A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dra Alessandra Matheus Serviço de Diabetes e Metabologia HUPE UERJ Março 2013 Classificação e Diagnóstico Diabetes Mellitus.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dra Alessandra Matheus Serviço de Diabetes e Metabologia HUPE UERJ Março 2013 Classificação e Diagnóstico Diabetes Mellitus."— Transcrição da apresentação:

1 Dra Alessandra Matheus Serviço de Diabetes e Metabologia HUPE UERJ Março 2013 Classificação e Diagnóstico Diabetes Mellitus

2 Programa de Aulas do Diabetes 1) Introdução- Conceito Prevalência e Epidemiologia Prevalência e Epidemiologia Classificação Classificação Patogênese Patogênese Diagnóstico Diagnóstico 2) Tratamento 3) Complicações 2

3 DIABETES MELLITUS Conceito Diabetes (Grego)  Sifão Mellitus (Latim)  Adoçado como mel Síndrome de etiologia múltipla, decorrente da falta de insulina e/ou incapacidade da insulina de exercer seus efeitos adequadamente. Caracteriza-se por: Hiperglicemia crônica Distúrbios dos metabolismos dos carboidratos Distúbios do metabolismo dos lipídios Distúrbios do metabolismo das proteínas

4 DIABETES MELLITUS Introdução doença crônica doença crônica distúrbio do metabolismo de glicose distúrbio do metabolismo de glicose deficiência de insulina deficiência de insulina hiperglicemia hiperglicemia Impacto econômico e social 12% do gasto norte americano com saúde (US$ 100 bi/ano) 12% do gasto norte americano com saúde (US$ 100 bi/ano) > 135 milhões de diabéticos no mundo hoje > 135 milhões de diabéticos no mundo hoje projeção de 300 milhões de casos em 2025 !!! projeção de 300 milhões de casos em 2025 !!! 4

5 DIABETES MELLITUS INCIDÊNCIA E PREVALÊNCIA 5 Diabetes mellitus tipo 2 Populações de risco: hispânicos, afro-americanos e índios americanos Crescente prevalência Obesidade no Brasil:  3,1%  5,9%  8,2%  13,3%

6 DIABETES MELLITUS Prevalência DM2 no Brasil 6

7 7 DIABETES MELLITUS Prevalência DM2 no Mundo

8 DIABETES MELLITUS INCIDÊNCIA E PREVALÊNCIA 8 Diabetes mellitus tipo 1 Populações brancas* Diferenças regionais USA 0,26% Inglaterra 0,22% Austrália 0,37% Finlândia 0,45%

9 DIABETES MELLITUS 9 -Principal causa de cegueira adquirida -6a causa mais freqüente de internação hospitalar -Aumenta em 30 a 50% o risco de outras doenças -Representam 30% dos pacientes internados com dor precordial nos Estados Unidos -Responsável por 26% dos pacientes que entram em programa de diálise -Principal causa de amputação não traumática de membros inferiores

10 DIABETES MELLITUS CLASSIFICAÇÃO Diabetes Care 25: 5S-20S Diabetes mellitus tipo 1 Diabetes mellitus tipo 2 Outros tipos específicos: Defeito genético na função da célula beta: MODY 3 MODY 2 MODY 2 MODY 1 MODY 1 mitocondrial e outros mitocondrial e outros Defeitos na ação da insulina Resistência à insulina tipo A: Leprechaunismo Síndrome Rabson-Mendenhall Síndrome Rabson-Mendenhall Diabetes lipoatrófico, e outros Diabetes lipoatrófico, e outros Doenças do pâncreas exócrino Endocrinopatias Induzido por drogas Formas imunomediadas raras Síndromes genéticas associadas ao DM Gestacional

11 DIABETES MELLITUS CLASSIFICAÇÃO 11

12 12 DIABETES MELLITUS CLASSIFICAÇÃO

13 13

14 DIABETES MELLITUS Fisiopatologia Transportadores de Glicose GLUT 1- captação de glicose basal e glicose não mediada por insulina GLUT 2- células beta das ilhotas para sinalização e percepção dos valores sanguíneos de glicose e consequente liberação de insulina GLUT 3- cérebro, não dependente de insulina GLUT 4- dependente de insulina, presente especialmente em músculos e tecidos adiposos 14

15 DIABETES MELLITUS Fisiopatologia Ações da Insulina 15

16 16 Efei t o s da defi c i ê nci a de i n sul i na Diminuição do transporte da glicose para as células Aumento da glicogenólise Aumento da gliconeogênese HIPERGLICEMIA Diminuição da síntese protéica Maior substrato de Aminoácidos para gliconeogênese DIABETES MELLITUS Fisiopatologia Deficiência de Insulina

17 DIABETES MELLITUS PATOGÊNESE 17

18 DIABETES MELLITUS PATOGÊNESE 18

19 DIABETES MELLITUS FISIOPATOLOGIA DM 1 19

20 DIABETES MELLITUS FISIOPATOLOGIA DM 1 20 Fatores genéticos (poligênico) Genes HLA, braço curto cromossomo 6 Alelos de maior incidência DR3 e/ou DR4 Alelo protetor DQB1*0602 IDDM 2(cx11p) e CTLA-4(cx2q) Fatores ambientais Coxsackievirus B4 EnterovirusAlimentosStress

21 DIABETES MELLITUS PATOGÊNESE 21

22 DIABETES MELLITUS FISIOPATOLOGIA DM 2 22

23 23

24 24

25 25

26 DIABETES MELLITUS RASTREAMENTO Idade >= 45anos História familiar de DM História familiar de DM IMC > 25kg/m 2 IMC > 25kg/m 2 Sedentarismo Sedentarismo HDL baixo ou triglicerídeos elevados HDL baixo ou triglicerídeos elevados Hipertensão arterial Hipertensão arterial DM gestacional prévio DM gestacional prévio Macrossomia ou abortos de repetição ou mortalidade perinatal Macrossomia ou abortos de repetição ou mortalidade perinatal Uso de medicação hiperglicemiante Uso de medicação hiperglicemiante 26

27 DIABETES MELLITUS DIAGNÓSTICO Laboratorial 3 MÉTODOS 1)Glicemia de jejum >= 126 mg/dl em 2 ocasiões 2)TOTG com 75 g de dextrosol (após 2 horas >=200) (polis),  peso 3) Glicemia ao acaso >=200 mg/dl SE presença de sintomas clássicos (polis),  peso 27

28 DIABETES MELLITUS DIAGNÓSTICO 28 Teste de Tolerância Oral à Glicose jejum de 8h jejum de 8h 75g de glicose oral 75g de glicose oral glicemia 120 minutos >= 200mg/dl glicemia 120 minutos >= 200mg/dl fatores de erro: fatores de erro: restrição calórica restrição calórica stress médico-cirúrgico stress médico-cirúrgicomedicamentos, tabagismo, tabagismo, ansiedade ansiedade

29 29

30 DIABETES MELLITUS DIAGNÓSTICO CLÍNICO 30 -ASSINTOMÁTICOS -SINTOMÁTICOS -Poliúria Polidipsia Polifagia Perda de peso Excesso de peso Dores em MMII SINTOMAS GERAIS Sintomas gerais Visão turva Feridas que não cicatrizam Parestesias em MMII Fadiga Infecções de repetição Vulvovaginite

31 DIABETES MELLITUS DIAGNÓSTICO CLÍNICO RESISTÊNCIA INSULÍNICA HAS TG alto e HDL  Idade elevada 31

32 DIABETES MELLITUS DIAGNÓSTICO CLÍNICO INSULINOPENIA 32

33 DIABETES MELLITUS Diabetes Gestacional 33

34 DIABETES MELLITUS Diabetes Gestacional 34 -Definição: qualquer grau de intolerância à glicose com diagnóstico realizado durante a gravidez, independente da necessidade do uso de dieta ou insulina para o tratamento ou se a condição persiste após a gestação. - Prevalência: 7% das gestações.

35 Primeira consulta pré-natal Glicemia de jejum* ≥ 126 mg/dl DM PRÉ- GESTACIONAL* ≥ 92 mg/dl DM GESTACIONAL < 92mg/dl NORMAL TOTG entre semanas 0’ ≥ 92 mg/dl 60’ ≥ 180 mg/dl 120’ ≥ 153 mg/dl Somente um alterado TODAS as gestantes (A) Risco de abortamento precoce, defeitos congênitos, piora de complicações crônicas maternas do diabetes IMPORTÂNCIA DO CONTROLE GLICÊMICO PRÉ-GESTACIONAL (A1C ideal< 6% ou 1% acima LSN) DIABETES MELLITUS Gestacional

36 DIABETES MELLITUS Diabetes Gestacional 36 -Hiperglicemia no 1 O trimestre   risco de morte fetal no último trimestre gestacional. -Hiperglicemia em qualquer grau  risco de hipoglicemia neonatal, macrossomia, hipocalcemia, icterícia e policitemia no RN, DHEG e maior n O de cesáreas. -Essas crianças, ao longo da vida, têm maior risco de obesidade, IOG e DM 2 precocemente.

37 DIABETES MELLITUS Diabetes Gestacional 37 Fatores de risco para DMG > 25 anos IMC >25 kg/m 2 antes da gestação História familiar de DM2 HPP de intolerância à glicose HPP de fetos macrossômicos

38 DIABETES MELLITUS Avaliação inicial 38 AVALIAÇÃO CLÍNICAAVALIAÇÃO LABORATORIAL  Anamnese e exame clínico geral  Peso  Altura  Índice de massa corpórea (IMC)  Circunferência abdominal (CA)  Pressão arterial (PA): aferir em duas ocasiões, com paciente em decúbito e sentado  Exame dos membros inferiores  Exame dos pés  Exame neurológico: reflexos profundos; sensibilidade tátil, vibratória e de pressão; pesquisa de hipotensão ortostática e taquicardia de repouso  Fundo de olho  Acuidade visual  Avaliação odontológica  Glicemia de jejum e pós-prandial (2 horas após refeição habitual)  Hemoglobina glicada  Lipidograma  Creatinina  Ácido úrico  Microalbuminúria (apenas se glicemias ≤ 180 mg/dL)  ECG

39 DIABETES MELLITUS Avaliação a cada 3 meses AVALIAÇÃO CLÍNICAAVALIAÇÃO LABORATORIAL  Peso, IMC e CA  PA  Exame dos membros inferiores  Exame dos pés  Glicemia de jejum  Glicemia pós-prandial  Hemoglobina glicada  Se estava anormal na primeira visita: - Lipidograma

40 40 Obrigada! Dra Alessandra Matheus Serviço de Diabetes e Metabologia HUPE UERJ


Carregar ppt "Dra Alessandra Matheus Serviço de Diabetes e Metabologia HUPE UERJ Março 2013 Classificação e Diagnóstico Diabetes Mellitus."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google