A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 QUEM SOMOS ARMANDO HENRIQUE Presidente 2 EVENTO REGULAMENTAÇÃO DOS CONSELHOS – FEDERAL E RERIONAL – DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO CAMPINAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 QUEM SOMOS ARMANDO HENRIQUE Presidente 2 EVENTO REGULAMENTAÇÃO DOS CONSELHOS – FEDERAL E RERIONAL – DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO CAMPINAS."— Transcrição da apresentação:

1

2 1 QUEM SOMOS ARMANDO HENRIQUE Presidente

3 2 EVENTO REGULAMENTAÇÃO DOS CONSELHOS – FEDERAL E RERIONAL – DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO CAMPINAS

4 3 CONSELHO DE CLASSE -FONFETEST/CORETEST- 1. O QUE? 2. PORQUE? 3.PARA QUEM? 4. COM QUEM? 5. POR QUEM? 6. COMO? 7. ONDE? 8. QUANDO? 9. POR QUANTO? 10. QUANDO?_

5 4 OS GRANDES INTERROGADORES DE QUALQUER PLANEJAMENTO: O QUE ? OBJETO-NATUREZA O QUE ? OBJETO-NATUREZA POR QUE? JUSTIFICATIVA- MOTIVAÇÃO POR QUE? JUSTIFICATIVA- MOTIVAÇÃO PARA QUE? OBJETIVO-RESULTADO PARA QUE? OBJETIVO-RESULTADO PARA QUEM? POPULAÇÃO ALVO PARA QUEM? POPULAÇÃO ALVO QUANTO? METAS QUANTIFICADAS QUANTO? METAS QUANTIFICADAS QUANDO? TEMPO QUANDO? TEMPO ONDE? LUGAR ONDE? LUGAR COMO? MÉTODO COMO? MÉTODO QUEM? ATORES (PRÓPRIOS LIADOS) QUEM? ATORES (PRÓPRIOS LIADOS) COM QUÊ? RECURSOS MATERIAIS E $ COM QUÊ? RECURSOS MATERIAIS E $

6 5 PLANO DE AÇÃO TST 30 ANOS OBJETIVO. Tomada de ações para viabilização da votação dos projetos de Lei no Congresso Nacional. ESTAGIO ATUAL:. Projetos em andamento Deputado Marcelo Barbieri – Nº PL (CD) de 1999 Senadora Emilia Fernandes – nº SF PLS 00578/1999 DE Relator: Senador Lucio Alcântara Deputado Luiz Antonio de Medeiros – N º PL de 2001 ( Estes e Outros projetos, foram arquivados por vicio de origem )

7 6 Projeto em andamento: Projeto de iniciativa do Ex Ministro do Trabalho – Ricardo Berzoini Com Ressalvas de Avaliação da Casa Civil e Ministério do Planejamento Tramite: MTE MIN.PLANEJAMENTO CASA CIVIL PRESIDENCIA CONGRESSO NACIONAL SANÇÃO DA PRESIDENDIA DA REPUBLICA Conselhos Estaduais CORETESTs existentes: SP, RJ, PR, RS, MG, AL, CE.....,

8 7 Confederação Federação Sindicatos Conselho Federal Conselho Regional Organização Profissional Código Nacional de Segurança e Saúde No Trabalho Agencia Nacional de Segurança e Segurança e Saúde no Trabalho Centrais Sindicais

9 8 Porque Queremos o Conselho de Classe? 1 – O Brasil é o 15º pior pais do mundo em acidentes e doenças do trabalho, já foi catalogado como: Pior do mundo, obtendo este progresso principalmente pelas ações técnicas nos locais de trabalho, o Conselho de Classe representa a base a exercício da profissão e ampliação destas ações. 2 – O Técnico de Segurança do Trabalho tem formação profissional especifica para atuação na prevenção de acidentes e doenças do trabalho. 3 – No Brasil por ano ocorrem 2500 acidentes de trabalho fatais, acidentes graves com afastamento e 25 bilhões de prejuízo.

10 9 4 – O exercício sem controle da profissão pode colocar em risco a vida de trabalhadores e patrimônio das empresas, especialmente nas tomadas de decisões em atividades de riscos nos postos de trabalho. 5 – O Conselho de Classe é de direito privado, não terá ônus para o Estado e desonera o Ministério do Trabalho que emite o Registro Profissional provisoriamente há 30 anos até que se crie o Conselho próprio da categoria. 6 – O Conselho de Classe proporciona a oportunidade da própria categoria fiscalizar o exercício da profissão e a qualidade dos cursos de formação.

11 10 7 – O Conselho obedece aos preceitos democráticos a Constituição Nacional, com base nos Estatutos, formar eletivas de composição de dirigentes, controle social do Código de Ética e arbitragem do Estado, assegurando o direito aos filiados a votar e ser votados com igualdade de condições e oportunidades entre os associados. 8 – A meta da OIT e objetivos do Estado é universalizar as ações técnicas de segurança e saúde no trabalho, o técnico de segurança do trabalho é indispensável na pratica destas ações de forma presencial com autonomia 9 – O técnico de segurança do trabalho é categoria profissional diferenciada, com funções definidas por Lei, que não conflitam com outras profissões.

12 11 CORETEST/CONFETEST 10 – É o desejo e sentimento prioritário de profissionais no Brasil, por entender que pela importância do controle do exercício da profissão e sair da tutela do Ministério do Trabalho, propõe –se a cuidar dos seus próprios destinos. 11 – É de interesse social a regulamentação o que já esta explicito nas características da atividade, mesmo porque ela já esta devidamente reconhecida pelo poder publico e a sociedade envolvida com a segurança e saúde dos trabalhadores

13 12 ATIVIDADES PROPOSTAS.Desenvolver ações articuladas de mobilização da categoria, visando sensibilizar todos os Deputados, Senadores e poder executivo. FAZES E ETAPAS. Mobilizar todos os diretores da FENATEST e SINTESTs.. Mapear todos os políticos com IDENTIDADE em SST no Congresso Nacional, com os respectivos endereços.. Mapear Todos os interessados em participar da mobilização; Sindicalistas Conselheiros e Colaboradores por adesão, vinculando-os ao políticos para divisão das ações dirigidas

14 13 COORDENAÇÃO. O desenvolvimento e coordenação das ações, realizados pela FENATEST.Proporcionar apoio logístico aos Estados por adesão. Todas as Ações sistematizadas de forma centralizada, disponibilizando os dados para este fim, levando-se em consideração a disponibilização dos recursos local, que terá como função registrar e divulgar as informações inerentes.. A sistematização centralizada poderá ser itinerante, através de avaliação trimestral, conforme o desempenho ou disponibilidade da coordenação, de forma consensual.

15 14

16 15 CORETEST-SP a2a3a4a META: 500 PARTICIPANTES

17 16 BANDEIRA. Este plano de ação deverá estar desvinculado ou isento de interesses isolados, divergências interna dos sistemas existentes, partidos políticos, ideologias e outros que não sejam visando a criação e regulamentação deste Conselho.

18 17 Código de Ética

19 18 Cada conjunto de profissionais deve seguir uma ordem que permita a evolução harmônica do trabalho de todos a partir da conduta de cada um, através de uma tutela no trabalho a regulação de individualismo perante o coletivo. CONCEITO ÉTICO

20 19 A ausência de responsabilidade para com o coletivo gera, como conseqüência natural, a irresponsabilidade para com a qualidade do trabalho. CONCEITO ÉTICO

21 20 Quanto mais acentuado é o procedimento egoístico dos componentes de uma classe, tanto mais ela tende a debilitar-se por falta de lideres, por invasão de seu território de trabalho, por outras classes mais fortemente estruturadas. CONCEITO ÉTICO

22 21 Se cada um fizer sua parte para a melhoria da consciência coletiva de sua categoria e da nação, estará contribuindo para que se alcance dias melhores CONCEITO ÉTICO

23 22 SISTEMA DE FORMAÇÃO APLICAÇÃO DOS PRINCIPIOS DE NOVA LDB/MEC CRITÉRIOS PARA HABILITAÇÃO DAS ENTIDADES DE ENSINO GRADE CURRICULAR DOS CURSOS DE FORMAÇÃO CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO MAPEAMENTO DA DEMANDA DE MERCADO DE TRABALHO

24 23 Especilalização Curso de Especialização 1.Metalurgia 2.Construção civil 3.Atividades com produtos químicos 4.Transporte rodoviário e movimentação de cargas 5.Alimentos 6.Hospitalar 7.Extração mineral 8.Têxteis e Confecção 9.Serviços Públicos 10.Comercio 11.Papel e Papelão 12.Serviços 13.Segurança e Saúde nas áreas Rural e Agroindústria 14.Administração de Segurança do Trabalho 15.Higiene do trabalho 16.Ergonomia

25 24 CORETEST/CONFETEST

26 25 COMPETÊNCIA DIGNIDADE ÉTICA

27 26

28 27

29 28 ESTIMULO ACREDITE E FAÇA A SUA PARTE!

30 29 Contatos AS SUAS ORDENS! FENATEST / SINTESP

31 30 REGIÕES Nº DE EMPRESAS CADASTRADOEMPREGO *EXERCE OUTRAS ATIVIDADES EM DESEMPRETOTAIS COM FUNC SINTESPFORMALPROFISSÕESCONSULTORIASGADOS 1 - OSASCO E REGIÃO ABCD E REGIÃO RIBEIRÃO PRETO VALE DO PARAIBA CAMPINAS E REGIÃO BAIXADA SANTISTA SOROCABA E REGIÃO PRES. PRUDENTE REGIÃO SÃO J. RIO PRETO REGIÃO GUARULHOS E REGIÃO SÃO PAULO CAPITAL TOTAL= Percentuais100% 43%17%15%25%100% TRABALHO E EMPREGO

32 31 OS BONS QUE NÃO FAZEM POLÍTICA TÊM, COMO CASTIGO, SEREM GOVERNADOS PELOS MAUS DE PLATÃO


Carregar ppt "1 QUEM SOMOS ARMANDO HENRIQUE Presidente 2 EVENTO REGULAMENTAÇÃO DOS CONSELHOS – FEDERAL E RERIONAL – DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO CAMPINAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google