade como reféns. Como assegurar comando, controle e comunicação entre inúmeras bases distribuídas pelo país?

5 História - Web W orld W ide W eb Em 1991, surgia na Suíça, no laboratório CERN, a W orld W ide W eb (Grande Teia Mundial, a rede das redes). Seu criador, Tim Berners-Lee, a concebeu unicamente como uma linguagem que serviria para interligar computadores do laboratório e outras instituições de pesquisa, para exibir documentos científicos de forma simples e de fácil acesso. Depois de um certo tempo, o Governo dos Estados Unidos desistiu da idéia de que sua rede era útil apenas para projetos relacionados à defesa. E essa rede se tornou conhecida como ARPANET. Nesse tempo, o Governo começou a conectar muitas universidades do país à rede.

6 Revolução no mundo editorial Primeiro momento Primeiro momento –A invenção da escrita. Segundo momento Segundo momento –Gutemberg proporcionou um meio de se criarem múltiplos exemplares idênticos. Terceiro momento Terceiro momento informatização da imprensa, –A informatização da imprensa, que ofereceu meios de se criarem variações infinitas do mesmo material, além de oferecer novos meios mais econômicos de armazenamento de conteúdos.

7 coletar, armazenar e comercializar informação O computador exige uma reorganização completa do conceito por trás do veículo impresso. Embora os computadores fossem inicialmente usados pela indústria da editoração para fabricar produtos na sua forma tradicional, a informatização da imprensa abre possibilidades inovadoras para se coletar, armazenar e comercializar informação para públicos de massa. (Anthony Smith)

8 Migração lenta corte de custos Inicialmente a introdução de novas tecnologias na imprensa tinha como objetivo o corte de custos e não uma mudança na forma e tradição de levar a informação ao leitor. Um acúmulo de decepções levaram o setor a uma estagnação por duas décadas.

9 A pioneira nesse campo foi a Sony, que criou o Book Player, introduzido no início dos anos 90. Era um aparelho portátil que cabia na palma da mão. Cada um dos discos do aparelho armazenava e podia apresentar páginas de texto, imagens gráficas, ou uma combinação de ambas. Uma página de texto = caracteres.

10 Um CD comum armazena cerca de 650MB (1MB = x bytes) de informação, o que equivale a páginas de caracteres cada uma, ou cerca de páginas de espaço único, frente e verso. Se impressas, pesariam 770 Kg de páginas.

11 acesso rápido às sentenças dos tribunais Outro projeto que obteve êxito foi o que identificava um público especializado com interesse e dinheiro para fazer bom uso da informação eletrônica voltada para as necessidades individuais. A rede de dados LEXIS, em 1973, dá aos advogados acesso rápido às sentenças dos tribunais, de maneira a tornar as súmulas jurídicas impressas praticamente obsoletas. O LEXIS garantia que conclusões da Suprema Corte dos Estados Unidos estivessem on-line no prazo de 48 horas.

12 Os jornais continuarão tendo uma importante presença na mídia por muito tempo ainda. Contudo, para sobreviver a longo prazo, terão de adaptar seus estilos de produção editorial à nova concorrência baseada no computador e aos padrões demográficos e de vida – que estão mudando.

13 História Jornalismo On-line Os primeiros serviços de jornais na internet surgiram na década de 70. A princípio, eram serviços pagos por assinantes. O primeiro jornal a oferecer esse serviço foi o The New York Times, que passou a disponibilizar resumos e textos completos de artigos atuais e artigos de suas edições diárias. Outra iniciativa partiu de um jornal de Ohio, o Columbus Dispatch, que colocou todo o conteúdo editorial diário à disposição dos possuidores de computadores, cobrando uma taxa pelo serviço, por meio de um provedor, a CompuServe.

14 História Jornalismo On-line New & Observer New & Observer criou seu próprio servidor, e os usuários o acessavam mediante uma taxa. USA Today O USA Today contribuiu com seu estilo (fornecer notícias curtas) para a rede CompuServe, especializada em notícias esportivas. San Jose Mercury O San Jose Mercury começou fornecendo gratuitamente resumos de notícias via América Online, em 1994.

15 História Jornalismo On-line The Wall Street Journal Em 1995, o The Wall Street Journal lançou o Personal Journal, versão personalizada voltada para a Economia, com conteúdo extraído de suas edições diárias. Nesse estilo os usuários montavam suas próprias edições e as acessavam via linha telefônica. Diário Digital Em 1999, entra no ar o Diário Digital, o primeiro jornal virtual em Portugal que desenvolve conteúdo específico para a Internet.

16 História Jornalismo On-line no Brasil Outros jornais acompanharam a iniciativa do JB: O Estado de São Paulo Folha de São Paulo O Estado de Minas Zero Hora Diário de Pernambuco Em 1995, deu-se a expansão do jornalismo digital no Brasil, a partir do êxito de versões similares na América. Jornal do Brasil O pioneiro foi o Jornal do Brasil, em 28 de maio de Pioneiro Pioneiro também na cobertura em tempo real (agência JB), o JB online se diferencia dos outros jornais on-line, que transcrevem as notícias de seus diários impressos.

17 Dessa forma, o JORNAL DO BRASIL anunciava oficialmente sua entrada no World Wide Web e tornava seu conteúdo acessível para mais de 30 milhões de pessoas no mundo inteiro. O pioneirismo do jornal e a qualidade da produção foram rapidamente atestados pelos leitores interneteiros. No ar desde 8 de fevereiro de 1995, em caráter experimental, a edição digital recebeu mais de 500 mensagens em 110 dias elogiando a iniciativa. "A manchete do JB impresso de hoje já está no "JB Online", na rede mundial Internet" 28 de maio de 1995 H á sete anos, quando a Internet no Brasil ainda era uma aventura, o JORNAL DO BRASIL já se lançava no ciberespaço. Em 96, o número de usuários da Internet não chegava a 170 mil, quando hoje ultrapassa 3,3 milhões. Havia apenas domínios registrados, e o era um deles.

18 História Jornalismo On-line no Brasil Em 1996, o Universo On-line lançou o Brasil Online, primeiro jornal estruturado com redação própria para a versão on-line. Além de textos, fotos, gráficos e animações, o jornal oferecia vídeo e áudio sobre o material jornalístico para complementar as matérias na Web. Em meados de 2000, esse jornal passou a ser chamado de Folha Online. Último Segundo Também em 2000, surge o Último Segundo, jornal on- line que publica notícias produzidas com material de agência de informações (Reuters, Associated Press, Agência JB, Sport Press), além de reportagens e entrevistas realizadas por uma equipe de jornalistas, especializada para desenvolver conteúdo na Web.

19

20 Crescimento da Internet Indicadores Fonte: Comitê Gestor de Informática Posição em 1999: 14 o - com host

21 Crescimento da Internet Indicadores Fonte: Comitê Gestor de Informática

22 O que muda para o Jornalista... A mídia A mídia (conhecer o ambiente) A relação com o tempo real o Fluxo de trabalho A relação com o tempo real (vantagens e desvantagens) e o Fluxo de trabalho (redação tradicional x on-line) Edição e redação on-line Edição e redação on-line Mercado de trabalho Mercado de trabalho

23 A Mídia No início dos anos 60, Theodore Nelson inventou o termo hipertexto para exprimir a idéia de escrita/leitura não-linear em um sistema de informática. Hipertexto quer dizer a mesma coisa que supertexto: um texto enorme que comunica muito. O hipertexto funciona como uma seqüência de documentos interligados (LINKs). Se esse encadeamento de texto reúne outras mídias (som, fotos, vídeos), o que se tem é um documento multimídia com recursos de hipertexto, ou simplesmente hipermídia. Links ou vínculos Links ou vínculos são a consolidação do conceito de hipertexto. A representação de nossa mente humana na internet dá-se pelos links, que tornam os sites Web cada vez mais interativos. Interação: O link ou hiperlink garante a existência de uma certa interatividade, uma vez que o usuário quando decide clicar ali ou aqui está interagindo com o conteúdo de uma página.

24 Exemplo de hipertexto

25

26 A relação com o tempo real A notícia minuto a minuto é uma tendência dos jornais on-line. O jornalista tem a possibilidade de postar a notícia no momento em que ela é produzida. Vantagens Atualização de notícias. Informação mais rápida ao usuário. Resumos dos mais novos acontecimentos. Memória das matérias e fotos.Desvantagens Matérias muito curtas e pouco detalhadas. Utilização demasiada de textos das agências de notícias.

27 O jornalismo on-line não tem periodicidade, a sua dinâmica é determinada pelos acontecimentos que merecem ser noticiados. Ele também não tem restrições de tempo e de espaço. Outra característica importante é que o Jornalismo On-line permite multiplicidade de linguagens. (Matinas Suzuki, vice-presidente de conteúdo do IG) A relação com o tempo real

28 Fluxo de Trabalho - Apresentação das matérias De acordo com algumas pesquisas: O que mais chama a atenção dos leitores de notícias na Web é o título das matérias. Logo em seguida, estão as fotos e as chamadas. O conteúdo se torna secundário quando o assunto é mídia digital. Os usuários gastam cerca de 15 a 30 minutos lendo notícias na rede, e preferem matérias editadas em blocos de textos com hipertexto.

29 Editorias do Jornal Matéria Principal Agência de Notícias Enquete

30

31 Interação com leitores

32

33

34 Redação On-line Quando se escreve para a Web, não apenas o conteúdo é afetado como também a experiência dos usuários, pois eles olham para o texto e para os títulos primeiro. Embora a correção gramatical seja importante, também é importante apresentar o conteúdo de forma atraente aos leitores. Jacob Nielsen

35 Comportamento e características do leitor web Estudos feitos por Jacob Nielsen indicam: –ler na tela do computador é cerca de 25 por cento mais lento do que no papel; –as pessoas sentem um desconforto em ler um texto on-line; –os usuários não gostam de rolar a tela; –79 por cento dos usuários testados sempre passam os olhos pelas novas páginas com as quais se deparam; apenas pouquíssimos usuários lêem palavra por palavra; –examinar superficialmente em vez de ler é um fato da Web e foi confirmado por inúmeros estudos de usabilidade.

36

37

38

39 França

40 França

41 O que reúne um site??? texto gráficotecnologia Site MARKETING

42 Plataforma Lattes como ferramenta de Pesquisa Projetos de Pesquisa Pesquisadores Mestres e Doutores Grupos de Pesquisa Agências de Fomento Técnicos Estudantes Base Científica do Brasil É um grande banco de dados sobre Ciência e Tecnologia. Consiste em Sistemas que gerenciam a coleta na base de dados.

43 Plataforma Lattes como ferramenta de Pesquisa

44 Número de grupos, pesquisadores, estudantes, técnicos, linhas de pesquisa e relações, segundo UF (*).(*) (*)(*) Em geral há dupla contagem no número de pesquisadores, estudantes e técnicos, tendo em vista que o indivíduo que participa de n grupos de pesquisa foi computado n vezes. (ver nota técnica 1)(ver nota técnica 1) Essa busca vai mostrar os Grupos de Pesquisa por Estado no Brasil.

45 Número de grupos, pesquisadores, estudantes, técnicos, linhas de pesquisa e relações, segundo UF (*).(*) (*)(*) Em geral há dupla contagem no número de pesquisadores, estudantes e técnicos, tendo em vista que o indivíduo que participa de n grupos de pesquisa foi computado n vezes. (ver nota técnica 1)(ver nota técnica 1)

46 Você tem a possibilidade de clicar e ver as Instituições do seu Estado.

47

48

49

50

51

52 A Web é uma criação mais social que técnica. Eu a construí para um efeito social – ajudar as pessoas a trabalharem juntas – e não como um brinquedo tecnológico. A finalidade última da Web é ajudar a melhorar a teia de nossa existência no mundo. (BERNERS-LEE apud ERCILIA, 2000)


Carregar ppt "JORNALISMO ON-LINE O jornalista da Web alcançará a maturidade quando parar de copiar os jornais, as revistas e os noticiários de televisão. Dessa forma,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google