A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O enredo da História Aula 3, 1º Semestre 20 de março de 2012 Prof. Dr. Cliff Welch (Gab 16)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O enredo da História Aula 3, 1º Semestre 20 de março de 2012 Prof. Dr. Cliff Welch (Gab 16)"— Transcrição da apresentação:

1 O enredo da História Aula 3, 1º Semestre 20 de março de 2012 Prof. Dr. Cliff Welch (Gab 16)

2 Teorias cientificas Teorias cientificas Hayden White Hayden White Meta-história e liberdade Meta-história e liberdade Desconstrução dos Grandes Potências do Ranke Desconstrução dos Grandes Potências do Ranke Intervalo Intervalo Completar as tarefas dos grupos; Completar as tarefas dos grupos; Quem são vocês...? (continuando...) Quem são vocês...? (continuando...) Considerações finais Considerações finais

3 Teoria cientifica... hipóteses que foram devidamente testadas, através de leis e fatos científicos que descrevem os fenômenos naturais (mas refutável). É uma idéia que tenta prever com alto grau de exatidão os fenômenos da natureza. (Wikipedia);[…] uma síntese aceita de um vasto campo de conhecimento, consistindo de hipóteses que foram devidamente testadas, através de leis e fatos científicos que descrevem os fenômenos naturais (mas refutável). É uma idéia que tenta prever com alto grau de exatidão os fenômenos da natureza. (Wikipedia); hipótesesleisfatossíntese hipótesesleisfatos Ou, pode ser um pensamento pensado que satisfaz um grande número dos cientistas das disciplinas por ora; Ou, pode ser um pensamento pensado que satisfaz um grande número dos cientistas das disciplinas por ora; Sempre que observamos algum fato, que contraria a teoria, devemos abandonar ou modificar a teoria, muito embora isso demore a acontecer na prática(Wikipedia);Sempre que observamos algum fato, que contraria a teoria, devemos abandonar ou modificar a teoria, muito embora isso demore a acontecer na prática(Wikipedia); Segundo Karl Popper (1934), as teorias mudam através a investigação e comparação constante das novas ideias, lógicas e hipóteses; Segundo Karl Popper (1934), as teorias mudam através a investigação e comparação constante das novas ideias, lógicas e hipóteses; Segundo Thomas Kuhn (1962), as novas teorias vêm sendo elaboradas a partir de métodos que chegam fazer parte de pré-paradigmas que, em seu tempo e espaço, conseguem predominar a ciência por causas variadas – falhas das antigas teorias, as novas respondem melhor para as questões novas do espaço e tempo, mudanças de valores e crenças de dada época/cultura; Segundo Thomas Kuhn (1962), as novas teorias vêm sendo elaboradas a partir de métodos que chegam fazer parte de pré-paradigmas que, em seu tempo e espaço, conseguem predominar a ciência por causas variadas – falhas das antigas teorias, as novas respondem melhor para as questões novas do espaço e tempo, mudanças de valores e crenças de dada época/cultura; Teorias da História – Cristã, Positivista, Marxista, Ciências Sociais, Discursiva. Teorias da História – Cristã, Positivista, Marxista, Ciências Sociais, Discursiva.

4 Nasceu em Martin, Tennessee; Nasceu em Martin, Tennessee; Como jovem mudou-se com os pais para Michigan e se formou como historiador em Wayne State Univ. e a Univ de Michigan; Como jovem mudou-se com os pais para Michigan e se formou como historiador em Wayne State Univ. e a Univ de Michigan; Tese sobre a história medieval – brigas para ser Papa em 1130 – 2 anos de pesquisa na Italia, nos arquivos do Vaticano; Tese sobre a história medieval – brigas para ser Papa em 1130 – 2 anos de pesquisa na Italia, nos arquivos do Vaticano; Na tese, clara influência de Max Weber ( ) na seleção de tipos ideais Na tese, clara influência de Max Weber ( ) na seleção de tipos ideais Professor emérito da University of California – Santa Cruz, onde criou e dirigiu durante décadas o Programa da Pós na Consciência da História; Professor emérito da University of California – Santa Cruz, onde criou e dirigiu durante décadas o Programa da Pós na Consciência da História; Obra mais famosa - Metahistória: a imaginação histórica do século XIX (1995) [1973]; Obra mais famosa - Metahistória: a imaginação histórica do século XIX (1995) [1973]; Influência de Croce ( ) sobre a complexidade da história, que tipo ideal não é histórico,e da liberdade das pessoas a escolher histórias; Influência de Croce ( ) sobre a complexidade da história, que tipo ideal não é histórico,e da liberdade das pessoas a escolher histórias;

5 Meta-história História dentro da história Formas de consciência histórica a partir do contexto linguístico: Metáfora Metonímia Sinédoque As formas são produtos do contexto histórico do historiador, no caso, da civilização ocidental do sec XIX; Acumulam para produzir opções de estratégias de narração: Romanesca Tragédia Comédia Sátira Estas formas e estratégias, bem como teorias ideológicas e da verdade orientam o enredo base da crônica.

6 História e Liberdade Desde o final de sec XIX a historiografia acadêmica contemporânea permaneça aprisionada na perspectiva irônica (440); Desde o final de sec XIX a historiografia acadêmica contemporânea permaneça aprisionada na perspectiva irônica (440); Só um esforço de aumentar nossa consciência histórica pode nos liberar desta fossa; Só um esforço de aumentar nossa consciência histórica pode nos liberar desta fossa; Identificando ela com uma de muitas possiveis perspectivas vai deixar os historiadoreslivres para conceptualizar a história[...] na modalidade de consciência que seja mais coerente com suas próprias aspirações morais e estéticas aberta a reconstruir seus vínculos com as grandes preocupações poéticas, científicas e filosóficas(441) Identificando ela com uma de muitas possiveis perspectivas vai deixar os historiadoreslivres para conceptualizar a história[...] na modalidade de consciência que seja mais coerente com suas próprias aspirações morais e estéticas aberta a reconstruir seus vínculos com as grandes preocupações poéticas, científicas e filosóficas(441)

7 Leopold von Ranke ( )escrever a História tal como foi Nasceu em Prússia ; Nasceu em Prússia ; Paixão pelo luteranismo e o estudo do mundo clássico, não História; Paixão pelo luteranismo e o estudo do mundo clássico, não História; Dos historiadores da época, leu só Niebuhr que enfatizou o uso de evidência; Dos historiadores da época, leu só Niebuhr que enfatizou o uso de evidência; Acreditava que o Geral (a mão de Deus) seria revelada na pesquisa do particular; Acreditava que o Geral (a mão de Deus) seria revelada na pesquisa do particular; Pai da História Cientifica por insistir no ideal de um intelectual objetivo e desinteressado que usa fontes primárias para reconstruir o passado; Pai da História Cientifica por insistir no ideal de um intelectual objetivo e desinteressado que usa fontes primárias para reconstruir o passado; Como prof. universitário em Berlim, defendeu a noção da unidade invés de História Universal do Kant (1784), criticou a Teoria Hegeliana (tese x antítese = síntese) como reducionista & Liberalismo por ser ideologia da revolução francesa; Como prof. universitário em Berlim, defendeu a noção da unidade invés de História Universal do Kant (1784), criticou a Teoria Hegeliana (tese x antítese = síntese) como reducionista & Liberalismo por ser ideologia da revolução francesa; Foi selecionado como Historiografista Real da Corte Prussiana em 1841; Barão em 1865 e do Conselho Prussiano em 1882; Foi selecionado como Historiografista Real da Corte Prussiana em 1841; Barão em 1865 e do Conselho Prussiano em 1882; H. White o considera narrador do realismo histórico como comédia – rejeitou os românticos. H. White o considera narrador do realismo histórico como comédia – rejeitou os românticos.

8 Exemplo da história rankeana Objeto – os grandes acontecimentos...das relações externas (147) e o espírito (151) das grandes potências europeus até o Século XIX; ideias para alimentar a identidade alemã Estrutura – cronológica por país; ênfase na História da França (Luís XIV – ) e Prússia (Frederico II ); Estrutura – cronológica por país; ênfase na História da França (Luís XIV – ) e Prússia (Frederico II ); Forma – comédia – Longe de contentar-se com a negação, nosso século deu resultados dos mais positivos(177). Forma – comédia – Longe de contentar-se com a negação, nosso século deu resultados dos mais positivos(177). Teoria – Positivista – discurso árido e erudito, invés de uma narrativa literária; critíca das fontes históricas, em busca da verdade; descrição do que realmente aconteceu; (146 – com o estudo e a leitura) Teoria – Positivista – discurso árido e erudito, invés de uma narrativa literária; critíca das fontes históricas, em busca da verdade; descrição do que realmente aconteceu; (146 – com o estudo e a leitura) Método – empirismo – cita os documentos que usa; Método – empirismo – cita os documentos que usa; Metodologia – estudo e leitura e analise das fontes primárias e secundárias; Metodologia – estudo e leitura e analise das fontes primárias e secundárias; Observações dele: Em historia, é de valor incalculável, sem dúvida, a visão de determinado momento, em sua realidade, em sua evolução específica: o específico encerra em si o geral (146)A harmonia verdadeira surgirá da separação e da autenticidade (180) Observações dele: Em historia, é de valor incalculável, sem dúvida, a visão de determinado momento, em sua realidade, em sua evolução específica: o específico encerra em si o geral (146)A harmonia verdadeira surgirá da separação e da autenticidade (180) Critica dele – Obra contraditória. Hiper-preconceituoso contra a revolução francesa e a favor a formação autoritária da Alemanha – Frederico II. Apresemta como totalidade da História aos grandes homens, acontecimentos e nações, deixando fora a mulher, o cotidiano e as culturas sem-fronteira. Critica dele – Obra contraditória. Hiper-preconceituoso contra a revolução francesa e a favor a formação autoritária da Alemanha – Frederico II. Apresemta como totalidade da História aos grandes homens, acontecimentos e nações, deixando fora a mulher, o cotidiano e as culturas sem-fronteira. O pai da História Cientifica e seu mundo

9 Completar tarefa dos grupos Recompor seus grupos e preparar entregar - 1.Lista de pelo menos duas opções de textos (autor, titulo, editora, ano) para desconstruir no seminário final. As condições da seleção são: 1) cada obre tem que ser integral – artigo ou livro ou tese; 2) cada autor tem que ser historiador profissional; 3) as autores das duas obras devem ser diferentes; 4) as obras tem que tratar um tema da história contemporânea. Já na aula 3, pretendo aprovar suas escolhas 2.O nome do grupo (um/a historiador/a que admira, por exemplo) 3.Para a semana que vem, Aula 4, trazem o texto aprovado.

10 Nome? Nome? De onde é e onde mora? De onde é e onde mora? Você e história? Você e história? Projeto de pesquisa – iniciação cientifica e/ou monografia? Projeto de pesquisa – iniciação cientifica e/ou monografia?

11 História não é o passado, é a escrita sobre o passado. História não é o passado, é a escrita sobre o passado. Segundo White, historiadores prefigura o passado com estruturas de narração – estórias com enredos, geralmente em formas lineares – as regras linguísticas subliminais exigem estruturar os dados assim; Segundo White, historiadores prefigura o passado com estruturas de narração – estórias com enredos, geralmente em formas lineares – as regras linguísticas subliminais exigem estruturar os dados assim; Historia libertadora será alcançável dependendo em nossa consciência destas regras para assim poder tomar mais controle do processo da construção da história; Historia libertadora será alcançável dependendo em nossa consciência destas regras para assim poder tomar mais controle do processo da construção da história; Lembra – para encontrar os textos em forma digital, surfar até: e clicar no link: DOWNLOAD TEXTOS AQUI – procura a pasta da disciplina; Lembra – para encontrar os textos em forma digital, surfar até: e clicar no link: DOWNLOAD TEXTOS AQUI – procura a pasta da disciplina; No blog, solicito que se inscreve como participante. No blog, solicito que se inscreve como participante.


Carregar ppt "O enredo da História Aula 3, 1º Semestre 20 de março de 2012 Prof. Dr. Cliff Welch (Gab 16)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google