A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIJU Í - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DCS – DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PROGRAMA DE PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAIS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIJU Í - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DCS – DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PROGRAMA DE PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAIS."— Transcrição da apresentação:

1 UNIJU Í - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DCS – DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PROGRAMA DE PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAIS LINHA DE PESQUISA: INDIV Í DUO, CULTURA E SOCIEDADE. Como o turismo contribuiu com a geração de emprego e renda na vila de Morro de São Paulo, distrito de Cairu-Ba. Elaboração: Reinaldo Pascoal Lacerda Aluno Unijuí EAD PERÍODO DE EXECUÇÃO: De 25/03/2008 a 30/04/2008.

2 Problematização A crise do trabalho, diante do desemprego, da desclassificação do trabalhador e as dificuldades de sobrevivência. O turismo inicialmente surge como um bico, ou seja, amenizando o desemprego. Mas depois torna- se uma atividade profissional. A crise do trabalho, diante do desemprego, da desclassificação do trabalhador e as dificuldades de sobrevivência. O turismo inicialmente surge como um bico, ou seja, amenizando o desemprego. Mas depois torna- se uma atividade profissional.

3 Justificativa A finalidade dessa pesquisa foi esclarecer a importância que a atividade turística representa para comunidade de Morro de São Paulo e saber como alguns nativos conseguiram se tornar empresários. A finalidade dessa pesquisa foi esclarecer a importância que a atividade turística representa para comunidade de Morro de São Paulo e saber como alguns nativos conseguiram se tornar empresários.

4 FUDAMENTAÇÃO TEÓRICA BARRETO, Margarita BARRETO, Margarita CASASOLA, Luis CASASOLA, Luis CLIFFORD, James. CLIFFORD, James. Reginaldo José Santos Gonçalves, trad. Farias, Patrícia. Reginaldo José Santos Gonçalves, trad. Farias, Patrícia. Jornal do Brasil, Idéias. 10/07/99. Jornal do Brasil, Idéias. 10/07/99. DIAS, Reinaldo DIAS, Reinaldo GODOY, Anilda GODOY, Anilda KEYNES, John. Maynard. KEYNES, John. Maynard. LAPLANTINE, François. LAPLANTINE, François. RICARDO, Helton Ouriques RICARDO, Helton Ouriques RANGEL, Sheila RANGEL, Sheila SPINOLA, Carolina de Andrade., 1996 SPINOLA, Carolina de Andrade., 1996

5 CAPITULO 1 1. O inicio do turismo moderno, como uma necessidade do homem moderno; 2. As definições e conceitos de turismo e turista; 3. A relação entre atividade turística e emprego e os tipos de turismo existentes na sociedade moderna.

6 INÍCIO DO TURISMO A primeira viagem foi organizada por Thomas Cook, em 05 de julho de 1841, levando um grupo de 570 passageiros em um trem que partiu de Leicester, na Inglaterra, com o objetivo de encontrar novos povos, novas pessoas e novas coisas. Assim começou a primeira viagem, praticamente iniciando a época moderna do turismo. (Knebel, 1974). A primeira viagem foi organizada por Thomas Cook, em 05 de julho de 1841, levando um grupo de 570 passageiros em um trem que partiu de Leicester, na Inglaterra, com o objetivo de encontrar novos povos, novas pessoas e novas coisas. Assim começou a primeira viagem, praticamente iniciando a época moderna do turismo. (Knebel, 1974).

7 CONCEITO DE TURISMO O turismo é um fenômeno social que consiste no deslocamento voluntário de indivíduos ou grupos de pessoas que, fundamentalmente por motivos de recreação, descanso, cultural ou saúde se deslocam de seu lugar de residência habitual para outro, no qual não exercem nenhuma atividade lucrativa nem remunerada, gerando múltiplas relações de importância social, econômica e cultural. (DIAS, 2003). O turismo é um fenômeno social que consiste no deslocamento voluntário de indivíduos ou grupos de pessoas que, fundamentalmente por motivos de recreação, descanso, cultural ou saúde se deslocam de seu lugar de residência habitual para outro, no qual não exercem nenhuma atividade lucrativa nem remunerada, gerando múltiplas relações de importância social, econômica e cultural. (DIAS, 2003).

8 CONCEITO DE TURISTA a) Pessoas que viajam por prazer, saúde, razões familiares, etc.; b) Aqueles que participam de congressos ou missões das mais variadas espécies; c) Pessoas que viajam a negócios; d) Aqueles que chegam de um cruzeiro marítimo, mesmo que permaneçam menos de 24h; e) Estudantes, (estes, porem incluídos em 1950, pela Iuoto como turistas);

9 A relação entre Atividade Turística e emprego A atividade turística cria oportunidade de emprego nos hotéis e os gastos restantes dos turistas induzem o surgimento de vagas em restaurantes, lojas, agências de viagens, empresas de entretenimento, empresas de transporte e demais estabelecimentos turísticos ou não turísticos que sejam beneficiados pela distribuição desse gasto inicial. (RANGEL, 2000). A atividade turística cria oportunidade de emprego nos hotéis e os gastos restantes dos turistas induzem o surgimento de vagas em restaurantes, lojas, agências de viagens, empresas de entretenimento, empresas de transporte e demais estabelecimentos turísticos ou não turísticos que sejam beneficiados pela distribuição desse gasto inicial. (RANGEL, 2000).

10 Tipos de Turismo Turismo Cultural Turismo Cultural Turismo de Aventura Turismo de Aventura Turismo de Negócios Turismo de Negócios Turismo Rural Turismo Rural

11 METODOLOGIA O método de procedimento utilizado na pesquisa foi o etnográfico, que consiste na observação direta do pesquisador, onde ele mesmo deve efetuar no campo a sua própria pesquisa. Tudo deve ser anotado e a teoria e a observação devem está reunidas em seu objetivo. (BOAS, ). O método de procedimento utilizado na pesquisa foi o etnográfico, que consiste na observação direta do pesquisador, onde ele mesmo deve efetuar no campo a sua própria pesquisa. Tudo deve ser anotado e a teoria e a observação devem está reunidas em seu objetivo. (BOAS, ).

12 CAPITULO 3 Trata do estudo de caso, que traz um pouco da realidade do turismo, como se iniciou e como está atualmente em Morro de São Paulo. Trata do estudo de caso, que traz um pouco da realidade do turismo, como se iniciou e como está atualmente em Morro de São Paulo.

13 O Turismo em Morro de São Paulo Inicia-se com os mochileiros hippies, descobrindo o Morro para o Brasil e exterior. Daí em diante, Morro de São Paulo não deixou mais de receber visitantes de todas as partes do mundo.

14 Estudo de Caso A partir do momento que percebemos que os visitantes nos trariam lucros financeiros, começamos a nos movimentar quanto o que fazer para ganhar dinheiro. E a idéia foi começar como vendedores ambulantes...

15 Transformação da Estrutura do trabalho A atividade turística tornou-se, atualmente, do ponto de vista econômico a maior do planeta, suplantando setores tradicionais, tais como a indústria automobilística, a eletrônica e a petrolífera. (DIAS, 2003). A atividade turística tornou-se, atualmente, do ponto de vista econômico a maior do planeta, suplantando setores tradicionais, tais como a indústria automobilística, a eletrônica e a petrolífera. (DIAS, 2003). Na Vila de Morro de São Paulo, o turismo suplantou as atividades tradicionais, que moviam à economia da Ilha. Atividades como a pesca, a caça, e a agricultura, foram substituídas pela a atividade turística. Na Vila de Morro de São Paulo, o turismo suplantou as atividades tradicionais, que moviam à economia da Ilha. Atividades como a pesca, a caça, e a agricultura, foram substituídas pela a atividade turística.

16 Considerações Finais De fato o Morro de São Paulo, passou por uma transformação bastante significativa desde a década de 1980 com a chegada dos primeiros visitantes, a praticar o turismo, provocando a necessidade de acomodações que os atendessem com hospedagens e restaurantes, daí parte a idéia de alguns de criar meios que atendessem aos visitantes e que também lhes dessem retorno financeiro.

17 Considerações Finais O turismo em Morro de São Paulo vem gerando emprego e renda de forma significativa, mesmo que esses empregos sejam de baixa remuneração para a maioria, pois exigem pouca qualificação, tais como: Guias, vigias, carregadores de malas, camareiras, garçons, etc. Fato que possibilita a absorção da mão-de-obra local.

18 Anexos Farol do Morro de São Paulo

19 FONTE GRANDE A Fonte Grande é o maior sistema de abastecimento de água da Bahia colonial, um notável exemplo da tecnologia construtiva do período. Construída em 1746, providencia a captação de águas e decantação, tanto do volume proveniente do lençol freático quanto ao do riacho existente.

20 Anexo O forte do Morro de São Paulo

21 Anexo O Cais

22 A Vila Principal A vila

23 Anexo A Praça do Artesanato

24 Anexo Vista aérea da vila

25 Anexo Vista da 1ª Praia

26 Anexo Nativo que continua com sua antiga atividade.

27 MENSAGEM Sem sonhos, a vida não tem brilho. Sem sonhos, a vida não tem brilho. Sem metas, os sonhos não têm alicerces. Sem prioridades, os sonhos não se tornam reais. Sonhe, trace metas, estabeleça prioridades e corra riscos para executar seus sonhos. Melhor é errar por tentar do que errar por se omitir! Não tenha medo dos tropeços da jornada. Não se esqueça de que você, ainda que incompleto é um grande aventureiro da história da sua própria vida. Sem metas, os sonhos não têm alicerces. Sem prioridades, os sonhos não se tornam reais. Sonhe, trace metas, estabeleça prioridades e corra riscos para executar seus sonhos. Melhor é errar por tentar do que errar por se omitir! Não tenha medo dos tropeços da jornada. Não se esqueça de que você, ainda que incompleto é um grande aventureiro da história da sua própria vida. Augusto Cury


Carregar ppt "UNIJU Í - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DCS – DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PROGRAMA DE PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAIS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google