A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação Síntese de um livro (quatro capítulos) 4 pontos 100% de uma folha A4 –Espaço simples – Tamanho 12. Pesquisa sobre educação 2 pontos Dois conceitos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação Síntese de um livro (quatro capítulos) 4 pontos 100% de uma folha A4 –Espaço simples – Tamanho 12. Pesquisa sobre educação 2 pontos Dois conceitos."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação Síntese de um livro (quatro capítulos) 4 pontos 100% de uma folha A4 –Espaço simples – Tamanho 12. Pesquisa sobre educação 2 pontos Dois conceitos de dois pais Dois conceitos de dois educadores renomados com fontes bibliográficas. Dever de casa final 4 pontos Oito perguntas subjetivas e relevantes com no mínimo seis linhas de resposta. PR. GONDIM.

2 A DOUTRINA DO HOMEM PR. GONDIM.

3 A DOUTRINA DO HOMEM Quando contemplo os teus céus, obras dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste, que é o homem, que dele te lembres e o filho do homem, que o visites.Quando contemplo os teus céus, obras dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste, que é o homem, que dele te lembres e o filho do homem, que o visites. Salmo 8:3-4.

4 A DOUTRINA DO HOMEM Ninguém pode negar a importância que tem tido para o homem a pergunta por seu próprio ser. Esta importância tem crescido em tal magnitude que a pergunta sobre o que é o homem ocupa o ponto central das preocupações teológicas e filosóficas da presente geração.Ninguém pode negar a importância que tem tido para o homem a pergunta por seu próprio ser. Esta importância tem crescido em tal magnitude que a pergunta sobre o que é o homem ocupa o ponto central das preocupações teológicas e filosóficas da presente geração. A inquietação vai além da pergunta: o que é o homem? Envolve o que o homem tem sido.A inquietação vai além da pergunta: o que é o homem? Envolve o que o homem tem sido.

5 A DOUTRINA DO HOMEM Tão problemática é a situação do homem moderno que nem sequer pode aceitar o transcendente. Seu excessivo racionalismo o induz a descartar as possibilidades da fé e a desconhecer a revelação de Deus. Os chineses falam de dois homens bons: o que está morto e o que não nasceu. Oliveira, Sabedoria Concentrada, p.141.Oliveira, Sabedoria Concentrada, p.141.

6 A DOUTRINA DO HOMEM Em realidade existem três possíveis caminhos que podem trazer possíveis respostas à pergunta: que é o homem? Estes são: a filosofia, a teologia e a Bíblia ou palavra revelada por Deus. Cada um deles produz um tipo específico de antropologia.Em realidade existem três possíveis caminhos que podem trazer possíveis respostas à pergunta: que é o homem? Estes são: a filosofia, a teologia e a Bíblia ou palavra revelada por Deus. Cada um deles produz um tipo específico de antropologia.

7 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA PR. GONDIM. PR. GONDIM.

8 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA Segundo Kierkegaard, o maior problema que enfrenta o homem é sua própria alienação, que surge das destruídas relações do homem consigo mesmo. Sugere que a solução para esta alienação se encontra na reintegração do próprio eu, a qual deve surgir como resultado de uma fé religiosa.Segundo Kierkegaard, o maior problema que enfrenta o homem é sua própria alienação, que surge das destruídas relações do homem consigo mesmo. Sugere que a solução para esta alienação se encontra na reintegração do próprio eu, a qual deve surgir como resultado de uma fé religiosa. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

9 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA Segundo Sartre, ao homem corresponde uma liberdade absoluta com a qual chega a ser independente de toda ordem, de toda lei e de todo objetivo. É um ser completamente entregue a si mesmo e às suas decisões. O que é que o homem consegue realmente com esta liberdade? O próprio Sartre reconhece que esta liberdade priva o homem de toda base sobre a qual pretende construir suas ações e portanto nenhuma ação pode ser boa, mas apenas uma dádiva cruel que o condena à liberdade como uma maldição. O homem não é uma realidade completa. É somente sua própria possibilidade, é apenas um projeto de si mesmo.Segundo Sartre, ao homem corresponde uma liberdade absoluta com a qual chega a ser independente de toda ordem, de toda lei e de todo objetivo. É um ser completamente entregue a si mesmo e às suas decisões. O que é que o homem consegue realmente com esta liberdade? O próprio Sartre reconhece que esta liberdade priva o homem de toda base sobre a qual pretende construir suas ações e portanto nenhuma ação pode ser boa, mas apenas uma dádiva cruel que o condena à liberdade como uma maldição. O homem não é uma realidade completa. É somente sua própria possibilidade, é apenas um projeto de si mesmo. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

10 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA Herbert Marcuse, considera que a verdadeira face de nosso tempo é delineada com os conflitos interiores do homem solitário, porém sua história real está na luta titânica da ação política. Deste modo ele expõe uma relação íntima entre a temática existencialista e os conteúdos da política. A política não pode atuar somente na vida externa do homem, deve também incorporar seu eu interior.Herbert Marcuse, considera que a verdadeira face de nosso tempo é delineada com os conflitos interiores do homem solitário, porém sua história real está na luta titânica da ação política. Deste modo ele expõe uma relação íntima entre a temática existencialista e os conteúdos da política. A política não pode atuar somente na vida externa do homem, deve também incorporar seu eu interior. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

11 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA Para Karl Marx o homem como indivíduo modifica-se no curso da história. Desenvolve-se. Transforma-se. É o produto da história. O homem faz a história e é o produto de seu próprio feito. O homem é aquilo que ele fez de si mesmo e a história é o registro da auto- realização do homem. O homem não é um ser passivo. É ativo e produtivo. Compreende e controla o mundo objetivo com suas próprias faculdades.Para Karl Marx o homem como indivíduo modifica-se no curso da história. Desenvolve-se. Transforma-se. É o produto da história. O homem faz a história e é o produto de seu próprio feito. O homem é aquilo que ele fez de si mesmo e a história é o registro da auto- realização do homem. O homem não é um ser passivo. É ativo e produtivo. Compreende e controla o mundo objetivo com suas próprias faculdades. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

12 SÓCRATES Sua missão era levar os cidadãos à conversão moral. Em nome dessa missão desprezava honras, dinheiro e até a própria vida. A filosofia socrática foi marcada pela inabalável certeza de que o homem é capaz de atingir a verdade. O pressuposto para atingir a verdade é a humildade e o método, o diálogo. Sua missão era levar os cidadãos à conversão moral. Em nome dessa missão desprezava honras, dinheiro e até a própria vida. A filosofia socrática foi marcada pela inabalável certeza de que o homem é capaz de atingir a verdade. O pressuposto para atingir a verdade é a humildade e o método, o diálogo.

13 Os vossos anos são como um só dia, e vosso dia não se repete de modo que passa a chamar-se cotidiano, mas é um perpétuo hoje, porque esse vosso hoje não se afasta do amanhã, nem sucede o ontem. O vosso hoje é a eternidade.Os vossos anos são como um só dia, e vosso dia não se repete de modo que passa a chamar-se cotidiano, mas é um perpétuo hoje, porque esse vosso hoje não se afasta do amanhã, nem sucede o ontem. O vosso hoje é a eternidade. –Agostinho, Os pensadores, p Os vossos anos são como um só dia, e vosso dia não se repete de modo que passa a chamar-se cotidiano, mas é um perpétuo hoje, porque esse vosso hoje não se afasta do amanhã, nem sucede o ontem. O vosso hoje é a eternidade.Os vossos anos são como um só dia, e vosso dia não se repete de modo que passa a chamar-se cotidiano, mas é um perpétuo hoje, porque esse vosso hoje não se afasta do amanhã, nem sucede o ontem. O vosso hoje é a eternidade. –Agostinho, Os pensadores, p Agostinho

14 Agostinho A CIDADE DE DEUS Amando-se uns aos outros no amor a Deus, os cristãos, embora vivam nas cidades temporais, constituem os habitantes da eterna cidade de Deus. Na aparência, ela se confunde com as outras, como o povo cristãos com os outros povos, mas o sentido da história e sua razão e sua razão de ser é a construção da cidade de Deus, em toda parte e todo tempo.Amando-se uns aos outros no amor a Deus, os cristãos, embora vivam nas cidades temporais, constituem os habitantes da eterna cidade de Deus. Na aparência, ela se confunde com as outras, como o povo cristãos com os outros povos, mas o sentido da história e sua razão e sua razão de ser é a construção da cidade de Deus, em toda parte e todo tempo. Barsa, p.144Barsa, p.144 Amando-se uns aos outros no amor a Deus, os cristãos, embora vivam nas cidades temporais, constituem os habitantes da eterna cidade de Deus. Na aparência, ela se confunde com as outras, como o povo cristãos com os outros povos, mas o sentido da história e sua razão e sua razão de ser é a construção da cidade de Deus, em toda parte e todo tempo.Amando-se uns aos outros no amor a Deus, os cristãos, embora vivam nas cidades temporais, constituem os habitantes da eterna cidade de Deus. Na aparência, ela se confunde com as outras, como o povo cristãos com os outros povos, mas o sentido da história e sua razão e sua razão de ser é a construção da cidade de Deus, em toda parte e todo tempo. Barsa, p.144Barsa, p.144

15 POTÊNCIA E ATO A essência das coisas não está fora delas, mas nelas mesmas. 1.Potência – O que está contido numa matéria e pode vir a existir. Exemplo: A semente é uma árvore impotencial 2.Ato – Atualidade de uma matéria, sua forma num dado instante de tempo. O ato é a forma que atualizou uma potência contida na matéria. POTÊNCIA E ATO A essência das coisas não está fora delas, mas nelas mesmas. 1.Potência – O que está contido numa matéria e pode vir a existir. Exemplo: A semente é uma árvore impotencial 2.Ato – Atualidade de uma matéria, sua forma num dado instante de tempo. O ato é a forma que atualizou uma potência contida na matéria. ARISTÓTELES

16 O CONHECIMENTO O conhecimento funda-se no sensitivo. Partindo da sensação até a intelecção. A FELICIDADE A perfeita felicidade não pode se constituir só na contemplação das idéias, mas exige também uma adequada satisfação dos sentidos. O CONHECIMENTO O conhecimento funda-se no sensitivo. Partindo da sensação até a intelecção. A FELICIDADE A perfeita felicidade não pode se constituir só na contemplação das idéias, mas exige também uma adequada satisfação dos sentidos. ARISTÓTELES

17 O HOMEM O homem não é só alma, como dizia Platão, mas é o resultado de uma união substancial da alma e corpo, a primeira concebida como forma e a segunda como matéria. 1. Alma – Forma 2. Corpo – Matéria O HOMEM O homem não é só alma, como dizia Platão, mas é o resultado de uma união substancial da alma e corpo, a primeira concebida como forma e a segunda como matéria. 1. Alma – Forma 2. Corpo – Matéria ARISTÓTELES

18 Existe a essência de um Ser eterno, imutável, imperecível, sempre idêntico a si mesmo, perfeito, imaterial, conhecido apenas pelo intelecto, que o conhece como separado de nosso mundo, superior a tudo que existe, e que é o Ser por excelência: o Ser Divino. As coisas se transformam porque desejam encontrar sua essência total e perfeita. É pela mudança incessante que buscam imitar o que não muda nunca. Existe a essência de um Ser eterno, imutável, imperecível, sempre idêntico a si mesmo, perfeito, imaterial, conhecido apenas pelo intelecto, que o conhece como separado de nosso mundo, superior a tudo que existe, e que é o Ser por excelência: o Ser Divino. As coisas se transformam porque desejam encontrar sua essência total e perfeita. É pela mudança incessante que buscam imitar o que não muda nunca. ARISTÓTELES

19 O Ser Divino é o Primeiro Motor Imóvel do mundo, isto é, aquilo que, sem agir diretamente sobre as coisas, ficando a distância delas, as atrai e é desejado por elas. Tal desejo as faz mudar para um dia, não mais mudar (Esse desejo, diz Aristóteles, explica porque há o devir e porque o devir é eterno, pois as coisas naturais nunca poderão alcançar o que desejamos, isto é, a perfeição imutável). O Ser Divino é o Primeiro Motor Imóvel do mundo, isto é, aquilo que, sem agir diretamente sobre as coisas, ficando a distância delas, as atrai e é desejado por elas. Tal desejo as faz mudar para um dia, não mais mudar (Esse desejo, diz Aristóteles, explica porque há o devir e porque o devir é eterno, pois as coisas naturais nunca poderão alcançar o que desejamos, isto é, a perfeição imutável). ARISTÓTELES

20 DESCARTES Decartes faz a hipótese extrema, cética, de que todo o saber possa ser ou um sonho ou um engano de um todo-poderoso gênio malígno, de um supremo principio irracional,que, em lugar de um Deus sapiente, presida ao universo e possa, portanto, nos enganar de todo em nosso conhecimento.

21 DESCARTES Admitido isso, segue-se logicamente também a desvalorização de todos os conhecimentos recebidos por tradição;pois estes conhecimentos poderiam ter sido comprometidos por aquela radical incapacidade humana de conhecer a verdade Padovani, História da filosofia,p Admitido isso, segue-se logicamente também a desvalorização de todos os conhecimentos recebidos por tradição;pois estes conhecimentos poderiam ter sido comprometidos por aquela radical incapacidade humana de conhecer a verdade Padovani, História da filosofia,p

22 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE PR. GONDIM. PR. GONDIM.

23 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE O homem foi originariamente dotado de nobres faculdades e de um espírito bem equilibrado. Era um ser perfeito, e estava em harmonia com Deus. Seus pensamentos eram puros, santos os seus intentos. Mas pela desobediência, suas faculdades foram pervertidas, e o egoísmo tomou o lugar do amor. Sua natureza tornou-se tão enfraquecida pela transgressão que lhe era impossível, em sua própria força, resistir ao poder do mal. Fez-se cativo de Satanás, e assim teria permanecido para sempre se Deus não tivesse intervindo de modo especial.O homem foi originariamente dotado de nobres faculdades e de um espírito bem equilibrado. Era um ser perfeito, e estava em harmonia com Deus. Seus pensamentos eram puros, santos os seus intentos. Mas pela desobediência, suas faculdades foram pervertidas, e o egoísmo tomou o lugar do amor. Sua natureza tornou-se tão enfraquecida pela transgressão que lhe era impossível, em sua própria força, resistir ao poder do mal. Fez-se cativo de Satanás, e assim teria permanecido para sempre se Deus não tivesse intervindo de modo especial. Caminho a Cristo, p. 17.Caminho a Cristo, p. 17.

24 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE Era desígnio do tentador frustrar o plano divino quanto à criação do homem, e encher a Terra de miséria e desolação. E todo este mal ele apontava como conseqüência da criação do homem por Deus.Era desígnio do tentador frustrar o plano divino quanto à criação do homem, e encher a Terra de miséria e desolação. E todo este mal ele apontava como conseqüência da criação do homem por Deus. Caminho a Cristo, p. 17.Caminho a Cristo, p. 17.

25 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE " Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte?" Rom. 7:24. Tal é o brado que tem subido de corações oprimidos, em todas as terras e em todos os tempos. Para todos só existe uma resposta: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." João 1:29." Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte?" Rom. 7:24. Tal é o brado que tem subido de corações oprimidos, em todas as terras e em todos os tempos. Para todos só existe uma resposta: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." João 1:29. Caminho a Cristo, p. 19.Caminho a Cristo, p. 19.

26 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE A importância de buscar um completo conhecimento das Escrituras dificilmente pode ser avaliada. "Divinamente inspirada", capaz de nos fazer sábios "para a salvação", tornando o homem de Deus "perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra" (II Tim. 3:15-17), a Bíblia tem o mais sagrado direito à nossa reverente atenção.A importância de buscar um completo conhecimento das Escrituras dificilmente pode ser avaliada. "Divinamente inspirada", capaz de nos fazer sábios "para a salvação", tornando o homem de Deus "perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra" (II Tim. 3:15-17), a Bíblia tem o mais sagrado direito à nossa reverente atenção. Conselhos a professores, pais e estudantes, p. 139.Conselhos a professores, pais e estudantes, p. 139.

27 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE A violação da lei física e sua conseqüência - o sofrimento humano - têm prevalecido por tanto tempo, que homens e mulheres consideram o presente estado de doença, sofrimento, debilidade e morte prematura, como a sorte destinada aos seres humanos. O homem saiu das mãos do Criador perfeito e belo na forma, e de tal modo dotado de força vital que levou mais de mil anos para que os corruptos apetites e paixões, bem como a geral violação da lei física, fossem sensivelmente notados.A violação da lei física e sua conseqüência - o sofrimento humano - têm prevalecido por tanto tempo, que homens e mulheres consideram o presente estado de doença, sofrimento, debilidade e morte prematura, como a sorte destinada aos seres humanos. O homem saiu das mãos do Criador perfeito e belo na forma, e de tal modo dotado de força vital que levou mais de mil anos para que os corruptos apetites e paixões, bem como a geral violação da lei física, fossem sensivelmente notados. Conselhos sobre educação, p.9.Conselhos sobre educação, p.9.

28 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE Todo homem tem, em grande medida, a oportunidade de fazer de si mesmo aquilo que escolher ser. As bênçãos desta vida, bem como do estado imortal, estão ao seu alcance. Ele pode edificar um caráter de sólido valor, ganhando nova força a cada passo. Pode avançar diariamente em conhecimento e sabedoria, cônscio de novas luzes ao progredir, acrescentando virtude a virtude, graça a graça. Suas faculdades melhorarão com o uso; quanto mais sabedoria alcança, maior será sua capacidade de conquista. Sua inteligência, conhecimento e virtude, desenvolver-se-ão assim com maior força e mais perfeita simetria.Todo homem tem, em grande medida, a oportunidade de fazer de si mesmo aquilo que escolher ser. As bênçãos desta vida, bem como do estado imortal, estão ao seu alcance. Ele pode edificar um caráter de sólido valor, ganhando nova força a cada passo. Pode avançar diariamente em conhecimento e sabedoria, cônscio de novas luzes ao progredir, acrescentando virtude a virtude, graça a graça. Suas faculdades melhorarão com o uso; quanto mais sabedoria alcança, maior será sua capacidade de conquista. Sua inteligência, conhecimento e virtude, desenvolver-se-ão assim com maior força e mais perfeita simetria. Conselho sobre regime alimentar, p.15.Conselho sobre regime alimentar, p.15.

29 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE O Criador do homem organizou a maquinaria viva de nosso corpo. Cada função é maravilhosa e sabiamente arranjada. E Deus Se comprometeu a manter esta maquinaria humana em saudável funcionamento desde que o instrumento humano obedeça a Suas leis e coopere com Ele. Cada lei governadora da máquina humana deve ser considerada tão divina na origem, caráter e importância como a Palavra de Deus. Cada ação descuidada e desatenta, qualquer abuso imposto ao maravilhoso mecanismo do Senhor, pelo desrespeito a Suas peculiares leis na habitação humana, é uma violação da lei de Deus.O Criador do homem organizou a maquinaria viva de nosso corpo. Cada função é maravilhosa e sabiamente arranjada. E Deus Se comprometeu a manter esta maquinaria humana em saudável funcionamento desde que o instrumento humano obedeça a Suas leis e coopere com Ele. Cada lei governadora da máquina humana deve ser considerada tão divina na origem, caráter e importância como a Palavra de Deus. Cada ação descuidada e desatenta, qualquer abuso imposto ao maravilhoso mecanismo do Senhor, pelo desrespeito a Suas peculiares leis na habitação humana, é uma violação da lei de Deus. Conselho sobre regime alimentar, p.17Conselho sobre regime alimentar, p.17

30 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE Um poder acima e de fora do homem deve atuar nele, para que sólidas vigas sejam introduzidas no edifício de seu caráter. A presença de Deus deve permanecer no santuário interior da alma. "Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivente, como Ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o Meu povo." II Cor. 6:16. "Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado." I Cor. 3:16 e Um poder acima e de fora do homem deve atuar nele, para que sólidas vigas sejam introduzidas no edifício de seu caráter. A presença de Deus deve permanecer no santuário interior da alma. "Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivente, como Ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o Meu povo." II Cor. 6:16. "Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado." I Cor. 3:16 e E Recebereis Poder – Meditação matinal, p. 44.E Recebereis Poder – Meditação matinal, p. 44.

31 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE O Céu encheu-se de tristeza quando se compreendeu que o homem estava perdido, que o mundo que Deus criara deveria encher-se de mortais condenados à miséria, enfermidade e morte, e não haveria um meio de livramento para o transgressor. A família inteira de Adão deveria morrer. Vi o adorável Jesus e contemplei uma expressão de simpatia e tristeza em Seu rosto. Logo eu O vi aproximar-Se da luz extraordinariamente brilhante que cercava o Pai. Disse meu anjo assistente: Ele está em conversa íntima com o Pai. A ansiedade dos anjos parecia ser intensa, enquanto Jesus Se comunicava com Seu Pai. Três vezes foi encerrado pela luz gloriosa que havia em redor do Pai; na terceira vez, Ele veio de Seu Pai, e podia ser visto. Seu semblante estava calmo, livre de toda perplexidade e inquietação, e resplandecia de benevolência e amabilidade, tais como não podem exprimir as palavras.O Céu encheu-se de tristeza quando se compreendeu que o homem estava perdido, que o mundo que Deus criara deveria encher-se de mortais condenados à miséria, enfermidade e morte, e não haveria um meio de livramento para o transgressor. A família inteira de Adão deveria morrer. Vi o adorável Jesus e contemplei uma expressão de simpatia e tristeza em Seu rosto. Logo eu O vi aproximar-Se da luz extraordinariamente brilhante que cercava o Pai. Disse meu anjo assistente: Ele está em conversa íntima com o Pai. A ansiedade dos anjos parecia ser intensa, enquanto Jesus Se comunicava com Seu Pai. Três vezes foi encerrado pela luz gloriosa que havia em redor do Pai; na terceira vez, Ele veio de Seu Pai, e podia ser visto. Seu semblante estava calmo, livre de toda perplexidade e inquietação, e resplandecia de benevolência e amabilidade, tais como não podem exprimir as palavras. História da Redenção, p.42História da Redenção, p.42

32 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE Fez então saber ao exército angelical que um meio de livramento fora estabelecido para o homem perdido. Dissera-lhes que estivera a pleitear com Seu Pai, oferecera-Se para dar Sua vida como resgate e tomar sobre Si a sentença de morte, a fim de que por meio dEle o homem pudesse encontrar perdão...Fez então saber ao exército angelical que um meio de livramento fora estabelecido para o homem perdido. Dissera-lhes que estivera a pleitear com Seu Pai, oferecera-Se para dar Sua vida como resgate e tomar sobre Si a sentença de morte, a fim de que por meio dEle o homem pudesse encontrar perdão... História da Redenção, p.42.História da Redenção, p.42.

33 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE O Universo está contemplando a controvérsia que se desenrola na Terra. A um custo infinito, tem Deus provido para cada homem a oportunidade de conhecer aquilo que o tornará sábio para a salvação. Quão ansiosamente olham os anjos para ver quem se aproveitará dessa oportunidade!O Universo está contemplando a controvérsia que se desenrola na Terra. A um custo infinito, tem Deus provido para cada homem a oportunidade de conhecer aquilo que o tornará sábio para a salvação. Quão ansiosamente olham os anjos para ver quem se aproveitará dessa oportunidade! Maranata – Meditação matinal, p.21.Maranata – Meditação matinal, p.21.

34 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE Todo homem tem hábitos corruptos e pecaminosos que precisam ser vencidos por combate vigoroso. Requer-se de toda alma que combata o combate da fé. Se alguém é seguidor de Cristo, não pode ser astuto no negócio, não pode ser duro de coração, falto de compaixão. Não pode ser vulgar na linguagem. Não pode ser cheio de arrogância e presunção. Não pode ser despótico, nem usar palavras ásperas, e censurar e condenar.Todo homem tem hábitos corruptos e pecaminosos que precisam ser vencidos por combate vigoroso. Requer-se de toda alma que combata o combate da fé. Se alguém é seguidor de Cristo, não pode ser astuto no negócio, não pode ser duro de coração, falto de compaixão. Não pode ser vulgar na linguagem. Não pode ser cheio de arrogância e presunção. Não pode ser despótico, nem usar palavras ásperas, e censurar e condenar. Mensagens escolhidas,V.II, p.20.Mensagens escolhidas,V.II, p.20.

35 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE Mediante a obediência as leis de Deus, pode o homem ser um conquistador de si mesmo, conquistador de suas próprias inclinações, conquistador de principados e potestades, dos "príncipes das trevas deste século", e das "hostes espirituais". Efés. 6:12.Mediante a obediência as leis de Deus, pode o homem ser um conquistador de si mesmo, conquistador de suas próprias inclinações, conquistador de principados e potestades, dos "príncipes das trevas deste século", e das "hostes espirituais". Efés. 6:12. Mente, caráter e personalidade, V.II, p.407.Mente, caráter e personalidade, V.II, p.407.

36 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE O homem ou a mulher que preservam o equilíbrio da mente, ao serem tentados a condescender com a paixão, está diante de Deus e dos anjos celestiais numa posição mais elevada que o mais renomado general que já conduziu um exército à batalha e à vitória.O homem ou a mulher que preservam o equilíbrio da mente, ao serem tentados a condescender com a paixão, está diante de Deus e dos anjos celestiais numa posição mais elevada que o mais renomado general que já conduziu um exército à batalha e à vitória. Orientação da Criança, p.95.Orientação da Criança, p.95.

37 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE O despojar o homem da liberdade de escolha seria privá-lo de sua prerrogativa de um ser inteligente, e fazer dele um mero autômato. Não é propósito de Deus coagir a vontade. O homem foi criado como ser moral livre. Como os habitantes de todos os outros mundos, devia ser sujeito à prova da obediência; mas nunca é levado a uma posição tal em que render-se ao mal, se torne coisa forçosa. Nenhuma tentação ou prova se permite vir àquele que é incapaz de resistir.O despojar o homem da liberdade de escolha seria privá-lo de sua prerrogativa de um ser inteligente, e fazer dele um mero autômato. Não é propósito de Deus coagir a vontade. O homem foi criado como ser moral livre. Como os habitantes de todos os outros mundos, devia ser sujeito à prova da obediência; mas nunca é levado a uma posição tal em que render-se ao mal, se torne coisa forçosa. Nenhuma tentação ou prova se permite vir àquele que é incapaz de resistir. Mente, caráter e personalidade, V.II, p.421.Mente, caráter e personalidade, V.II, p.421.

38 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE Será que o homem, criado à semelhança de Deus, dotado de raciocínio e linguagem, seja o único indigno de Suas dádivas e desobediente à Sua vontade? Causarão unicamente os seres racionais confusão em nosso mundo?Será que o homem, criado à semelhança de Deus, dotado de raciocínio e linguagem, seja o único indigno de Suas dádivas e desobediente à Sua vontade? Causarão unicamente os seres racionais confusão em nosso mundo? Parábolas de Jesus, p.82Parábolas de Jesus, p.82

39 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE Unicamente ao homem, a coroa de Sua criação, Deus deu uma consciência para reconhecer as sagradas reivindicações da lei divina, e deu-lhe um coração capaz de amá-la como lei santa, justa e boa. É requerida do homem pronta e perfeita obediência. Todavia, Deus não o obriga a obedecer; deixa-o como livre agente moral.Unicamente ao homem, a coroa de Sua criação, Deus deu uma consciência para reconhecer as sagradas reivindicações da lei divina, e deu-lhe um coração capaz de amá-la como lei santa, justa e boa. É requerida do homem pronta e perfeita obediência. Todavia, Deus não o obriga a obedecer; deixa-o como livre agente moral. Reavivamento e seus resultados, p.30.Reavivamento e seus resultados, p.30.

40 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE Com quase impaciente ansiedade esperam os anjos nossa cooperação; pois o homem deve ser o instrumento para comunicar com o homem. E, quando nos entregamos a Cristo numa consagração de toda a alma, os anjos se alegram de poderem falar por meio de nossa voz, para revelar o amor de Deus.Com quase impaciente ansiedade esperam os anjos nossa cooperação; pois o homem deve ser o instrumento para comunicar com o homem. E, quando nos entregamos a Cristo numa consagração de toda a alma, os anjos se alegram de poderem falar por meio de nossa voz, para revelar o amor de Deus. Serviço Cristão, p.9.Serviço Cristão, p.9.

41 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA NA PERSPECTIVA DE ELLEN WHITE DE ELLEN WHITE Devemos ser obreiros diligentes; o homem ocioso é uma criatura infeliz. Mas que desculpa pode ser apresentada para a ociosidade na grande obra para cuja realização Cristo deu a vida? As faculdades espirituais deixam de existir se não são exercitadas, e é propósito de Satanás que elas pereçam.Devemos ser obreiros diligentes; o homem ocioso é uma criatura infeliz. Mas que desculpa pode ser apresentada para a ociosidade na grande obra para cuja realização Cristo deu a vida? As faculdades espirituais deixam de existir se não são exercitadas, e é propósito de Satanás que elas pereçam. Serviço Cristão, p.84.Serviço Cristão, p.84.

42 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA PSICOLÓGICA PR. GONDIM. PR. GONDIM.

43 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA PSICOLÓGICA Freud refutou a crença em Deus dizendo que ela é somente uma projeção dos temores e dos desejos inconscientes do homem. Assinalou a existência de uma religião neurótica. Indicou que a liberdade humana não existe, pois os atos dos homens são o resultado de impulsos cegos ou mecanismos produzidos nele por experiências da infância. Refutou a idéia de que o homem é um ser racional, pois segundo ele, muitas vezes, a poderosa razão é simplesmente uma escrava dos instintos irracionais.Freud refutou a crença em Deus dizendo que ela é somente uma projeção dos temores e dos desejos inconscientes do homem. Assinalou a existência de uma religião neurótica. Indicou que a liberdade humana não existe, pois os atos dos homens são o resultado de impulsos cegos ou mecanismos produzidos nele por experiências da infância. Refutou a idéia de que o homem é um ser racional, pois segundo ele, muitas vezes, a poderosa razão é simplesmente uma escrava dos instintos irracionais. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

44 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA PSICOLÓGICA Por outro lado, entretanto, Freud deu uma boa contribuição à antropologia teológica, pois assinalou claramente que o homem deve ser considerado como um ser indivisível e rejeitou o dualismo da mente e o corpo.Por outro lado, entretanto, Freud deu uma boa contribuição à antropologia teológica, pois assinalou claramente que o homem deve ser considerado como um ser indivisível e rejeitou o dualismo da mente e o corpo. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

45 INTELIGÊNCIA EMOCIONAL A forma de um homem se relacionar com sua família, amigos e colegas de trabalho é muito mais importante do que a excelência do seu currículo.

46 INTELIGÊNCIA EMOCIONAL As deficiências da formação profissional podem ser sanadas com um mês de atualização, mas para sanar dificuldades de relacionamento, autoritarismo e descontrole emocional, é preciso uma vida inteira.

47 INTELIGÊNCIA EMOCIONAL Conheço as vossas lágrimas; também eu chorei. Aqueles pesares demasiado profundos para serem desafogados em algum ouvido humano, Eu os conheço. Não penseis que estais perdidos e abandonados. Ainda que a vossa dor não encontre eco em nenhum coração na Terra, olhai para mim e vivei. (White, O Desejado de Todas as Nações, p. 466).

48 A JANELA DE JOHARI A janela de Hohari, criada por Joseph Luft e Harry Ingham, é um modelo que descreve as relações interpessoais, utilizando o princípio básico de que qualquer interação envolve elementos conhecidos e desconhecidos. Esta interação forma quatro áreas que influenciam o relacionamento. Estas áreas recebem os nomes de: CONHECIDA PELOS OUTROS CONHECIDA POR NÓS DESCONHECIDA POR NÓS ÁREAABERTAÁREACEGA ÁREAOCULTA ÁREADESCONHECIDA DESCONHECIDA PELOS OUTROS 2

49

50

51 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA PR. GONDIM. PR. GONDIM.

52 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Karl Rahner, afirma que o homem, por ser a possível alteridade de Deus", nunca pode estar ausente de qualquer teologia porque "nada se pode dizer de Deus sem que, ao mesmo tempo, exista uma referência ao homem.Karl Rahner, afirma que o homem, por ser a possível alteridade de Deus", nunca pode estar ausente de qualquer teologia porque "nada se pode dizer de Deus sem que, ao mesmo tempo, exista uma referência ao homem. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

53 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Pelágio cria que a contínua insistência no fato de que o homem está depravado e debilitado é a causa pela qual cada ser humano peca, pois pensando que ele não pode fazer outra coisa senão pecar, está psicologicamente preparado para cometer o pecado.Pelágio cria que a contínua insistência no fato de que o homem está depravado e debilitado é a causa pela qual cada ser humano peca, pois pensando que ele não pode fazer outra coisa senão pecar, está psicologicamente preparado para cometer o pecado. O único elemento resgatável na doutrina de Pelágio é a ação que estimula a força do exemplo.O único elemento resgatável na doutrina de Pelágio é a ação que estimula a força do exemplo.

54 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Desde cedo deve ser considerado como uma força que se exerce sobre um homem que já possui uma natureza depravada. Este era o caso dos homens que seguiram o exemplo de Caim. A influência exercida sobre seus descendentes por sua vida e ensino, determinou o estado de corrupção que exigiu a destruição do mundo inteiro pelo dilúvio.Desde cedo deve ser considerado como uma força que se exerce sobre um homem que já possui uma natureza depravada. Este era o caso dos homens que seguiram o exemplo de Caim. A influência exercida sobre seus descendentes por sua vida e ensino, determinou o estado de corrupção que exigiu a destruição do mundo inteiro pelo dilúvio. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

55 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Charles Swindoll afirma sobre a igreja: Somos o único exército que conheço que fuzila seus feridos.Charles Swindoll afirma sobre a igreja: Somos o único exército que conheço que fuzila seus feridos. Oliveira, Sabedoria Concentrada, p. 152.Oliveira, Sabedoria Concentrada, p. 152.

56 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Dietrich Bonhoeffer sintetiza suas idéias humanistas em duas frases: "Ser um homem" é ser homem para os outros Nós poderíamos dizer: Ser um homem é ser um cristão, entretanto, Bonhoeffer inverte a frase e diz: Ser um cristão não significa ser religioso de um modo particular, mas ser um homem: E continua: "um homem, simplesmente. A frase: "O homem para os outros" reflete nossa relação com Deus por meio de Cristo, que é "uma nova vida para os outros através da participação do ser de Deus.Dietrich Bonhoeffer sintetiza suas idéias humanistas em duas frases: "Ser um homem" é ser homem para os outros Nós poderíamos dizer: Ser um homem é ser um cristão, entretanto, Bonhoeffer inverte a frase e diz: Ser um cristão não significa ser religioso de um modo particular, mas ser um homem: E continua: "um homem, simplesmente. A frase: "O homem para os outros" reflete nossa relação com Deus por meio de Cristo, que é "uma nova vida para os outros através da participação do ser de Deus. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

57 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Assim, não pense que estou infeliz. Afinal, o que felicidade e infelicidade significam? Elas dependem muito pouco das circunstâncias e muito mais do que se passa dentro de nós.Assim, não pense que estou infeliz. Afinal, o que felicidade e infelicidade significam? Elas dependem muito pouco das circunstâncias e muito mais do que se passa dentro de nós. Bonhoeffer escrevendo para sua noiva Maria, pouco tempo antes de Hitler o condenar à morte.Bonhoeffer escrevendo para sua noiva Maria, pouco tempo antes de Hitler o condenar à morte.

58 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA O homem é um ser religioso. A religião é a ascensão do homem para Deus, a sua progressiva aproximação de Deus. Essa aproximação não é uma exigência imposta de fora, na forma de alguma lei ou decreto baixado pela vontade e pelo poder de Deus (como quando um escravo obedece ao seu senhor); é, antes, uma exigência inscrita no ser profundo do homem, feito à imagem e semelhança de Deus.O homem é um ser religioso. A religião é a ascensão do homem para Deus, a sua progressiva aproximação de Deus. Essa aproximação não é uma exigência imposta de fora, na forma de alguma lei ou decreto baixado pela vontade e pelo poder de Deus (como quando um escravo obedece ao seu senhor); é, antes, uma exigência inscrita no ser profundo do homem, feito à imagem e semelhança de Deus. Mondin, Quem é Deus, p.398.Mondin, Quem é Deus, p.398.

59 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA A atividade religiosa do homem tem fundamento objetivo e, por isso, é plenamente justificada, também diante do tribunal da razão. Por isso, é justo e necessário que o homem seja religioso. Quem não é religioso não enriquece a própria humanidade; não se torna super-homem; antes, vira menos-homem: regride para as condições da animalidade.A atividade religiosa do homem tem fundamento objetivo e, por isso, é plenamente justificada, também diante do tribunal da razão. Por isso, é justo e necessário que o homem seja religioso. Quem não é religioso não enriquece a própria humanidade; não se torna super-homem; antes, vira menos-homem: regride para as condições da animalidade. Mondin, Quem é Deus, p.398.Mondin, Quem é Deus, p.398.

60 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Abraham Heschel declara que "a Bíblia é primeiramente não a visão que o homem tem de Deus, mas a visão que Deus tem do homem. A Bíblia não é a teologia do homem, mas a antropologia de Deus, que trata do homem e daquilo que Ele pede do homem, e não da natureza de Deus. A inspiração de Israel não era conhecer o Absoluto, mas saber o que Ele quer do homem. Comungar com Sua vontade e não com Sua essência.Abraham Heschel declara que "a Bíblia é primeiramente não a visão que o homem tem de Deus, mas a visão que Deus tem do homem. A Bíblia não é a teologia do homem, mas a antropologia de Deus, que trata do homem e daquilo que Ele pede do homem, e não da natureza de Deus. A inspiração de Israel não era conhecer o Absoluto, mas saber o que Ele quer do homem. Comungar com Sua vontade e não com Sua essência. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

61 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Como acertadamente disse Hans Walter Wolff, "cada nova geração deveria fazer-se as perguntas pelo ser do homem". Perguntas tais como as seguintes: "Que é o homem?" (Salmos 8:4; 56 7:17). "Quem sou eu?" (Êxodo 3:11; TI Sam. 7:18). "Homem, quem és tu?" (Gen. 3:9). Existem respostas a estas perguntas, no entanto, não devem ser procuradas fora da fé em Deus.Como acertadamente disse Hans Walter Wolff, "cada nova geração deveria fazer-se as perguntas pelo ser do homem". Perguntas tais como as seguintes: "Que é o homem?" (Salmos 8:4; 56 7:17). "Quem sou eu?" (Êxodo 3:11; TI Sam. 7:18). "Homem, quem és tu?" (Gen. 3:9). Existem respostas a estas perguntas, no entanto, não devem ser procuradas fora da fé em Deus. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

62 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA O relato sobre a criação encontra-se na Bíblia. Está dividido em duas partes: um relatório geral da criação (Gen. 1:1 - 2:3) e depois um relatório específico da criação do ser humano (Gen. 2:4 -25).O relato sobre a criação encontra-se na Bíblia. Está dividido em duas partes: um relatório geral da criação (Gen. 1:1 - 2:3) e depois um relatório específico da criação do ser humano (Gen. 2:4 -25). Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

63 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Tomas de Aquino, baseando-se em Col. 3:10 conclui que a imagem de Deus pertence somente à mente. Ainda que em todas as criaturas exista algum tipo de semelhança com Deus, somente na criatura racional encontramos uma semelhança de imagem.Tomas de Aquino, baseando-se em Col. 3:10 conclui que a imagem de Deus pertence somente à mente. Ainda que em todas as criaturas exista algum tipo de semelhança com Deus, somente na criatura racional encontramos uma semelhança de imagem. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

64 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA A palavra que aparece na deliberação de Deus e Sua resolução a criação do homem (Gn 1:26), são tselem que significa imagem, estátua, esculpido e aparece na Bíblia com o significação de forma ou aparência (Sal. 73:20), expressando algo que é como uma sombra ou imagem (Sal. 39:6), indicando a idéia de uma imagem material (II Reis 11:18; I Sam. 6:5, 11; Eze. 7:20; 16:17; 23:14).A palavra que aparece na deliberação de Deus e Sua resolução a criação do homem (Gn 1:26), são tselem que significa imagem, estátua, esculpido e aparece na Bíblia com o significação de forma ou aparência (Sal. 73:20), expressando algo que é como uma sombra ou imagem (Sal. 39:6), indicando a idéia de uma imagem material (II Reis 11:18; I Sam. 6:5, 11; Eze. 7:20; 16:17; 23:14). Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

65 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Não é estranho que na vida do homem atual se reflita uma desorientação completa, uma frustração constante no trabalho, uma permanente ausência de sentido e um uso irresponsável dos meios naturais. Tudo isto representa uma destruição de seu próprio ser por se haver apartado do conceito bíblico acerca de sua criação. "Deus criou o homem à Sua própria imagem.Não é estranho que na vida do homem atual se reflita uma desorientação completa, uma frustração constante no trabalho, uma permanente ausência de sentido e um uso irresponsável dos meios naturais. Tudo isto representa uma destruição de seu próprio ser por se haver apartado do conceito bíblico acerca de sua criação. "Deus criou o homem à Sua própria imagem. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

66 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Esta ética esta diretamente relacionada com o fato de que a palavra de Cristo deve morar na vida daquele que é transformado à Sua imagem (Col. 3:16), pois Cristo tem a mesma imagem da substância de Deus.Esta ética esta diretamente relacionada com o fato de que a palavra de Cristo deve morar na vida daquele que é transformado à Sua imagem (Col. 3:16), pois Cristo tem a mesma imagem da substância de Deus. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

67 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Cristo também é o poder normativo do homem, especialmente dos eleitos, pois eles devem ser conforme à imagem de Seu Filho(Rom. 8:29) e sua transformação, que deve ser realizada de glória em glória pelo Espírito do Senhor, tem por norma "a mesma imagem" (II Cor. 3:18). O modelo para o progresso do novo homem é também Cristo como imagem de Deus.Cristo também é o poder normativo do homem, especialmente dos eleitos, pois eles devem ser conforme à imagem de Seu Filho(Rom. 8:29) e sua transformação, que deve ser realizada de glória em glória pelo Espírito do Senhor, tem por norma "a mesma imagem" (II Cor. 3:18). O modelo para o progresso do novo homem é também Cristo como imagem de Deus. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

68 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Acerca de Jesus disse Emerson: Seu coração era grande como o mundo, mas não existia nele espaço para guardar a lembrança de um erro.Acerca de Jesus disse Emerson: Seu coração era grande como o mundo, mas não existia nele espaço para guardar a lembrança de um erro. Pr. Oliveira, Sabedoria Concentrada, p. 164.Pr. Oliveira, Sabedoria Concentrada, p. 164.

69 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA A perspectiva bíblica estabelece a plena responsabilidade do homem ao definir o pecado como produto de sua decisão voluntária e deliberada, ela diz que o homem peca pelo fato de haver adquirido uma natureza radicalmente corrupta. Portanto o homem é um ser caído que pertence a uma raça rebelde, cuja única esperança reside na salvação. oferecida por Cristo. A plena responsabilidade que a Bíblia atribui ao homem está baseada no conhecimento que este tem de sua situação pecaminosa.A perspectiva bíblica estabelece a plena responsabilidade do homem ao definir o pecado como produto de sua decisão voluntária e deliberada, ela diz que o homem peca pelo fato de haver adquirido uma natureza radicalmente corrupta. Portanto o homem é um ser caído que pertence a uma raça rebelde, cuja única esperança reside na salvação. oferecida por Cristo. A plena responsabilidade que a Bíblia atribui ao homem está baseada no conhecimento que este tem de sua situação pecaminosa. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

70 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA O maior conflito do homem é descrito em Gn 3:14,15. Então o Senhor Deus disse à serpente: visto que isso fizeste, maldita és entre todos os animais domésticos, e o és entre todos os animais selváticos: rastejaras sobre o teu ventre, e comerás pó, todos os dias da tua vida. Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. Nestes textos, Edmond Jacob vê não somente o conflito entre o homem e a serpente, como também "um início da salvação final do homem" e, em conseqüência, descobre um messianismo universal de significação muito maior que aquele messianismo próprio do povo de Israel.O maior conflito do homem é descrito em Gn 3:14,15. Então o Senhor Deus disse à serpente: visto que isso fizeste, maldita és entre todos os animais domésticos, e o és entre todos os animais selváticos: rastejaras sobre o teu ventre, e comerás pó, todos os dias da tua vida. Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. Nestes textos, Edmond Jacob vê não somente o conflito entre o homem e a serpente, como também "um início da salvação final do homem" e, em conseqüência, descobre um messianismo universal de significação muito maior que aquele messianismo próprio do povo de Israel. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

71 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA O homem errante está privado da morada que Deus criou para ele no principio, e vive na morada que ele construiu com suas próprias mãos. Protege-se assim sob suas próprias obras e com tudo isto procura dar sentido à sua vida. Sentindo que nunca consegue, portanto seu viver diário esta sempre ameaçado pela morte.O homem errante está privado da morada que Deus criou para ele no principio, e vive na morada que ele construiu com suas próprias mãos. Protege-se assim sob suas próprias obras e com tudo isto procura dar sentido à sua vida. Sentindo que nunca consegue, portanto seu viver diário esta sempre ameaçado pela morte. Mario Veloso, Homem – Pessoa ViventeMario Veloso, Homem – Pessoa Vivente

72 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Segundo a Sagrada Escritura, a essência do homem não está na racionalidade, na liberdade, na linguagem, na inventividade, na cultura, na religião, etc., mas na sua capacidade de espelhar e de reproduzir a realidade de Deus, isto é, de ser um ícone divino.Segundo a Sagrada Escritura, a essência do homem não está na racionalidade, na liberdade, na linguagem, na inventividade, na cultura, na religião, etc., mas na sua capacidade de espelhar e de reproduzir a realidade de Deus, isto é, de ser um ícone divino. Mondin, Quem é Deus, p.399.Mondin, Quem é Deus, p.399.

73 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA O ícone instituído por Deus no momento da criação, foi deturpado pelo pecado original e plenamente restaurado por Cristo, Verbo encarnado, ícone consubstancial com o Pai.O ícone instituído por Deus no momento da criação, foi deturpado pelo pecado original e plenamente restaurado por Cristo, Verbo encarnado, ícone consubstancial com o Pai. Mondin, Quem é Deus, p.399.Mondin, Quem é Deus, p.399.

74 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Apesar de sua matriz essencialmente bíblica, a doutrina da iconicidade apresenta títulos de credibilidade também no campo filosófico. O simples fato de ela ter sido ensinada pelo grande Platão já é uma prova: Uma só coisa convém ao homem: procurar fugir deste lugar para um outro, o mais rápido possível. E a fuga é uma imitação de Deus, na medida do possível. E imitação é tornar-se justo e santo, baseados numa visão espiritual e intelectual.Apesar de sua matriz essencialmente bíblica, a doutrina da iconicidade apresenta títulos de credibilidade também no campo filosófico. O simples fato de ela ter sido ensinada pelo grande Platão já é uma prova: Uma só coisa convém ao homem: procurar fugir deste lugar para um outro, o mais rápido possível. E a fuga é uma imitação de Deus, na medida do possível. E imitação é tornar-se justo e santo, baseados numa visão espiritual e intelectual. Mondin, Quem é Deus, p.409.Mondin, Quem é Deus, p.409.

75 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA...Se afinal decidirmos rejeitar a cruz, nosso valor na eternidade será medido pela dor que nossa ausência causará ao coração de Deus....Se afinal decidirmos rejeitar a cruz, nosso valor na eternidade será medido pela dor que nossa ausência causará ao coração de Deus. Lição da Escola Sabatina condensada, p. 37. Lição da Escola Sabatina condensada, p. 37.

76 A DOUTRINA DO HOMEM ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Eis que sois menos do que nada, e menos do que nada é o que fazeis...Eis que sois menos do que nada, e menos do que nada é o que fazeis... Isaías 41:24Isaías 41:24

77 Tudo posso naquele que me fortalece Filipenses. 4:13 Pr. LUIZ CARLOS LISBOA GONDIM.


Carregar ppt "Avaliação Síntese de um livro (quatro capítulos) 4 pontos 100% de uma folha A4 –Espaço simples – Tamanho 12. Pesquisa sobre educação 2 pontos Dois conceitos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google