A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

As Minorias Psicológicas. As Minorias Psicológicas… Problema que Lewin dedica sua atenção após emigrar para os EUA é a Psicologia de seu próprio grupo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "As Minorias Psicológicas. As Minorias Psicológicas… Problema que Lewin dedica sua atenção após emigrar para os EUA é a Psicologia de seu próprio grupo."— Transcrição da apresentação:

1 As Minorias Psicológicas

2 As Minorias Psicológicas… Problema que Lewin dedica sua atenção após emigrar para os EUA é a Psicologia de seu próprio grupo étnico. Lewin procura encontrar uma interpretação científica para o que sofreu, Insegurança e dependência das comunidades que procuram se integrar. Psicologia das minorias judias, e depois elaboração de uma psicologia dos grupos minoritários. A partir destas elaborações que se dedicará a dinâmica dos grupos, campo de experimentação exploração da psicologia social. Diferenciação entre o sentido de minoria do ponto de vista demográfico e da psicologia. Maioria para demografia é um grupo constituído pela metade mais 1.

3 As Minorias Psicológicas… Maioria Psicológica: quando o grupo dispõe de estruturas de um estatuto e de direitos que lhe permita auto determinar-se no plano do seu coletivo, independente do numero ou da porcentagem de seus membros. Minoria Psicológica: quando o destino depende da boa vontade de um grupo. Os membros que se percebem com menor, isto é não possuindo direitos totais, ou tento um estatuto completo, se reconhecem num estado de tutela, independente da porcentagem de seus membros em relação ao todo. Maiorias demográficas poder ser minorias psicológicas.

4 As Minorias Psicológicas… Caso da minoria judia – o problema judeu é um problema essencialmente social, um caso típico de minoria não privilegiada ou discriminada. O que existe em comum entre estes grupos minoritários? Não existem senão porque são tolerados, sua sobrevivência coletiva depende da boa vontade das classes privilegiadas. O anti-semitismo cada vez que se manifesta, tem por fundamento, a necessidade para a maioria de um bode expiatório. A ponte entre a minoria e a maioria quem faz é a minoria privilegiada, ela que consegue mobilizar e manipular para seus fins uma massa ou multidão cuja agressão canaliza contra uma minoria rejeitada. A maioria sempre tem interesse em privar a minoria de todo direito e privilegiado.

5 Os Constituintes das Minorias… As Minorias são constituídas de várias camadas do ponto de vista da sua estrutura: 1) Ao centro: estão as camadas mais solidificadas, elas compõem-se membros que aderem com a maior boa vontade as instituições, aos costumes, as tradições, e aos sistemas de valores, que distinguem seu grupo dos outros grupos. Identificam-se positivamente com tudo aquilo que é tipicamente próprio ao seu grupo. 2) As camadas periféricas: longe de serem solidificadas, são moveis e fluidas. São compostas de membros que experimentam um ambivalência marcante em relação tudo que distingue e por isto mesmo isola seu grupo da maioria. São membros marginais das minorias.

6 Não suportam as barreiras impostas pela maioria mas invejam. Estão ai os minoritários de maior sucesso, aqueles que conseguiram sobressair-se profissionalmente em seu trabalho ou profissão e em conseqüência disto sentem maior atração pela maioria. Liderança recrutadas pela minorias nestas camadas. Em relação a sua dinâmica: As minorias se revelam ao observador como constituindo um equilíbrio mais ou menos estável entre dois campos de força. De um lado um campo de forças que exerce sobre seus membros uma influência integrante de coesão. Forças centrípetas. São as responsáveis pelas atitudes de lealdade para com seu grupo.

7 No extremo oposto situa-se um campo de forças centrífugas que exerce uma influência dissolvente sobre os membros da minoria. Forças constituídas pela atração algumas vezes irresistível, exercida pela maioria. As atitudes coletivas provocadas pelas forças centrífugas soa de desamor ao próprio grupo, falta de lealdade, e desejo de assimilação pela maioria.

8 Lewin distingue dois tipos de minorias: 1) Algumas constituem unidades articuladas de modo orgânico. Membros em ligações muito estreitas e uma forte adesão ao seu destino. Seu grupo é percebido em termos de valência positiva. 2) Por outro lado existem as minorias mal integradas, se apresentam ao observador com uma unidade aparente, artificial, resultante de pressões e de coerções exteriores. Agregado de pessoas, e não um grupo submetidos as mesmas privações e frustrações. Ligações são mais frágeis, equilíbrio muito instável e polarizado por valências negativas.

9 O que diferencia para Lewin entre um grupo e outro é a interdependência de seus membros. No caso das minorias integradas, sua condição de minoritário é aceita, o que permite aos membros se unirem na luta peal emancipação. No outro caso, sua condição de minoria é suportada.

10 O que observar… Inserção na sociedade global: quais são as ligações que o grupo mantém com o conjunto da sociedade? Referência ao contexto social, quem tomou a iniciativa da formação do grupo? Quem está na origem da autoridade existente no grupo, qual a função ocupada pelo grupo na sociedade que se insere?

11 Qual a natureza da tarefa? Quais são os recursos que dispõe para sua realização. Pôr que o grupo se reúne? Propõem-se fins lucrativos ou gratuitos, satisfação de necessidades interpessoais ou realização de uma obra coletiva? A tarefa é voluntária ou imposta de fora/ Realiza-se em um contexto de cooperação ou de competição entre os indivíduos? A tarefa é clara, bem definida, e aceita pelos indivíduos. Personalidade dos membros: atitudes dos membros em relação ao próprio grupo e aos outros membros, especialmente as relações com as figuras de autoridade.

12 Estrutura de um Grupo… Alguns elementos foram observados que facilitam ou não sua funcionalidade : Tamanho em torno de uma dezena de pessoas, pressupõem-se que sejam pessoas competentes tecnicamente e emocionalmente, saibam trabalhar em grupo Composição de um grupo de trabalho: sexo, idade, origem étnica, as modalidades de aquisição de suas competências e os anos de experiência. Quanto mais homogêneo o grupo mais as identificações com a autoridade e a tarefa no grupo são facilitadas, mais rápida é a integração. Nos grupos heterogêneos, a integração é mais lenta, porém tende a fazer-se com mais profundidade.

13 Tipos de Liderança… Autoritário: O comando aspira o poder absoluto, o controle daqueles que trabalham para eles. Não são capazes de dividir as responsabilidades ou de delegar seus poderes Laissez-faire: a liderança é incapaz de assumir suas responsabilidades. Deixa que façam tudo, deixa acontecer. Tudo se resolverá por si só. Democrático: É capaz de assumir e dividir suas responsabilidades.

14 Toda minoria psicológica é sempre considerada como uma minoria discriminada ou susceptível de sê-lo pelo fato de estarem na dependência de um grupo majoritário. Por outro lado, toda maioria psicológica tende a tornar-se um grupo privilegiado. Com o tempo as maiorias psicológicas estratificam-se. No interior deste grupo é possível construir uma oligarquia e atribuir-se privilégios exclusivos. A minoria privilegiada é, portanto uma minoria demográfica no seio de uma maioria psicológica que ela controla e manipula a seu favor.

15 Conceito de Grupo e Coesão… Conceito de grupo para Lewin: é uma totalidade dinâmica, isto quer dizer que uma mudança de estado em qualquer de suas partes reflete sobre todo o resto. Seu caráter fundamental é a interdependência generalizada. Coesão: se refere à totalidade do campo de forças que tem por efeito manter reunidos os membros de um grupo e resistir as forças de desintegração e que exprime um fenômeno muito geral de pressão no sentido da uniformidade.

16 Obrigada! Professora: Lenise Santana Borges


Carregar ppt "As Minorias Psicológicas. As Minorias Psicológicas… Problema que Lewin dedica sua atenção após emigrar para os EUA é a Psicologia de seu próprio grupo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google