A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estrutura e modelo de governança Belo Horizonte, 15 de Janeiro de 2013 Relatório da atividade Definição do modelo de governança do programa, especialmente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estrutura e modelo de governança Belo Horizonte, 15 de Janeiro de 2013 Relatório da atividade Definição do modelo de governança do programa, especialmente."— Transcrição da apresentação:

1 Estrutura e modelo de governança Belo Horizonte, 15 de Janeiro de 2013 Relatório da atividade Definição do modelo de governança do programa, especialmente a estrutura e a hierarquia de funcionamento no âmbito municipal e no suporte pelo estado, referente ao contrato de prestação de serviços técnicos celebrados entre FUNDEP e McKinsey & Company. As Escolas do Campo e o Currículo no Ciclo da Alfabetização: a proposta do PACTO e da SEE/MG Encontro de Diretores das Escolas Estaduais do Campo 19 a 22 de agosto de 2013 Hotel Tauá Secretaria de Estado de Educação Subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica Superintendência de Desenvolvimento da Educação Infantil e Fundamental Implementação dos CBC

2 -Os contextos das escolas brasileiras são diversos(...) (...)apesar da diversidade, há direitos de aprendizagem que são comuns, tal como o direito à alfabetização. (Silva, Leal e Lima Caderno2, Ed. Campo, Pacto)

3 Seja no campo, seja na cidade, as crianças tem o direito de acesso à escrita(...). (...)é preciso reconhecer a diversidade de espaços educativos, mas não abrir mão do dever que a escola tem de garantir que todos tenham condições de se apropriar da leitura e da escrita(...). (Silva, Leal e Lima Caderno2, Ed. Campo, Pacto)

4 (...)historicamente, a educação no meio rural serviu para formar para o contexto industrial e para uma cidadania que desenraiza identidades e aprofunda desigualdades, conduzindo a uma concepção de que o bom é estar na cidade, enfraquecendo-se, desse modo, as identidades dos povos do campo(...). (Silva, Leal e Lima Caderno2, Ed. Campo, Pacto)

5 Modalidade da Educação Básica: LDBEN. Diretrizes Curriculares Nacionais CNE/CEB. Diretrizes Operacionais/CNE/CEB. Seção IV da Res. SEE 2197/2012. Experiências pedagógicas e educativas diversas: Por uma Educação do Campo de qualidade Marca comum: DIVERSIDADE 5 Escolas Cicladas/Multisseriadas Escolas Nucleadas Escolas Itinerantes Escolas Famílias Agrícolas

6 6 Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa Regime de colaboração: MEC / SEE / SME Institui o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, as ações do Pacto e define suas diretrizes gerais. MEC Portaria Nº 867, de 4 de julho de 2012

7 Compromissos: Pacto e PIP/ATC Toda criança lendo e escrevendo até os 8 anos de idade. Programa de Intervenção Pedagógica/ Alfabetização no Tempo Certo – PIP/ATC Compromisso de todos os profissionais da Educação da rede pública de garantir toda criança lendo e escrevendo até os 8 anos de idade, toda comunidade participando, toda escola fazendo a diferença, nenhum aluno a menos e todos os alunos progredindo juntos. 7 Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa Compromisso formal assumido pelos governos federal, do distrito federal, dos estados e municípios de assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até os oito anos de idade, ao final do 3º ano do Ensino Fundamental.

8 Currículo: eixo estruturante do cotidiano escolar 8 (...)o currículo deve dar voz às culturas que foram sistematicamente excluídas pela escola, como a cultura indígena, a cultura negra, a cultura rural(...) (Santos e Paraíso, 1996) Currículo concebido e Currículo vivido

9 Organização da ação pedagógica das Escolas Estaduais do Campo Resolução SEE 2197/2012 (Art. 52) 9 I.conteúdos curriculares e metodologias apropriadas às reais necessidades e aos interesses dos estudantes da zona rural; II.organização escolar própria, incluindo adequação do calendário escolar às fases do ciclo agrícola e as condições climáticas; III.adequação à natureza do trabalho na zona rural. Coerência e identidade com as Diretrizes Curriculares Nacionais e Diretrizes do PACTO

10 Alfabetização e letramento no Campo: alguns princípios e diretrizes 10 Alfabetizar letrando: ensinar a ler e escrever no contexto das práticas sociais da leitura e escrita. Considerar os diferentes contextos e desafios das zonas rurais e urbanas no campo. Conhecer as múltiplas infâncias existentes no campo: relação com o trabalho, com a natureza e participação social. Conceber os conhecimentos e saberes das crianças como objeto de estudo e reflexão na escola: contextualização e valorização.

11 Alfabetização e letramento no Campo: alguns princípios e diretrizes 11 Estreitar os laços com a comunidade e estimular a oralidade, cultura predominante no campo. Considerar a realidade dos alunos como base para o processo de alfabetização e construção do conhecimento. Realizar avaliação processual, diagnóstica e formativa e tomar decisões significativas em favor da aprendizagem: intervenção pedagógica. Garantir a progressão continuada com aprendizagem no tempo certo e sem retenção.

12 O sistema de ciclos, facilitando a flexibilização dos tempos e espaços escolares necessários à reorganização curricular pretendida, vai ao encontro de uma educação do campo contextualizada, crítica e democrática. Leal e Figueiredo de Sá, Caderno 8, Ed. Campo, Pacto Resolução SEE 2197/2012, Art. 28 e 29: Ensino Fundamental estruturado em 4 ciclos, garantido o princípio da continuidade da aprendizagem dos alunos, sem interrupção. Sistema de Ciclos, por quê? Ciclo da Alfabetização, por quê? 12

13 Possibilita a elaboração de um currículo que favorece a continuidade, interdisciplinaridade e a participação. Colabora para a negação da lógica excludente e permite a lógica da inclusão e solidariedade. Favorece o reconhecimento da heterogeneidade e da diversidade cultural e de percursos individuais de vida. O Sistema de Ciclos: 13

14 Definir Direitos de Aprendizagem: para quê? Magda Soares: -... É preciso delimitar claramente o que precisa ser ensinado para que a ação pedagógica seja consistente e a aprendizagem seja garantida dentro do tempo escolar previsto. 14

15 Direitos de Aprendizagem, conhecimentos e capacidades no Ciclo da Alfabetização – PACTO/PIP 15 Área de Conhecimento Componente Curricular Eixos/Conhecimentos e Capacidades Ano de Formação dos Professores do Pacto Linguagens Língua Portuguesa -Leitura -Produção de textos escritos -Oralidade -Análise linguística:.discursividade, textualidade e normatividade.apropriação do Sistema de Escrita Alfabética (SEA) 2013 Arte e Educação Física -Apreciação das diferentes manifestações das linguagens da Arte e da cultura corporal na Educação Física -Execução nas diferentes manifestações das linguagens da Arte e da cultura corporal na Educação Física -Criação nas diferentes manifestações das linguagens da Arte e da cultura corporal na Educação Física -Conhecimento e Reflexão sobre as experiências, saberes e fazeres nas linguagens da Arte e na Educação Física 2014

16 Direitos de Aprendizagem, conhecimentos e capacidades no Ciclo da Alfabetização – PACTO/PIP 16 Área de Conhecimento Componente Curricular Eixos/Conhecimentos e Capacidades Ano de Formação dos Professores do Pacto Matemática -Números e Operações -Pensamento Algébrico -Espaço e Forma -Grandezas e Medidas -Tratamento da Informação 2014 Ciências da Natureza -Vida nos ambientes -Ser humano e Saúde -Materiais e Transformações -Sistema Sol e Terra 2014 Ciências Humanas Geografia e História -Organização do Tempo e Espaço -Produção e Comunicação -Identidade e Diversidade -Cartografia, Fontes Históricas e Geográficas 2014

17 1.Ter domínio dos conhecimentos necessários ao ensino da leitura e da escrita na perspectiva do letramento. 2.Ter habilidades para interagir com as crianças, dinamizando o processo pedagógico e promovendo situações lúdicas de aprendizagem. 3.Ser assíduo e pontual, compromissado com a aprendizagem dos alunos e com a comunidade. 4.Ter sensibilidade para lidar com a diversidade social, cultural, de gênero e etnia. 5.Ter expectativas altas e positivas em relação aos alunos, estimular a autoestima, acreditar no potencial deles, acolher e incluir. O Professor Alfabetizador das Escolas do Campo: perfil exigido 17

18 Estrutura do Kit do PACTO para a Educação do Campo 18 -Desde o Caderno 1, Currículo no Ciclo de Alfabetização: perspectivas para uma Educação do Campo, passando por Planejamento do Ensino, Apropriação do SEA, Brincando na Escola, O trabalho com gêneros textuais, Projetos e sequências didáticas, Alfabetização para o Campo, -Até o Caderno 8, Organização da Ação Didática em Escolas do Campo. Mesmos temas dos outros kits do Ciclo da Alfabetização, com abordagens específicas 08 Cadernos

19 LIDERA ARTICULA/PLANEJA RESPONSABILIZA GERENCIA PROPÕE AVALIA ESTUDA ACOMPANHA/MONITORA ORIENTA/DELEGA O DIRETOR ESCOLAR QUE FAZ A DIFERENÇA APOIA 19 Coloca a gestão pedagógica como eixo de seu trabalho

20 20 (...)aprender a ler e escrever já não é, pois, memorizar sílabas, palavras ou frases, mas refletir criticamente sobre o próprio processo de ler e escrever e sobre o profundo significado da linguagem. (...)a leitura da palavra deve ser inserida na compreensão da transformação do mundo. Paulo Freire Muito Obrigada! Contem sempre conosco! Fite/SIF/SB/SEE


Carregar ppt "Estrutura e modelo de governança Belo Horizonte, 15 de Janeiro de 2013 Relatório da atividade Definição do modelo de governança do programa, especialmente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google