A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O INÍCIO DA CIVILIZAÇÃO GREGA Sem Grécia e Roma nós não seríamos o que somos. Michael Grant.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O INÍCIO DA CIVILIZAÇÃO GREGA Sem Grécia e Roma nós não seríamos o que somos. Michael Grant."— Transcrição da apresentação:

1 O INÍCIO DA CIVILIZAÇÃO GREGA Sem Grécia e Roma nós não seríamos o que somos. Michael Grant

2 O EXPLENDOR DA CIVILIZAÇÃO GREGA. De onde surgem os Gregos? De onde surgem os Gregos? 1º Jônios ou Arqueus (vindos do norte), século XVIII a.C. 1º Jônios ou Arqueus (vindos do norte), século XVIII a.C. 2º Dórios: século XII a.C. 2º Dórios: século XII a.C. No século IX, período de Homero, a Grécia estava sob o domínio de uma monarquia patriarcal. No século IX, período de Homero, a Grécia estava sob o domínio de uma monarquia patriarcal. No século VII a.C, se dá a formação das cidades Gregas. No século VII a.C, se dá a formação das cidades Gregas. Os Gregos substituem os fenícios no comércio do Mediterrâneo Oriental. Os Gregos substituem os fenícios no comércio do Mediterrâneo Oriental. Intensificação da agricultura. Intensificação da agricultura.

3 Mapa do "velho mundo": Europa, Ásia e África - Europa, Ásia e África, continentes conhecidos desde a Antigüidade, estão praticamente unidas em um gigantesco bloco. O Mar Mediterrâneo (M), estrategicamente localizado entre os três, é a principal via de comunicação. O b assinala a península balcânica, onde os povos gregos se instalaram por volta de

4 Períodos da história grega 1550 a 1100 a.C. Período Micênico 1100 a 750 a.C. Idade das Trevas 750 a 480 a.C. Período Arcaico 480 a 320 a.C. Período Clássico 320 a 30 a.C. Período Helenístico 30 a.C. a 529 d.C. Período Greco-Romano

5 Grécia - Períodos importantes Idade das trevas (Grécia antiga) século XIII, 1200 a.C. Idade das trevas (Grécia antiga) século XIII, 1200 a.C. Não há escrita, desaparece a vida econômica e política. Não há escrita, desaparece a vida econômica e política. Tempos Homéricos (séc. XII ao séc. VII a.C.) Tempos Homéricos (séc. XII ao séc. VII a.C.) 1. Homero: narra a Guerra entre Agamedon, rei de Micenas, contra os habitantes de Ilion (tróia), obra Ilíada, ver também a Odisséia (narra as viagens de Ulisses). 2. Tempo caracterizado pelo poder da aristocracia guerreira.

6 BUSTO DE HOMERO

7 3. Crença nos mitos (os deuses interferem nas ações e nas leis humanas = politeístas antropomórfica). Os homens gregos acreditavam que as divindades interferiam nos acontecimentos diários de suas vidas e de tudo que acontecia. Os oráculos cumpriam funções importantes na sociedade grega na medida em que os deuses eram consultados por seus intermédios.

8 Período Arcaico (séc. VII ao séc. VI a.C.). 1. Civilização clássica – aparecimento da pólis (cidade-estado) o milagre grego; 2. Passagem do mundo rural, da aristocracia (donos da terra), para o mundo urbano; 3. Surgimento da escrita, da moeda, das leis escritas, que culminam no aparecimento da filosofia (racionalidade), desligada do mito (tutela divina); 4. Atenas é a principal cidade-estado da Grécia: aparecem os conceitos de cidadania e democracia (embora podendo participar apenas os homens livres), com apogeu no séc. V desde a época de Péricles até Alexandre, o Grande;

9 A bacia mediterrânea. Na parte oriental, situam-se a península balcânica e o Mar Egeu. O Mar Mediterrâneo interligava a península balcânica, o Oriente Médio, o norte da África e as terras a oeste da península itálica. Antes de -2000, navegava-se quase que só no Mediterrâneo Oriental; de em diante, no entanto, com o aumento dos contatos comerciais, o Mediterrâneo inteiro fervilhava...

10 A GRÉCIA E A POLÍTICA Pólis do Grego = cidade, cidadão, cidadania; Pólis do Grego = cidade, cidadão, cidadania; TA POLÍTIKA = negócios públicos dirigidos pelo cidadão; costume, leis erário público; organização da defesa e da guerra; administração dos serviços públicos (ruas, estradas, portos, construção de templos e fortificações, obras de irrigação). TA POLÍTIKA = negócios públicos dirigidos pelo cidadão; costume, leis erário público; organização da defesa e da guerra; administração dos serviços públicos (ruas, estradas, portos, construção de templos e fortificações, obras de irrigação). POLIS (grego) POLIS (grego) CIVITAS (latim) = ESTADO (moderno) CIVITAS (latim) = ESTADO (moderno) TA POLÍTIKA (grego) = RES PUBLICA(latim) TA POLÍTIKA (grego) = RES PUBLICA(latim)

11 IMPORTÂNCIA DOS GREGOS "O Século XX com todos os seus progressos técnico- científicos deve curvar-se com humildade ante o esplender da civilização da Grécia Antiga. Esta não conheceu a estonteante velocidade da era dos aviões a jato e dos satélites artificiais. Não conheceu o segredo da constituição e da desintegração do átomo. Mas seus pensadores alcançaram vôos intelectuais que foram muito além das regiões atingidas pelas naves espaciais e penetraram mais fundo que a natureza constituitiva da matéria. Ultrapassaram os limites físicos do Universo e atingiram o mundo só acessível ao raciocínio puro onde se encontra a resposta sobre a razão última de ser de todas as coisas Mário Curtis Giordani/1972

12 OS GREGOS: Foram os precursores da poesia épica, da história, do drama, da filosofia (da metafísica até a economia), da medicina e da política: o que os antecede não é política (em oposição a teocracia e o despotismo oriental). A política é entendida como vida boa (como racional feliz e justo próprio dos homens livres). Foram os precursores da poesia épica, da história, do drama, da filosofia (da metafísica até a economia), da medicina e da política: o que os antecede não é política (em oposição a teocracia e o despotismo oriental). A política é entendida como vida boa (como racional feliz e justo próprio dos homens livres). Formas de governo: Oligarquia, Plutocracia, Democracia e Tirania. Formas de governo: Oligarquia, Plutocracia, Democracia e Tirania.

13 O Mediterrâneo Oriental. [ desenho do autor / author's sketch ] informações diversas. A história da Grécia Antiga desenrolou- se, durante a Antigüidade, notadamente nas terras banhadas pelo Mar Egeu e pelo Mar Iônio.

14 O Mediterrâneo oriental visto do céu. SeaWiFS Project, NASA/Goddard Space Flight Center, and ORBIMAGE. Data: 08/07/2000.

15 Quem era o cidadão? - Era o homem, o oligarca, nascido na Grécia; - Apenas 10% da população; - Detinha o poder racional; - Participava da Academia; - Isonomia: Igualdade perante a lei; - Isegoria: direito de expor e discutir em público o que a cidade deve ou não realizar;

16 O cidadão O homem participava das decisões políticas (do interesse da polis), negócios públicos (costumes leis, erários públicos, organização da defesa e da guerra, etc), administração dos serviços públicos (abertura de estradas e portos, construções de templos e fortificações, obras de irrigação), atividades econômicas das cidades (moeda, impostos e tributos, tratados comerciais, etc); O homem participava das decisões políticas (do interesse da polis), negócios públicos (costumes leis, erários públicos, organização da defesa e da guerra, etc), administração dos serviços públicos (abertura de estradas e portos, construções de templos e fortificações, obras de irrigação), atividades econômicas das cidades (moeda, impostos e tributos, tratados comerciais, etc); Os homens também tinham acesso direto com a literatura, a política, a educação (Paidéia), a ciência, a filosofia, a dança, os cantos, o teatro na acrópole (tragédia e comédia), jogos olímpicos, a música, a poesia, a arquitetura, a escultura (essencialmente no período arcaico e clássico); Os homens também tinham acesso direto com a literatura, a política, a educação (Paidéia), a ciência, a filosofia, a dança, os cantos, o teatro na acrópole (tragédia e comédia), jogos olímpicos, a música, a poesia, a arquitetura, a escultura (essencialmente no período arcaico e clássico);

17 O HOMEM - CIDADÃO A elite sempre comandou, e na Grécia não foi diferente. Onde as diferenças de classe eram uma realidade a elite dominou todas as atividades políticas, culturais, militares e atléticas. (FINLEY)

18 OS EXCLUÍDOS Mulher: Instrumentalizada, servia para a procriação, não tomava parte nos assuntos da polis, era equiparada aos escravos, dedicada a função corporal. Mulher: Instrumentalizada, servia para a procriação, não tomava parte nos assuntos da polis, era equiparada aos escravos, dedicada a função corporal. Filho: O filho homem era educado para se tornar cidadão, a filha mulher seguiria os passos da mãe. Filho: O filho homem era educado para se tornar cidadão, a filha mulher seguiria os passos da mãe. Escravo: Sustentava e mantinha os cidadãos; Não possuía direito civil ou político; Era maioria. Escravo: Sustentava e mantinha os cidadãos; Não possuía direito civil ou político; Era maioria. Bárbaro (estrangeiros): Não tinham acesso ao culto, os deuses não os protegiam, nem mesmo podiam invoca-los; O túmulo do estrangeiro não era sagrado; Não era considerado humano. Bárbaro (estrangeiros): Não tinham acesso ao culto, os deuses não os protegiam, nem mesmo podiam invoca-los; O túmulo do estrangeiro não era sagrado; Não era considerado humano.

19 A POPULAÇÃO A polis ideal para Aristóteles era a pequena proporção tanto de território como de população A polis ideal para Aristóteles era a pequena proporção tanto de território como de população A população ateniense, segundo Finley (1981, p.20), durante a guerra do Peloponeso em 431, era da ordem de 250 mil a 257 mil habitantes, contando com homens livres, escravos, mulheres, crianças; A população ateniense, segundo Finley (1981, p.20), durante a guerra do Peloponeso em 431, era da ordem de 250 mil a 257 mil habitantes, contando com homens livres, escravos, mulheres, crianças; Atenas tinha de 30 a 40 cidadãos para 80 a 100 escravos (Perry Anderson); Atenas tinha de 30 a 40 cidadãos para 80 a 100 escravos (Perry Anderson); 250 mil pessoas em 2600 km 2 (Kitto); 250 mil pessoas em 2600 km 2 (Kitto); 500 mil pessoas entre cidadãos livres + metecos (estrangeiros) + escravos: 300 mil escravos e 50 mil estrangeiros, 150 mil cidadãos (Aranha e Martins); 500 mil pessoas entre cidadãos livres + metecos (estrangeiros) + escravos: 300 mil escravos e 50 mil estrangeiros, 150 mil cidadãos (Aranha e Martins); 20% cidadãos – 80% escravos (Aquino); 20% cidadãos – 80% escravos (Aquino); 80 mil escravos, 40 mil cidadãos (Barquer). 80 mil escravos, 40 mil cidadãos (Barquer).

20 PRINCIPAIS CIDADES-ESTADOS: Atenas Atenas Esparta Esparta Siracusa Siracusa Corcira Corcira Agragas (Agrimento) na Cecília Agragas (Agrimento) na Cecília Atica, Argos, Tebas, Mileto e Corinto. Atica, Argos, Tebas, Mileto e Corinto.

21 GRÉCIA ANTIGA

22 A Grécia Continental. No mapa estão identificadas somente as regiões e ilhas mais importantes ao longo da história grega. A "Grécia Continental" é constituída pelas terras da península balcânica ao sul do Monte Olimpo. Ao norte, ficavam a Trácia e a Macedônia, países relativamente primitivos, no entendimento dos gregos. A Macedônia, no entanto, iria dominar as póleis gregas na segunda metade do século -IV

23 ATENAS

24 IMAGENS DE ATENAS

25 PARTHENON Símbolo do poder ateniense no fim do século V. O parthenon, um dos templos da acrópole de Atenas. Ictinos e Calícrates (arquitetos); Fídias (diretor da obra). Data: -447/-433.

26 PARTHENON PARTHENON

27 PARTHENON

28 O TEATRO DE DELFOS

29 LEGISLADORES, GOVERNANTES E ESTADISTAS: Drácon: em Atenas, estabeleceu o código penal; Drácon: em Atenas, estabeleceu o código penal; Sólon: completou o código penal de Drácon, criando o civil e político. Organizaram a coletividade grega. Quando a aristocracia assume a hegemonia política, a teocracia deixa de ter influência. Sólon: completou o código penal de Drácon, criando o civil e político. Organizaram a coletividade grega. Quando a aristocracia assume a hegemonia política, a teocracia deixa de ter influência. Clístenes: Foi fundador da democracia ateniense. Introduz a execução dos condenados à morte com ingestão de cicuta, veneno mortal do qual Sócrates foi vítima. E a pena do Ostracismo: envio do cidadão para o exílio, por dez anos (cassação dos direitos políticos daqueles que ameaçassem a democracia). No seu governo Atenas torna-se a maior potência da Grécia entre os anos de 490 a 470 a.C. Clístenes: Foi fundador da democracia ateniense. Introduz a execução dos condenados à morte com ingestão de cicuta, veneno mortal do qual Sócrates foi vítima. E a pena do Ostracismo: envio do cidadão para o exílio, por dez anos (cassação dos direitos políticos daqueles que ameaçassem a democracia). No seu governo Atenas torna-se a maior potência da Grécia entre os anos de 490 a 470 a.C.

30 LEGISLADORES, GOVERNANTES E ESTADISTAS: Pisístrato: foi um tirano. Péricles: Principal representante da democracia grega. Governou por trinta anos, dirigente de Atenas no ano de 432 a.C. DRAMATURGOS: Ésquilo foi um dos mais importantes poetas gregos. Mestre supremo da exposição trágica. O destino do homem foi o principal tema de sua tragédia. Sófocles:Eurípides:Aristófanes:Meneandro:

31 OS GREGOS ANTIGOS: COMO SER UM CIDADÃO A política para os gregos era uma maneira de pensar, sentir e relacionar-se com os outros; A política para os gregos era uma maneira de pensar, sentir e relacionar-se com os outros; Os gregos obedeciam às leis da sua polis. A própria identidade dos gregos estava ligada a polis. Sendo que o pior castigo para o cidadão grego era o ostracismo; Os gregos obedeciam às leis da sua polis. A própria identidade dos gregos estava ligada a polis. Sendo que o pior castigo para o cidadão grego era o ostracismo; Os gregos, criadores da literatura e da política, não consideravam o despotismo oriental como política; Os gregos, criadores da literatura e da política, não consideravam o despotismo oriental como política; As leis e políticas das cidades provinha das discussões entre os cidadãos (os iguais) na agora (praça pública = arena para debates políticos). As leis e políticas das cidades provinha das discussões entre os cidadãos (os iguais) na agora (praça pública = arena para debates políticos). Os cidadãos eram iguais = isonomia Os cidadãos eram iguais = isonomia Debates públicos = isegoria Debates públicos = isegoria Igualdade política = isocracia. Igualdade política = isocracia.

32 SOFISTAS Sábios itinerantes Sábios itinerantes Mestres do saber Mestres do saber Ensinavam os filhos dos cidadãos táticas Ensinavam os filhos dos cidadãos táticas Uso da RETÓRICA (persuasão) Uso da RETÓRICA (persuasão) Oratória: discurso político/persuasão cujo ensinamento provinha dos sofistas – mestres do saber. Oratória: discurso político/persuasão cujo ensinamento provinha dos sofistas – mestres do saber. Muitos cargos provinham de sorteio; os mais importantes provinham das famílias ricas. Muitos cargos provinham de sorteio; os mais importantes provinham das famílias ricas.

33 Surgem com o triunfo político da democracia; Surgem com o triunfo político da democracia; São os mestres da eloqüência (professores itinerantes) e da retórica; São os mestres da eloqüência (professores itinerantes) e da retórica; Ensinavam por um alto preço aos homens ávidos de poder político a conquistar o mesmo; Ensinavam por um alto preço aos homens ávidos de poder político a conquistar o mesmo; O ensino era encarado como meio para fins práticos e empíricos (não para si mesmo); O ensino era encarado como meio para fins práticos e empíricos (não para si mesmo); Protágoras foi o mais famoso sofista; Protágoras foi o mais famoso sofista; Para os sofistas é verdadeiro e faz sentido apenas o que satisfaz os sentidos, ao impulso e paixão de cada um em dado momento; Para os sofistas é verdadeiro e faz sentido apenas o que satisfaz os sentidos, ao impulso e paixão de cada um em dado momento; Eram relativistas destituídos de moral. Eram relativistas destituídos de moral.

34 Pregavam o sensualismo (hedonismo) e o utilitarismo ético (o único bem é o prazer, a única regra de conduta é o interesse pessoal); Pregavam o sensualismo (hedonismo) e o utilitarismo ético (o único bem é o prazer, a única regra de conduta é o interesse pessoal); Ensinavam apenas seus discípulos a vencerem seus oponentes; Ensinavam apenas seus discípulos a vencerem seus oponentes; Eram convencionistas. Eram convencionistas. Propunham-se ensinar os jovens em toda sorte de disciplinas e ensinar-lhes a eloqüência, p.43. Propunham-se ensinar os jovens em toda sorte de disciplinas e ensinar-lhes a eloqüência, p.43.

35 PROTÁGORAS: "Man is the measure of all things." PROTÁGORAS: "Man is the measure of all things."

36 OS FILÓSOFOS Buscavam conceitos universais; Buscavam conceitos universais; Arché (origem, essência, ser) princípio fundamental; Arché (origem, essência, ser) princípio fundamental; Críticos dos costumes de seu tempo; Críticos dos costumes de seu tempo; Contribuíram para o pensamento político; Contribuíram para o pensamento político; Ser filósofo é ser cidadão por excelência; Ser filósofo é ser cidadão por excelência; Os filósofos eram adversários da democracia, pois segundos estes, o saber não era prioridade, imperando a incompetência e a falsidade da maioria. Os filósofos eram adversários da democracia, pois segundos estes, o saber não era prioridade, imperando a incompetência e a falsidade da maioria. Pré-socráticos - Sócrates - Platão. Pré-socráticos - Sócrates - Platão.

37 PRÉ-SOCRÁTICOS: Preocupações de ordem cosmológicas, muitos foram chefes políticos Preocupações de ordem cosmológicas, muitos foram chefes políticos e legisladores de suas cidades; TALES DE MILETO: água; TALES DE MILETO: água; ANAXIMANES: ar; ANAXIMANES: ar; ANAXIMANDRO: APEIRON (Matéria); ANAXIMANDRO: APEIRON (Matéria); PITÁGORAS: o número (matemática), geometria aritmética; PITÁGORAS: o número (matemática), geometria aritmética; HERÁCLITO: Devir = vir-a-ser; HERÁCLITO: Devir = vir-a-ser; PERMÊNIDES: o ser é e o não ser não é; PERMÊNIDES: o ser é e o não ser não é; DEMÓCRITO: os átomos. DEMÓCRITO: os átomos.

38 TALES DE MILETO

39 HERÁCLITO

40 PITÁGORAS

41 Representação gráfica do célebre teorema de Pitágoras: ac 2 = ab 2 + bc 2

42 PLATÃO A civilização grega encontra-se em declínio; A civilização grega encontra-se em declínio; Fundou uma academia (Escola filosófica); Fundou uma academia (Escola filosófica); Na Alegoria da caverna: faz a oposição entre o real e o ideal; Na Alegoria da caverna: faz a oposição entre o real e o ideal; Obras sobre política: A República, O Político, As Leis. Obras sobre política: A República, O Político, As Leis. FORMAS DE GOVERNO: FORMAS DE GOVERNO: Ideais/boas Ruíns/corrompidas Monarquia; Tirania Aristocracia; Oligarrquia Democracia. Timocracia (desejo de honrarias). Democracia. Timocracia (desejo de honrarias).

43 PLATÃO HIERARQUIA DO ESTADO PARA PLATÃO: HIERARQUIA DO ESTADO PARA PLATÃO: Quem comandaria o Estado? Quem comandaria o Estado? Magistrados (Reis filósofos); Guerreiros;Lavradores. O Estado absorve o indivíduo; O Estado absorve o indivíduo; Contrário a propriedade privada; Contrário a propriedade privada; Foi idealista/utopista; Foi idealista/utopista; Teoria das idéias inatas. Teoria das idéias inatas.

44 ARISTÓTELES Foi mais realista do que Platão: este é o mundo ideal; Foi mais realista do que Platão: este é o mundo ideal; Principal obra política: A Política, dividido em oito livros: Principal obra política: A Política, dividido em oito livros: 1º: trata da origem do Estado; 1º: trata da origem do Estado; 2º: critica as teorias anteriores, em especial Platão; 2º: critica as teorias anteriores, em especial Platão; 3º e 4º: dedicados à descrição das formas de governo; 3º e 4º: dedicados à descrição das formas de governo; 5º: trata das mudanças das constituições; 5º: trata das mudanças das constituições; 6º: estuda as várias formas de democracia e de oligarquia; 6º: estuda as várias formas de democracia e de oligarquia; 7º e 8º: tratam das melhores formas de constituição. 7º e 8º: tratam das melhores formas de constituição.

45 ARISTÓTELES E PLATÃO

46 O homem é um animal social, portanto necessita viver em comunidade; O homem é um animal social, portanto necessita viver em comunidade; Logos: Razão, Linguagem; Logos: Razão, Linguagem; Sociedade: associação; Sociedade: associação; 1. família (fim próprio) 2. aldeia (fim próprio), 3. cidade-estado (fim comum); O Estado é a sociedade política organizada; O Estado é a sociedade política organizada; O cidadão (todo homem livre) é definido pela faculdade de participar em lugares públicos, onde acontece o debate sobre a polis; O cidadão (todo homem livre) é definido pela faculdade de participar em lugares públicos, onde acontece o debate sobre a polis; O cidadão participa do poder deliberativo e judicial. O cidadão participa do poder deliberativo e judicial.

47 ACADEMIA FILOSÓFICA

48 Na sua obra A Política, o autor, que é o criador do holismo, procura justificar a propriedade privada, a família e a escravidão. Na sua obra A Política, o autor, que é o criador do holismo, procura justificar a propriedade privada, a família e a escravidão. Também é em sua obra A Política que Aristóteles anuncia que o homem é um animal social, zoon politikon Também é em sua obra A Política que Aristóteles anuncia que o homem é um animal social, zoon politikon Formas de governo: Formas de governo: Boas / ideais Ruins/degenerações 1 Monarquia 4 Tirania 2 Aristocracia 5 Oligarquia 3 República/Politéia 6 Democracia

49 CONSIDERAÇÕES SOBRE A POLÍTICA DE ARISTÓTELES O critério é o interesse comum e o interesse pessoal; O critério é o interesse comum e o interesse pessoal; A vida política não se separa da vida ética = vida comunitária; A vida política não se separa da vida ética = vida comunitária; O objetivo da política é a vida = viver bem (euzen); O objetivo da política é a vida = viver bem (euzen); A vida superior só existe na cidade justa, é preciso buscar a melhor política para a cidade; A vida superior só existe na cidade justa, é preciso buscar a melhor política para a cidade; Aristóteles justifica a escravidão; Aristóteles justifica a escravidão; O Estado realiza os ideais éticos, morais e políticos do cidadão; O Estado realiza os ideais éticos, morais e políticos do cidadão;

50 ARISTÓTELES O Estado prepara o cidadão para a virtude; O Estado prepara o cidadão para a virtude; O cidadão será o homem corajoso, moderado, liberal, magnânimo, praticando a justiça, observando a eqüidade, comportando-se como perfeito amigo,em suma, o homem do bom e belo. O cidadão será o homem corajoso, moderado, liberal, magnânimo, praticando a justiça, observando a eqüidade, comportando-se como perfeito amigo,em suma, o homem do bom e belo. A favor da propriedade privada; A favor da propriedade privada; O Estado é o conjunto dos cidadãos, o governo é o conjunto de pessoas que ordenam e regulam a vida do Estado e excedem o poder. O Estado é o conjunto dos cidadãos, o governo é o conjunto de pessoas que ordenam e regulam a vida do Estado e excedem o poder.


Carregar ppt "O INÍCIO DA CIVILIZAÇÃO GREGA Sem Grécia e Roma nós não seríamos o que somos. Michael Grant."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google