A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O papel das Instituições da Rede Federal de EPCT na Rede Nacional de Desenvolvimento de Tecnologia Assistiva Andréa Poletto Sonza Jul/2013.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O papel das Instituições da Rede Federal de EPCT na Rede Nacional de Desenvolvimento de Tecnologia Assistiva Andréa Poletto Sonza Jul/2013."— Transcrição da apresentação:

1 O papel das Instituições da Rede Federal de EPCT na Rede Nacional de Desenvolvimento de Tecnologia Assistiva Andréa Poletto Sonza Jul/2013

2 Expressão utilizada para identificar todo o arsenal de recursos e serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência e, conseqüentemente, promover vida independente e inclusão (BERSCH, 2008). Serviços de TA: aqueles que auxiliam diretamente uma pessoa com deficiência a selecionar, compor ou utilizar os recursos de TA (BERSCH, 2005). Tecnologia Assistiva

3 CNRTA Centro Nacional de Referência em Tecnologia Assistiva Institucionalizado em Fev/2012 pela SECIS/MCTI, uma das ações do Plano Viver sem Limite CTI Renato Archer (Campinas/SP) – Unidade de Pesquisa do MCTI – tarefa de articular nacionalmente uma Rede Cooperativa de pesquisa em TA MCTI selecionou 29 Núcleos de TA

4 IFAM IFPA IFCE IFB IFES IFPR IFSC IFRS Fonte: IFAP

5 Núcleo de TA do IFRS

6 Acionadores Produção de Tecnologia Social Assistiva

7 Mouses Produção de Tecnologia Social Assistiva

8 Colmeia para Teclados

9 Linha Braille (para surdocegos) Produção de Tecnologia Social Assistiva

10 Thermoform Desenho em perspectiva do thermoform Thermoform de baixo custo Produção de Tecnologia Social Assistiva

11 Ponteira de Bengala que identifica poças

12 Aplicativo de transmissão de áudio Dispositivo bluetooth (celular) com sistema de transmissão Produção de Tecnologia Social Assistiva

13 Controle do Ambiente Acionador de pressão conectado na bolinha permitindo que funcione sem fio Central com acionador de pressão conectado Produção de Tecnologia Social Assistiva

14 Sistema de Automação com Interface Web Painel de Controle do Sistema de Automação Produção de Tecnologia Social Assistiva

15 TA para Comunicação Alternativa Quadro de Rotinas Individuais dos Alunos da Escola (este quadro está sendo construído virtualmente para uso com telas touch screen) Produção de Tecnologia Social Assistiva

16 Desenvolvimento de Jogos Virtuais usando a Tecnologia Kinect Jogos educacionais utilizando o sensor de movimento Kinect da Microsoft. O aparelho possui sensores de movimento e profundidade que realizam o trabalho de traduzir os movimentos corporais em ações nos jogos. Por exemplo, ao dar um passo para o lado, o jogador faz com que o personagem que o representa na tela faça o mesmo movimento. Produção de Tecnologia Social Assistiva

17 Desenvolvimento de Jogos Virtuais usando a Tecnologia Kinect Tela do jogo com figuras geométricas Jogo destinado a cadeirantes. Nele o usuário precisa coletar algumas figuras geométricas. O jogo foi adaptado para que o movimento da cadeira de rodas não seja percebido pelo sensor Kinect (limitação que existia em outros jogos). O jogo permite trabalhar noções de espaço, percepção de cores e figuras geométricas Produção de Tecnologia Social Assistiva

18 Desenvolvimento de Jogos Virtuais usando a Tecnologia Kinect Jogo com Kinect para Associação dos Animais aos Sons Jogo que permite à criança interagir com animais em um determinado ambiente (por exemplo, uma fazenda). O jogo apresenta uma série de animais e a criança deve tocar em um dos animais sinalizados pelo jogo. Ao tocar no animal o jogo emite o som produzido por ele. Este jogo permite trabalhar conceitos sobre fauna e flora, sons emitidos pelos animais e noções de espaço. Produção de Tecnologia Social Assistiva

19 Controle de Distância por Ultrassom para auxiliar a locomoção de Deficientes Visuais Protótipo: dois sensores de ultrassom e um dispositivo de lógica programável (FPGA), ambos ligados a uma fonte de tensão externa; Os sensores ultrassônicos são usados para detectar a presença de objetos na sua direção frontal através da reflexão por eco. Os sensores em média alcançam uma distância de 3 cm à 4 m; Com a combinação das respostas dos sensores e a placa de FPGA, pode-se informar ao usuário a existência de algum obstáculo e a sua localização espacial; O equipamento gera um sinal sonoro para o deficiente visual, avisando se há ou não algum obstáculo na direção de rastreamento. A intensidade sonora corresponde à proximidade do objeto ao usuário. Esse primeiro protótipo é usado acoplado a uma bengala. Produção de Tecnologia Social Assistiva

20 Pesquisa Pessoas com Deficiência no BPC Trabalho BPC Trabalho: identidade e constituição do sujeito Produção de Tecnologia Social Assistiva

21 Jogo para trabalhar noções de O & M. Som 3D (imersão sonora – impressão de realidade à cena) o teclado é utilizado como principal controle de entrada de dados, aliado à narração dos elementos visuais dispostos na interface. Jogos Pedagógicos Acessíveis

22 Site Modelo de Acessibilidade Virtual

23 Site modelo - Recursos de Acessibilidade

24 Gerenciador de Conteúdos (CMS) Acessível

25 Site Referência de Acessibilidade e Suporte a outros IFs

26 Blog Modelo de Acessibilidade

27 Blog Ações Inclusivas Acessível

28 Banco de Recursos Humanos Acessível

29 Recursos Acessíveis Produção de recursos didático-pedagógicos acessíveis, inclusive em formato Mec Daisy (livros sonoros) Cursos de Capacitação a distância (usos pedagógicos da TA, acessibilidade, produção de material acessível) Checklist de Acessibilidade Física e Comunicacional a ser aplicado em cada um dos câmpus do IFRS – apontar caminhos para uma instituição acessível

30 Núcleo de TA do IFAM

31 IFAM – APOEMA Subgrupo I: ACESSIBILIDADE PEDAGÓGICA Elaborar livros didáticos, gramática e tabuada, bem como o uso da informática, em Libras, para o desenvolvimento acadêmico do aluno surdo. Confeccionar manuais, cartilhas e material impresso, eletrônico, vídeo e áudio para prestar informação a respeito da vivência e a convivência com a pessoa com deficiência. Subgrupo II: ACESSIBILIDADE ARQUITETONICA Mapear a estrutura física do IFAM, com a finalidade de promover a Rota Acessível de acordo com os princípios do Desenho Universal, favorecendo a acessibilidade e mobilidade das pessoas com deficiência física e sensorial

32 IFAM - APOEMA Subgrupo III: ACESSIBILIDADE VIRTUAL Pesquisar a utilização de recursos de informática que possam ser aplicados às atividades laborais, como recurso de mobilidade da pessoa com deficiência sensorial e o potencial das interações nas redes sociais no estabelecimento das relações profissionais e de amizade. Subgrupo IV:ACESSIBILIDADE EM COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO Desenvolver recursos da audiodescrição com vistas à inclusão de pessoas com deficiência visual

33 Núcleo de TA do IFPA

34 IFPA Instrumentalizar o espaço multifuncional do CentrAlCiência do IFPA para o atendimento PNEspecíficas possibilitando a implantação do Núcleo de Tecnologias Assistivas como parte integrante da estrutura funcional da Rede CentrAlCiência do IFPA Realizar pesquisas e desenvolver Tecnologia Assistiva para PNEs de forma a propiciar o acesso, a apreensão e o aprendizado do conhecimento científico e tecnológico nas áreas de atuação do IFPA e instituições parceiras

35 Núcleo de TA do IFAP

36 IFAP Formação de Professores do IF e do estado sobre Inclusão Digital Inclusão da disciplina de TA (Cursos de Redes – Licenciatura e Tecnólogo) Inclusão da disciplina de Libras e Braille nas Licenciaturas Desenvolvimento de software na área de alfabetização de alunos com síndrome de down Pesquisa sobre TA no IFAP – quais as tecnologias usadas/necessárias

37 Núcleo de TA do IFCE

38 IFCE - Interfaces touchscreen acessíveis LêBraille (Teclado, TWT e SMS) Portáctil Consultor Virtual de Compras com QR-CODE - Sintetizador de voz eSpeak SVOX Uso de dispositivos móveis como meio de aumentar/prover acessibilidade às pessoas com deficiência LeBrailleSMS/LebrailleTWT Acessam o Twitter e enviam msg via teclado Braille Consultor Virtual de Compras - QRCode acessível p DVs Portáctil – leitura e escrita em braille

39 IFCE -Audiodescrição Virtual ACESSIBILIDADE PARA DVs EM VÍDEO PRODUÇÕES UTILIZANDO VOZ SINTETIZADA Audiodescrição com voz sintetizada

40

41 IFCE - Alguns Projetos em Prospecção/Início CAMINHO DIGITAL – Comunicação eletrônica com piso tátil com sensores RFID guia a bengala pelo caminho TOTEM MULTI-ACESSÍVEL ACESSIBILIDADE NA PROGRAMAÇÃO E APLICATIVOS DA TV DIGITAL SISTEMA DE AUXÍLIO PARA EXAMES DE SELEÇÃO (em desenvolvimento)

42 Núcleo de TA do IFB

43 IFBrasília Projeto 1: Biblioteca Acessível: Implantação de espaços acessíveis modelos nas dependências do câmpus, iniciando-se pela biblioteca. Criação de um modelo de estrutura física e pedagógica necessária para promover o acesso universal ao conteúdo da biblioteca e avaliar a possibilidade de implantação do modelo em bibliotecas públicas. Projeto 2: Implantação de um curso de pós- graduação lato sensu em TA: Formar profissionais para atuarem junto ao mercado produtivo auxiliando na promoção das condições necessárias para a inclusão da pessoa com decifiência em empresas privadas e públicas.

44 IFBrasília Projeto 3: Pesquisa e inovação de soluções de engenharia para a melhoria da qualidade de vida e inserção no mercado de trabalhos de PcNEspecíficas: Por meio de tecnologias mecânicas e eletromecânicas voltadas à mobilidade e auxílio nas tarefas cotidianas; oficina de manutenção e modernização de equipamentos mecânicos e eletromecânicos PCNes Projeto 4: Pesquisa e inovação itens de vestuário: Roupas, tecidos e materiais Projeto 5: Criação de uma estrutura física para produção e disseminação de um glossário de termos técnicos em LIBRAS - voltado à educação técnica e tecnológica e à vida profissional dos surdos.

45 Núcleo de TA do IFES

46 IFES Projeto MOBI – Mobilidade Inteligente (em andamento) Interface homem-máquina via processamento de voz: Ex.: usuário comanda os movimentos da cadeira por meio de reconhecimento automático de voz; Cadeira de rodas com geração automática de trajetórias: Ex.: usuário define local de origem e local de destino dentro do Campus Vitória e a cadeira realiza esta trajetória pelo caminho mais curto de forma automática; Cadeira de rodas com comportamento reativo para evitar colisões: Ex.: no decorrer de uma trajetória, a cadeira detecta e evita colisões com obstáculos.

47 Núcleo de TA do IFPR

48 IFPR - Projetos desenvolvidos Inteligência Artificial (IA) em aplicações de acessibilidade (projeto de pesquisa e desenvolvimento) Objetivo: desenvolver componentes de IA para dar suporte aos demais projetos de tecnologia assistiva desenvolvido do grupo de pesquisa Exemplo de componente: sistema fuzzy para avaliação do desempenho do jogador

49 IFPR- Projetos desenvolvidos Pesquisa e desenvolvimento de Jogos Acessíveis Objetivo: adaptação e/ou desenvolvimento de jogos acessíveis sob o conceito de Desenho universal Exemplos: Jogo digital na área de anatomia, Jogo de tabuleiro sobre biologia celular, jogo de cartas sobre ligações químicas.

50 IFPR- Projetos desenvolvidos Jogos Acessíveis - Tema biologia celular Figura 2 – Fotos do protótipo do tabuleiro do jogo Figura 1 – Célula modelo Figura 3 – Cartas AlfaFigura 4 – Cartas Vírus

51 IFPR - Projetos desenvolvidos Jogos Acessíveis - Tema Ligações químicas Figura 5 – Tipos de ligações químicas

52 IFPR- Projetos desenvolvidos Pesquisa e desenvolvimento de equipamento sinalizador de eventos para surdos

53 Núcleo de TA do IFSC

54 Trabalho Integrador : Desenvolvimento e Montagem de um Protótipo de Cadeira de Rodas de Baixo Custo Curso Técnico em Fabricação Mecânica IFSC - Cadeira de Rodas de Baixo Custo

55 Trabalho Integrador : Construção da Carenagem para Adaptar a uma Cadeira de Rodas de Baixo Custo Curso Técnico em Fabricação Mecânica IFSC - Carro Cadeira

56 O que a Rede pode oferecer? Tecnologia Assistiva de Baixo Custo Desenvolvimento web acessível Capacitação sobre produção de TA de Baixo Custo Capacitação no uso de TA Capacitação para desenvolvimento web acessível Profissionais Capacitados para desenvolver, capacitar e assessorar avaliação de projetos na área de TA

57 Desafios / Dificuldades Realizar um trabalho verdadeiramente colaborativo Matéria-prima para produção de TA Espaço físico Descentralização para os Núcleos de TA – MCTI – (R$ ,00) Bolsas Produção em larga escala Parcerias com empresas para comercialização

58 Referências BERSCH, Rita. Introdução à Tecnologia Assistiva, Disponível em ao_TA_Rita_Bersch.pdf> Acesso em Jul/2013.

59 Obrigada!


Carregar ppt "O papel das Instituições da Rede Federal de EPCT na Rede Nacional de Desenvolvimento de Tecnologia Assistiva Andréa Poletto Sonza Jul/2013."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google