A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Há uma certa confusão entre os termos "fruto" e "fruta". Nem todos os alimentos conhecidos como frutas são frutos, e muitos frutos não são reconhecidos.

Cópias: 1
Há uma certa confusão entre os termos "fruto" e "fruta". Nem todos os alimentos conhecidos como frutas são frutos, e muitos frutos não são reconhecidos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Há uma certa confusão entre os termos "fruto" e "fruta". Nem todos os alimentos conhecidos como frutas são frutos, e muitos frutos não são reconhecidos."— Transcrição da apresentação:

1

2 Há uma certa confusão entre os termos "fruto" e "fruta". Nem todos os alimentos conhecidos como frutas são frutos, e muitos frutos não são reconhecidos pelo leigo como frutas. E nem todo fruto é comestível. Há uma certa confusão entre os termos "fruto" e "fruta". Nem todos os alimentos conhecidos como frutas são frutos, e muitos frutos não são reconhecidos pelo leigo como frutas. E nem todo fruto é comestível. Exemplos de frutos rotulados como "legumes" são a abobrinha, o tomate, e o quiabo, que são frutos por terem se desenvolvido a partir de ovários fecundados, e por apresentarem sementes em seu interior. Exemplos de frutos rotulados como "legumes" são a abobrinha, o tomate, e o quiabo, que são frutos por terem se desenvolvido a partir de ovários fecundados, e por apresentarem sementes em seu interior. "Frutos" e "Frutas"

3 O Fruto Em termo botânico, o fruto é uma estrutura presente em todas as Angiospermas onde as sementes são protegidas enquanto amadurecem. De forma prática, os frutos são quaisquer estruturas das Angiospermas que contém semente. Resultam do desenvolvimento de folhas carpelares fechadas, encontrando-se os óvulos encerrados dentro de um ovário. O termo fruto é utilizado para designar as estruturas que contém as sementes provenientes de um ovário. Em termo botânico, o fruto é uma estrutura presente em todas as Angiospermas onde as sementes são protegidas enquanto amadurecem. De forma prática, os frutos são quaisquer estruturas das Angiospermas que contém semente. Resultam do desenvolvimento de folhas carpelares fechadas, encontrando-se os óvulos encerrados dentro de um ovário. O termo fruto é utilizado para designar as estruturas que contém as sementes provenientes de um ovário.

4 Relação Fruto-Flor

5 Desenvolvimento do Fruto

6 Fruto,botanicamente falando, portanto, é: O conjunto formado pelo pericarpo, originado pelas paredes do ovário e a semente, formada a partir do óvulo fecundado.

7 Partes do Fruto As paredes do ovário formam o pericarpo do fruto, ou seja, todos os tecidos que não pertencem á semente. As paredes do ovário formam o pericarpo do fruto, ou seja, todos os tecidos que não pertencem á semente. O pericarpo tem três camadas distintas, bem ilustradas pela estrutura, em corte, de uma maçã O pericarpo tem três camadas distintas, bem ilustradas pela estrutura, em corte, de uma maçã endocarpo – a camada mais interna, resulta das células epiteliais que rodeiam a cavidade do ovário (lóculo). Na maçã corresponde á camada, muito fina e com textura de papel, que envolve a estrela central, onde se localizam as sementes; a camada mais interna, resulta das células epiteliais que rodeiam a cavidade do ovário (lóculo). Na maçã corresponde á camada, muito fina e com textura de papel, que envolve a estrela central, onde se localizam as sementes; mesocarpo – A camada intermédia, resulta do parênquima das paredes (tecido fundamental) do ovário. Geralmente, é rico em substâncias nutritivas e saborosas, como no caso da maçã, mas existem frutos em que tal não se verifica. A camada intermédia, resulta do parênquima das paredes (tecido fundamental) do ovário. Geralmente, é rico em substâncias nutritivas e saborosas, como no caso da maçã, mas existem frutos em que tal não se verifica.

8 exocarpo – camada mais externa, resulta das células epidérmicas que envolvem o ovário e o carpelo. Formam a casca dos frutos, como a maçã. camada mais externa, resulta das células epidérmicas que envolvem o ovário e o carpelo. Formam a casca dos frutos, como a maçã.

9 Apesar dos frutos comumente apresentarem sementes, alguns deles, os frutos Apesar dos frutos comumente apresentarem sementes, alguns deles, os frutos (Partenocárpicos) (Partenocárpicos) pois é um fruto obtido sem que o óvulo seja fecundado, podem desenvolver-se sem a sementes. As bananas são exemplos familiares desse caso excepcional. pois é um fruto obtido sem que o óvulo seja fecundado, podem desenvolver-se sem a sementes. As bananas são exemplos familiares desse caso excepcional.

10 Monospérmicos: Monospérmicos: apenas uma semente. apenas uma semente. Polispérmicos: Polispérmicos: mais de uma semente. mais de uma semente. Fruto geocárpico : desenvolve-se no interior do solo

11 Fruto Simples Carnoso Pomos Bagos Drupas Seco Deiscentes Indeiscentes MúltiplosAgregados

12 Fruto da magnólia - agregado

13 Frutos múltiplos: consistem em ovários amadurecidos de muitas flores de uma inflorescência, que crescem mais ou menos juntas num mesmo receptáculo, formando uma infrutescência. Exemplos: amora (Morus nigra - Moraceae), abacaxi (Ananas comosus - Bromeliaceae) e figo (Ficus carica - Moraceae).

14 Fruto simples: Secos: Frutos secos deiscentes: abrem-se espontaneamente para liberarem as sementes. Apresentam o pericarpo pouco desenvolvido, contendo pequena quantidade de água

15 Fruto seco indeiscente são frutos que não se abrem espontaneamente para liberarem as sementes

16

17 Frutos carnosos são aqueles, nos quais a parede do ovário aumenta em espessura após a polinização e a subseqüente fertilização. Nesses frutos os pericarpos são bem desenvolvidos e, pelo menos em parte, parenquimatosos e suculentos.

18 Fruto carnosos Baga: É o tipo mais comum de fruto carnudo simples, no qual a parede do ovário inteiro amadurece em um pericarpo comestível. As flores dessas plantas têm um ovário superior e ele tem um ou vários gineceus dentro de uma cobertura fina e interiores muito carnudos. As sementes são embutidas na carne comum do ovário.

19 Baga Os exemplos de bagas botânicas incluem o tomate, uva, lechia, nêspera, berinjela, banana, abacate, cáqui, goiaba, uchuva (cereja da terra), e pimenta Os exemplos de bagas botânicas incluem o tomate, uva, lechia, nêspera, berinjela, banana, abacate, cáqui, goiaba, uchuva (cereja da terra), e pimenta tomateuvalechia nêsperaberinjela bananaabacate cáquigoiabauchuva pimenta tomateuvalechia nêsperaberinjela bananaabacate cáquigoiabauchuva pimenta

20 Fruto carnoso Pepônio: o fruto não apresenta septos e a camada externa (epicarpo) apresenta-se de coriácea até lenhosa. Este fruto origina-se de um ovário ínfero, com placentação parietal constituída de três placentas bifurcadas, que avançam para o espaço central. O pericarpo é carnoso e as sementes são embebidas em polpa sucosa. Exemplos: melancia (Citrullus lanatus - Cucurbitaceae)

21 Fruto carnoso Drupa: apresenta o pericarpo com uma camada externa carnosa e uma pétrea. Geralmente é oriundo de ovário unicarpelar e monospérmico. O epicarpo é delgado, o mesocarpo carnoso e o endocarpo lenhoso. Este envolve a semente, estando fortemente aderido a ela, formando o chamado caroço. Exemplos: azeitona, manga e coco

22 Fruto carnoso Pomo : Derivado de um hipanto que envolve os carpelos (dois ou mais) e de ovário ínfero. O hipanto forma a porção carnosa e comestível Exemplos: maçã (Malus domestica - Rosaceae) e pêra (Pirus communis - Rosaceae

23 Fruto carnoso Hesperídio: o epicarpo é coriáceo com numerosas glândulas oleíferas e o endocarpo é membranáceo e dividido em gomos, revestidos de pêlos sucosos na porção interna. Exemplo: laranja (Citrus sp. -Rutaceae).

24

25 Pseudofruto Muitas vezes aquilo que vulgarmente se chama de "fruta"não corresponde ao conceito botânico de fruto, que é o produto do ovário da flor após a fecundação. é comum, por exemplo, que a parte comestível da fruta seja formada não pelo ovário, mas pelo receptáculo da flor, ou mesmo por diversos frutos fundidos, dando origem a diversos falsos frutos.

26 "falso fruto" é um desenvolvimento de um tecido vegetal adjacente à flor que sustenta o fruto, de forma que este se assemelhe em cor e consistência a um fruto verdadeiro (que, por definição, é proveniente do desenvolvimento do ovário.

27 o caju é o exemplo mais conhecido. O pedúnculo desenvolve-se em uma estrutura carnosa, doce em algumas variedades, de forte cor amarela ou alaranjada, que consiste na parte comestível do caju. A fruta em si é o "caroço" em forma de meia-lua no seu ápice, onde encontra-se a castanha de caju, sua semente. o caju é o exemplo mais conhecido. O pedúnculo desenvolve-se em uma estrutura carnosa, doce em algumas variedades, de forte cor amarela ou alaranjada, que consiste na parte comestível do caju. A fruta em si é o "caroço" em forma de meia-lua no seu ápice, onde encontra-se a castanha de caju, sua semente.

28 Diferenciações Pseudofrutos simples Pseudofrutos simples - Provenientes do receptáculo de uma única flor, que incha, envolvendo o fruto verdadeiro total ou parcialmente. Ex: maça e caju Pseudofrutos simples

29 Pseudofrutos múltiplos Pseudofrutos múltiplos – Pseudofrutos múltiplos provenientes do desenvolvimento de ovários de muitas flores de uma inflorescência, que crescem juntos numa estrutura única, temos como exemplo a amora, o abacaxi e o figo. provenientes do desenvolvimento de ovários de muitas flores de uma inflorescência, que crescem juntos numa estrutura única, temos como exemplo a amora, o abacaxi e o figo.

30 Pseudofruto composto Pseudofruto composto provenientes do desenvolvimento do receptáculo de uma única flor, com muitos ovários. Exemplo: morango, pois vários aquênios ficam associados a uma parte carnosa correspondente ao receptáculo da flor. provenientes do desenvolvimento do receptáculo de uma única flor, com muitos ovários. Exemplo: morango, pois vários aquênios ficam associados a uma parte carnosa correspondente ao receptáculo da flor.

31 Infrutescências: formados a partir de ovários mais ou menos concrescentes das flores de uma inflorescência. Para a sua formação contribuem, muitas vezes, outras peças das inflorescências externas aos ovários, ou seja– resulta do desenvolvimento dos vários ovários, das flores de uma inflorescência. Ex.: abacaxi

32 SEMENTES As sementes correspondem ao óvulo já fecundado. As sementes correspondem ao óvulo já fecundado.

33 Formação Após a fecundação, dentro do óvulo, o zigoto sofre divisões sucessivas, dando origem ao embrião e cotilédone, ou cotilédones. Após a fecundação, dentro do óvulo, o zigoto sofre divisões sucessivas, dando origem ao embrião e cotilédone, ou cotilédones.

34 Estrutura Tegumento: corresponde a casca que reveste a amêndoa. Tegumento: corresponde a casca que reveste a amêndoa. Embrião: é constituído pela(s) cotilédone(s), caulículo (caule) e radícula (raiz). Embrião: é constituído pela(s) cotilédone(s), caulículo (caule) e radícula (raiz).

35 Endosperma: corresponde a reserva nutritiva da semente. Esta pode classificar- se de 4 maneiras, são elas: Endosperma: corresponde a reserva nutritiva da semente. Esta pode classificar- se de 4 maneiras, são elas:

36 Endospermas Oleaginoso - quando contém substância oleaginosas. Oleaginoso - quando contém substância oleaginosas. Ex. mamona, algodão e girassol. Ex. mamona, algodão e girassol.

37 Córneo - paredes das células muito espessas e endurecidas, devido ao acúmulo de reservas representadas pela celulose. Córneo - paredes das células muito espessas e endurecidas, devido ao acúmulo de reservas representadas pela celulose. Ex. café e tâmara. Ex. café e tâmara.

38 Gelatinoso - as reservas são constituídas pela celulose que impregna as paredes celulares, porém, com a absorção da água, elas amolecem e se gelificam, como em certas gramíneas. Gelatinoso - as reservas são constituídas pela celulose que impregna as paredes celulares, porém, com a absorção da água, elas amolecem e se gelificam, como em certas gramíneas.

39 Amiláceo - o amido é a principal reserva. Ex. milho, arroz, trigo e feijão. Amiláceo - o amido é a principal reserva. Ex. milho, arroz, trigo e feijão.

40 Germinação Há diversos mecanismos que controlam a germinação das sementes, são eles: Há diversos mecanismos que controlam a germinação das sementes, são eles: Condições intrínsecas - são condições internas, da própria semente. Maturidade - a semente deve estar completamente desenvolvida e madura. Condições intrínsecas - são condições internas, da própria semente. Maturidade - a semente deve estar completamente desenvolvida e madura. Condições extrínsecas - são as condições do ambiente necessária à germinação,tais como água, ar, calor e luz. Condições extrínsecas - são as condições do ambiente necessária à germinação,tais como água, ar, calor e luz.

41 Dormência - é a incapacidade que algumas sementes têm de germinar, causada por fatores internos, como a demora na maturação ou pela presença de produtos inibidores que desaparecem com o passar do tempo. Dormência - é a incapacidade que algumas sementes têm de germinar, causada por fatores internos, como a demora na maturação ou pela presença de produtos inibidores que desaparecem com o passar do tempo. Quiescência - é a incapacidade que todas as sementes têm de germinar quando os fatores externos sejam desfavoráveis. Quiescência - é a incapacidade que todas as sementes têm de germinar quando os fatores externos sejam desfavoráveis.

42 Formas As formas estão relacionadas as diversas maneiras de dispersão e as mais comuns são: As formas estão relacionadas as diversas maneiras de dispersão e as mais comuns são: Aladas (com asas). Aladas (com asas). Ovaladas (oval). Ovaladas (oval). Semente de Mulungú Dente-de-leão


Carregar ppt "Há uma certa confusão entre os termos "fruto" e "fruta". Nem todos os alimentos conhecidos como frutas são frutos, e muitos frutos não são reconhecidos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google