A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DIVEPDIVEP VIGILÂNCIA E PROTEÇÃO À SAÚDE PROPOSTA DE QUALIFICAÇÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS A POLÍTICA DE INCENTIVO DE HIV/AIDS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DIVEPDIVEP VIGILÂNCIA E PROTEÇÃO À SAÚDE PROPOSTA DE QUALIFICAÇÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS A POLÍTICA DE INCENTIVO DE HIV/AIDS."— Transcrição da apresentação:

1 DIVEPDIVEP VIGILÂNCIA E PROTEÇÃO À SAÚDE PROPOSTA DE QUALIFICAÇÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS A POLÍTICA DE INCENTIVO DE HIV/AIDS

2 DIVEPDIVEP INTRODUÇÃO A Portaria n.º 2313, de dezembro de 2002, que instituiu a Política de Incentivo ao HIV/Aids e outras DST, quando do processo de qualificação de estado e municípios, teve como referência para institucionalização da referida política o comportamento da epidemia de Aids, que requeria reordenação nas estratégias para o seu enfrentamento, reforçando a necessidade de descentralização e desconcentração de responsabilidades e ações, de modo coordenado entre os três níveis de gestão do SUS, definido na época como critérios de seleção:

3 DIVEPDIVEP CRITÉRIOS DE HABILITAÇÃO PELA PORTARIA Nº a magnitude da epidemia no respectivo território; a capacidade de planejamento das ações em HIV/Aids e outras DST pelas instâncias estaduais e municipais do SUS; o estabelecimento de metas adequadas e coerentes com as características da epidemia da Aids no respectivo território; os processos de descentralização e regionalização implementados com base na NOB/96 e na NOAS/02.

4 SITUAÇÃO ATUAL: MUNICÍPIOS HABILITADOS O Estado possui atualmente 21 municípios incluídos na Política de Incentivo, quais sejam: Salvador, Camaçari, Lauro de Freitas, Feira de Santana, Serrinha, Alagoinhas, Paulo Afonso, Santo Antonio de Jesus, Guanambi, Vitória da Conquista, Jequié, Itabuna, Ilhéus, Canavieiras, Teixeira de Freitas, Eunápolis, Porto Seguro, Juazeiro, Irecê, Itaberaba e Barreiras

5 DIVEPDIVEP DADOS EPIDEMIOLÓGICOS - BAHIA O primeiro caso notificado de AIDS na Bahia ocorreu em Desde então, foram notificados casos de AIDS em indivíduos com 13 anos ou mais de idade e 294 casos em menores de 13 anos. A razão entre sexos em adultos, para o ano de 2006, é de 1,7 homens para cada mulher.

6 DIVEPDIVEP DADOS EPIDEMIOLÓGICOS - BAHIA O Quadro 1 apresenta o número de casos notificados acumulados e a taxa de incidência no período de 1984 a 2006 em indivíduos com 13 ou mais anos de idade, de acordo com o sexo.

7 DIVEPDIVEP DADOS EPIDEMIOLÓGICOS - BAHIA O primeiro caso em mulheres ocorreu em Desde então, o número de casos em mulheres vem crescendo, configurando a feminização da epidemia (Quadro 2).

8 DIVEPDIVEP DADOS EPIDEMIOLÓGICOS - BAHIA

9 JUSTIFICATIVA Considerando que o comportamento atual da epidemia de interiorização, feminização e pauperização requer reorientação nas estratégias para seu enfrentamento, reforçando a necessidade de descentralização e a desconcentração da responsabilidade e ações das três esferas de governo;

10 JUSTIFICATIVA Considerando que a referida Portaria não contemplou, na ocasião de sua implantação, outros municípios considerados estratégicos para este Estado; Considerando que 74% dos municípios baianos já possuem pelo menos 01 caso notificado de aids, evidenciando o processo de interiorização da epidemia;

11 JUSTIFICATIVA Considerando a dimensão continental do estado da Bahia, dados sócio-demográficos e a importância de ampliar o acesso da população aos serviços de prevenção, diagnóstico, assistência e tratamento das DST/HIV/Aids; Considerando as prioridades do Programa Nacional de DST/HIV/Aids de aumentar a cobertura do diagnóstico para detecção precoce do HIV e outras DST, bem como da assistência e tratamento;

12 JUSTIFICATIVA Considerando a estratégia nacional e o Plano Operacional de Redução da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis, visando respectivamente a redução da taxa de TV do HIV no Nordeste – NE - de 7,70 % para 5,40 % até 2009 e para 3,80 % até Referente à sífilis a redução proposta para o NE é de 4,7/1.000 nascidos vivos para 3,29/1000 NV até 2009 e 2,30/1000 NV até 2011;

13 JUSTIFICATIVA Considerando o HIV/Aids e as outras DST um grave problema de saúde pública e um desafio crescente para governos, estado e sociedade ;

14 JUSTIFICATIVA Considerando que o atual Plano de Ações e Metas do Estado da Bahia, proposto e elaborado pela Coordenação Estadual de DST/HIV/Aids, contempla, amplia e confere maior autonomia e capacidade de interlocução do gestor estadual nas ações de assistência, diagnóstico e tratamento; prevenção, promoção e proteção; desenvolvimento institucional e gestão, bem como nas parcerias com as organizações da sociedade civil;

15 JUSTIFICATIVA Considerando os princípios organizativos – do SUS – traduzidos pela Regionalização, Integralidade e Descentralização da atenção à saúde; Considerando o compromisso pactuado com os gestores – dos municípios a serem contemplados – para o atendimento e referência aos municípios de sua regional e que não contam com serviços estruturados em DST/Aids.

16 PROPOSIÇÃO Inclusão de 06 (seis) novos municípios na política de incentivo às ações de DST/HIV/Aids, com recursos programados no Plano Estadual de Ações e Metas, no valor de R$ ,00 para cada município, quais sejam: Bom Jesus da Lapa,Itamaraju, Itapetinga, Senhor do Bonfim; Remanso; Valença. Estes municípios somados aos 21 (vinte e um) já habilitados, conformarão uma rede de cobertura mais abrangente, regionalizada e epidemiologicamente relevante para o desenvolvimento de ações de promoção, prevenção, diagnóstico e assistência, necessárias ao enfrentamento da AIDS e outras DST no estado da Bahia.

17 AMPLIAÇÃO COBERTURA Os 11 municípios definidos pelo Ministério da Saúde, quando selecionados em 2002, alcançavam 34,0 % da população do estado. Com a complementação dos outros 10 municípios, mediante Resolução CIB Nº 168/2006, publicado no DOE de 28/11/06, elevou-se o percentual para 41,36 %, sendo ainda necessárias medidas estratégicas para aumentar a cobertura para prevenção, diagnóstico, assistência e tratamento das DST/HIV/Aids. A perspectiva com a proposta de inclusão de mais 06 municípios é que a cobertura se aproxime de 46,43 % da população baiana.

18 CRITÉRIOS UTILIZADOS PARA NOVA HABILITAÇÃO A seleção dos 06 municípios, conforme descrição no item 4, foi baseada nos seguintes critérios: Epidemiológico, que demonstra crescimento da epidemia em municípios menores, Localização geográfica e estratégica para ampliação do acesso às ações; Município sede de microrregião, definido pelo PDR/2007; Município sede de Regional de Saúde do estado

19 DIVEPDIVEP MUNICÍPIOS A SEREM QUALIFICADOS MunicípiosPopulação1º caso de aids notificado Nº casos de aids adulto acumulado Prevalência ( hab) 01. Bom J. da Lapa , Itamarajú , Itapetinga , Remanso , Senhor do Bonfim , Valença ,17 Fonte: PDR/2007/SESAB

20 CONSIDERAÇÕES FINAIS É importante salientar a necessidade de dar continuidade ao processo de descentralização para outros municípios, devendo para tal proposição ser avaliada junto com o Programa Nacional de DST/AIDS / MS a possibilidade de novas qualificações com recursos diretamente do PN-DST/AIDS, em razão da capacidade limite dos recursos financeiros do PAM- Estadual.

21 DIVEPDIVEP NOSSO ENDEREÇO COORDENAÇÃO ESTADUAL DE DST/AIDS CE-DST/AIDS Av. ACM, s/n – Centro de Atenção à Saúde Profº José Maria de Magalhães Neto 1º Andar Salvador – Bahia Tel/Fax : (71)


Carregar ppt "DIVEPDIVEP VIGILÂNCIA E PROTEÇÃO À SAÚDE PROPOSTA DE QUALIFICAÇÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS A POLÍTICA DE INCENTIVO DE HIV/AIDS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google