A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fevereiro de 2006ISAF1 International Sailing Federation Manual de Gerenciamento de Regata Parte 1 Organização e Gerenciamento de Regata Edição 4 Fevereiro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fevereiro de 2006ISAF1 International Sailing Federation Manual de Gerenciamento de Regata Parte 1 Organização e Gerenciamento de Regata Edição 4 Fevereiro."— Transcrição da apresentação:

1 Fevereiro de 2006ISAF1 International Sailing Federation Manual de Gerenciamento de Regata Parte 1 Organização e Gerenciamento de Regata Edição 4 Fevereiro de 2006

2 ISAF2 Prefacio da Quarta Edição Parte 1 –Organização e Gerenciamento Parte 2 – Regata de Flotilha Parte 3 – Regata de Oceano Parte 4 – Regata de Match Racing Parte 5 – Regata de Equipe

3 Fevereiro de 2006ISAF3 Como usar este Manual Apresentação em Powerpoint –Uso em um PC ou Laptop de uso pessoal –Uso com um projetor slides em sala de aula Manual impresso –Cópia das folhas de anotações da Apresentação em Powerpoint

4 Fevereiro de 2006ISAF4 Quatro questões Qual é o nível do evento? Onde será o evento? Quando será o evento? Como será organizado?

5 Fevereiro de 2006ISAF5 Qual o nível do evento? Nível –Campeonato Internacional –Campeonato Nacional –Campeonato Local –Um evento grande –Um evento pequeno –Regata de um clube

6 Fevereiro de 2006ISAF6 Informações de um Grande Evento Qual a duração do evento Quantas classes Quantas regatas por dia Número estimado de inscrições Quantas áreas de regata Configuração do percurso Posição da linha de chegada

7 Fevereiro de 2006ISAF7 Quando será o evento? Datas –Coincide com outros eventos? –Influências externas afetam as datas? Jogos Olímpicos Outros eventos culturais Marés –Condições de maré têm influência no horário de regatas

8 Fevereiro de 2006ISAF8 Como é o local do evento? Uma marina ou um porto –Tráfego Comercial –Tráfego de barcos de lazer –Áreas Restritas; canais de navegação Uma praia –Ondas –Condições da areia ou pedras

9 Fevereiro de 2006ISAF9 Condições Físicas da Área de Regata O fundo do mar –Tem boa tensa, fundeio fácil –Profundidade da água –Fôrça da corrente de maré Contornos da Área de Regata –Ausência de rochedos de grande altitude –Ventos limpos

10 Fevereiro de 2006ISAF10 Prognóstico do Evento Avalie as condições locais –O local é fisicamente adequado ao evento do nível desejado? –As pessoas têm experiência suficiente? Somos capazes de realizar este evento –Que condições locais pôem em risco a segurança e garantia de um bom trabalho?

11 Fevereiro de 2006ISAF11 Como será organizado o evento? Constitua uma Autoridade Organizadora –Vide regra 89.1 Nomeie uma Comissão de Regata –Vide regra 89.2 Nomeie uma ´Comissão de Protesto´; quando apropriado, um Júri Internacional –Vide regra 89.2

12 Fevereiro de 2006ISAF12 Autoridade e Responsabilidade As regatas devem ser organizadas por uma ´Autoridade Organizadora - AO –A ISAF –Uma ´Autoridade Nacional´ - AN – que deve ser regularmente afiliada à ISAF –Um clube ou outra organização afiliada a uma Autoridade Nacional –Uma associação de classe, com aprovação da AN ou em conjunto com um clube afiliado –Uma entidade não afiliada em conjunto com um clube afiliado, somente com aprovação da AN e da ISAF.

13 Fevereiro de 2006ISAF13 Autoridade e Responsabilidade Autoridade Organizadora –Uma ou um grupo de entidades deve ser a Autoridade Organizadora (rrv 89.1) Comissão Organizadora –É a principal comissão do evento, nomeada pelas Autoridades Organizadoras Comissão de Regata –Dirige os trabalhos de uma área de regata –Nomeada pela Autoridade Organizadora

14 Fevereiro de 2006ISAF14 Autoridade e Responsabilidade A segurança vem sempre em primeiro lugar Justiça da competição é alta prioridade O cumprimento das regras é de suma importância

15 Fevereiro de 2006ISAF15 Comissões e Pessoas Importantes Comissão Organizadora do Evento –requer um bom Presidente –a maior autoridade presente na direção geral do evento

16 Fevereiro de 2006ISAF16 Organograma de um evento importante Clube Sede Associação de Classe Com. Organizadora Organização em terra Organização na água Com. de Regata PRO / IRO / RO Júri Serviços Estacionamento Manobristas Vestiários Rampas de lançamento Guinchos e ancoradouros Mestre da Praia Estacionamento de barcos Segurança da Praia Barcos da Comissão Pessoal Oficial de Segurança Barco de Patrulhamento Socorro e Barco Mãe Equipamento Bandeiras, Adriças, Buzinas, Marcas, Âncoras, Cabos Documentação Instruções de Regata Resultados Aviso de Regata Secretaria Questões Legais, Seguros, Acomodações, Transporte, Segurança Controle Financeiro Orçamento, Patrocínio Propaganda & Marketing Cobrança de taxas Media, TV Medição Velas e Cascos Medição e pesagem Programa Social Cerimônias de Abertura e Encerramento Refeições, Bar, Entretenimento Autoridade Nacional

17 Fevereiro de 2006ISAF17 Tarefas Importantes antes do Evento Nomeação de sub-comitês e pessoal para as principais funções –Uma ou mais Comissões de Regata; –Júri ou CP, conforme necessário Instalação da Secretaria e Escritório da Regata Publicação do Aviso de Regata –Use o Apêndice K das RRV

18 Fevereiro de 2006ISAF18 A Comissão de Regata Presidente da C.O –Alguém com habilidades organizacionais e de gerenciamento. Consultor Técnico da Área de Regata –Nomeado pela ISAF ou Associação de Classe Principal Oficial de Regata - PRO –Deve ser um IRO bastante experiente NRO ou IRO - Oficial de Regata –Pode haver mais de um RO em cada raia –Em eventos internacionais deve ser um IRO

19 Fevereiro de 2006ISAF19 A Comissão de Regata Oficial de Regata Adjunto –Apto a assumir o posto do Oficial de Regata em qualquer emergência ou impedimento do RO nomeado Oficial de Regata Assistente –Normalmente encarregado do barco na outra extremidade da linha de partida

20 Fevereiro de 2006ISAF20 Oficiais Auxiliares da Comissão de Regata Operador de Sinais Visuais –Responsável pela exposição de todos os sinais visuais Operador de Sinais Sonoros –Responsável pela operação segura de todos os sinais sonoros Operador de Cronometragem –Responsável por anunciar com precisão a contagem regressiva dos tempos de partida.

21 Fevereiro de 2006ISAF21 Anotadores –Devem registrar tudo que acontece em papel, a lápis e gravador de som Montador da raia (Navegador) –Monitora o tamanho e direção das pernas de percurso com o tempo de regata desejado, em relação com a fôrça e direção do vento. Oficiais Auxiliares da Comissão de Regata

22 Fevereiro de 2006ISAF22 Oficiais Auxiliares da Comissão de Regata Tripulação do barco na outra extremidade da linha de partida –um Oficial de Regata Assistente (NRO/IRO) Mestre da Praia –Controla o lançamento e retirada de barcos da água,

23 Fevereiro de 2006ISAF23 Juízes Comissão de Protesto Comissão Protesto –Nomeada pela Autoridade Organizadora ou pela Comissão de Regata Júri Internacional –Uma comissão de protesto independente nomeada pela Comissão Organizadora conforme os requisitos do Apêndice N

24 Fevereiro de 2006ISAF24 Juízes Comissão de Protesto Interação entre a Comissão de Protesto, Comissão Organizadora do Evento e a Comissão de Regata Deveres da Comissão de Protesto

25 Fevereiro de 2006ISAF25 Arbitragem e Julgamento na água Regatas de Match –RRS Apêdice C Regatas de Equipe –RRS Apêndice D Monitorando a RRV 42 na água –RRS Apêndice P Arbitragem de Regatas de flotilha –RRS Apêndice Q Experimental Regata da Medalha –RRS Adendum Q

26 Fevereiro de 2006ISAF26 Comissão de Medição Medidor Chefe do Evento Requisitos da Classe Área de Medição Equipamento de Medição

27 Fevereiro de 2006ISAF27 Segurança Oficial de Segurança Quantidade de Barcos de Apoio

28 Fevereiro de 2006ISAF28 Segurança Equipamentos do barco de socorro e apoio Barco Mãe

29 Fevereiro de 2006ISAF29 Segurança Planejamento de operações de socorro

30 Fevereiro de 2006ISAF30 Programa Social Atividades Sociais Cerimônia de Abertura Cerimônia de Encerramento

31 Fevereiro de 2006ISAF31 Imprensa & Publicidade Publicidade –Antes do Evento –Durante o Evento –Após o Evento

32 Fevereiro de 2006ISAF32 Imprensa & Publicidade Media –Sala de Imprensa e Instalações –Credenciamento do Pessoal da Imprensa

33 Fevereiro de 2006ISAF33 Patrocínio Montante dos recursos de patrocínio Atraindo patrocinadores

34 Fevereiro de 2006ISAF34 Patrocínio O que podemos oferecer aos patrocinadores? Contratos

35 Fevereiro de 2006ISAF35 Organização O balcão da secretaria deve atender o público e competidores –Recepção das pessoas –Recebimento de inscrições –Registro de entrada e informações –Resultados e informações de regata –Publicação de avisos no Quadro Oficial de Avisos –Expor sinais no Mastro Oficial de Sinalização

36 Fevereiro de 2006ISAF36 Organização Interna da Secretaria A sala interna da secretaria deve ser de uso restrito dos oficiais da regata para –Serviços de impressão e copia –Emissão de documentos, cartas do tempo e relatórios meteorológicos –Salas de Reunião

37 Fevereiro de 2006ISAF37 Inscrições e Registros O balcão da secretaria é responsável por: –Recebimento de formulários e taxas de inscrição –Recebimento de certificados de medição –Registro e coordenação do processo e documentação de medição –Atendimento do processo de seguro –Emissão de credenciais de acesso –Distribuição de folhetos do evento

38 Fevereiro de 2006ISAF38 Registro e Informações O balcão da secretaria –Faz a entrega das Instruções de Regata –Presta informações sobre acomodação e informações turísticas da localidade –Entrega ingressos para os eventos sociais –Presta informações gerais sobre o evento

39 Fevereiro de 2006ISAF39 Carta do Tempo O balcão da secretaria deve oferecer –cópias de relatórios meteorológicos das condições locais –cópias autalizadas de previsão de tempo

40 Fevereiro de 2006ISAF40 Área de Regata O balcão da secretaria também oferece –Tábua de marés –Temperatura da água –Altura de ondas –Correnteza

41 Fevereiro de 2006ISAF41 Resultados e Dados da Competição A sala interna da secretaria faz –Processamento dos resultados enviados pelas Comissões de Regata –Processamento dos avisos de audiência de protestos em coordenação com o Secretário do Júri –Atendimento de questões de medição com o Medidor Oficial.

42 Fevereiro de 2006ISAF42 Comunicações A Sala Interna é também uma Central de Comando do PRO com os OR –Opera como central de comunicações para todo o evento –Opera a central de contato por Radio VHF com os Oficiais de Regata em cada área

43 Fevereiro de 2006ISAF43 Comunicações A Sala Interna é também para –Contato com serviços locais de emergência –Comunicações via Internet com o mundo exterior

44 Fevereiro de 2006ISAF44 Infraestrutura – O que é necessário? Instalações de lançamento de barcos –Guindastes, –Rampas de lançamento Estacionamento de Barcos e Ancoradouro; –Acoradouro ou páteo de estacionamento de barcos –Ancoradouro de barcos de técnicos –Ancoradouro de barcos da CR

45 Fevereiro de 2006ISAF45 Infraestrutura – O que é necessário? Guarda de containers –Espaço de estacionamento de carretas de estrada Vestiários para homens e mulheres –instalações adequadas, sanitários e banho Salas de Reunião –Para reuniões com chefes de equipe –Reuniões diárias da CR, CP e Competidores

46 Fevereiro de 2006ISAF46 Infraestrutura – O que é necessário? Centro de Comunicação para –Comissão de Regata –Técnicos –Competidores Sala de Imprensa e Media Centro Médico / Coleta de amostras

47 Fevereiro de 2006ISAF47 Instalações em Terra –Água fresca para lavagem de barcos, velas, etc –Estacionamento de carros, carretas e barcos –Fornecimento de Combustíveis –Loja de peças de reposição para barcos

48 Fevereiro de 2006ISAF48 Imprensa, Midia, Patrocinadores e VIPs A Imprensa requer informações atualizadas; boa comunicação A Midia requer horários da regata adequados a sua agenda acesso a competidores Patrocinadores desejam um bom barco, de alto nivel para acomodá-los e o mesmo para a imprensa, ´midia´ e VIPs

49 Fevereiro de 2006ISAF49 Posição da Imprensa na raia Os quadros a seguir mostram os locais preferidos pela imprensa para executarem seu trabalho Barcos da CR não devem interferir com o campo de visão da imprensa, a menos que seja imprescindível executar alguma tarefa. Marinheiros de barcos da imprensa/media devem ser treinados para deslocar seus barcos com rapidez e o mínimo de interferência com os competidores

50 Fevereiro de 2006ISAF50 Tempo e Oportunidade Numa regata de 60 minutos, apenas certos momentos se prestam para a tomada de boas imagens e fotografias A maior parte das boas oportunidades ocorrem na partida, passagem de marcas e chegada Restrições de luz, posição do sol e de competidores muitas vezes impedem uma boa fotografia

51 Fevereiro de 2006ISAF51 Na partida Deve-se permitir que fotografos da imprensa tomem posição acima da linha de partida, entretanto que fiquem abaixo do lay line dos barcos que partem junto às extremidades ´Lay line´ de boreste Imprensa Câmeras podem estar perto mas não sobre a linha de partida Campo de visão de câmaras. Deve ficar livre da presença de qualquer embarcação ´Lay line´ de bombordo Imprensa Câmeras de TV linha de partida Os marinheiros dos barcos devem ser treinados para a qualquer momento, rapidamente se afastar dos competidores sem causar qualquer disturbio

52 Fevereiro de 2006ISAF52 Na partida Os marinheiros dos barcos devem ser treinados para a qualquer momento, rapidamente se afastar dos competidores sem causar qualquer disturbio ´Lay line´de boreste Imprensa Câmeras de TV ´lay line´ de bombordo Imprensa Câmeras de TV Os marinheiros dos barcos devem deixar espaço suficiente para que os competidores passem entre seu barco e a marca ou barco da CP linha de partida

53 Fevereiro de 2006ISAF53 Posição preferida para fotógrafos, no prolongamento do ´lay line com amuras a boreste. Posição alternativa de fotógrafos no prolongamento do ´lay line´ com amuras a bombordo, se as condições de luz permitirem Marca 1 Posição do barco da CR, montador da raia ou MTS Campo de visão da câmara; outros barcos devem mantê-lo desimpedido

54 Fevereiro de 2006ISAF54 NO FIM DO POPA January 2005ISAF54 Portão de Sotavento Campo de visão dos fotógrafos de estar. Completamente desimpedido Barco da CR Montador de raia ou de sinalização A sotavento da marca conforme Inclinação do portao e a luz Ou preferência do fotógrafo A sotavento da marca conforme A inclinação do portão e a luz Ou preferência do fotógrafo

55 Fevereiro de 2006ISAF55 January 2005ISAF55 NA CHEGADA Câmeras TV Barco da comissão de Regata na chegada Campo de visão de fotógrafos. completamente desimpedido Os fotógrafos preferem a posição a sotavento da linha de chegada Dependendo da luz e barco escolhido

56 Fevereiro de 2006ISAF56 NO FIM DO TRAVÉS January 2005ISAF54 Marca 2 Competidores vindo em través da marca 1 para a marca 2 CR, montador de raia ou barco de sinalização Posição preferida pelos fotógrafos no prolongamento da perna de través Campo de visão dos fotógrafos. completamente desimpedido

57 Fevereiro de 2006ISAF57 Barcos da Comissão de Regata Barco Principal da CR Barcos de Montagem da Raia Barcos de Sinalização de Marcas Barcos de Apoio, Socorro e Patrulhamento

58 Fevereiro de 2006ISAF58 Bandeiras e adriças Tamanho Mínimo - 60cm x 90cm

59 Fevereiro de 2006ISAF59 Barcos do Júri ou Árbitros Em: Regatas de Flotilha Regatas de Match Regatas de Equipe

60 Fevereiro de 2006ISAF60 Marcas Marcas de Percurso Marcas da Linha de Partida Marcas da Linha de Chegada Outras Marcas

61 Fevereiro de 2006ISAF61 Aviso de Regata –O Aviso de Regata é publicado pela Autoridade Organizadora –O Aviso de Regata é regra –O Apêdice J lista todos os items que devem ser incluídos no Aviso de Regata –O Apêndicex K é um Guia para se escrever um Aviso de Regata. A AO deve usá-lo a cada vez que organizar uma regata –Determine o horário da partida de aordo com as condições prevalescentes –Locais de hospedagem e outras informações devem ser contidas num folheto à parte.

62 Fevereiro de 2006ISAF62 Instruções de Regata –As Instruções de Regata são publicadas pela Comissão de Regata –As Instruções de Regata são regras –O Apêndice J lista todos os items que devem ser incluídos nas Instruções de Regata. –O Apêndice L é um Guia para se escrever as Instruções de Regata. A CR deve usá-lo a cada vez que especificar uma regata. –O Apêndice LE pode ser baixado da página da ISAF na Internet.

63 Fevereiro de 2006ISAF63 Formatos de Competição Regatas de Match Regatas de Equipe Regatas de Flotilha em Baterias

64 Fevereiro de 2006ISAF64 Regatas em Baterias Sistema da Classe 49er Sistema da Classe Optimist Sistema da Classe 420


Carregar ppt "Fevereiro de 2006ISAF1 International Sailing Federation Manual de Gerenciamento de Regata Parte 1 Organização e Gerenciamento de Regata Edição 4 Fevereiro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google