A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Redação de documentos científicos UNCISAL – Maceió 2006 Prof. Dr. Marcelo Araújo v.2.06.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Redação de documentos científicos UNCISAL – Maceió 2006 Prof. Dr. Marcelo Araújo v.2.06."— Transcrição da apresentação:

1 Redação de documentos científicos UNCISAL – Maceió 2006 Prof. Dr. Marcelo Araújo v.2.06

2 2 Comentários sobre a escrita científica Críticas quanto ao obscurantismo Elitismo Formas corretas diferentes Regras que mudam

3 3

4 4 Textos científicos Artigos Resenha Relatório Resumo e sinopse Monografia Dissertação Tese Lakatos EM. Metodologia do trabalho científico. Editora Atlas. São Paulo, 1992

5 5 Escolha do tema Gosto pessoal, preparo técnico e tempo disponível Importância e utilidade do tema Viabilidade Existência de fontes

6 6 Problematização Transformar a necessidade humana em problema Regras de Descartes

7 7 Regras de Ouro - Descartes Dividir o problema em partes Conduzir do mais simples para o mais complexo Revisões periódicas criteriosas Conclusão indubitável

8 8 Capa Folha de rosto (no verso a ficha catalográfica) Página do orientador Agradecimentos Informações gerais Resumo / Abstract Índice Lista de abreviaturas, siglas, símbolos e sinais Lista de figuras Lista de gráficos Lista de tabelas 1. Introdução 1.1. Contexto 1.2. Hipótese 1.3. Objetivo 2. Métodos Comitê de ética em Pesquisa 2.1. Tipo de estudo 2.2. Local 2.3. Amostra Critérios de inclusão Critérios de exclusão Amostragem Consentimento livre e esclarecido 2.4. Procedimentos (intervenção, teste diagnóstico ou exposição, se necessário) 2.5. Variáveis Variável primária Variável secundária Dados complementares 2.6. Método estatístico Cálculo do tamanho da amostra Análise estatística 3. Resultados 3.1. Desvios da pesquisa 3.2. Características da amostra 3.3. Variável primária 3.4. Variáveis secundárias 4. Discussão 4.1. Discussão dos métodos 4.2. Discussão dos resultados 4.3. Implicações para a prática clínica 4.4. Implicações para a pesquisa 5. Conclusão 6. Referências 7. Anexos 7.1. Formulário do consentimento livre e esclarecido 7.2. Formulários de coleta de dados 7.3. Formulário de dados individuais 8. Apêndices (opcional )

9 9 Quando escrever a tese A tese

10 10 Quando escrever a tese A tese O laboratório O escritório

11 11 Estrutura geral da comunicação científica Resumo Propósito – questão central; objetivo Como foi feito – método O que foi encontrado – resultado o que foi concluído - conclusão Tempo verbal - Pretérito perfeito Voz passiva

12 12 Título O que (objeto) vai ser estudado O escopo do estudo A variável Informativo Afirmativo, negativo interrogativo Exclamativo

13 13 Objetivo Consiste em antepor um verbo à hipótese Tempo verbal – presente; infinitivo

14 14 Objetivo geral Deve expressar claramente o que se pretende conseguir com a investigação Inicia-se com um verbo que expresse a ação intelectual que poderá ser realizada A escolha do verbo é subjetiva e define o grau de complexidade da ação intelectual

15 15 Objetivos específicos Levantamento dos componentes Transformação em objetivos Verificação da suficiência dos objetivos Decisão quanto a melhor seqüência lógica

16 16 Taxonomia do domínio cognitivo Nível de pensamento Processo de pensamento Verbo 1.ConhecimentoRecordação, memória Definir, listar, identificar, reconhecer, citar 2.CompreensãoCompreensão literal; necessita relatar ou repetir Deduzir, localizar, compreender, constatar Lane JC.O processo de ensino e Aprendizagem em Medicina. Fundo editorial Byk. São Paulo, 2000

17 17 Taxonomia do domínio cognitivo Nível de pensamento Processo de pensamento Verbo 3.AplicaçãoAplicação do conhecimento para resolver problema Escrever, desenvolver, demonstrar, aplicar, classificar 4.AnáliseSeparar em partes, identificar motivos, determinar evidências Discriminar, Identificar, separar, debater, especificar Lane JC.O processo de ensino e Aprendizagem em Medicina. Fundo editorial Byk. São Paulo, 2000

18 18 Taxonomia do domínio cognitivo Nível de pensamento Processo de pensamento Verbo 5.SínteseProduzir comunicação original Construir, documentar, propor, organizar, sumarizar, 6.AvaliaçãoFazer julgamento, oferecer opiniões Julgar, decidir, justificar, avaliar Lane JC.O processo de ensino e Aprendizagem em Medicina. Fundo editorial Byk. São Paulo, 2000

19 19 Estágio do conhecimento Ação requerida Requer evocação do fato; conhecimento básico Tipo de pergunta O que é? Quanto é? Quem é? Quando é? Como é?

20 20 Estágio da compreensão Ação requerida Requer que mostre que compreendeu, use suas palavras; pensamento mais abrangente, profundo Tipo de pergunta Demonstre o significado de... Dê um exemplo...

21 21 Estágio da aplicação Ação requerida Requer aplicação do aprendizado a uma nova situação Tipo de pergunta O que aconteceria se... Explique o significado de... Baseado nisto escreva...

22 22 Estágio da análise Ação requerida Requer decomposição da matéria e exame dos componentes Tipo de pergunta Separe os temas principais e secundários... Distinga entre teorias e fatos...

23 23 Estágio da síntese Ação requerida Requer indução além do conhecimento presente Tipo de pergunta Descreva as principais teorias e mostre como podem ser combinadas... Construa uma forma que ilustre...

24 24 Estágio da avaliação Ação requerida Requer avaliação e juízo sobre as idéias Tipo de pergunta Justifique sua conclusão... Pormenorize os fatos; Avalie...

25 25 Estrutura geral da comunicação científica Introdução Descrição da natureza do problema; conhecimento e entendimento atual no início da investigação (background) Estabelecer o propósito e o escopo do estudo Situar sua proposta no contexto vigente Hipótese – o que se espera Tempo verbal – Presente Voz ativa

26 26 Estrutura geral da comunicação científica Introdução Apresentar o SEU estudo Não é revisão ou resumo de toda a literatura Mencionar outros autores apenas quando trouxer informações relevantes para o julgamento do leitor em relação à sua hipótese; usar os detalhes na discussão

27 27 Estrutura geral da comunicação científica Método Como foi feito; clareza Reprodutibilidade e fidelidade Seqüência lógica com os resultados Variáveis bem definidas Citar procedimentos consagrados Método estatístico Tempo verbal - Pretérito perfeito Voz passiva

28 28 Estrutura geral da comunicação científica Resultados O que foi encontrado Sem comentários ou interpretações Textos curtos, gráficos e tabelas auto- explicativas Método estatístico Tempo verbal - Pretérito perfeito Voz passiva

29 29 Estrutura geral da comunicação científica Resultados Incluir os resultados que apóiem ou não a hipótese Textos subsidiados apenas pelos dados obtidos Resultados estatísticos nos textos entre parênteses

30 30 Estrutura geral da comunicação científica Discussão Capítulo do autor Explicar ou justificar a escolha do método Cotejar, analisar, comparar os seus resultados com a literatura Estabelecer ligações entre os resultados e a hipótese; aceita ou rejeitada Não repetir os resultados

31 31 Estrutura geral da comunicação científica Discussão Apontar caminhos Não apresentar silogismos Tempo verbal - Pretérito perfeito Voz passiva

32 32 Estrutura geral da comunicação científica Conclusão Concluir apenas o que os dados obtidos permitem Tempo verbal – Presente Voz ativa

33 33 Normas para escrever bem Lógica Clareza Vocabulário Audiência Coragem Elaboração Mecânica Lane JC.O processo de ensino e Aprendizagem em Medicina. Fundo editorial Byk. São Paulo, 2000

34 34 Ligação entre parágrafos Conseqüência Adição ou justaposição Oposição Incorporação Complementação Repetição Justificação Digressão

35 35 Cuidados ao escrever Traduções imprecisas Jargão Transliterações inadequadas Acentuação Ordem direta Pontuação Palavras compostas

36 36 Erros freqüentes 1. Elo de ligação 2. Acabamento final 3. Certeza absoluta 4. Número exato 5. Quantia exata 6. Sugiro, conjecturalmente 7. Nos dias 8, 9 e 10 inclusive 8. Como prêmio extra 9. Juntamente com 10. Em caráter esporádico 11. Expressamente proibido 12. Terminantemente proibido 13. Em duas metades iguais 14. Destaque excepcional 15. Sintomas indicativos 16. Há anos atrás 17. Vereador da cidade 18. Relações bilaterais entre dois países 19. Outra alternativa 20. Detalhes minuciosos 21. A razão é porque 22. Interromper de uma vez 23. Anexo (a) junto a carta 24. De sua livre escolha 25. Superávit positivo 26. Vandalismo criminoso 27. Todos foram unânimes 28. A seu critério pessoal 29. Palavra de honra 30. Conviver junto 31. Exultar de alegria 32. Encarar de frente 33. Comprovadamente certo 34. Fato real 35. Multidão de pessoas

37 37 Erros freqüentes 36. Amanhecer o dia 37. Criação nova 38. Retornar de novo 39. Freqüentar constantemente 40. Empréstimo temporário 41. Compartilhar conosco 42. Surpresa inesperada 43. Completamente vazio 44. A nível de Escolha opcional 46. Continua a permanecer 47. Passatempo passageiro 48. Atrás da retaguarda 49. Planejar antecipadamente 50. Repetir outra vez 51. Sentido significativo 52. Voltar atrás 53. Abertura inaugural 54. Pode possivelmente ocorrer 55. A partir de agora 56. Última versão definitiva 57. Obra-prima principal 58. Gritar/ Bradar bem alto 59. Propriedade característica 60. Comparecer em pessoa 61. Colaborar com uma ajuda / auxílio 62. Matriz cambiante 63. Com absoluta correção/ exatidão 64. Demasiadamente excessivo 65. Individualidade inigualável 66. A seu critério pessoal 67. Abusar demais 68. Exceder em muito 69. Preconceito intolerante 70. Medidas extremas de último caso 71. Colocar algo em seu respectivo lugar

38 38 Mais erros freqüentes 72. Princípios básicos ou fundamentais 73. Noções básicas 73. Inteiramente grátis 74. Parte integrante 75. Parada total 76. Crise aguda Segredos em... A nível de... Haja visto...

39 39 O escritor Não há regras Não é um processo natural Hábito de leitura Refletir Consultar Praticar a escrita


Carregar ppt "Redação de documentos científicos UNCISAL – Maceió 2006 Prof. Dr. Marcelo Araújo v.2.06."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google