A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sociedade Gaúcha de Nefrologia II Simpósio Gestão em Diálise Caxias do Sul – RS Agosto 2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sociedade Gaúcha de Nefrologia II Simpósio Gestão em Diálise Caxias do Sul – RS Agosto 2010."— Transcrição da apresentação:

1 Sociedade Gaúcha de Nefrologia II Simpósio Gestão em Diálise Caxias do Sul – RS Agosto 2010

2 Motorola 5S Kaizen Lean BSC Medição de gestão e desempenho Ambiente organizado Ciclo de materiais Uniformização reduzindo falhas Fazer mais com menos Estratégia de negócios – satisfação clientes Sempre possível fazer melhor Ciclo virtuoso de Deming -Visão de qualidade em Saúde – começou com 30 anos de atraso O pilares de Avedis Donabedian

3 Todos os métodos buscam: Processos - uniformidade processos - aumentar eficiência e a eficácia dos processos - documentação e cumprimento rígido dos mesmos - redução de falhas e identificação de oportunidades de melhoria. Custos e Riscos - reduzir custos especialmente por redução do desperdício - redução de riscos pessoais, sociais e ambientais - identificar oportunidades de melhoria e, Satisfação - principalmente, a satisfação de todos os clientes.

4 IMPLEMENTAÇÃO Passos adotados I – Planejamento II – Treinamento III - Implantação IV- Controle V - Obtenção de Indicadores

5 I – Planejamento Planejamento estratégico – Diagnóstico Organizacional e do Trabalho Metas e objetivos Alocação de recursos de todos os tipos

6 II - Treinamento Treinamento e educação continuada da equipe Treinamento em liderança Treinamento no processo de comunicação

7 III – Implantação Elaboração dos procedimentos escritos. Estratégias para atender as necessidades dos clientes. Desenvolvimento do programa de treinamento. Verificação dos pontos críticos. Busca de soluções criativas dos problemas e conflitos. Auditoria do desempenho organizacional e quantificação dos resultados.

8 IV - Controle Avaliação permanente do processo já existente. Adequação do processo baseado no conhecimento científico e administrativo atualizado

9 V - Obtenção de Indicadores: Instrumentos de extrema valia na gestão. Viabilizam a implementação de ações estratégicas a partir dos resultados da avaliação de eficácia nos treinamentos. Descrevem a realidade da empresa (da estrutura, do processo e dos resultados). Permitem benchmarking. Refletem uma administração capacitada, totalmente comprometida com processo de mudança.

10 ??????????

11 Um modelo brasileiro Institutos de Nefrologia de Mogi das Cruzes e Suzano Acreditadas ONA 3 - Excelência

12 Gestão de Qualidade Gestão de Suprimentos Gestão de Apoio Gestão de Atendimento Tratamento Dialítico Gestão de Tecnologia Gestão Administrativa Gestão de Pessoas C O T I S T A S Diretoria de Planejamento e Administração Coordenadoria de Enfermagem e Qualidade Coordenadoria Médica Pacientes Satisfeitos Na eficácia do Tratamento Melhoria Contínua Pacientes Em Início de Tratamento

13 Gestão de Qualidade Gestão de Suprimentos Gestão de Apoio Gestão de Atendimento Tratamento Dialítico Gestão de Tecnologia Gestão Administrativa Gestão de Pessoas C O T I S T A S Diretoria de Planejamento e Administração Coordenadoria de Enfermagem e Qualidade Coordenadoria Médica Pacientes Em Início de Tratamento Pacientes Satisfeitos Na eficácia do Tratamento Melhoria Contínua Índice horas extras absenteísmo Consumo de produtos Índice satisfação recepção Indicadores financeiros % KT/V >= 1,2 Acidente pérfuro-cortante Índice satisfação usuário interno

14 Gestão da Qualidade em TRS Processo Análise do KT/V Meta Manter KT/V 1,2 Valor 80% dos pacientes com KT/V 1,2 Prazo 12 meses Objetivo Oferecer maior dose de diálise adequando tempo, superfície de membrana, fluxo de sangue e de dialisato. Oportunidade de melhoria Implantação capilar de alto fluxo Responsável pelo Processo Equipes Médica e de Enfermagem Responsável Gerenciamento Equipe Médica Periodicidade da Avaliação Mensal

15 O que e como fazemos... Gestão da Qualidade em Água Gestão de Equipamentos Gestão Clínica e Indicadores - Infecção - Acesso vascular - DP IHS

16 ÁguaÁgua

17 L.A.L. 0,25 EU 0,125 EU Culturas Seriadas

18 Looping Máquinas UFC/mL Looping pós Carvão UFC/mL Looping Reuso

19 Energia elétrica – 9,8 a 11,3 kwh/sessão - R$ 3,00 / sessão - R$ 3,00 / sessão Água - 0,4m3 / sessão - R$ 6,00 / sessão - R$ 6,00 / sessão Controle de qualidade – R$ 0,70 / sessão Controle de qualidade – R$ 0,70 / sessão Manutenção TA e máquinas HD – R$ 2,95 / sessão (com mão obra) HD – R$ 2,95 / sessão (com mão obra) Tratamento de Água Resina Abrandador – R$ 0,016 / sessão Filtro de carvão – R$ 0,10 / sessão Membranas – R$ 0,13 / sessão Demais componentes ( filtros / peças de corretivas) – R$ 0,05 / sessão

20 Programa de qualidade – PQ PQ n o XXX Man Data de abertura: 09/06/2010 Setor: Manutenção Equipamento / Sistema: Tratamento de àgua Melhoria da qualidade / Problema encontrado: Breve descrição da falha ou ocorrência técnica ou ainda descrição da oportunidade de melhorias encontradas Pessoas envolvidas no processo: Nome das pessoas que estão diretamente envolvido no processo. Plano de ação: - Ordem das atividades a serem realizadas, incluindo o agendamento prévio dos ensaios laboratoriais necessários. Procedimento realizado/ Resultado obtido: Descrição resumida dos procedimentos realizados informando a data da realização e qual foi o resultado obtido.

21

22

23 Disponibilidade – Tempo de uso efetivo / tempo de uso - 97% Disponibilidade – Tempo de uso efetivo / tempo de uso - 97% MTBF – 7,03 meses MTBF – 7,03 meses Custo por sessão – R$ 0,47 Custo por sessão – R$ 0,47 Número médio sessões sem defeito – 427 Número médio sessões sem defeito – 427 Taxa defeitos / sessão – 0,002 Taxa defeitos / sessão – 0,002 Taxa defeitos / máquina – 4,59 Taxa defeitos / máquina – 4,59 Custo médio mensal por máquina– R$ 40,01 Custo médio mensal por máquina– R$ 40,01

24

25 Infecção

26 pacientes expostos 362 tratamentos 120 pacientes tratados 46 antibioticoprofilaxia 56% - nenhum ciclo 8% pts. – 33% trat/os.

27 Antibiótico X Sítio

28 8,84% - Vancomicina – isolado ou associada Antibioticoterapia

29 PLAN incidência BRC Utilização de Citrato DO Treinamento Equipe Inicia uso Citrato Coleta dados PCPIEA CHECK Verificação Metas X Resultados Redução da incidência ACTION Instituição do Citrato Uso de TEGO PDCA – Infecção da Corrente Sanguínea – CDL LP 10 episódios / 1000 pts.dia

30 Ocorrência de Eventos Adversos Eventos G1 (n= 31) Heparina G2 (n=34) Citrato p Pirogenias1160,294 Bacteremias por Gram positivos (%) por Gram negativos (%) 17 4 (24) 13 (76) 1 1 (100) 0 <0,001 Tromboses430,830 Hospitalizações1240,055 Óbitos360,296 Uso de citrato trissódico 46,7%

31 1. Economia da vasculatura 2. Equipe multidisciplinar 3. Relação profissional com equipe cirúrgica. Indicadores para acesso vascular Indicadores para acesso vascular - Sobrevida média das FAV – 30 meses - < 15% de cateteres - Falha primária < 15% - < 10% de próteses PTFE.

32 DPDP

33 Ano Annual GrossAt RiskTxPeritonites % Culturas Índice Peritonite Média de dias Mortality Positiva s1 : x mesespor pacienteinternado ,17 94, ,5713, ,78 6,63 188, ,73 7,89 217,19 6, ,288, ,06 9,38 204,03 6, ,7412, ,75 10,62 218,25 5, ,768,003771,42 26,99 229,96 2, ,6418,520580,00 47,45 271,81 2, ,0514,812333,33 81,25 277,41 1, ,6311, ,00 62,51 282,52 2, ,414,005475,00 69,52 290,12 2,52 Indicadores em Diálise Peritoneal

34

35

36 O que os modelos e a prática nos mostram: - não é possível ser só nefrologista administrador nefrologista ou nefrologista administrador ? - profissionalização em todos os níveis – pessoa física e pessoa jurídica. - definição clara de objetivos /metas. - não contrariar a cultura da sua empresa. - ninguém conhece melhor seu negócio do que você - O ganha ganha só ocorre quando há simbiose e troca de experiências.

37 O que cada um precisa responder Onde eu quero chegar ? O que espero da minha empresa ? O que espero da minha atividade profissional ? Quais meus projetos de curto, médio e longo prazo ? Sucessão...

38 "The definition of insanity is doing the same thing over and over again and expecting different results." - Albert Einstein "The definition of insanity is doing the same thing over and over again and expecting different results." Albert Einstein


Carregar ppt "Sociedade Gaúcha de Nefrologia II Simpósio Gestão em Diálise Caxias do Sul – RS Agosto 2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google