A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Pesquisador Embrapa Trigo

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Pesquisador Embrapa Trigo"— Transcrição da apresentação:

1 Pesquisador Embrapa Trigo
Painel: Bases Técnicas da Agricultura Benami Bacaltchuk Eng.º Agrônomo Pesquisador Embrapa Trigo Pelotas, 11 de Julho de 2006

2 Conteúdos * Conhecimento * Empirismo * Ciência * Tecnologia * Bases Técnicas * Agricultura Convencional De Conservação Orgânica Sustentável

3 Conhecimento: Consiste em tudo aquilo que aprendemos e
que ainda não esquecemos.

4 Empirismo: Empirismo é a escola de Epistemologia, que define que todo o conhecimento é o resultado das nossas experiências. O empirismo é um aliado próximo do materialismo (filosófico) e do positivismo, sendo oposto ao racionalismo europeu continental ou intuicionismo. O empirismo é geralmente observado como sendo o fulcro do método científico moderno. Defende que as nossas teorias devem ser baseadas nas nossas observações do mundo, em vez da intuição ou fé. Defende a investigação empírica e o raciocínio dedutivo. Immanuel Kant tentou obter um compromisso entre o empirismo e a corrente oposta, o racionalismo. Nomes associados ao empirismo incluem Francis Bacon, John Locke, George Berkeley e David Hume

5 Ciência A ciência, etimologicamente scientia (saber), que os gregos
designaram ejpisthvmh (epistêmê - conhecimento) por oposição a dovxa (doxa - opinião), é conhecimento – já que queremos conhecer ou não fosse o homem, por natureza, um animal curioso que deseja o saber – é mesmo uma das modalidades privilegiadas que assume o conhecimento humano. Fonseca, 2006

6 Ciência "A ciência é um conjunto de conhecimentos racionais, certos ou prováveis, obtidos metodicamente, sistematizados e verificáveis, que fazem referência a objetos de uma mesma natureza." Lakatos, Eva M. e Marconi, Marina A., "Metodologia Científica", Editora Atlas S.A., São Paulo SP. 1991, p.19

7 Conhecimento racional, isto é, que tem exigências de método e está constituído por uma série de elementos básicos, tais como sistema conceitual, hipóteses, definições; diferencia-se das sensações ou imagens que se refletem em um estado de ânimo, como o conhecimento poético, e da compreensão imediata, sem que se busquem os fundamentos, como é o caso do conhecimento intuitivo. Certo ou provável, já que não se pode atribuir à ciência a certeza indiscutível de todo saber que a compõe. Ao lado dos conhecimentos certos, é grande a quantidade de prováveis. Antes de tudo, toda lei indutiva é meramente provável, por mais elevada que seja sua probabilidade.

8 Obtidos metodicamente, pois não se os adquire ao acaso ou na vida cotidiana, mas mediante regras lógicas e procedimentos técnicos. Sistematizados, isto é, não se trata de conhecimentos dispersos e desconexos, mas de um saber ordenado logicamente, constituindo um sistema de idéias (teoria). Verificáveis, pelo fato de que as afirmações, que não podem ser comprovadas ou que não passam pelo exame da experiência, não fazem parte do âmbito da ciência, que necessita, para incorporá-las, de afirmações comprovadas pela observação. Relativos a objetos de uma mesma natureza, ou seja, objetos pertencentes a determinada realidade, que guardam entre si certos caracteres de homogeneidade.

9 Ciência Ciência, nada mais é do que o empirismo (a observação)
completamente descrito e racionalmente ordenado. Bacaltchuk, 2003.

10 Tecnologia, É o estudo das técnicas, da busca do conhecimento, da produção, do como produzir e de desenvolver instrumentos de trabalho, de equipamentos e de processos, destinados a elevar a produção diminuindo o esforço físico humano ou unidade de trabalho despendida para resolver problemas, enquanto melhora a qualidade de vida do homem, criando facilidades para o convívio em sociedade.

11 Pesquisa A pesquisa, por sua vez, é o exercício ou a pratica da busca do conhecimento, conduzido por meio do método científico escolhido. Convencionalmente a pesquisa vem sendo classificada em básica, quando tem por objetivo a expansão do saber não necessariamente associada com um interesse imediato de utilização prática dos resultados, e aplicada, quando é conduzida com o propósito de gerar inovações para solucionar problemas.

12 Pesquisa É desejável que exista um certo equilíbrio no desenvolvimento deste dois tipos de pesquisa porque enquanto a pesquisa básica - que está voltada para descobertas e deve seguir seu curso sem expectativas de resultados a curto prazo - cria e dá legitimidade e fundamento a novas idéias, a pesquisa aplicada procura transformá-las em utilidades

13 Pesquisa Este papel da pesquisa aplicada não deve, contudo, levar à suposição de que exista uma relação direta e linear entre os seus resultados, de um lado, e o lançamento de novos produtos no mercado, dinamização da economia, criação de novos postos de trabalho etc., de outro. É necessário que ocorra antes o desenvolvimento do produto ou do processo e a mediação do empresário.

14 Pesquisa Ultimamente se tem proposto uma subclassificação da pesquisa em estratégica e fundamental, que se aplicaria conjuntamente às categorias de básica e aplicada, de acordo com a dimensão temporal do potencial de aplicação dos seus resultados. A estratégica apresentaria um elevado potencial para interagir rapidamente com outras pesquisas, dando suporte para novos avanços. A fundamental teria um horizonte temporal impreciso de utilização dos resultados, seja para expansão do conhecimento, como para resolver problemas..

15 Tecnologia, O que se sabe, entretanto, é que, geralmente, o conhecimento se transmitia de homem a homem, nas oficinas e laboratórios. Até o Século XVII não se pode falar de relacionamento funcional entre a ciência e a tecnologia, ou de ciência e tecnologia conectadas, C&T como se convencionou denominar. Este se dá com a Revolução Científica do Século XVII, quando a necessidade de equipamentos mais complexos e mais precisos para as determinações e medições, obrigou os cientistas a estabelecerem um contato mais próximo com os artesãos, o que propiciou um intercâmbio de idéias com sensíveis benefícios para as duas partes.

16 Tecnologia Neste sentido, costuma-se dizer que a tecnologia de hoje é a ciência de ontem e que a ciência de hoje é a tecnologia de amanhã.

17 Tecnologia Tecnologia é o conjunto organizado de todos os conhecimentos científicos, empíricos ou intuitivos, empregados na produção e comercialização de bens e serviços. A tecnologia gerada ou aperfeiçoada pela pesquisa e desenvolvimento experimental pode exigir diferentes graus de elaboração até o seu emprego numa unidade produtiva. Essa elaboração exige os serviços especializados de engenharia.

18 Agricultura A agricultura, como atividade do homem inserido na
sociedade, só de forma imperfeita pode ser enquadrar em definições formais. Domingos P. Ferreira de Almeida

19 Agricultura “... a agricultura consiste no esforço para situar a
planta cultivada nas condições ótimas de meio (clima, solo) para lhe tirar o máximo rendimento em quantidade e em qualidade“ Diehl, 1984 citado por Almeida 2006

20 “A agricultura começou quando o homem descobriu a função geratriz da semente, há uns anos. Desde então a semente tem continuado a ser um elemento primordial na agricultura, pois contém todas as potencialidades produtivas da planta. A maioria das práticas e insumos usados na produção agrícola foram desenvolvidas fundamentalmente para permitir a completa expressão do potencial genético e fisiológico das sementes. De maneira oposta, nenhuma prática agrícola, como adubação, tratos culturais, irrigação, etc., pode melhorar a produção além dos limites impostos pela semente. Conseqüentemente, a produção pode ser inferior à capacidade da semente, mas nunca superior”. James C. Delouche e Howard C. Potts, citado por Rosinha, 2000

21 Processo De Transferência De Tecnologia Através De Novas Cultivares
Escritório de Negócios de Passo Fundo Trigo P D D+ TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CONHECIMENTO INFORMAÇÃO Pesquisa Básica Aplicada (OBTENÇÃO) Desenvolvimento Experimental (VCU) Mercadológico (VALIDAÇÃO + Mk) Sistema de Clientes (MERCADO) PROTEÇÃO REGISTRO

22 “A semente é o veículo que leva ao agricultor todo o potencial genético de um novo e superior cultivar. Em sua trajetória, do laboratório do melhorista ao campo do agricultor, no decorrer da qual pequenas e limitadas quantidade são multiplicadas até que sejam atingidos volumes em escala comercial, a qualidade desta semente está sujeita a uma série de fatores capazes de causar a perda de todo o potencial genético, que possuía quando lançada pelo melhorista. A minimização destas perdas é o objetivo básico de qualquer programa de sementes, fazendo com que apenas sementes de qualidade superior sejam oferecidas ao agricultor”. James C. Delouche e Howard C. Potts citado por Rosinha 2000

23 Agricultura convencional
Em geral esse termo denomina o cultivo dos campos utilizando as técnicas tradicionais de preparo do solo e controle fitossanitário. No sistema convencional, o cultivo agrícola segue basicamente a seguinte ordem: Remoção da vegetação nativa; Aração; Calagem; Gradagem; Semeadura; Adubação mineral Aplicação de defensivos agrícolas; Capinas (manual, mecânica ou por uso de herbicidas); Colheita.

24 Agricultura de Conservação
Enfocado como um sistema de exploração agropecuária que envolve diversificação de espécies via rotação de culturas, mobilização de solo apenas na linha de semeadura, manutenção dos resíduos vegetais das culturas anteriores na superfície do solo e na minimização do intervalo entre colheita e semeadura, objetivando estabelecer um processo contínuo colher - semear - é um complexo de tecnologias de processo, de produto e de serviço que submete o agroecossistema a um menor grau de perturbação ou de desordem, quando comparado a outras formas de manejo que empregam mobilização intensa de solo. Representado no Brasil pelo sistema de Plantio Direto na Palha

25 Agricultura orgânica ou agricultura biológica
É um termo frequentemente usado para a produção de alimentos e produtos animais e vegetais que não fazem uso de produtos químicos sintéticos e geralmente adere aos princípios de agricultura sustentável. Sua base é holística e põe ênfase no solo. Seus proponentes acreditam que num solo saudável, mantido sem o uso de fertilizantes e pesticidas feitos pelo homem, os alimentos têm uma qualidade superior aos alimentos convencionais.

26 Agricultura Sustentável “Agricultura sustentável é o manejo da base de recursos naturais e a orientação de mudanças tecnológicas e institucionais, de maneira a assegurara obtenção e a satisfação contínua das necessidades humanas para as gerações presentes e futuras. Tal desenvolvimento sustentável resulta na conservação do solo, da água e dos recursos genéticos animais e vegetais, além de não degradar o ambiente, ser tecnicamente apropriado, economicamente viável e socialmente aceitável.” (FAO – 1992 – Citado por Veiga, 1994:22)

27 Agricultura Sustentável Em outras palavras – Agricultura sustentável constitui-se em sistema produtivo que considera simultaneamente: Rentabilidade Exeqüibilidade Preservação ambiental Preservação da comunidade rural

28 Revolução Verde

29 “Evoluir ou Perecer” Produtividade da agricultura A Explosão demográfica Equidade social

30 Revolução Verde Definiu-se como o rápido incremento da produção de grãos principalmente (arroz e trigo) no Sul e Sudeste de Ásia, Oriente Próximo e Ásia ocidental e Norte de África

31 Atores Principais Governos da Índia
Ciência: Dres. M. S. Swaminathan, S. P. Kohli, O. P. Gautam, L. M. Joshi, K. Kanungo Dres. R. G. Anderson, B.Wright, B. Renfro, R. Cummings Política: HE L. B. Shastri, Mrs. Indira Gandhi, C. Subramanyam, Dr. B. P. Pal Milhões de Pequenos Agricultores

32 Elementos fundamentais
Reconhecimento do valor dos trigos anãos; Programas de investigação coordenados; Disponibilização rápida de práticas agronômicas; Adoção de programa de criação de variedades para altos rendimentos Efeito psicológico da fertilização Importação de grandes quantidades de semntes

33 Elementos fundamentais
Programas Nacionais de Demonstração Disponibilidade de insumos essenciais a tempo Resposta de agricultores a retornos altos Boa cobertura pela mídia agencias de extensão Manutenção de preço de garantia Criação da Corporação Indiana de Alimentos

34

35

36 Fuente:

37 Fuente:www.fao.org

38 Fonte:www.fao.org

39 Fonte:

40 Melhor adaptação Áreas marginais, especialmente com seca, altas temperaturas e alta incidência de enfermidades.

41 GANHO GENÉTICO E GANHO GENÉTICO RELATIVO NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO EM DIFERENTES PAÍSES

42 Tendências em incremento de rendimento de trigo por mega-ambiente, ESWYT, 1979-99
Taxa increm. (%) Increm. (kg/ano) ME1 Irrigado 0.82 53.5 ME2 Alta precipitação 1.16 62.5 ME4 Susc. a seca 3.48 87.7 ME5 Alta temperatura 2.10 46.1

43 em via de desenvolvidomento
Malnutridos em países em via de desenvolvidomento 500 2010 400 300 Milhões 200 100 Norte Africa e Oriente Próximo Africa Sub-Sahara Leste da Ásia Sul da Ásia América Latina e Caribe Fonte: FAO

44 Incremento necessário na produção de cereais
Crescimento da produção estimada ,5% por ano Crescimento de produção necessária ,4% por ano Produção necessária estimada

45 História da Produção de Alimentos
1 Índios da América do Norte em época Pré-Colombiana; 2 Índios da Califórnia, antes da influência Européia; 3 Índio do Leste da América do Norte antes da influência Européia; 4 Agricultura do Egito Antigo; 5 Agricultura moderna de alta tecnologia nos EÜA, Brasil (Revolução Verde) 1950; 6 Agricultura altamente tecnificada de hoje (80% +produtiva do que a Moderna) Sistema n.º ha n.º Pessoas de Exploração necessário que alimenta Caça Pastoreio Agricultura de covas Agricultura de Arado Agricultura Moderna Agricultura Futura Fonte do Prof. Ernesto Paterniani - Gramado 2000.

46 No podemos entender a los "futurólogos" cuya principal preocupación parece comprobar que las nuevas tecnologías rechazaran la tesis Malthusiana para siempre Norman E.Borlaug

47 “Los esfuerzos de aquellos en el frente de la producción de alimentos, son, a lo mejor, una operación de atajo que permite a otros en los frentes demográficos, de educación, médico, planeamiento familiar y políticos, lanzar un efectivo ataque humano para controlar el monstruo de la población" Norman E. Borlaug

48 Pesquisador Embrapa Trigo
Obrigado Benami Bacaltchuk Pesquisador Embrapa Trigo Rod. 285, km 194 Passo Fundo, RS


Carregar ppt "Pesquisador Embrapa Trigo"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google