A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Orientação Prática ao Môdulo de análise facial

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Orientação Prática ao Môdulo de análise facial"— Transcrição da apresentação:

1 Orientação Prática ao Môdulo de análise facial
Prof. Ms . Marcelo Sousa Gomes Brasília DF

2 FOTOGRAFIA A melhor forma de registrar a posição natural de cabeça é com o paciente em pé com seu eixo visual horizontal. VON BAER , WAGNER , BROCA e 1962.

3 FOTOGRAFIA As pupilas devem estar centradas definindo a linha da visão paralela ao solo. VIAZIS.

4 FOTOGRAFIA O profissional deve quando achar melhor , ajudar no posicionamento do paciente – quando este estiver problemas de postura e fisiológicos LUDSTROM E LUDSTROM

5 NA FOTOGRAFIA NO CEFALOGRAMA
OBTENÇÃO DAS REFERÊNCIAS PARA A TOMADA DO ÂNGULO DE TRANSFÊRENCIA NA FOTOGRAFIA - Traçar a linha E de Ricketts ,ou seja , da ponta do nariz ao pogônio mole,estendendo esta linha até alcançar a vertical verdadeira. - Medir o ângulo formado entre a linha E e a VV. NO CEFALOGRAMA - Traçar a mesma linha E de Ricketts no cefalograma. - Transferir o ângulo encontrado anteriormente na fotografia para o cefalograma . - Marcar aV.V. no cefalograma

6 OBTENÇÃO DAS REFERÊNCIAS
PARA A TOMADA DO ÂNGULO DE TRANSFÊRENCIA 15*

7 15*

8 PONTOS CEFALOMÉTRICOS
OBTENÇÃO DOS PONTOS DO CEFALOGRAMA PONTOS CEFALOMÉTRICOS

9 Ponto mais posterior sobre a curvatura anterior da maxila.
PONTO A Ponto mais posterior sobre a curvatura anterior da maxila.

10 Ponto mais posterior sobre a concavidade da sínfise.
PONTO B Ponto mais posterior sobre a concavidade da sínfise.

11 Ponto mais anterior da sínfise.
PONTO Pg Ponto mais anterior da sínfise.

12 PONTO Gl’ Glabela mole.

13 Pró nasale – ponta do nariz.
PONTO P Pró nasale – ponta do nariz.

14 Sub nasal – união do lábio superior com a base do nariz.
PONTO SN Sub nasal – união do lábio superior com a base do nariz.

15 Lábio superior – porção mais anterior do lábio superior.
PONTO LS Lábio superior – porção mais anterior do lábio superior.

16 PONTO ST Stômio – ( superior e inferior ) , intersecção do lábio seco e com o úmido.

17 Lábio inferior – porção mais anterior do lábio inferior.
PONTO LI Lábio inferior – porção mais anterior do lábio inferior.

18 Pogônio mole – projeção do Pg
PONTO PG’ Pogônio mole – projeção do Pg

19 Porção mais inferior do mento mole.
PONTO ME’ Porção mais inferior do mento mole.

20 Porção mais inferior do mento mole.
PONTO CC Porção mais inferior do mento mole.

21 OBTENÇÃO DOS PONTOS DO CEFALOGRAMA LINHAS

22 Paralela à linha do prumo.
V.V Vertical verdadeira Paralela à linha do prumo.

23 Horizontal verdadeira
H.V Horizontal verdadeira Perpendicular a V.V. passando pelo ponto sela ( referência de escolha )

24 Linha Horizontal GL’

25 Linha Horizontal SN

26 Linha Horizontal ST sup

27 Linha Horizontal ST inf

28 Linha base do Incisivo superior 3mm abaixo do ST sup. com marcação apenas na região dos incisivos superiores.

29 Linha horizontal Me’

30 Linha vertical Ponto A

31 Linha vertical Ponto B

32 Linha vertical SN V.Sn Vertical Sub nasal

33

34 P.N.C INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE
GRANDEZAS VETICAIS Terço médio da face - GL’ a SN Terço inferior da face – SN a Me’ 1 1 PROPORÇÃO 1 : 1

35 INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE
P.N.C GRANDEZAS VETICAIS Terço inferior se subdivide em : - Comprimento do lábio superior (20 a 22mm) - Comprimento do lábio inferior (40 a 44mm) 1 2 PROPORÇÃO 1 : 2

36 INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE
P.N.C GRANDEZAS VETICAIS Terço inferior se subdivide em : - GAP ( Distância do St sup e St inf ) NORMA = 0

37 INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE
P.N.C GRANDEZAS VETICAIS Exposição do incisivo superior - Incisal toca a horizontal que passa a 3mm de ST sup. Incisivo toca a linha

38 GRANDEZAS HORIZONTAIS
INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE P.N.C GRANDEZAS HORIZONTAIS Projeção do nariz – Distância entre a extensão da VSN ao ponto P. Norma clínica : 16 a 20mm

39 GRANDEZAS HORIZONTAIS
INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE P.N.C GRANDEZAS HORIZONTAIS Projeção do lábio superior – Distância entre a V.SN e Ls. Norma clínica : 2 a 5mm

40 GRANDEZAS HORIZONTAIS
INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE P.N.C GRANDEZAS HORIZONTAIS Projeção do lábio inferior – Distância entre a V.SN e Li. Norma clínica : 0 a 3mm

41 GRANDEZAS HORIZONTAIS
INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE P.N.C GRANDEZAS HORIZONTAIS Projeção do mento – Distância entre Pg’ e V.Sn Norma clínica : -4 a 0 mm

42 GRANDEZAS HORIZONTAIS
INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE P.N.C GRANDEZAS HORIZONTAIS Linha queixo pescoço- Distância entre CC e Me’. Norma clínica : 20% menor que a altura facial inferior

43 GRANDEZAS HORIZONTAIS
INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE P.N.C GRANDEZAS HORIZONTAIS Witts verdadeiro – Distância entre as verticais que passam pelos pontos A e B Norma clínica : 4mm (+- 2 )

44 GRANDEZAS HORIZONTAIS
INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE P.N.C GRANDEZAS HORIZONTAIS Projeção da sínfise – Distância entre a vertical que passa pelo ponto B ao Pg’ Norma clínica : 2mm (+-2 )

45 PERFIL – VERTICAL VERDADEIRA
FATOR NORMA 23/04/05 1/3 médio 1/3 inferior Terço médio / terço inf. 1:1 Comp. lábio superior 20 a 22mm Comp. lábio inferior 40 a 44mm Lábio sup./ lábio inferior 1:2 GAP Proj. do nariz 16 a 20mm Proj. Lábio superior Proj. Lábio inferior 0 a 3mm Proj. mento mole -4 a 0mm Wits verdadeiro Expos.do inc.superior Proj. da sínfise 2 a 5mm 4mm +-2 3mm - ST sup 2mm +-2 L. queixo pescoço 20% -AFAI


Carregar ppt "Orientação Prática ao Môdulo de análise facial"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google