A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DOENÇAS CAUSADAS PELOS AGROTÓXICOS Por Ivi Tavares.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DOENÇAS CAUSADAS PELOS AGROTÓXICOS Por Ivi Tavares."— Transcrição da apresentação:

1 DOENÇAS CAUSADAS PELOS AGROTÓXICOS Por Ivi Tavares

2 ENVOLVE MUITO MAIS QUE AS DOENÇAS!! CONTAMINAÇÃO DO SOLO CONTAMINAÇÃO DAS ÁGUAS CONTAMINAÇÃO DO AR DESEMPREGO NO CAMPO CONCENTRAÇÃO DE TERRAS INSEGURANÇA ALIMENTAR

3 Intoxicações Efeitos reprodutivos Efeitos imunológicos Efeitos teratogênicos Efeitos neurológicos Efeitos genotóxicos Efeitos carcinogênicos

4 APLICADORES PREPARADORES DE CALDA RESPONSÁVEIS POR DEPÓSITOS TRABALHADORES DIRETOS DA LAVOURA MORADORES DE REGIÕES COM PREDOMÍNIO DO AGRONEGÓCIO PROFISSIONAIS QUE TRABALHAM COM CONTROLE DE VETORES FUNCIONÁRIOS DE EMPRESAS DEDETIZADORAS FUNCIONÁRIOS DE INDÚSTRIAS QUE FABRICAM AGROTÓXICOS TRABALHADOES QUE TRANSPORTAM E FAZEM COMÉRCIO CONSUMIDORES

5 AGUDA: ALGUMAS HORAS APÓS EXPOSIÇÃO. SINTOMAS: DORES DE CABEÇA, VÔMITOS, NÁUSEAS, DIFICULDADES RESPIRATÓRIAS, FRAQUEZA, SALIVAÇÃO, CÓLICAS ABDOMINAIS, TREMORES, CONFUSÃO MENTAL, CONVULSÕES, ETC

6

7 OMS: 3 milhões de intoxicações a cada ano 2/3 intencionais (suicídios e homicídios) 1/3 não intencionais (70% ocupacionais) mortes

8 EFEITOS OCORREM EM DIAS OU SEMANAS SINTOMAS: DOR DE CABEÇA, FRAQUEZA, MAL ESTAR, MAL -ESTAR, DOR DE ESTÔMAGO, SONOLÊNCIA

9 SURGIMENTO TARDIO APARECEM APÓS MESES OU ANOS APÓS A EXPOSIÇÃO, PEQUENA OU MODERADA, A UM OU A VÁRIOS PRODUTOS TÓXICOS. SINTOMAS SUBJETIVOS, PODEM SER PERDA DE PESO, FRAQUEZA MUSCULAR, DEPRESSÃO, IRRITABILIDADE, PROBLEMAS IMUNOLÓGICOS, EFEITOS NA REPRODUÇÃO (INFERTILIDADE, MALFORMAÇÃOES CONGÊNITAS, ABORTOS), DOENÇAS DO FÍGADO, DOENÇAS DOS RINS, DOENÇAS RESPIRATÓRIAS, EFEITOS NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA.

10 NORMALMENTE ACONTECE AO LONGO DE VÁRIOS ANOS A TOXICIDADE DA MISTURA NÃO É IGUAL A SOMA DAS ATIVIDADES TÓXICAS. PODE SER MAIS GRAVE DO QUE SEPARADAMENTE.

11 1) Quanto ao organismo que age: Inseticidas Herbicidas Fungicidas Acaricidas Outros – Desfolhantes, dessecadores Raticidas Moluscicida

12 2) Quanto a sua estrutura química: Inseticidas: organoclorados, organofosforados, carbamatos, piretróides, neonicotinóides Herbicidas: Compostos bipiridílicos, compostos fenólicos, derivados do ác, ariloxialcanóico, triazinas. O chumbinho é um herbicida que é usado para matar rato, é de alta toxicidade. Fungicidas: ditiocarbamatos, organomercuriais, Derivados da Tiouréia Acaricidas Raticidas: derivados da cumarina e da indadiona e derivados do ácido fluoroacético e brometo de metila

13 Tipo de ação (Classe)Principais grupos quimicos Exemplos Inseticidas (controle de insetos, larvas e formigas) OrganocloradosAldrin, Endrin, DDT, BHC, Lindane CarbanatosCarbaryl, Furadan, Lannate, Marshal OrganofosforadosAzodrin, Malathion, Parathion, Nuvacron, Tamaron, Hostation, Lorsban Piretróides (sintéticos)Decis, Piredam, Karate, Cipermetrina Fungicidas (combate aos fungos) Ditiocarbamatos Organoestânicos Dicarboximidas Maneb, Mancozeb, Dithane, Thiram, Manzate Brestan, Hokko Suzu Orthocide, Captan Herbicidas (combate à ervas daninhas) Bipiridílios Glicina substituída Derivados do ácido fenoxiacético Dinitrofenóis Pentaclorofenol Gramoxone, Paraquat, Reglone, Diquat Roundup, Glifosato Tordon, 2,4-D, 2,4,5-T 2 Bromofenoxim, Dinoseb, DNOC Clorofen, Dowcide-G

14 CLASSETOXICIDADECOR INDICADA NA EMBALAGEM IEXTREMAMENTE TÓXICOFAIXA VERMELHA IIALTAMENTE TÓXICAFAIXA AMARELA IIIMODERADAMENTE TÓXICO FAIXA AZUL IVPOUCO TÓXICOFAIXA VERDE CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA:

15 Pelo DL 50, que avalia a dose letal média capaz de matar a cobaia em 24 ou 48 horas. Padrão da cobaia: rato, macho, adulto. Medida frágil: pois só avalia o efeito agudo e as substâncias químicas não tem só efeito agudo. Pode ter DL50 baixo e ser super carcinogênico. Dependendo das evidências, a indústria vai ter que investigar efeitos subagudos (7 a 14 dias) ou cronicos, subcronicos. A indústria tenta não realizar outros estudos, quer aprovar logo o produto. È ruim para eles ser meio termo pois induz outras pesquisas.

16 Há 3 anos atráz eram 470 ingredientes ativos

17 Hoje são 998 ingredientes ativos!

18 Síntese do DDT 1874, sem uso como agrotóxico Ação inseticida a 1970 – intensa utilização 1962 – livro Primavera Silenciosa de Raquel Carlson denuncia proibido nos EUA 1998 – proibidos no Brasil

19 Lenta degradação, com capacidade de acumulação nos seres vivos e no meio ambiente, podendo persistir por até 30 anos no solo.

20 São altamente lipossolúveis (se depositam no fígado, rins, sistema nervoso, tecido adiposo),e o homem pode ser contaminado não só por contato direto, mas também através da cadeia alimentar - ingestão de água e alimentos contaminados. São eliminados principalmente através das vias digestiva e urinária, e outras vias de excreção incluem a saliva, o suor e o leite materno. Por serem encontrados no leite materno, representam um risco às crianças em fase de amamentação.

21 Efeito agudo: irritabilidade, sensação de dormência na língua, nos lábios e nos membros inferiores, desorientação, dor de cabeça persistente (que não cede aos analgésicos comuns), fraqueza, vertigem, náuseas, vômitos, contrações musculares involuntárias, tremores, convulsões, coma e morte Intoxicação crônica: alterações no sistema nervoso, alterações sanguíneas diversas, como aplasia medular, lesões no fígado, arritmias cardíacas e lesões na pele

22 Carcinogênese: Alguns organoclorados são pertencentes ao grupo 2B (possivelmente cancerígeno para a espécie humana). O DDT, por exemplo, pertence a este grupo por estar associado ao desenvolvimento de câncer de fígado, de pulmão e linfomas em animais de laboratório. Outros organoclorados pertencentes ao grupo 2B são Clordane, Heptacloro, Hexaclorobenzeno, Mirex.

23 São agrotóxicos amplamente utilizados na agricultura e, dentre os inseticidas, os organofosforados são responsáveis pelo maior número de intoxicações e por um grande número de mortes por agrotóxicos no Brasil A absorção se dá através da pele, sendo distribuídos nos tecidos do organismo pela corrente sangüínea e sofrem biotransformação, principalmente no fígado. A principal via de eliminação é renal

24 Possuem ação semelhante no organismo: a inibição de enzimas colinesterases, especialmente a acetilcolinesterase. Os carbamatos são inibidores reversíveis das colinesterases. Estas enzimas estão presentes na transmissão de impulsos nervosos em diversos órgãos e músculos, e assim uma contaminação por estes agrotóxicos pode desencadear uma série de efeitos. Ambos atuam não só no sistema nervoso central, mas também nos glóbulos vermelhos, no plasma e em outros órgãos

25 Intoxicação aguda: Os principais sinais e sintomas são: suor abundante, salivação intensa, lacrimejamento, fraqueza, tontura, dores e cólicas abdominais, visão turva e embaçada, pupilas contraídas – miose, vômitos, dificuldade respiratória, colapso, tremores musculares, convulsões.

26 Intoxicação crônica: outros sinais e sintomas podem persistir por meses após a exposição como alterações neurológicas, comportamentais, cognitivas e neuromusculares.

27 Tiveram seu uso crescente nos últimos 20 anos e, além da agropecuária, são também muito utilizados em ambientes domésticos Seu uso abusivo vem causando aumento nos casos de alergia em crianças e adultos. São facilmente absorvidos pelas vias digestiva, respiratória e cutânea. Os sintomas de intoxicação aguda ocorrem principalmente quando sua absorção se dá por via respiratória. São compostos estimulantes do sistema nervoso central e, em doses altas, podem produzir lesões no sistema nervoso periférico.

28 Intoxicação aguda: os principais sinais e sintomas incluem dormência nas pálpebras e nos lábios, irritação das conjuntivas e mucosas, espirros, coceira intensa, manchas na pele, edema nas conjuntivas e nas pálpebras, excitação e convulsões Intoxicação crônica: neurites periféricas e alterações hematológicas do tipo leucopenias. Carcinogênese: Os piretróides parecem não apresentar potencial cancerígeno para humanos.

29 São usados no combate a ervas daninhas. Principais representantes são: Paraquat: Gramoxone®; Glifosato: Round-up®; Pentaclorofenol; Derivados do ácido fenoxiacético: A mistura de 2,4 D com 2,4,5 T representa o principal componente do agente laranja, utilizado como desfolhante na Guerra do Vietnan. O nome comercial dessa mistura é Tordon. Dinitrofenóis: Dinoseb, DNOC.

30 Existem várias suspeitas de mutagenicidade, teratogenicidade e carcinogenicidade relacionados a estes produtos. Bipiridilos (Paraquat): um dos agentes de maior toxicidade específica para os pulmões. Provoca lesões hepáticas, renais e fibrose pulmonar irreversível, podendo levar à morte. Além disso, são relatados casos de ingestão acidental por crianças (por possuírem coloração semelhante à dos refrigerantes à base de cola) e casos de suicídio.

31 Pentaclorofenol e Dinitrofenóis: Os principais sintomas de intoxicação aguda por estes produtos incluem dificuldade respiratória, hipertermia, fraqueza, convulsões e perda de consciência. O pentaclorofenol possui em sua formulação impurezas chamadas dioxinas, substâncias extremamente tóxicas, cancerígenas e fetotóxicas.

32 Derivados do ácido fenoxiacético: Um dos principais produtos é o 2,4 D, muito usado no país em pastagens e plan-tações de cana de açúcar. O 2,4,5 T tem uso semelhante ao 2,4 D, apresentando uma dioxina como impureza, responsável pelo surgimento de cloroacnes, abortamentos, além de efeitos tetratogênicos e carcinogênicos.

33 O quadro de intoxicação aguda inclui: cefaléia, tontura, fraqueza, náuseas, vômitos, dor abdominal, lesões hepáticas e renais. Casos graves podem apresentar convulsões, coma e podem evoluir para óbito em 24 horas. Os efeitos crônicos incluem neuropatia periférica, disfunção hepática e maior risco de desenvolver linfomas tipo Hodgkin e não-Hodgkin. Carcinogênese dos Herbicidas: linfomas não-Hodgkin e câncer de tireóide.

34 Caracteriza-se por ser de origem multifatorial, e os mecanismos que interferem na carcinogênese são muitos. Dentre estes fatores, a exposição aos agrotóxicos pode ser considerada como uma das condições potencialmente associadas ao desenvolvimento do câncer, por sua possível atuação como iniciadores substâncias capazes de alterar o DNA de uma célula, podendo futuramente originar o tumor. Estabelecer o nexo causal entre a exposição aos agrotóxicos potencialmente cancerígenos e o desenvolvimento de câncer nem sempre é possível e, em muitos casos, a doença instalada pode simplesmente não ser relacionada ao agente causador no momento do diagnóstico.

35 Câncer de Esôfago e Estômago são os principais!

36 MEDIANTE EXAMES HÁ POUCO RECURSOS UNICO MÉTODO NO SUS APLICA-SE SOMENTE AOS AGROTÓXICOS ORGANOFOSFORADOS E CARBAMATOS (SÓ ATÉ SETE DIAS APÓS A CONTAMINAÇÃO). TAMBÉM DÁ PARA DOSAR O PRINCÍPIO ATIVO DO QUAL SUSPEITA PELA HISTÓRIA CLÍNICA NO SANGUE OU NA URINA.

37 O Economista Wagner Soares calculou o custo monetário de algumas das chamadas externalidades negativas do uso de agrotóxicos na produção agrícola. Segundo ele, quem acaba pagando quando há trabalhadores intoxicados e contaminações ambientais é a sociedade. Os resultados do trabalho indicam que os custos com a intoxicação agu- da podem representar em torno de 64% dos benefícios dos agrotóxicos. EXEMPLO : Paraná, os números apontam que o custo para o estado apenas à produção de milho poderia chegar a US$ 70 milhões. O uso da agricultura orgânica, o custo esperado cai sensivelmente.


Carregar ppt "DOENÇAS CAUSADAS PELOS AGROTÓXICOS Por Ivi Tavares."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google