A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TEXTO 1 Quando as políticas educacionais voltam-se para a legitimação do tempo, do espaço e da autonomia da escola na definição de seu PPP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TEXTO 1 Quando as políticas educacionais voltam-se para a legitimação do tempo, do espaço e da autonomia da escola na definição de seu PPP."— Transcrição da apresentação:

1 TEXTO 1 Quando as políticas educacionais voltam-se para a legitimação do tempo, do espaço e da autonomia da escola na definição de seu PPP.

2 A legitimidade do PPP ante o papel do Estado e da escola: Elementos a considerar para a autonomia da escola.

3 Concepção de mundo, de homem e de sociedade NEOLIBERAL – MERCADO DE TRABALHO LUTAS DE MOVIMENTOS DE CLASSE – EDUCAÇÃO DE QUALIDADE PARA TODOS.

4 Tarefa da educação PROBLEMATIZAR CONTRADIÇÕES REVELAR UM PROJETO QUE É PEDAGÓGICO, HISTÓRICO, POLÍTICO, CULTURAL E SOCIAL

5 Quais contradições? Condicionantes sociais, econômicos, históricos, políticos e culturais: mercantilização do papel da escola, atos de preconceitos e de discriminação presentes não só na sociedade, mas na própria escola (currículo); distância entre quem pensa e quem faz educação e a função da escola que é o ato de ensinar.

6 Tendência neoliberais Caráter empresarial, meritocrático, competitivo, personificado – diretor gerencialista – qualidade total; Competências e habilidades – política federal e dos bancos internacionais. “não aprende porque não se dedica” “não trabalha porque não quer”...

7 Escola torna-se responsável pelos problemas sociais, econômicos, ambientais, de saúde, do trânsito, da violência. Se houver tempo, ensina-se.

8 Teorias críticas Pedagogia crítico-social dos conteúdos (Libâneo) Pedagogia Histórico-Crítica (Saviani) Pedagogia Libertadora (Paulo Freire) Pedagogia Libertária.

9 Filósofo italiano Antonio Gramsci Saber sistematizado e historicamente acumulado – processo de tomada de consciência, à emancipação e à formação do cidadão.

10 Educação brasileira e movimento de classes Direito de acesso ao conhecimento a partir das peculiaridades/necessidades dos sujeitos e a produção de sua cultura. Lei das relações étnico-raciais, ECA, etc. Políticas em educação: expressam as conquistas sociais e históricas – gestão democrática: participação coletiva na escola e no controle social.

11 Projeto político pedagógico Esforço coordenado de todos para a realização de uma tarefa – participação conjunta de profissionais e alunos. Todos que fazem parte de um mesmo espaço cultural, também constroem esse espaço. Define a identidade da escola e o papel de cada na sua construção.

12 Função social da escola pública Conceber o fortalecimento do Estado no provimento dos direitos constitucionais, de políticas públicas voltadas a atender as necessidades históricas dos sujeitos excluídos, e/ou discriminados pela lógica neoliberal, padronizada e reproduzida na história da educação brasileira. (Ler citação)

13 Expressar a forma de organização escolar em torno da intencionalidade da escola pública; Explicitar criticamente a concepção de homem, sociedade, educação, ensino- aprendizagem, tecnologia, currículo, princípios didático-pedagógicos.

14 PPP e os profissionais da educação Direito de construir um projeto próprio, com autonomia – concepção de educação para a formação humana e não restritamente técnica e mercadológica. Assim o PPP não pode ser encarado apenas como uma tarefa burocrática, mas como a construção da autonomia da escola. O PPP deverá ser revisto periodicamente.

15 Conselho escolar Está no topo da escola – é o órgão máximo de gestão na escola. Deverá estar presente ativamente na construção do projeto da escola.

16 A concepção de currículo na escola pública: elementos a considerar na construção do PPP e da PPC PPP – É construído a partir das demandas da escola – explicita, portanto, o diagnóstico da prática pedagógica. Plano de ação: voltado para as concepções de escola pública e legislação vigente. PPC – parte integrante do PPP – organização do conhecimento do currículo.

17 Organização disciplinar do currículo e a perspectiva interdisciplinar A interdisciplinaridade se fundamenta no conceito de totalidade apresentado nas DCE da Educação Básica. (ler citação) Consideram-se as áreas de referência de cada disciplina: contextualização de interesses políticos, econômicos e sociais para a seleção dos conteúdos e para a socialização e sistematização dos conhecimentos.

18 PPP/PPC/PTD A escolha do conteúdo e da forma como tratá-lo expressará esta intenção. PPC revela a intencionalidade expressa no PPP. O PTD revela a intencionalidade da PPC. – O PTD é o registro do planejamento do docente. – revela intencionalidade a partir de seus conteúdos, instrumentos, critérios e objetivos. O que aprender (conteúdos), o porquê (intencionalidade/objetivos) como ensinar (metodologia) e como serão avaliados (critérios e instrumentos)

19 conclusão A intencionalidade proposta no PPP, PPC e PTD só se efetivará na sala de aula. É o currículo em ação. Referência: texto 1 – jornada pedagógica/agosto/2010.


Carregar ppt "TEXTO 1 Quando as políticas educacionais voltam-se para a legitimação do tempo, do espaço e da autonomia da escola na definição de seu PPP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google