A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MÓDULO AMBIENTE INFORMACIONAL E SISTEMAS DE INFORMACÃO Carga horária : 16 horas Apresentar, aos participantes, os elementos básicos que compõem o ambiente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MÓDULO AMBIENTE INFORMACIONAL E SISTEMAS DE INFORMACÃO Carga horária : 16 horas Apresentar, aos participantes, os elementos básicos que compõem o ambiente."— Transcrição da apresentação:

1 MÓDULO AMBIENTE INFORMACIONAL E SISTEMAS DE INFORMACÃO Carga horária : 16 horas Apresentar, aos participantes, os elementos básicos que compõem o ambiente informacional e o gerenciamento da informação e os aspectos a serem considerados para avaliação, concepção e implantação de sistemas de informação. Myrza Vasques Chiavegatto

2 Módulo Ambiente Informacional e Sistemas de Informação PLANO DE AULA 1) Tecnologia da Informação nas Organizações 2) Sistemas de Informação Teoria de Sistemas - conceitos Componentes Benefícios Categorias Estágios do Ciclo de vida de sistemas Aspectos especiais de projeto de sistemas (seleção de hw e sw) Contratação/Terceirização 3) Modelo CMM 4) Aspectos de Tomada de Decisão, Fatores Críticos de Sucesso, Análise de Risco Exercício Prático : –Discussão dos elementos básicos de um projeto de informação para o Estado do Mato Grosso –Construção da Análise de Risco do Projeto

3 Sistemas de Informação TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES A complexidade do negócio e suas necessidades de tratamento, tornam clara a necessidade de utilização da tecnologia da informação para que as organizações consigam dar um tratamento satisfatório às suas informações e, consequentemente, para que seus administradores tenham a possibilidade de utilizá-las corretamente em seu trabalho.

4 Sistemas de Informação TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES +TI é tudo aquilo que se pode obter, armazenar, tratar, comunicar e disponibilizar a informação. A gerência pode influenciar o desempenho da organização de diversas maneiras: prover uma vantagem competitiva, permitindo respostas rápidas às mudanças de mercado; prover informação necessária, acurada e no tempo para permitir melhor tomada de decisão; reduzir o custo de fazer negócio, substituindo capital por trabalho freqüente e automatizando as transações da empresa; permitir à empresa competir em mercados que requer tecnologia específica; permitir flexibilidade tal que as empresas possam atender a uma ampla relação de necessidades dos clientes sem incremento de custos; promover uma plataforma tecnológica para permitir que os outros sistemas de negócio sejam produzidos.

5 Sistemas de Informação TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES +Os motivos que, em geral, levam administradores a investir em TI, segundo ZUBOFF(1994). maior rapidez nas operações; redução de custos; aumento da continuidade (integração funcional, automação intensificada e resposta rápida); melhora do controle (precisão, acuidade, previsibilidade, consistência, certeza); maior compreensibilidade (visibilidade, análise, síntese) das funções produtivas.

6 Sistemas de Informação TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Porém, nem sempre esta é a situação encontrada..Cinco problemas apontados por executivos: os investimentos em TI não são relacionados com a estratégia de negócios; o retorno financeiro dos investimentos em TI é inadequado; a tecnologia é empregada cegamente, sem objetivos definidos; as relações entre os usuários e especialistas de soluções de TI não é boa; os projetistas de sistemas não consideram as preferências e os hábitos de trabalho dos usuários.

7 Sistemas de Informação TEORIA DE SISTEMAS Pode-se considerar que o enfoque de sistemas procura: +Técnica para lidar com a amplitude das organizações; +Interação e análise do todo, em virtude das intricadas inter-relações das partes entre si e com o todo; e +O estudo das relações entre elementos componentes, em preferência ao estudo dos elementos em si, destacando-se o processo e as possibilidades de transição em função dos seus arranjos estruturais e da sua dinâmica. Sistema é um conjunto de partes integrantes e interdependentes que, conjuntamente, formam um todo unitário com determinado objetivo e efetuam determinada função.

8 Sistemas de Informação COMPONENTES DO SISTEMA

9 Sistemas de Informação AMBIENTE DE UM SISTEMA Sistema está ligado a uma ambiente que é o conjunto de elementos que não pertencem ao sistema, mas qualquer alteração no sistema pode mudar ou alterar os seus elementos e qualquer alteração nos seus elementos pode mudar ou alterar o sistema.

10 Sistemas de Informação COMPONENTES DO SISTEMA Estrutura Hierárquica + Os componentes de um sistema guardam entre si relações de hierarquia. Todo sistema é subsistema de um sistema que o contém

11 Sistemas de Informação COMPONENTES DO SISTEMA

12 Sistemas de Informação DESCRIÇÃO DE SISTEMAS ASPECTOS BÁSICOS Objetivo do Sistema : O que se espera do sistema Escopo : Limites do sistema Ambiente : Fronteiras com o meio exterior Componentes : Elementos essenciais para seu funcionamento –Finalidades –Atividades Recursos : Insumos necessários para executar transformações Administração : Métodos e componentes que utilizam os recursos para atingir os objetivos

13 Sistemas de Informação BENEFÍCIOS ESPERADOS COM A IMPLANTAÇÃO Valor agregado aos produtos (bens e serviços); maior segurança e precisão; vantagens competitivas; produtos de melhor qualidade; aperfeiçoamento das comunicações; maior eficiência e produtividade; custos reduzidos; maior e melhor controle sobre as operações; apoio ao processo decisório através da obtenção de dados e conteúdos relevantes.

14 Sistemas de Informação CATEGORIAS DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS Sistemas Operacionais (compiladores, utilitários, etc) Sistemas de Banco de Dados (hierárquicos, relacionais, OO, espacial) Sistemas Estruturados (Transacionais sob medida ou Pacote) Sistemas de Computador Pessoal (aplicativos desktop - planilhas, editores) Sistemas ERP Sistemas EIS e de Extração de Informação (DW e DM) Sistemas Web Sistemas de Inteligência Artificial (sistemas especialistas) Sistemas Científico e de Engenharia (CAD) Sistema Embutido (reside na memória - controle de microondas, automóveis) Sistema de Tempo Real (controle inteligente de tráfego)

15 Sistemas de Informação ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS Tom de Marco (1978) Especificar o sistema: Dizer o que o sistema deve fazer. Projetar o sistema : Dizer como o sistema deve fazer o que foi especificado. Sistemas de informação devem ser flexíveis pois é impossível entender ou prever totalmente como o ambiente vai evoluir, pois os ambientes são instáveis e imprevisíveis. Muitas vezes não atingem plenamente os objetivos a que se propõem, embora as organizações venham tentando alinhar esses sistemas com as estratégias de negócios.

16 Sistemas de Informação ESTÁGIOS DO CICLO DE VIDA DE UM SISTEMA

17 Sistemas de Informação PLANEJAMENTO LEVANTAMENTOS OBJETIVO : Conhecer as necessidades do usuário e os requisitos do sistema ETAPAS: –Identificar organograma / principais funções –Analisar objetivos e restrições –Identificar pessoas e áreas envolvidas (stakeholders) –Analisar dados históricos –Definir em que estágio da informática se encontra o usuário –Definir a estratégia de atendimento –Definir planos de outros serviços (treinamento, comunicação de dados, instalações de redes, etc) –Identificar problemas correntes

18 Sistemas de Informação ESTUDO DE VIABILIDADE Análise e Escolha de Alternativas X Objetivos do Sistema 1) Qual é o objetivo do projeto? 2) Quais os problemas-chave encontrados? 3) Haverá interligação com outras aplicações? Há compatibilidade? 4) Os impactos na organização foram avaliados? 5) Prevê mudanças organizacionais? Quais? Por quê? 6) Existem modelos de documentos com volumes e periodicidade? 7) Foi considerada a possibilidade de uso de pacotes? 8) O projeto envolve técnicas e/ou recursos especiais? 9) A demanda de equipamentos de hw e sw e prazos de disponibilidade forma avaliados? A capacidade técnico-empresarial dos fornecedores foi verificada? 10) Que argumentos sustentam a alternativa de solução indicada? 11) A solução indicada é técnica e economicamente viável? 12) Todos as necessidades levantadas pelo usuário serão atendidas pela solução?

19 Sistemas de Informação PLANEJAMENTO ESTUDO DE VIABILIDADE +Viabilidade Técnica +Viabilidade Política +Viabilidade Econômica

20 Sistemas de Informação VIABILIDADE TÉCNICA

21 Sistemas de Informação VIABILIDADE POLÍTICA

22 Sistemas de Informação VIABILIDADE ECONÔMICA

23 Sistemas de Informação DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS ANTEPROJETO Estudo preliminar das áreas usuárias envolvidas de modo a conceituar, determinar objetivos, interligações e abrangência do trabalho que visem a solução parcial ou total de situações críticas Objetivo: Apresentar, para aprovação do usuário, a proposta de trabalho com suas principais características funcionais e técnicas, orçamentação dos serviços, previsão de recursos e prazos necessários a sua execução

24 Sistemas de Informação ANTEPROJETO - ESTRUTURA GERAL INTRODUÇÃO: Dados gerais Perfil do usuário Objetivos do trabalho SITUAÇÃO ATUAL: Função das áreas contactadas Aspectos da situação atual Interligação entre áreas funcionais PROPOSTA: Justificativa (Benefícios) Objetivos/Escopo Funções Bases de dados Alternativas Análise de Riscos PLANO GERAL DE TRABALHO : Recursos Cronograma Físico-Financeiro e de Execução Definição de papeis/responsabilidades ANEXOS

25 Sistemas de Informação ANTEPROJETO - ESTRUTURA GERAL INTRODUÇÃO Dados Gerais Cliente: Nome, Endereço, Razão Social, Ramo de Atividade, Contatos / Cargos / Setor Projeto: Nome, Código, Equipe, Diretriz Estratégica Vinculada Perfil do Cliente: Estrutura organizacional (centralizado, descentralizado, matriz) Áreas de Abrangência do trabalho Principais funções exercidas pelo usuário Interligações entre as áreas funcionais Organograma Objetivo: Resumo dos objetivos principais e secundários do trabalho a ser desenvolvido

26 Sistemas de Informação ANTEPROJETO - ESTRUTURA GERAL SITUAÇÃO ATUAL – Aspectos críticos da situação da organização – Formas de controle manuais que são críticas – Necessidades da organização – Estudo dos Processos Atuais – Análise das interdependências funcionais

27 Sistemas de Informação ANTEPROJETO - ESTRUTURA GERAL PROPOSTA Justificativa Descrever clara e objetivamente os benefícios e aspectos positivos da solução Objetivos Descrever objetivos e o escopo do sistema Funções Relacionar as funções do sistema proposto Indicar as funções manuais Indicar as funções informatizadas

28 Sistemas de Informação ANTEPROJETO - ESTRUTURA GERAL PROPOSTA - continuação Bases de dados Descrever o conteúdo das bases de dados Estimativa dos volumes iniciais Avaliar fator de crescimento Alternativa indicada Descrever a solução escolhida para tratamento dos aspectos levantados Indicar as caraterísticas técnicas Indicar o escopo do sistema/subsistemas/funções Indicar a necessidade de formulários para preparação dos dados Análise de Risco Indicar fatores analisados e contramedidas para minimizar/eliminar riscos

29 Sistemas de Informação ANTEPROJETO - ESTRUTURA GERAL PLANO GERAL DE TRABALHO Recursos Humanos : tipo, perfil, tempo de alocação Materiais: equipamentos, insumos básicos, etc Financeiros : custos unitário e global Cronograma de Execução

30 Sistemas de Informação ANTEPROJETO - ESTRUTURA GERAL PLANO GERAL DE TRABALHO - continuação Cronograma Físico-Financeiro Definições de Papéis / Responsabilidades Deixar claro ao envolvidos o que cabe a cada um no processo

31 Sistemas de Informação ANTEPROJETO - ESTRUTURA GERAL ANEXOS –Glossário de termos –Documentos do usuário –Fichas –Memórias de reunião –Formulários –Relatórios –Notas de qualquer espécie –etc

32 Sistemas de Informação DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA PROJETO DE SISTEMA – Especificação Visa a obter um conjunto de requisitos de um produto, acordado entre o usuário (cliente) e o fornecedor (provedor da solução) O levantamento dos requisitos visa à captura das necessidades dos usuários em relação ao produto – Projeto lógico Análise dos requisitos confecciona um modelo conceitual do produto que é usado para validar os requisitos levantados e para planejar o desenvolvimento posterior Uso de notações, construção de fluxos de informação e processos. – Adequação de padrões Aspectos técnicos do desenho da solução, interfaces com o usuário, conformidade com o processo. – Implementação Escolha da arquitetura mais adequada Estrutura física da aplicação –Implantação Codificação de componentes Testes e integração

33 Sistemas de Informação DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS (MDS) Plano genérico para construção de sistemas que estabelece padrões. É composto de um conjunto integrado de procedimentos gerenciais, técnicas, ferramentas de apoio utilizadas de modo sistemático no processo de desenvolvimento e manutenção de sistemas.

34 Sistemas de Informação DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA Principais vantagens de utilização de uma MDS Permite planejamento, organização e padronização Identificação e definição dos elementos Estabelece um fluxo lógico de desenvolvimento Permite mensuração - qualitativa e quantitativa Define dependências Define os produtos que definem marcos Facilita a comunicação Padroniza vocabulário Uniformiza procedimentos Estabelece a documentação por fases do processo

35 Sistemas de Informação DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA MODELOS DE CICLO DE VIDA DE SISTEMA +Alguns tipos de ciclo de vida de desenvolvimento de sistemas: – Modelo Cascata – Modelo em Espiral – Modelo de Entrega por Estágios – Modelo de Entrega Evolutiva

36 Sistemas de Informação DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA MODELO CASCATA Execução em seqüência Permite demarcar pontos de controle por fase, que facilitam a gestão Principal problema: dificuldade de detecção de defeito antes do término do projeto

37 Sistemas de Informação DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA MODELO EM ESPIRAL Cada nova iteração corresponde a uma volta na espiral. Permite construir produtos em prazos curtos. Novas características e recursos são agregados na medida em que se descobre sua necessidade Principal problema: requer gestão sofisticada para ser previsível er confiável. Projeto interminável

38 Sistemas de Informação DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA MODELO PROTOTIPAGEM EVOLUTIVA Variante do modelo espiral. Espiral desenvolve o produto completo. Cada nova versão corresponde a um protótipo. Protótipos -os requisitos são definidos progressivamente. Principal problema: requer gestão sofisticada e preocupação para que o produto não degenere ao longo dos protótipos.

39 Sistemas de Informação DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA MODELO DE ENTREGA POR ESTÁGIOS Entrega ao cliente de liberações parciais do produto. Aumenta a visibilidade do projeto. Apresenta problemas do modelo cascata

40 Sistemas de Informação DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA MODELO DE ENTREGA EVOLUTIVA Combinação dos modelos Cascata e Prototipagem. Facilita o acompanhamento do progresso do projeto. Principal problema: dificuldade de produzir o desenho inicial.

41 Sistemas de Informação ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS Operação –Piloto Análise focalizando problemas encontrados para levar à melhoria do produto e proceder tratamento adequado no processo de manutenção. Avaliação da qualidade do produto. Critérios de aceitação e homologação final do produto. Liberação para uso –Rotinas de emissão de relatórios batch. –Backups, mecanismos de segurança, controle de acessos. –Documentação.

42 Sistemas de Informação ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS AVALIAÇÃO PERIÓDICA Manutenção –Preventiva Identificar modificações que mantenham a qualidade e utilidade do produto quanto a: –Eficácia; Desempenho; Disponibilidade; Custo; Benefícios; Segurança –Corretiva erros detectados modificação por: –solicitação do usuário –ou mudança na legislação Substituição –Esgotamento da vida útil do sistema

43 Sistemas de Informação ASPECTOS ESPECIAIS DE PROJETO DE SISTEMAS SELEÇÃO TÉCNICA DE HW E SW Fatores Condicionantes: Tecnologia disponível Econômicos Política governamental Capacidade técnico-operacional

44 Sistemas de Informação ASPECTOS ESPECIAIS DE PROJETO DE SISTEMAS SELEÇÃO TÉCNICA DE HW E SW TECNOLOGIA DISPONÍVEL Requisitos Funcionais –Descrição funcional –Tipo de aplicação –Interface homem/máquina Requisitos Operacionais –Modalidade de operação –Desempenho –Total de usuários –Forma de utilização (monousuário, multiusuário, C/S, ambiente web) –Compatibilidade

45 Sistemas de Informação ASPECTOS ESPECIAIS DE PROJETO DE SISTEMAS SELEÇÃO TÉCNICA DE HW E SW TECNOLOGIA DISPONÍVEL Requisitos de Configuração –Processador –Descrição dos componentes –Memória real –Meios de entrada –Meios de saída –Dispositivos de armazenamento –Periféricos –Modularidade

46 Sistemas de Informação ASPECTOS ESPECIAIS DE PROJETO DE SISTEMAS SELEÇÃO TÉCNICA DE HW E SW FATORES ECONÔMICOS Modalidade de aquisição Condições de pagamento Cronograma de pagamento condições de entrega (total ou fracionada) Prazo de entrega Prazo de testes e instalação

47 Sistemas de Informação ASPECTOS ESPECIAIS DE PROJETO DE SISTEMAS SELEÇÃO TÉCNICA DE HW E SW CAPACIDADE TÉCNICO-OPERACIONAL Suporte: - Manutenção preventiva –Manutenção corretiva –Suporte local –Capacidade de atendimento (telefônico, virtual, presencial ) –Disponibilidade técnica –Garantias (equipamentos, instalação, etc) –Legislação –Tempo de atuação no mercado Capacitação: - Qualidade treinamento –Quantidade de horas –Número de participantes –Contéudo programático / Material didático

48 Sistemas de Informação CONTRATAÇÃO / TERCEIRIZAÇÃO FASES DO PROCESSO –Levantamento preliminar –Especificação –Licitação Seleção –Contratação Termo Contratual Alguns tipos: Contrato, Convênio de Cooperação Técnica, Consórcios –Aspecto relevante nos contratos : garantia de fornecimento de código-fonte do software. –Termo de Referência – Plano de Trabalho

49 Sistemas de Informação CONTRATAÇÃO / TERCEIRIZAÇÃO Dinâmica de Grupo Leitura e Discussão do Texto: O desafio de desenvolver e subcontratar sistemas de informação com qualidade em instituições públicas Autores: Myrza Vasques Chiavegatto e Ildeu Moreira Júnior Fonte: Minuta Prodabel Monografia CONIP 2003

50 Sistemas de Informação FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO Pode-se considerar um projeto bem sucedido aquele que foi desenvolvido/realizado: No prazo e orçamento previstos; Dentro das especificações técnicas e qualidade previstas; Cliente/usuário satisfeito com o produto/serviço recebido; Produto/serviço obtido é usado em sua totalidade. Fatores Críticos de Sucesso: Lista de itens que devem ser observados durante o planejamento e execução de um projeto para que o sucesso possa ser alcançado.

51 Sistemas de Informação FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO Uma lista resumida de Fatores Críticos de Sucesso: Gerência competente: o principal fator para o sucesso de um projeto é possuir um único líder que seja experiente, treinado, respeitado e tendo o tempo necessário disponível. Equipe competente: pessoas experientes, treinadas e com tempo disponível. Sem uma equipe realmente competente é impossível executar um projeto com sucesso; Planejamento e controle adequado: um planejamento de qualidade, tanto do projeto como do produto sendo desenvolvido, é fundamental. O controle (acompanhamento) do projeto deve ser feito com rigor, de modo que as metas sejam atingidas; Inexistência ou neutralização de itens de alto risco: minimizar as situações que podem ocasionar o fracasso total do projeto. Obviamente, executar projetos onde existem itens de alto risco não resolvidos, é uma temeridade; Atenção especial às ferramentas gerenciais mais estratégicas: projetos diferentes devem ser executados de forma diferente e, para cada um, existe uma estratégia gerencial mais adequada.

52 Sistemas de Informação ANÁLISE DE RISCO CONCEITUAÇÃO DE RISCO Pode ser considerado como uma quantificação das conseqüências que poderão ser advindas caso o projeto se atrase ou estoure orçamentos ou tenha problemas técnicos ou de outra natureza. Preferencialmente a quantificação deve ser financeira. Alguns exemplos: Qual seria o prejuízo para a empresa caso a sua nova fabrica não fique pronta em 12 meses? Qual seria o prejuízo para a empresa se o novo software de Previsão e Acompanhamento de Vendas não ficar pronto em 18 meses? Qual seria o prejuízo para a empresa se o novo software, a ser lançado, não conseguir uma boa penetração no mercado?

53 Sistemas de Informação ANÁLISE DE RISCO QUALIFICAÇÃO DE RISCO Risco Baixo: Expectativa de atrasos e excesso de gastos normais. Prejuízo baixo ou insignificante. Nenhum risco para a carreira/imagem do líder do projeto Risco Médio: Expectativa de atraso ou excesso de gastos fora dos planos. Prejuízo considerável para a empresa e para a carreira/imagem do líder do projeto. Risco do líder do projeto ser destituído do cargo. Risco Alto: Expectativa de atrasos e excessos de gastos inaceitáveis. Chance do projeto ser abortado. Carreira/imagem do líder do projeto seriamente afetada. Após qualificados, estabelecer as contramedidas para neutralizar os efeitos dos riscos levantados.

54 Sistemas de Informação FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO E ANÁLISE DE RISCO Dinâmica de Grupo Apresentação/Aplicação de um modelo de formulário para levantamento de análise de fatores críticos de sucesso e análise de risco de um projeto. Discussão para adequação ao ambiente SEPLAN. Autora: Myrza Vasques Chiavegatto

55 Sistemas de Informação FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO E ANÁLISE DE RISCO Dinâmica de Grupo Leitura e discussão do texto Métricas para Avaliação de Sistemas de Informação Autora: Raquel Dias

56 Sistemas de Informação IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO A implantação de um Sistema de Informação deve estar de acordo com a estratégia de uso da tecnologia da informação da organização, e esta, por sua vez, deve ser coerente com a sua estratégia de negócio. Existe um relação direta entre o nível de sucesso de uma estratégia de TI e o nível de apoio da alta gerência e um desenvolvimento de sistema de informação. A postura dos usuários deve ser de participação nos projetos e de formação de equipes, encarando como uma meta comum.

57 Sistemas de Informação VARIÁVEIS QUE DEVEM SER CONSIDERADAS História da Organização: reflexo de sua postura perante novos desafios tecnológicos, podendo ser entendida através dos estágios de utilização de TI na organização. Estratégias de Negócio: a organização precisa saber onde quer chegar e como o fará, para poder atribuir suas prioridades e decidir, entre outras coisas, que SI´s serão importantes. Recursos: disponibilidade de recursos financeiros, materiais, humanos, etc. Necessário que seja controlado e comprovado por meio de benefícios organizacionais tangíveis e intangíveis. Importância do Projeto: deve ser entendido como importante para a organização. Conflitos: devem ser entendidos e, sempre que possível, eliminados. Capacitação: ter uma capacitação funcional e técnica compatível com as caraterísticas do SI e das necessidades da organização. Apoio da Alta Administração por meio de atitudes. Esclarecimento e Envolvimento: toda a organização deve saber a importância do projeto e do próprio SI, ter conhecimento de suas informações relevantes e ser envolvida no esforço comum..

58 Sistemas de Informação MODELAGEM DE PROCESSO Processo é um grupo de atividades realizadas numa seqüência lógica com o objetivo de produzir um bem ou um serviço que tem valor para um grupo específico de clientes (Hammer&Champy 1994) Os processos na área fabril são fáceis de se observar. O desperdício e o retrabalho são claramente identificáveis e os equipamentos e equipes de trabalho são dispostos ao longo do fluxo de produção. O aperfeiçoamento dos processo foi desenvolvido ao longo de décadas. Os processos de empresariais são atividades coordenadas que envolvem pessoas, procedimentos e tecnologia.. Seguem um fluxo conduzido pelos cabos de rede de computadores e o deslocamento do trabalho não é tão facilmente observável. Os processos podem ser entendidos como a forma pela qual as coisas são feitas na empresa. Como produzir alguma coisa.

59 Sistemas de Informação MODELAGEM DE PROCESSO CATEGORIAS BÁSICAS DE PROCESSOS: Processos de Negócio São suportados por outros processos internos Resultam no produto ou serviço que é recebido pelo cliente externo. São ligados à essência do funcionamento da organização. Processos Organizacionais ou de Integração São centrados na organização. Viabilizam o funcionamento coordenado dos vários subsistemas. Garantem o suporte aos processos de negócio. Processos Gerenciais Focalizados nos gerentes e nas suas relações. Incluem ações de medição e ajuste do desempenho da organização. Incluem ações de suporte que os gerentes devem realizar

60 Sistemas de Informação MODELAGEM DE PROCESSO CARACTERÍSTICAS ESSENCIAIS DOS PROCESSOS DE NEGÓCIO Interfuncionalidade: A maioria dos processos de negócio atravessa as fronteiras das áreas funcionais. Processo têm clientes Idéia de cadeia de valor. A empresa é uma coleção de fluxos de valor voltados à satisfação das expectativas de um determinado grupo de clientes (externos ou internos). A definição de processos Muda com o tempo. O funcionamento do processo precisa ser adaptado de modo que possa se adequar à nova situação.

61 Sistemas de Informação MODELAGEM DE PROCESSO GESTÃO DO PROCESSO O futuro vai pertencer às empresas que conseguirem explorar o potencial da centralização das prioridades, as ações e os recursos nos seus processos. A utilização do conceito de processos fornece um conveniente nível de análise, menos detalhado que o estudo do trabalho, mas descritivo de forma que permite ter uma visão melhor do comportamento gerencial, mais integrada e abrangente. O processo é um conceito fundamental no projeto dos meios pelos quais uma organização pretende produzir e entregar seus produtos e serviços aos seus clientes (usuários). São as fontes das competências específicas da organização que fazem a diferença.

62 Sistemas de Informação MODELAGEM DE PROCESSO GESTÃO DO PROCESSO Dirigir por meio de metas definidas para processos essenciais, ao invés de metas funcionais. A gestão por processo difere da gestão por funções : emprega objetivos externos; os empregados e recursos são agrupados para produzir um trabalho completo; e a informação segue diretamente para onde é necessária, sem filtro da hierarquia. Vantagem competitiva: aumenta a plasticidade organizacional (empresas mais flexíveis) aperfeiçoa as possibilidades dinâmicas, as rotinas organizacionais que afetam a coordenação das atividades reduz os custos de coordenação e transação no funcionamento da empresa.

63 Sistemas de Informação MODELAGEM DE PROCESSO TECNOLOGIA E PROCESSOS A tecnologia automatiza as tarefas e os processos. Importância de modelar os processos: não replicar ou amplificar erros através do uso de TI A utilização adequada da tecnologia pressupõe a definição de prioridades de tratamento, dedicando aos processos prioritários o esforço necessário de forma a garantir um resultado realmente importante para o negócio.

64 Sistemas de Informação MODELO CMM Capability Maturity Model Elaborado pelo SEI - Software Engineering Institute, patrocinado pelo Sistema de Defesa Americano. Serve como uma referência para avaliar a maturidade dos processos de uma organização, através das práticas reais com as que o modelo prescreve ou recomenda. Modelo específico para a área de software (não contempla marketing, finanças, administração). Portanto, por si só, não garante a viabilidade de uma organização. O diagnóstico serve como base para implementações de melhoria de processos e da competitividade.

65 Sistemas de Informação MODELO CMM Capability Maturity Model Composto de 5 níveis ou estágios: Composto de várias áreas chaves (KPAs - key process areas)

66 Sistemas de Informação MODELO CMM Capability Maturity Model Composto de várias áreas chaves (KPAs - key process areas) Cada área chave identifica um grupo de atividades correlatas que realizam um conjunto de metas consideradas importantes. As áreas chaves de um nível identificam as questões que devem ser resolvidas para atingir este nível. Para ser classificada em um determinado nível, uma organização tem que ter implementado completamente as áreas chaves deste nível e todos os níveis inferiores.

67 Sistemas de Informação MODELO CMM Cada área chave define um conjunto de metas. Para atingir as metas, a organização deve implementar um conjunto de práticas chaves Estas prática chave descrevem os procedimentos gerenciais e técnicos

68 Sistemas de Informação Sistemas de Informação Pública + Orientados por princípios democráticos Controle social Participação na gestão Ampliação quali-quantitativa dos serviços públicos + Requisitos: –Formulação de Políticas de Informação (aspectos de controle social) –Planejamento da gestão informacional –Gestão local da Informação

69 Sistemas de Informação Sistemas de Informação Pública Até a década de 90 Características predominantes nos Sistemas de Informação e aplicação de TI: –Isolamento dos profissionais e entre os setores da administração pública –Centralização tecnológica e fragmentação temática –Baixa integração dos bancos de dados –carência de dados além dos necessários ao setor –processos de planejamento apoiados no suprimento ad hoc de informação

70 Sistemas de Informação Sistemas de Informação Pública Mudanças: –Generalização do uso de microcomputadores em rede –Disseminação do uso da Internet extra academias –Pressão para adoção de módulos gerencias na administração –Demanda governamental por agregação de valor aos dados operacionais para: formulação de políticas, administração, prestação de contas, acesso público

71 Sistemas de Informação Sistemas de Informação Pública Dinâmica de Grupo Leitura e Discussão do Texto: A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA ERA LULA Autor: Carlos Eduardo Valim Fonte: Revista InformationWeek Brasil, jan

72 Sistemas de Informação Sistemas de Informação Pública Dinâmica de Grupo Leitura e Discussão do Texto: Portal Corporativo : Conceitos e Características Autora: Cláudia Augusto Dias Fonte: Revista Ciência da Informação, volume 30 - número

73 Perguntas ?


Carregar ppt "MÓDULO AMBIENTE INFORMACIONAL E SISTEMAS DE INFORMACÃO Carga horária : 16 horas Apresentar, aos participantes, os elementos básicos que compõem o ambiente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google