A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Técnica Cirúrgica Operações Fundamentais em Cirurgia Autor: André Fernando Tannouri Garbin.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Técnica Cirúrgica Operações Fundamentais em Cirurgia Autor: André Fernando Tannouri Garbin."— Transcrição da apresentação:

1 Técnica Cirúrgica Operações Fundamentais em Cirurgia Autor: André Fernando Tannouri Garbin

2 Técnica Cirúrgica Intervenção/Operação Cirúrgica Operações Fundamentais em Cirurgia Conceitos

3 Técnica Cirúrgica Geral Compreende os conhecimentos de assepsia e anti-sepsia, dinâmica do CC, equipe, vestuário, material, anestesia... Técnica Cirúrgica Especial É sintética, significando o estudo de cada cirurgia em particular. Conceitos

4 Intervenção/Operação Cirúrgica É o conjunto de gestos manuais e ou instrumentais que o cirurgião executa na intenção da realização de ato cruento com finalidade terapêutica, diagnóstica ou estética. Conceitos

5 Operações Fundamentais Constituem atos cirúrgicos simples, que, associados, permitem a realização de operações complexas. Conceitos

6

7 Operações Fundamentais Diérese ou Divisão Hemostasia Síntese ou Rafia

8 Diérese

9 Todo procedimento que tem por objetivo criar descontinuidade dos tecidos. Definição

10 Diérese Separação de tecidos moles produzindo um ferimento inciso. Ato de cortar com tesoura, serra etc. Separação dos tecidos com tesoura, pinça etc. Instrumento perfurante, diversas finalidades. Aumento de diâmetro de canais e orificios diversos. Serra óssea Tipos Secção Divulsão Punção Dilatação Serração Incisão

11 Diérese Incisão: materiais Mais Comuns

12 Diérese Incisão: materiais Bisturi frio

13 Diérese Incisão: materiais Bisturi Elétrico

14 Diérese Incisão: materiais Bisturi Laser

15 Diérese Incisão: técnica com bisturi frio Escolha do material Selecionar um cabo e uma lâmina

16 n. O 9 ao 17 n. O 18 ao 50 Cabo 3 Cabo 4

17 Diérese Incisão: técnica com bisturi frio Montagem do Bisturi Jamais montar com a mão!

18 Diérese Incisão: técnica com bisturi frio Empunhadura a) Tipo Lápis Maior delicadeza e precisão nas incisões pequenas e ou curvas.

19 Diérese Incisão: técnica com bisturi frio Empunhadura b) Tipo Arco de Violino Incisões longas retilíneas ou de curvas suaves

20 Onde Incisionar – Princípios a) Se possível seguir as linhas de Langer/Kraissl b) As incisões devem ser feitas perpendicularmente às fibras musculares *Via de acesso é prioridade! Diérese Incisão: técnica com bisturi frio

21 Incisão Magistral Deve ser executada em um tempo. Iniciar perpendicularmente, prosseguir em 45 º e terminar verticalmente. A incisão é feita com um só movimento ou traço, sem levantar o bisturi, movendo-se o pulso ao mesmo tempo que se traciona o braço. O bisturi deve ser empunhado como um lápis. Diérese Incisão: técnica com bisturi frio

22

23 Diérese Separação de tecidos moles produzindo um ferimento inciso. Ato de cortar com tesoura, serra etc. Separação dos tecidos com tesoura, pinça etc. Instrumento perfurante, diversas finalidades. Aumento de diâmetro de canais e orificios diversos. Serra óssea Tipos Secção Divulsão Punção Dilatação Serração Incisão

24 Secção Instrumentais Tesoura de Secção (Mayo)

25 Diérese Separação de tecidos moles produzindo um ferimento inciso. Ato de cortar com tesoura, serra etc. Separação dos tecidos com tesoura, pinça etc. Instrumento perfurante, diversas finalidades. Aumento de diâmetro de canais e orificios diversos. Serra óssea Tipos Secção Divulsão Punção Dilatação Serração Incisão

26 Divulsão Exemplos

27 Diérese Separação de tecidos moles produzindo um ferimento inciso. Ato de cortar com tesoura, serra etc. Separação dos tecidos com tesoura, pinça etc. Instrumento perfurante, diversas finalidades. Aumento de diâmetro de canais e orificios diversos. Serra óssea Tipos Secção Divulsão Punção Dilatação Serração Incisão

28 Divulsão Exemplos

29 Diérese Separação de tecidos moles produzindo um ferimento inciso. Ato de cortar com tesoura, serra etc. Separação dos tecidos com tesoura, pinça etc. Instrumento perfurante, diversas finalidades. Aumento de diâmetro de canais e orificios diversos. Serra óssea Tipos Secção Divulsão Punção Dilatação Serração Incisão

30 Divulsão Exemplos Vela de Hegar

31 Diérese Separação de tecidos moles produzindo um ferimento inciso. Ato de cortar com tesoura, serra etc. Separação dos tecidos com tesoura, pinça etc. Instrumento perfurante, diversas finalidades. Aumento de diâmetro de canais e orificios diversos. Serra óssea Tipos Secção Divulsão Punção Dilatação Serração Incisão

32 Divulsão Exemplos Costótomo

33 Divulsão Exemplos Cisalha articulada (Liston)

34 Hemostasia

35 Definição Todo procedimento ou manobra cirúrgica que tem por objetivo prevenir e ou interromper uma hemorragia, durante a intervenção operatória.

36 Hemostasia Temporária: tem duração em período de tempo finito. É executada no campo operatório ou a distancia do mesmo e pode ser incruenta (geralmente a distancia) ou cruenta (geralmente no campo operatório) Definitiva: quase sempre cruenta, em geral sobre o vaso, interrompendo para sempre a sua circulação.

37 Hemostasia Temporária Pinçamento Garroteamento Farmacológico Parada circulatória com hipotermia Balão endovascular

38 Hemostasia Definitiva Ligadura Cauterização Foto coagulação Obturação Tamponamento

39 Hemostasia

40 Pinça de Rochester

41 Hemostasia

42 Síntese

43 Síntese Cirúrgica É a aproximação correta dos tecidos visando apressar a cicatrização. Pode ser feita pelo simples afrontamento das estrituras, ou, mais comumente, por meio de sutura.

44 Síntese Cirúrgica Materiais

45 Síntese Cirúrgica Materiais Agulhas e suas classificações a) Tipos de agulha de acordo com o ângulo interno.

46 Síntese Cirúrgica Materiais Agulhas e suas classificações a) Tipos de agulha de acordo com o ângulo interno. Medida em frações de circunferência.

47 Síntese Cirúrgica Materiais Agulhas e suas classificações b) Tipos de agulha de acordo com a forma da secção transversal da ponta e corpo. Podem ser cortantes ou não cortantes.

48

49 Síntese Cirúrgica Materiais Agulhas e suas classificações c) Tipos de agulha de acordo com inserção do fio.

50 Atraumáticas Traumáticas

51 Síntese Cirúrgica Materiais Fios e suas classificações a) Absorviveis

52

53

54 Síntese Cirúrgica Materiais Fios e suas classificações b) Inabsorviveis

55

56

57 Síntese Cirúrgica Materiais Porta Agulhas

58 Síntese Cirúrgica Conceitos a) Nó Cirúrgico É o entrelaçamento ordenado e lógico feito com as extremidades livres do fio com o objetivo de uni-las e fixá-las

59 Síntese Cirúrgica Conceitos b) Ponto Cirúrgico É o segmento de fio compreendido entre duas passagens dele pelo tecido. É a unidade da síntese.

60 Síntese Cirúrgica Conceitos c) Sutura É o ponto ou conjunto de pontos aplicados nos tecidos com o objetivo de união, fixação e sustentação deles, durante o processo de cicatrização.

61 Nó Ponto Sutura

62 Suturas Em pontos Separados O afrouxamento de um nó, ou a queda do mesmo, não interfere no restante da sutura. Há menor quantidade de corpo estranho no interior da ferida. Os pontos são menos isquemiantes que na continua Mais trabalhosa e demorada

63 Suturas em Pontos Separados Ponto Simples Ponto em U vertical (Lambert) Ponto em U vertical complexo (Donatti) Ponto em U horizontal (Cushing) Ponto em U horizontal (Halsted)

64 Suturas em Pontos Separados Ponto Simples É um dos mais usados Pode ser usado em diversos tecidos

65 Suturas em Pontos Separados Ponto em U vertical (Lambert) Coaptação seroserosa em cirurgia gastrintestinal. Sutura de pele.

66 Suturas em Pontos Separados Ponto em U vertical complexo (Donatti) Usado na pele incluindo subcutâneo. Áreas de tensão.

67 Suturas em Pontos Separados Ponto em U horizontal (Cushing ou Gelly) Aplicado para produzir hemostasia em suturas com tensão (aponeuroses).

68 Suturas em Pontos Separados Ponto em U horizontal (Halsted)

69 Suturas em Pontos Separados Halsted x Cushing

70 Suturas Contínua Simples ou Chuleio Ancorado ou Chuleio Festonado Intradérmica

71 Suturas Contínua Simples ou Chuleio Subcutâneo, gastrointestinal, pele.

72 Suturas Contínuas Ancorada ou Chuleio Festonado Musculatura, aponeurose.

73 Suturas Contínuas Intradérmica Cicatriz.

74 Indicações por Região Pele Fio: nylon, ác. Poliglicólico ou poliéster Sutura: pontos separados (simples, Donatti) ou intradérmico.

75 Indicações por Tecido Tela Subcutânea Fio: categute simples Sutura: pontos separados simples ou chuleio simples.

76 Indicações por Região Aponeurose Fio: inabsorvíveis como nylon e algodão. Sutura: pontos separados simples ou U horizontal, chuleio ancorado (discutível)

77 Indicações por Região Musculatura Fio: absorvíveis como categute cromado. Sutura: chuleio festonado, chuleio simples ou pontos simples

78 Indicações por Região Vasos e nervos Fio: sempre inabsorvíveis Sutura: pontos separados em 2 camadas (se houver crescimento) ou contínuos.

79 Indicações por Região Gastrointestinal Fio: absorvível nas contínuas e inabsorvível nas de pontos separados. Sutura: primeio plano (total) chuleio simples ou ancorado, segundo plano (seroserosa) sutura de Cushing.

80 Obrigado.


Carregar ppt "Técnica Cirúrgica Operações Fundamentais em Cirurgia Autor: André Fernando Tannouri Garbin."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google