A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

OHSAS 18001 Occupational Health and Safety Assessment Series - 18001 : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series - 18001 : 1999 RicardoBarata.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "OHSAS 18001 Occupational Health and Safety Assessment Series - 18001 : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series - 18001 : 1999 RicardoBarata."— Transcrição da apresentação:

1 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST LOCAL

2 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Evolução Histórica BS 8800 (BSI) Safety Cert (BVQI) SMS 8800 (LQRA) ISA 2000 (SGS + ISMOL) OHSHS (DNV) NSAI SR 320 (NSAI) AS/NZ 4801(AS + NZ) UNE (AENOR)

3 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Evolução Histórica (cont.) Reunião do ISO TMB (Genebra, 27 e 28 de Janeiro de 1997) O TMB decidiu não empreender, de momento, nenhuma acção, para iniciar actividades da ISO no domínio da normalização de Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional

4 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Evolução Histórica (cont.) Entre 1998 e 1999 BSI BVQI ISMOL SGS NSAI DNV SFS ICS SA SABS SNZ AENOR SIRIM LQRA OHSAS

5 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Política S&SO Planeamento Implementação e Operação Verificação e Acções Correctivas Revisão pela Direcção Melhoria Contínua Elementos de Sistema de Gestão de S & SO

6 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Política S&SO Revisão pela Direcção Auditoria Feedback da Medição de Performance Planeamento Compromisso com a melhoria contínua Documentada, implementada e mantida Compromisso de cumprimento da legislação Apropriada à natureza e escala dos Riscos Disponível para as partes interessadas POLÍTICA S&SO

7 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Planeamento Política S&SO Auditoria Feedback da Medição de Performance Implementação e Operação Identificação e avaliação de riscos Requisitos legais e outros requisitos Objectivos Programa de gestão de S&SO PLANEAMENTO

8 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Planeamento Auditoria Feedback da Medição de Performance Verificação e Acções Correctivas Estrutura e responsabilidade Formação, sensibilização e competência Consulta e comunicação Documentação Controlo de documentos e dados Controlo operacional Prevenção e resposta a emergências IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO Implementação e Operação

9 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Implementação e Operação Auditoria Feedback da Medição de Performance Revisão pela Direcção VERIFICAÇÃO E ACÇÕES CORRECTIVAS Verificação e Acções Correctivas Monitorização e medição do desempenho Acidentes, incidentes, não conformidades e acções correctivas e preventivas Registo e gestão de registos Auditoria

10 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Verificação e Acções Correctivas Factores Internos Factores Externos Politica Revisão pela direcção Política S&SO Planeamento Implementação e Operação Verificação e Acções Correctivas Revisão pela Direcção Melhoria Contínua

11 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST 4.2 POLÍTICA SST Deve existir uma política de SST, autorizada (aprovada) pelo mais alto nível da organização, que indique claramente os objectivos globais da Segurança e Saúde, e um compromisso para o respectivo desempenho. A política deve: a) ser apropriada à natureza e à escala dos riscos de SST da Organização; b) incluir um compromisso de melhoria contínua; c) incluir o compromisso para, no mínimo, cumprir a legislação de SST em vigor aplicável à Organização, e dar cumprimento às demais exigências que a Organização subscreva; d) ser documentada, implementada e actualizada; e) ser comunicada a todos os trabalhadores, com a intenção que fiquem cientes das suas obrigações individuais em matéria de SST; f) estar disponível para as partes interessadas; e g) ser periodicamente revista para garantir que continua a ser relevante e adequada para a Organização.

12 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST 4.3 PLANEAMENTO Identificação de Perigos e Avaliação e Controlo de Riscos A organização deve estabelecer e manter procedimentos para a identificação dos perigos, avaliação de riscos e a implementação das medidas de controlo necessárias, de forma sistemática. Estes procedimentos devem incluir : actividades de rotina e ocasionais; actividades de todo o pessoal que tem acesso ao local de trabalho (incluindo prestadores de serviços e visitantes); instalações onde existam postos de trabalho (tanto da organização como de terceiros). A organização deve assegurar-se que os resultados destas avaliações e os efeitos destes controlos são considerados quando estabelecer os seus objectivos de SST. A organização deve documentar e manter esta informação actualizada.

13 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Identificação de Perigos e Avaliação e Controlo de Riscos (cont.) A metodologia da organização para a identificação de perigos e avaliação e controlo de riscos deve: –ser definida tendo em conta o âmbito, natureza e tempo para garantir a proactividade em vez da reacção; –estabelecer formas para a classificação dos riscos e identificação daqueles que são para ser eliminados ou controlados por medição como está definido nos pontos e ; –ser consistente com a experiência operacional e com a capacidade de controlo e medição de riscos implementada; –prover-se de dados para determinação dos requisitos das instalações, identificação de necessidades de formação e/ou desenvolvimento do controlo operacional; –prover-se para a monitorização das acções requeridas garantido a eficácia e a oportunidades para a sua implementação.

14 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Requisitos legais e outros requisitos A organização deve estabelecer e manter procedimentos para identificar e ter acesso à legislação e a outros requisitos de SST que lhe são aplicáveis. A organização deve manter essa informação actualizada. Deve comunicar as informações pertinentes sobre requisitos legais e outros requisitos aos seus trabalhadores e às outras partes interessadas Objectivos A organização deve estabelecer e manter Objectivos de SST documentados, em cada nível e função relevante da organização.

15 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Objectivos (cont.) Ao estabelecer e rever os seus objectivos, a organização deve considerar os requisitos legais e outros requisitos, os perigos e riscos de SST, as suas opções tecnológicas, os seus requisitos financeiros, operacionais e de negócios, bem como a posição das partes interessadas. Os objectivos devem ser consistentes com política de SST, incluindo o compromisso com a melhoria contínua. Exemplo: Objectivo Indicador Meta Redução da sinistralidade laboral Índice de frequência dos acidentes de trabalho Redução em 10% em relação ao ano anterior

16 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Programa(s) de Gestão da SST A organização deve estabelecer e manter programa(s) de gestão da SST para atingir os seus objectivos. Esse(s) programa(s) deve(m) incluir a documentação para: a) atribuição de responsabilidades e autoridades em cada função e nível pertinente da organização, visando atingir os objectivos; e b) os recursos e o prazo dentro do qual os objectivos devem ser atingidos. O(s) programa(s) de gestão da SST deve(m) ser revistos em intervalos planeados e regulares. Deve(m) ser alterado(s), onde e quando necessário, para responder a alterações nas actividades, produtos, serviços ou condições operacionais da organização.

17 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Programa(s) de Gestão da SST (cont.) Política Objectivo Meta Prevenção de riscos profissionais Minimizar a exposição ao ruído Exposição do Lepd < 85 dB(A) Acção Recursos Responsável Instalar barreiras acústicas uros Chefe do Departamento Conclusão Março de 2002

18 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST 4.4 IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO Estrutura e Responsabilidade As funções, responsabilidades e autoridades de todo o pessoal que gere, executa e verifica actividades que têm influência sobre os riscos de SST das actividades, instalações e processos da organização, devem ser definidas, documentadas e comunicadas, afim de facilitar a eficácia da gestão da SST. A responsabilidade final pela SST é da alta administração que deve ao seu mais alto nível nomear um dos seus membros, com responsabilidade específica para assegurar que o SGSST está adequadamente implementado e responde em todos os locais de operação dentro da organização. A administração deve providenciar os recursos necessários para a implementação, controlo e melhoria do SGSST.

19 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Estrutura e Responsabilidade (cont.) O representante da administração da organização deve ter funções, responsabilidades e autoridade documentada para: a) assegurar que os requisitos do SGSST são definidos, implementados e mantidos, em conformidade com a especificação; b) reportar à administração o desempenho do SGSST para a revisão e como base para a melhoria do SGSST A Administração deve demonstrar o seu compromisso para a melhoria contínua do desempenho da SST.

20 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Formação, Sensibilização e competência O pessoal deve ser competente para desempenhar as tarefas que possam ter impacto sobre a SST. A competência deve ser definida em termos de educação apropriada, formação e/ou experiência. A organização deve estabelecer e manter procedimentos para assegurar que os seus trabalhadores que tenham funções relevantes estejam conscientes: –da importância da conformidade com a política e procedimentos de SST e com os requisitos do sistema; –as consequências reais ou potenciais para a SST das actividades do seu trabalho e os benefícios da SST decorrentes da melhoria do seu desempenho pessoal; –das suas funções e responsabilidades para atingir a conformidade com a política e procedimentos de SST, e com os requisitos do SGSST, inclusive os requisitos de prevenção e resposta a emergências (ver 4.4.7); –das potências consequências da inobservância dos procedimentos operacionais especificados.

21 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Formação, Sensibilização e competência (cont.) Os procedimentos de formação devem ter em conta os diferentes níveis de : -responsabilidade, capacidade e literacia; e -risco Consulta e Comunicação A organização deve possuir procedimentos que permitam garantir que a informação pertinente sobre SST seja comunicada de e para os trabalhadores e partes interessadas.

22 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Consulta e Comunicação (cont) Os procedimentos para a participação e consulta dos trabalhadores devem estar documentados e as partes interessadas devem ser informadas. Os trabalhadores devem: -ser envolvidos no desenvolvimento e na revisão dos procedimentos de gestão de riscos; -ser consultados sobre todas as mudanças que possam afectar a SST no local de trabalho; -estar representados em matérias de SST; e -estar informados a respeito de quem são os representantes dos trabalhadores em matéria de SST e especificadas as pessoas nomeadas pela gestão (ver 4.4.1).

23 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Documentação A organização deve estabelecer e manter a informação num meio apropriado, em forma de papel ou electrónico, que: a) descreva os elementos essenciais do sistema de gestão e a sua interacção; e b) indique qual a documentação relacionada Controlo de Documentos e Dados A organização deve estabelecer e manter procedimentos para controlar todos os documentos e dados relativos aos requisitos da presente especificação para garantir que: a) possam ser localizados;

24 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Controlo de Documentos e Dados (cont) b) sejam periodicamente analisados, revistos, quando necessário e aprovados quanto à adequabilidade, por pessoas autorizadas; c) os documentos e os dados relevantes se encontrem disponíveis em todos os locais onde sejam efectuadas operações essenciais ao funcionamento eficaz do SGSST; d) os documentos e os dados obsoletos sejam prontamente retirados de todos os pontos de emissão e de utilização, ou de qualquer outra forma protegidos contra utilização indevida; e e) todos os documentos e dados conservados por motivos legais e/ou para preservação de conhecimento se encontrem devidamente identificados.

25 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Controlo Operacional A organização deve identificar as operações e actividades que estão associadas aos riscos identificados e em que seja necessário aplicar medidas de controlo. A organização deve planear estas actividades, incluindo a manutenção, afim de assegurar que são realizadas sob condições especificadas através: a) da definição e manutenção de procedimentos documentados que abranjam situações nas quais a sua inexistência possa conduzir a desvios da política e dos objectivos da SST. b) da definição de critérios operacionais nos procedimentos; c) da definição e manutenção de procedimentos relacionados com riscos para a SST identificáveis em bens, equipamentos e serviços adquiridos e/ou utilizados pela organização e da comunicação dos procedimentos e dos requisitos relevantes aos fornecedores e subcontratados.

26 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Controlo Operacional (cont) d) da definição e manutenção de procedimentos projectos de locais de trabalho, processos de fabrico, instalações, máquinas, procedimentos operativos e de organização de trabalho, incluindo a sua adaptação às capacidades humanas, a fim de eliminar ou reduzir riscos para a SST na fonte Prevenção e Capacidade de Resposta a Emergências A organização deve estabelecer e manter procedimentos para identificar o potencial de ocorrência de respostas a acidentes e situações de emergência, e ser capaz de reagir de modo a prevenir e mitigar as possíveis doenças e lesões que lhe possam estar associadas. A organização deve analisar e rever, o seu estado de prontidão para emergências, bem como procedimentos e planos de resposta, particularmente após a ocorrência de acidentes ou situações de emergência.

27 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Prevenção e Capacidade de Resposta a Emergências (cont) A organização deve ainda testar periodicamente tais procedimentos, desde que tal se mostre praticável. 4.5 Verificação e Acções Correctivas Monitorização e Medição do Desempenho A organização deve estabelecer e manter procedimentos documentados para monitorar e medir, periodicamente o desempenho em SST. Estes procedimentos devem incluir: -medidas qualitativas e quantitativas, apropriadas às necessidades da organização; -a monitorização o grau de implementação dos objectivos de SST da organização;

28 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Monitorização e Medição do Desempenho (cont) -as medições proactivas do desempenho que monitorizem a conformidade com o programa de gestão de SST, com critérios operacionais e com os requisitos legais e regulamentos aplicáveis; -as medições reactivas do desempenho para a monitorização, acidentes, doenças, incidentes e outras evidências históricas do desempenho deficiente em SST; -o registo dos dados e dos resultados da monitorização e da medição, suficientes para permitirem as subsequentes análise das acções preventivas e correctivas. Se for necessário, a organização deve estabelecer e manter procedimentos documentados para calibração e manutenção de equipamentos de monitorização. Devem ser conservados os registos das actividades de calibração e de manutenção, bem como os respectivos resultados.

29 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Acidentes, Incidentes, Não Conformidades e Acções Correctivas e Preventivas A organização deve estabelecer e manter procedimentos para definir responsabilidades e autoridades para: a) analisar e investigar: -acidentes; -incidentes; -não conformidades. b) as acções destinadas a minimizar todas as consequências dos acidentes, dos incidentes ou das não conformidades; c) definir o início e a conclusão de acções correctivas e preventivas;

30 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Acidentes, Incidentes, Não Conformidades e Acções Correctivas e Preventivas (cont) Estes procedimentos devem exigir que todas as acções correctivas e preventivas propostas devem ser revistas através do processo de avaliação de riscos antes da sua implementação. Todas as acções, correctivas ou preventivas, destinadas a eliminar as causas de não conformidades reais e potenciais devem ser as apropriadas à dimensão dos problemas e proporcionais aos riscos em presença para a SST. A organização deve implementar e registar todas as alterações dos procedimentos documentados resultantes das acções correctivas e preventivas.

31 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Registos e Gestão de Registos A organização deve estabelecer e manter procedimentos para identificação, manutenção, disponibilização e eliminação de registos da SST, bem como dos resultados das auditorias e das análises. Os registos da SST devem ser legíveis, identificáveis e rastreáveis às actividades envolvidas. Os registos da SST devem ser conservados e mantidos por forma a serem facilmente consultáveis e devem estar protegidos contra danos, deterioração ou perda. O tempo de conservação deve ser definido e documentado. Os registos devem ser mantidos, da forma mais adequada ao sistema e à organização, de modo a se poder demonstrar a sua conformidade com os requisitos da presente especificação.

32 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Auditorias A organização deve estabelecer e manter um ou mais programas e procedimentos que permitam a realização de auditorias periódicas ao SGSST, por forma a: a) determinar se o SGSST: -está em conformidade com as disposições planeadas para a SST, incluindo os requisitos da presente especificação; -foi adequadamente implementado; -cumpre de forma eficaz com a política e os objectivos; b) fazer a revisão dos resultados de auditorias anteriores; c) fornecer à direcção informações sobre os resultados das auditorias.

33 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Auditorias (cont) O programa de auditorias da organização, inclui a sua calendarização, deve basear-se nos resultados das avaliações das actividades da organização, e nos resultados de auditorias anteriores. Para serem abrangentes, os procedimentos da auditoria devem incluir o âmbito, a frequência, as metodologias e as competências, bem como os requisitos e as responsabilidades pela sua realização e pelo relato dos respectivos resultados. Sempre que possível, as auditorias devem ser realizadas por pessoas independentes das que detêm a responsabilidade directa pela actividade que esteja a ser examinada. NOTA: A palavra independente aqui não significa necessariamente exterior à organização.

34 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST 4.6 Revisão pela Direcção A direcção, ao mais alto nível da organização, deve, com a periodicidade por si determinada, rever o SGSST, por forma a assegurar que o sistema continua adequado, suficiente e eficaz. O processo de revisão pela direcção deve assegurar que é recolhida toda a informação necessária para permitir que a avaliação seja realizada. Esta análise deve ser documentada. A revisão pela direcção deve ter em conta a eventual alteração da política, dos objectivos e de outros elementos do SGSST, função dos resultados das auditorias de gestão da SST, de alterações das circunstâncias e do compromisso relativo quanto à melhoria contínua.

35 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST 3. Segurança e Saúde no Trabalho (SST) O conceito de Segurança está muito relacionado com Prevenção. A evolução da Segurança, antigamente feita a partir dos acidentes ocorridos, progrediu no sentido prevencionista, isto é, antes de o acidente ocorrer.

36 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Segurança do Trabalho Conjunto de metodologias adequadas à prevenção de acidentes. O objectivo é a identificação e controlo (eliminar/minimizar) dos riscos associados ao local de trabalho e ao processo produtivo.

37 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Higiene do Trabalho As metodologias da higiene do trabalho têm em vista a prevenção de doenças profissionais. O objectivo é controlar os agentes físicos, químicos e biológicos, através de técnicas e medidas que incidem sobre o ambiente de trabalho.

38 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Saúde no Trabalho O equilíbrio biopsicossociológico é atingido pela vigilância médica e pelo controlo dos elementos físicos e mentais que possam afectar a saúde.

39 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Posto de Trabalho Local (confortável) onde se exerce a actividade laboral.

40 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Ergonomia (Ergo – trabalho, nomos – lei naturais) Estuda a adaptação do posto de trabalho ao Homem.

41 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Perigo Conjunto de factores dos sistemas de trabalho (Homem, maquina e ambiente de trabalho) com propriedades capazes de causar acidentes ou danos. (Notar a diferença com o conceito de risco).

42 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Prevenção O objectivo central é evitar ou minimizar (quando não é possível eliminar) através de um conjunto de medidas implementadas em todas as fases (concepção/projecto, produção, comercialização, etc.) da actividade da organização. Neste conceito está implícita a prevenção integrada, cuja integração na estrutura da organização inclui a gestão da SST. A prevenção integrada inclui o planeamento, medidas organizativas e medidas de engenharia.

43 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Risco O risco é o produto da probabilidade de uma ocorrência pela gravidade (consequências provocadas pela ocorrência): R = P x G R = Risco P = Probabilidade G = Gravidade Definido desta forma, o Risco varia na proporção directa da probabilidade e da gravidade. Quanto maiores a probabilidade e a severidade maior é o risco; quanto menor for a probabilidade e a gravidade, menor é o risco.

44 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Acidente Acontecimento não intencionalmente provocado, de carácter anormal, súbito e inesperado, que se verifique no local e tempo de trabalho ou ao serviço do empregador, produzindo, directa ou indirectamente, lesão corporal, perturbação funcional ou doença de que morte ou redução na capacidade de trabalho ou de ganho.

45 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Incidente Acontecimento perigoso que ocorra como resultado de uma acção ou inacção, mas que não origine quaisquer ferimentos ou morte.

46 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST Actividade Conjunto de tarefas executadas diariamente e sendo estas articuladas para o mesmo output.

47 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ?? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ?? ? ? ? ? ? ? ?

48 OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series : 1999 RicardoBarata Consultor de HST


Carregar ppt "OHSAS 18001 Occupational Health and Safety Assessment Series - 18001 : 1999 Occupational Health and Safety Assessment Series - 18001 : 1999 RicardoBarata."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google