A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA MÉTODO DIRETO E INDIRETO

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA MÉTODO DIRETO E INDIRETO"— Transcrição da apresentação:

1 DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA MÉTODO DIRETO E INDIRETO
Professor: José Raymundo Sobrinho 24/03/2017

2 DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA MÉTODO DIRETO
Corresponde a uma descrição do fluxo de entradas e saídas no Disponível durante o exercício. 24/03/2017

3 DFC – DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA
I - Balanço em 19X0 (Empresa constituída em dezembro e ainda não em operação) ATIVO PASSIVO CIRCULANTE Caixa 300 Fornecedores 1.000 Estoques 1.700 2.000 NÃO CIRCULANTE PATRIMÔNIO LÍQUIDO Imobilizado Capital 3.000 24/03/2017

4 II – FATOS CONTÁBEIS DURANTE 19X1 R$
Compra a prazo de mercadorias 1.200 2 Venda a prazo de mercadorias 3.000 3 Custo das mercadorias vendidas 1.500 4 Pagamento a fornecedores no ano 1.600 5 Recebimento de clientes no ano 2.700 6 Aumento de capital em dinheiro 500 7 Compra do imobilizado com 20% de entrada à vista e o restante financiado a longo prazo 8 Compra de investimentos à vista 300 9 Depósitos Judiciais de longo prazo 250 10 Seguro contra incêndio constituído em em janeiro de 19x1 com prazo de 2 anos 200 continua 24/03/2017

5 Apropriação das Despesas de Seguros em 19x1 100 13
continuação 11 Despesas operacionais, exceto Depreciação e Seguros, sendo que 10% do valor será pago em 19x2, logo 90% pago em 19x1 400 12 Apropriação das Despesas de Seguros em 19x1 100 13 Despesas de Depreciação 140 14 Variação monetária do financiamento de longo prazo 60 15 Ganho na Equivalência 16 Provisão para CSLL 70 17 Provisão para o Imposto de Renda 150 18 Transferência do saldo Apuração Resultado para Lucros Acumulados   24/03/2017

6 III- CONTABILIZAÇÃO DAS OPERAÇÕES 19X1
CAIXA 300 1.600 (4) 2.700 (7) (5) 500 (8) (6) 250 (9) 200 (10) 360 (11) 3.500 3.010 490 ESTOQUES 1.700 1.500 (3) (1) 1.200 2.900 1.400 24/03/2017

7 CLIENTES (2) 3.000 2.700 (5) 300 SEGUROS A VENCER (10) 200 100 (12)
DEPÓSITOS JUDICIAIS (9) 250 IMOBILIZADO 1.000 (7) 1.500 2.500 24/03/2017

8 INVESTIMENTOS (8) 300 (15) 100 400 FORNECEDORES (4) 1.600 1.000 1.200
1.200 (1) 2.200 600 CONTAS A PAGAR 40 (11) EMPRÉSTIMOS A LONGO PRAZO 1.200 (7) 60 (14) 1.260 24/03/2017

9 PROVISÃO CSLL 70 (16) PROVISÃO IRPJ 150 (17) CAPITAL 2.000 500 (6)
70 (16) PROVISÃO IRPJ 150 (17) CAPITAL 2.000 500 (6) 2.500 24/03/2017

10 (3) (2) (11) (15) (12) (13) (14) (16) (17) (18)
APURAÇÃO D0 RESULTADO (3) 1.500 3.000 (2) (11) 400 100 (15) (12) (13) 140 (14) 60 (16) 70 (17) 150 2.420 3.100 (18) 680 24/03/2017

11 LUCROS ACUMULADOS 680 (18) 24/03/2017

12 DFLC - MÉTODO DIRETO 1. INGRESSOS DE RECURSOS
1.1 Derivados das operações 1.2. Dos sócios Integralização do capital 1.3. De Terceiros Total 2. DESTINAÇÃO DOS RECURSOS 3. VARIAÇÃO DO DISPONÍVEL (1-2) 4. SALDO DISPONÍVEL INICIO PERÍODO 5. SALDO DISPONÍVEL FINAL PERÍODO (3+4) 24/03/2017

13 DFC - MÉTODO DIRETO ( após os lançamentos 19X1) R$
1. INGRESSOS DE RECURSOS 1.1 Derivados das operações 1.1.1 Recebimento de clientes 2.700 (-) Pagamento a fornecedores -1.600 (-) Pagamento de despesas -360 (-) Pagamento de despesas antecipadas -200 540 1.2. Dos sócios Integralização do capital 500 1.3. De Terceiros Empréstimo de longo prazo 1.200 1.700 Total 2.240 continua 24/03/2017

14 2. DESTINAÇÃO DOS RECURSOS Compra do imobilizado 1.500
continuação 2. DESTINAÇÃO DOS RECURSOS Compra do imobilizado 1.500 Compra de investimentos 300 Depósitos judiciais 250 2.050 3. Variação do Disponível (1-2) 190 4. Saldo do disponível em X0 5. Saldo do disponível em X1(3 +4) 490 24/03/2017

15 IV- DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO 19X1
Vendas 3.000 (-) CMV -1.500 = Lucro bruto 1.500 (-) Despesas, exceto Depreciação e seguros -400 (-) Despesas de Depreciação -140 (-) Despesas Seguros -100 (-) Variação Monetária Empréstimos LP -60 (+) Ganho na Equivalência 100 = Lucro Operacional Líquido 900 (-) Contribuição Social sobre o Lucro Líquido -70 (-) Imposto de Renda -150 (=) Lucro Líquido do Exercício 680 24/03/2017

16 V - BALANÇO PATRIMONIAL - 19X1
ATIVO PASSIVO Circulante Caixa 490 Fornecedores 600 Clientes 300 Contas a Pagar 40 Estoques 1.400 CSLL a recolher 70 Despesas Antec. 100 2.290 IRPJ a recolher 150 860 NÃO CIRCULANTE Realizável a Longo Prazo Depósito Judicial 250 Empréstimos 1.260 Imobilizado PATRIMÔNIO LIQUIDO Investimentos 400 Capital 2.500 Reservas de Lucros 680 3.180 (-) Deprec. Acum. -140 2.760 Total 5.300 24/03/2017

17 DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA MÉTODO INDIRETO
A DFC, pelo método indireto, é muito similar à DOAR, com a diferença que as variações do Ativo Circulante (exceto do Disponível) e do Passivo Circulante passam a integrar as origens e aplicações de recursos da demonstração. Aumentos do Ativo Circulante representam aplicações e diminuições, origens. O inverso ocorre com as contas do PC. A SEGUIR VAMOS ELABORAR A “DOAR”-DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS, PARA FAZER A D F C – MÉTODO INDIRETO. 24/03/2017

18 I - ORIGENS DOS RECURSOS 1º) Das Operações
(±) Resultado Líquido do Exercício (±) Ajustes itens não monetários (=) Resultado Líquido Ajustado (+) Aumentos Líquidos nas contas do Passivo Circulante (-) Aumentos Líquidos nas contas do Ativo Circulante 2º) Dos Proprietários (igual DOAR) 3º) De Terceiros II- Aplicações dos Recursos III- Variação Líquida do Disponível ( I-II ) IV- Saldo Inicial do Disponível V- Saldo Final do Disponível (III + IV) 24/03/2017

19 BALANÇO PATRIMONIAL – ATIVO preparado
CIRCULANTE 19X0 19X1 Variação XI / X0 Caixa 300 490 190 Clientes Estoques 1.700 1.400 -300 Despesa Antecipada 100 2.000 2.290 290 NÃO CIRCULANTE Realizável a longo prazo Depósito Judicial 250 Investimentos 400 Imobilizado 1.000 2.500 1.500 (-) Dep. Acumulada -140 2.760 2.010 Total 3.000 5.300 2.300 24/03/2017

20 V - BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO preparado
CIRCULANTE 19X0 19X1 Variação XI x XO Fornecedores 1.000 600 -400 Contas a Pagar 40 CSLL a Recolher 70 IRPJ a Recolher 150 860 -140 NÃO CIRCULANTE Empréstimo 1.260 PATRIMÔNIO LIQ Capital 2.000 2.500 500 Reservas de Lucros 680 3.180 1.180 Total 3.000 5.300 2.300 24/03/2017

21 ADIÇÕES E EXCLUSÕES PARA AJUSTAR O LUCRO FINS ELABORAR A “DOAR”
+ Despesas de depreciação 140,00 + Variação monetária empréstimo (LP) 60,00 (-) Ganho na Equivalência 100,00 24/03/2017

22 DOAR – A SER UTILIZADA NO DFC – Método Indireto
EFEITOS ILUSTRATIVOS 1 - ORIGENS 1.1 Das operações Resultado líquido exercício 680 (+) Despesas de Depreciação 140 (+) Variação monetária de empréstimo (LP) 60 (-) Ganho na Equivalência -100 100 = Resultado ajustado  780 1.2 Dos Proprietários Integralização de capital em dinheiro 500 1.3 De Terceiros Novos empréstimos de longo prazo 1.200 Total das origens 2.480 24/03/2017

23 DOAR – A SER UTILIZADA NO DFC – Método Indireto
EFEITOS ILUSTRATIVOS 2 - APLICAÇÕES Aquisição do imobilizado  1.500 Aquisição de investimentos  300 Aplicação em Depósitos Judiciais 250  2.050 3 – VARIAÇÃO DO C C L ( 1-2 ) 430 24/03/2017

24 DOAR – A SER UTILIZADA NO DFC – Método Indireto
4 – DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES DO CCL Elementos  31-12-X0  31-12-X1 Variações Ativo Circulante 2.000 2.290 290 (-) Passivo Circulante 1.000 860 (140) (-) Capital Circulante Líquido 1.430 430 24/03/2017

25 D FC - MÉTODO INDIRETO É muito similar à DOAR, com a diferença que as variações do Ativo Circulante (exceto do Disponível) e do Passivo Circulante passam a integrar as origens e aplicações de recursos da demonstração.  Aumentos do Ativo Circulante representam aplicações;  Diminuições do Ativo Circulante representam origens.  Aumentos do Passivo Circulante representam origens; Diminuições do Passivo Circulante representam aplicações. 24/03/2017

26 1 - ORIGENS 1.1 Das operações Resultado líquido exercício 680
1.1 Das operações Resultado líquido exercício 680 (+) Despesas de Depreciação 140 (+) Variação monetária de empréstimo (LP) 60 (-) Ganho na Equivalência -100 100 = Resultado ajustado (igual) ao do DOAR  780 (+) Aumentos do Passivo Circulante Contas a Pagar 40 CSLL a recolher 70 IR a recolher 150 260 continua 1.040 24/03/2017

27 (+) Diminuições do Ativo Circulante Estoques 300
CONTINUAÇÃO  1.040 (+) Diminuições do Ativo Circulante Estoques 300 (-) Aumentos do Ativo Circulante Clientes Despesas antecipadas 100 (400) (-) Diminuições do Passivo circulante Fornecedores = Subtotal 540 1.2. Integralização de capital 500 1.3. Empréstimos de longo prazo 1.200 1.700 2. Aplicações 2.1 Aquisição do Imobilizado 1.500 2.2 Aquisição de Investimentos continua 1.800 2.240 24/03/2017

28 2.3 Aumento de depósitos Judiciais 250 (2.050)
CONTINUAÇÃO  1.800 2.240 2.3 Aumento de depósitos Judiciais 250 (2.050) 3. Variação do Disponível (1- 2) 190 4. Saldo do Disponível em X0 300 5. Saldo do Disponível em X1 ( 3+ 4) 490 24/03/2017


Carregar ppt "DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA MÉTODO DIRETO E INDIRETO"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google