A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Professor Marcel de Gois Pinto, MSc. Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Juazeiro – BA Colegiado de Engenharia de Produção.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Professor Marcel de Gois Pinto, MSc. Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Juazeiro – BA Colegiado de Engenharia de Produção."— Transcrição da apresentação:

1 Professor Marcel de Gois Pinto, MSc. Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Juazeiro – BA Colegiado de Engenharia de Produção

2 PÓS-FORDISMO Última metade do século XX Tecnologia da inf. e comunicação Inovação: microeletrônica e materiais Uso intensivo de energia e materiais Uso intensivo de informação e conhecimento

3 esta apresentação As inovações da época Tecnologias da informação e do conhecimento Teorias econômicas associadas ao período Neo-schumpeterianos Evolucionistas

4 Queda da importância do fordismo Crise do Petróleo Esgotamento do modelo fordista Inovações da microeletrônica

5 Primeira grande crise (1973) Aumento do preço Sustentabilidade do recurso Esgotabilidade Busca por inovações em conhecimento Poupar energia

6 Toyotismo Ascenção do modelo japonês de gestão Boom da qualidade Sistema Toyota Redução das grandes perdas Zeros Just-in-time

7 Possibilitou: Informática Telecomunicações Optoeletrônica Software … outras tecnologias 1940 – Invenção do transistor 1970 – Circuíto integrado Internet

8 TICs abriram espaço para: Surgimento de modelos de gestão mais intensivos em conhecimento Integrar cadeias de suprimento Novos modelos de negócio Aproximação cliente - fornecedor NATUREZA TRANSVERSAL DAS TICS

9 Nova estrutura industrial Aumento do conteúdo informacional da produção Microeletônica TIC Carro-chefe wintelismo Menores ciclos de vida Aumento dos custos de P&D Menor tempo diluir os custos

10 Economia de velocidade Economias Externas Economia de tempo Redução do capital de giro Menores estoques - Em processo e finais Compras, vendas, P&D Transações financeiras Concentração em uma região - RH Qualificado - Infra-estrutura - Capacidade produtiva - RH Qualificado - Infra-estrutura - Capacidade produtiva Aumento da eficiência coletiva Aumento da eficiência coletiva REDES VIRTUAIS CONSEGUEM O MESMO RESULTADO (TICs)

11 A ESTE PERÍODO Neo-schumpeterianos Evolucionistas Neo-institucionalistas

12 Freeman (1974, 1997) A difusão de inovações está no centro dos movimentos cíclicos da economia mundial Nelson e Winter (1982) Idéias transpostas da biologia evolucionista Três princípios chaves definem a teoria evolucionista

13 Evolucionismo Dinâmica econômica é baseada em inovações Descarta a idéia de racionalidade invariável (maximização dos lucros) - Produtos - Processos - Formas de organização da produção - Produtos - Processos - Formas de organização da produção Racionalidade é resultando do processo de aprendizado

14 Evolucionismo Rejeita qualquer idéia de equilíbrio Pluralidade de ambientes de seleção Propriedade de auto-organização da firma Pluralidade de ambientes de seleção Propriedade de auto-organização da firma

15 Competitividade Competências tecnológicas diferenciadas Ativos complementares Rotinas Evolução da firma Tácitas, não transferíveis caráter único Tácitas, não transferíveis caráter único Competências Secundárias Competências Secundárias Competências Principais Exemplo: 3M

16 Outras idéias O problema visualizado (pelos economistas teóricos) é como o capitalismo administra as estruturas existentes, enquanto que o problema relevante é como ele as cria e destrói. (Schumpeter ) A busca de posições monopólicas não constitui em si uma prática danosa à concorrência, mas o seu móvel principal (combustível)

17 Os schumpeterianos esquecem o ambiente Interesse nas instituições e no mercado instituições de hoje guardam conexões com as de ontem

18 O trem e o ônibus espacial A bitola das ferrovias (distância entre os 2 trilhos) dos Estados Unidos é de 4 pés e 8,5 polegadas. Porque foi usado este número? Porque era esta a bitola dos Caminhos-de-ferro ingleses e, como os caminhos-de-ferro americanos foram construídos pelos ingleses, esta foi a medida usada

19 O trem e o ônibus espacial Porque é que os ingleses usavam esta medida? Porque as empresas inglesas que construíam os vagões eram as mesmas que construíam as carroças antes dos caminhos-de-ferro e utilizaram as mesmas bitolas das carroças Porque era usada a medida (4 pés e 8,5 polegadas) para as carroças? Porque deveriam caber nas estradas antigas da Europa que tinham esta medida.

20 O trem e o ônibus espacial E por que tinham as estradas esta medida? Porque estas estradas foram abertas pelo antigo império romano, quando das suas conquistas, e estas medidas eram baseadas nos carros romanos puxados por 2 cavalos E porque é que as medidas dos carros romanos foram definidas assim? Porque foram feitas para acomodar 2 traseiros de cavalo!

21 O trem e o ônibus espacial Finalmente... O ônibus espacial americano, o Space Shuttle, utiliza 2 tanques de combustível (SRB - Solid Rocket Booster) que são fabricados pela Thiokol no Utah. Os engenheiros que projetaram estes tanques queriam fazê-lo mais largos, porém tinham a limitação dos túneis ferroviários por onde eles seriam transportados, que tinham as suas medidas baseadas na bitola da linha...

22 Segundo Chandler (1977) a análise do ambiente institucional deve considerar Corporação Universidade de pesquisas Sistema financeiro Instituições reguladoras da atividade econômica OMC ou FMI

23 A visão institucionalista foi utilizada para explicar a influência do ambiente da revolução industrial Idéias importantes Nenhum arranjo institucional pode ser definido como ótimo, pois eles são frutos de contingências culturais e políticas típicas de cada país

24 A visão institucionalista foi utilizada para explicar a influência do ambiente da revolução industrial Idéias importantes A visão institucionalista vem sendo revigorada pelo conceito de Sistema Nacional de Inovações Foco de análise: interação entre atores econômicos, sociais e políticos Difusão de inovações

25 Professor Marcel de Gois Pinto, MSc. Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Juazeiro – BA Colegiado de Engenharia de Produção


Carregar ppt "Professor Marcel de Gois Pinto, MSc. Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Juazeiro – BA Colegiado de Engenharia de Produção."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google